Dani Carvajal vale SuperTaça para o Real Madrid

Real Madrid 3-2 Sevilha (a.p.) Um golo aos 119 minutos de Dani Carvajal deu um triunfo épico aos "merengues" num jogo em Sevilha ficou a um minuto de vencer.

  • Golo de Dani Carvajal aos 119 minutos vale vitória ao Real Madrid em Tondheim
  • Remate soberbo de Marco Asensio (21) põe Real Madrid a vencer
  • Pontapé de Franco Vázquez (41) empata e penalty de Yevhen Konoplyanka (72) completa reviravolta
  • Sergio Ramos força prolongamento com golo nos descontos (90+3)
  • Real Madrid vence SuperTaça Europeia da UEFA pela terceira vez; Sevilha soma terceira derrota em outros tantos anos

Um golo aos 119 minutos de Dani Carvajal, depois de Sérgio Ramos ter forçado o prolongamento nos descontos, valeu ao Real Madrid um triunfo sobre o Sevilha por 3-2 e a conquista, em Trondheim, da terceira SuperTaça Europeia da UEFA da sua história.

Após as vitórias averbadas em 2002 e 2014 – este diante do mesmo adversário com um bis de Cristiano Ronaldo – a final espanhola, mais uma vez, pendeu para a equipa da capital e, assim, Zinédine Zidane torna-se no quinto treinador a vencer o troféu depois de o ter feito como jogador.

Apresentando-se em Trondheim sem Cristiano Ronaldo, Pepe e Gareth Bale e com Karim Benzema e Luka Modrić no banco, a equipa de Madrid surgiu a jogar de uma forma mais elaborada mas não tão veloz, situação aproveitada pelo Sevilha para jogar na expectativa.

Com Daniel Carriço como único português em campo, o "trinco" do Sevilha viu o surpreendente pontapé de pé esquerdo, a cerca de 30 metros da baliza, de Marco Asensio (21) fazer a bola entrar no ângulo superior direito e dar expressão ao domínio “merengue”.

A equipa andaluza, na terceira presença consecutiva no jogo de atribuição da SuperTaça, ameaçou o empate num remate do médio português que Kiko Casilla (29) desviou com dificuldade, acabando por chegar à igualdade perto do intervalo.

Aproveitando uma iniciativa de Vitolo no limite da área do Real Madrid, Franco Vázquez (41) atirou de pé esquerdo, batendo Casilla. Respondeu o campeão europeu num desvio de cabeça de Isco (44) já na pequena área, mas que saiu à figura de Sergio Rico.

Tal como nos minutos iniciais da partida, foram os “merengues” que tiveram o domínio no regresso dos balneários e Isco (55) tentou a sua sorte num remate à entrada da área, mas Rico desviou para canto.

Na sua estreia na competição, Jorge Sampaoli viu a opção de fazer entrar Yevhen Konoplyanka compensar, já que foi do internacional ucraniano o penalty convertido a castigar derrube na área de Sergio Ramos sobre Vitolo (70).

Insatisfeito com a reviravolta, o Real Madrid foi à procura do empate mas com Benzema ainda longe da melhor forma acabou por ser Ramos, de cabeça, já nos descontos, a fazer a igualdade e a forçar o prolongamento.

A situação piorou ainda mais para o Sevilha quando Timothée Kolodziejczak (93) viu o segundo cartão amarelo após falta sobre Lucas Vázquez e acabou expulso, acabando o jogo por se decidir quando, no minuto 119, Dani Carvajal arrancou do meio-campo até à área para terminar com um remate cruzado.

Topo