Época em revista: Como o Manchester United chegou à SuperTaça Europeia

Simon Hart, repórter do UEFA.com junto do Manchester United, acompanhou o percurso da equipa de José Mourinho até à final de Estocolmo e destaca os momentos mais importantes.

O United comemora a conquista do troféu europeu que lhe faltava no palmarés
O United comemora a conquista do troféu europeu que lhe faltava no palmarés ©Sportsfile

Foi uma campanha que levou o Manchester United a visitar oito países e alguns dos estádios mais remotos do continente, como em Odessa, Istambul e Rostov, mas terminou com uma imagem familiar: o emblema de Old Trafford e o treinador José Mourinho a conquistarem mais um título europeu. Com este triunfo, o Manchester United passou a contar no palmarés com os todos os principais troféus europeus, e não faltaram destaques na caminhada até Estocolmo.

Este artigo faz parte do programa oficial da SuperTaça Europeia de 2017. Descarregue aqui a sua cópia (em inglês)

Melhor momento

Exibição dominadora em Estocolmo

Tinha de ser a final. O Manchester United foi mais sólido do que espetacular no percurso até à capital sueca, mas na Friends Arena fez uma exibição que não deu qualquer hipótese ao Ajax. Os grandes jogadores estiveram ao seu nível quando foi realmente importante e os jovens do Ajax não conseguiram responder. Ander Herrera esteve excelente ao proteger a defesa e a fechar os espaços entre-linhas, mas não foi o único a brilhar numa noite em que Paul Pogba e Henrikh Mkhitaryan fizeram os golos que coroaram da melhor forma a sua época de estreia em Old Trafford.

O programa da SuperTaça Europeia
O programa da SuperTaça Europeia©UEFA.com

Melhor golo
Rostov destroçado

Marcus Rashford marcou bons golos frente a Anderlecht e Celta, enquanto o capitão Wayne Rooney, que entretanto regressou ao Everton, estabeleceu um novo máximo pelo clube nas competições europeias. Contudo, o melhor golo resultou de um bom trabalho colectivo e colocou um ponto final na resistência do Rostov nos oitavos-de-final, em Old Trafford. Uma maravilhosa jogada de contra-atacante, que durou cerca de dez segundos e teve apenas nove toques na bola, com tudo a começar com uma recuperação de Juan Mata no meio-campo defensivo. Zlatan Ibrahimović desmarcou Mkhitaryan no flanco direito e o arménio fez um cruzamento que Ibrahimović amorteceu para o golo de Mata, o homem que tinha iniciado a jogada.

Melhor ambiente

Unidos perante o terror

Não faltou ruído e colorido nos adeptos dos clubes que visitaram Inglaterra determinados em desfrutar do ambiente de Old Trafford, do Saint-Étienne ao Anderlecht, passando pelo Celta numa meia-final interessante. No entanto, o momento mais memorável aconteceu após o minuto de silêncio em memória das vítimas do atentado terrorista de Manchester, dois dias antes da final, quando os adeptos do Manchester United presentes na bancada sul transmitiram uma mensagem de apoio e desafio ao cantarem "Manchester, Manchester".

Jogador em destaque
Cuidado com o "Animal"

Ronaldo, Beckham, Figo: grande golos nos jogos entre Real Madrid e Man. United
Ronaldo, Beckham, Figo: grande golos nos jogos entre Real Madrid e Man. United

Antonio Valencia é o elemento mais regular na equipa do Manchester United, um atleta extraordinário e jogador muito experiente, que na época passada mostrou o seu melhor sentido posicional ao praticamente não cometer erros nas novas funções defensivas. O equatoriano chegou a Old Trafford em 2009 como extremo, mas nos últimos tempos brilhou como defesa-direito e foi sem surpresa que os colegas o elegeram como melhor da época. "É muito perigoso nas subidas ao ataque mas, ao mesmo tempo, também consegue ser sólido em termos defensivos", explicou Michael Carrick, enquanto Mata foi mais sucinto na apreciação: "É um animal".

Herói discreto
Grande cabeleira, grande impacto

Não é necessário recordar que Marouane Fellaini precisou de algum tempo para conquistar os adeptos de Old Trafford, mas o possante belga marcou em duas meias-finais na época passada, frente ao Hull City na Taça da Liga inglesa e contra o Celta na UEFA Europa League, mostrando ser um jogador muito eficaz a atcar e a defender. Provou o seu verdadeiro valor com uma exibição brilhante na Friends Arena, ao ganhar 15 duelos aéreos, um novo recorde num jogo da UEFA Europa League.

Melhor jogador adversário

Oportunidade para a detecção de talentos

Um dos aspectos mais aliciantes de acompanhar o Manchester United na UEFA Europa League foi ver algumas equipas e jogadores a evoluírem ao mais alto nível longe dos holofotes da UEFA Champions League. O Celta praticou um bom futebol em Old Trafford, com o médio chileno Pablo Hernández a assumir um papel de destaque. Quando o Anderlecht jogou no norte de Inglaterra, foi o jovem médio Youri Tielemans (agora no Mónaco) a chamar a atenção com sua precoce capacidade de ler o jogo.

Jogador a seguir
A ascensão de Rashford

Resumo: O Manchester United na Europa
Resumo: O Manchester United na Europa

Rashford promete continuar a deliciar os adeptos do Manchester United em 2017/18. Na primeira época completa como sénior, o jogador de 19 anos marcou um total de 11 golos, com destaque para os conseguidos frente a Celta e Anderlect, sendo decisivo na caminhada dos "red devils" até à final da UEFA Europa League. O atacante promete render ainda mais: "Acho que evolui muito na época passada. Estou a fazer coisas que sempre soube que era capaz, mas que não fazia quando era mais jovem".

A nova época
Desafios pela frente

Se a primeira época de Mourinho em Old Trafford terminou com a conquista de três troféus, desta vez o treinador de 54 anos estará determinado em levar o Manchester United a melhorar a classificação na Premier League, depois do sexto lugar conseguido em 2016/17. Outro grande desafio no horizonte é a UEFA Champions League, onde o Manchester United não conseguiu melhor do que uma presença nos quartos-de-final depois de ter disputado a final em 2011. Também será aliciante ver como se comporta Pogba na segunda época completa no clube. Há 12 meses carregava o fardo de ser o jogador mais caro de sempre, assim como o esforço realizado ao serviço da França no EURO 2016, mas agora deverá sentir os benefícios de uma pré-época completa, isto sem falar da contratação do grande amigo Romelu Lukaku para o ataque.

Topo