O "site" oficial do futebol europeu

2003: Alberto Aquilani

Publicado: Terça-feira, 1 de Abril de 2008, 4.51CET
Vários dos jogadores que ajudaram a Itália a chegar ao título no Europeu de Sub-19 de 2003 deixaram entretanto a sua marca no futebol profissional, mas poucos conseguiram atingir o brilho de Alberto Aquilani.
2003: Alberto Aquilani
Alberto Aquilani (Italy) ©UEFA.com
Publicado: Terça-feira, 1 de Abril de 2008, 4.51CET

2003: Alberto Aquilani

Vários dos jogadores que ajudaram a Itália a chegar ao título no Europeu de Sub-19 de 2003 deixaram entretanto a sua marca no futebol profissional, mas poucos conseguiram atingir o brilho de Alberto Aquilani.

Vários dos jogadores que ajudaram a Itália a chegar ao título no Campeonato da Europa de Sub-19 de 2003 deixaram entretanto a sua marca no futebol profissional, mas poucos conseguiram atingir o brilho de Alberto Aquilani.

O médio organizador de jogo da AS Roma foi o coração da selecção italiana vencedora no Liechtenstein, tendo sido o único elemento da formação orientada por Paolo Berrettini a actuar durante todos os minutos dos cinco encontros disputados na fase final da prova. De facto, ao longo de toda a campanha da Itália no Campeonato da Europa de Sub-19 de 2002/03, Aquilani esteve em campo durante 990 minutos, disputando também na íntegra os três encontros da fase de qualificação e as três partidas da Ronda de Elite. Figura central do jogo dos "azzurrini", Aquilani fez questão de mostrar o seu valor logo na primeira partida da fase final, assumindo a conversão da grande penalidade que valeu à Itália a vitória por 1-0 sobre a Noruega.

No encontro seguinte, os italianos empataram 1-1 frente a Portugal e confirmaram depois um lugar nas meias-finais da prova com um triunfo por 5-1 sobre a selecção da casa, num encontro em que Aquilani demonstrou ser possuidor de enorme criatividade. O médio esteve depois, por várias ocasiões, perto de inaugurar o marcador na partida das meias-finais, diante da República Checa, mas foi Giampaolo Pazzini a apontar o único tento da partida. Na final, em Vaduz, a Itália reencontrou Portugal e venceu por 2-0: Luigi Della Rocca apontou, de cabeça, o primeiro golo do jogo e Pazzini selou o resultado na sequência de um livre cobrado por Aquilani.

Depois de ter sido um dos que mais impressionou na conquista do título dos Sub-19, Aquilani tornou-se internacional pela selecção Sub-21 do seu país e figura habitual no "onze" da Roma, a equipa do seu coração, onde chegou com apenas nove anos. Em 2003, o médio mostrava já enorme vontade de progredir, que o levou a disputar mais de 50 partidas na Serie A pelos "giallorossi", ao afirmar: "Há muitos aspectos do meu jogo que necessito de melhorar e tento trabalhar neles todos os dias. Gosto de começar as jogadas e adoro ser organizador de jogo". E o tempo provou que o seu talento em bruto estava destinado ao sucesso.

Última actualização: 18-02-12 5.55CET

Informação relacionada

Perfis das equipas

http://pt.uefa.com/under19/history/season=2003/goldenplayer/index.html#2003+alberto+aquilani