Análise: Como o Real Madrid venceu a SuperTaça Europeia da UEFA

O remate fantástico de Dani Carvajal fez a diferença entre Real Madrid e Sevilha em Trondheim, mas Daniel Thacker afirma que houve mais aspectos a realçar na vitória "merengue".

O Real Madrid escreveu mais uma página na sua já longa lista de épicas exibições europeias na conquista da SuperTaça Europeia da UEFA, ao derrotar o rival espanhol e vencedor da UEFA Europa League, o Sevilha, por 3-2, após prolongamento, em Trondheim. O UEFA.com explica como é que tudo aconteceu.

O desejo de Carvajal
Dani Carvajal falhou a participação da Espanha no UEFA EURO 2016, por culpa de uma lesão contraída na vitória do Real Madrid na final da UEFA Champions League sobre o Atlético Madrid, deixando San Siro em lágrimas depois dessa inesquecível noite de Maio.

Depois de recuperar a bola no meio-campo adversário quando o Sevilha se preparava para sair no contra-ataque, o lateral-direito virou-se de pronto para a baliza contrária e passou por toda a defesa da formação da Andaluzia, até a altura em que, já na área, bateu Sergio Rico com uma colocada trivela.

Ramos sobre a vitória na SuperTaça
Ramos sobre a vitória na SuperTaça

A liderança de Ramos
Protótipo do jogador dos grandes jogos, Sergio Ramos voltou a mostrar isso mesmo no Lerkendal Stadion. O jogador de 30 anos marcou em três das últimas quatro finais europeias do Real, com dois desses golos a surgirem no minuto 93.

"É um dia muito feliz para mim, não apenas pelo título que vencemos enquanto grupo, mas também a nível pessoal, por ter sido capaz de dar o meu melhor e conseguir marcar no minuto 93", disse ao UEFA.com no final. "Esta é uma boa recordação."

A estreia inesquecível de Asensio
O brilhante golo de estreia de Marco Asensio é apenas mais uma prova do seu precoce talento. Visto como um dos melhores talentos da Espanha, o jogador de 20 anos inaugurou o marcador com um espectacular remate de pé esquerdo, de fora da área:

Marco Asensio festeja o seu golo
Marco Asensio festeja o seu golo©Getty Images

"Ele fez um jogo completo", disse Zinédine Zidane no final. "Não apenas pelo seu golo fantástico, mas também pelo trabalho que produziu."

O papel da "cantera"
Apesar de ser conhecido pela política de contratação de "Galácticos" e de grandes nomes, o Real Madrid começou a final da SuperTaça Europeia da UEFA com quatro jogadores que passaram pela sua formação:

Carvajal, Álvaro Morata, Kiko Casilla e Lucas Vázquez vieram todos da "cantera" do clube, com Ramos a ver-se também como um deles, pois aprendeu no Real Madrid a forma de ganhar troféus custe o que custar - apesar de ter sido formado no Sevilha.

"É óbvio que me considero um jogador da casa, dado o tempo a que já aqui estou", disse Ramos. "No Real Madrid é-nos sempre pedido para lutarmos por títulos. Penso que isso é algo que está no ADN do Real Madrid – é algo que fiquei a saber desde o primeiro dia que aqui cheguei. É o que jogadores como Raúl, Michel Salgado e Iker Casillas nos ensinam."