O "site" oficial do futebol europeu

Salzburgo sucede ao Chelsea como vencedor da Youth League

Manchester City, Paris, Atlético, Barcelona e Benfica estiveram no caminho do Salzburgo até à glória na UEFA Youth League, naquela que foi a mais renhida das quatro edições da competição.
Salzburgo sucede ao Chelsea como vencedor da Youth League
Salzburgo celebra no relvado do Estádio Colovray ©Sportsfile

Salzburgo sucede ao Chelsea como vencedor da Youth League

Manchester City, Paris, Atlético, Barcelona e Benfica estiveram no caminho do Salzburgo até à glória na UEFA Youth League, naquela que foi a mais renhida das quatro edições da competição.

O ainda curto quadro de honra da UEFA Youth League ganhou um novo nome após a vitória do Salzburgo na tradicional semana da fase final, disputada no Estádio Colovray, em Nyon.

A equipa austríaca juntou-se ao duas vezes campeão Chelsea e ao Barcelona, vencedor em 2014, ao ganhar o Troféu Lennart Johansson. E conseguiu-o, também, da maneira mais difícil, ao eliminar sucessivamente adversários de topo na caminhada até Nyon – nomeadamente o Manchester City, Paris e Atlético – depois de ter afastado o Vardar e o Kairat Almaty no Caminho dos Campeões Nacionais.

A qualidade dos adversários a quem o Salzburgo se impôs na Suíça era impressionante. A perder por 1-0 com o Barcelona, pouco depois da hora de jogo, a equipa de Marco Rose marcou dois golos sem resposta, o segundo dos quais pelo suplente Daka Patson, estreante no certame. Tratou-se do mesmo jogador que, no mês anterior ajudara, a Zâmbia a triunfar na Taça das Nações Africanas de Sub-20.

O jogo da final teve algumas semelhanças, mas desta vez o Salzburgo esteve a perder com o Benfica até aos 72 minutos, quando Patson, de cabeça, fez o empate. O seu colega suplente Alexander Schmidt, na sua primeira partida desde Novembro devido a lesão, completou a reviravolta.

O sucesso acabou por ser um presente atrasado para o capitão do Salzburgo, Sandro Ingolitsch, pois completou 20 anos seis dias antes da final. Para a equipa de Rose, significou igualmente concluir a época na UEFA Youth League sem qualquer desaire nos nove jogos realizados e nos quais apontou 29 golos.

Hannes Wolf, autor de três assistências e um golo em Nyon, e Mergim Berisha, marcaram cada um sete tentos na campanha do Salzburgo. Os avançados eram dois dos três jogadores da equipa de Rose na fase final com experiência sénior. O outro, Amadou Haidara, marcou na estreia numa eliminatória da Taça da Áustria três semanas antes da viagem para Nyon.

Na outra meia-final, o Benfica venceu o Real Madrid por 4-2 e condenou o conjunto espanhol à terceira derrota nesta fase da prova, depois de 2014 e 2016. As equipas espanholas regressaram a casa desiludidas, ainda que Jordi Mboula, do Barcelona, autor de um tento contra o Salzburgo, tenha sido o melhor marcador da prova, com oito tentos, a par de Kaj Sierhuis, do Ajax.

No total, 40 países, mais três do que na edição anterior, estiveram representados na edição 2016/17. Pela primeira vez, houve participantes da ARJ Macedónia, República da Irlanda e Montenegro.

A competição, pensada para diminuir parcialmente a distância entre as equipas de futebol júnior e sénior, constituiu a plataforma de acesso para 16 jogadores competirem também na UEFA Champions League. Entre eles esteve Fedor Chalov, do CSKA Moscovo, participante nos quartos-de-final, José Gomes, goleador do Benfica, e o defesa Felix Passlack, Dortmund.

Passlack estreou-se na UEFA Youth League apenas em Setembro, diante do Légia Varsóvia mas, dois meses volvidos, no segundo jogo contra a equipa polaca, integrou a formação de Thomas Tuchel e tornou-se no mais jovem jogador alemão a marcar na principal competição de clubes da UEFA, quando o BVB derrotou a formação da capital da Polónia, em casa, por 8-4.

FInalistas da UEFA Youth League mostraram as suas capacidades

https://pt.uefa.com/uefayouthleague/history/season=2017/index.html#201617+sucesso+para+salzburgo