O que dizem os jornais sobre a SuperTaça Europeia da UEFA

"Ramos deve mudar de número", escreve o AS na comemoração de mais uma vitória nos últimos instantes do Real Madrid; o UEFA.com fez uma revista de imprensa sobre a SuperTaça Europeia da UEFA.

©UEFA.com

AS, diário desportivo de Madrid
Ramos deveria pedir ao roupeiro para mudar o seu número. A partir de agora deveria jogar com o número 93 na camisola. Com Tarzan, tudo é possível. Ele assume os riscos que corre, dá a cara mesmo quando é criticado e, apesar de errar quando se deixa levar pelo coração, nunca vira a cara. O capitão justifica a braçadeira pelo seu carácter, que fez dele a referência de uma equipa capaz de sobreviver sem sete dos jogadores que começaram a vitoriosa final de Milão da UEFA Champions League.

©Getty Images

El País, diário nacional espanhol
Um jogo europeu cheio de mudanças no marcador terminou de novo a favor do Real, palco onde não perde há 16 anos. Um golo de Sergio Ramos no final, uma vez mais no minuto 93, levou a decisão para prolongamento, onde, uma vez mais, perto do fim, Carvajal marcou um tento espectacular. Dois rudes golpes para o Sevilha, que teve praticamente as mãos no troféu antes da decisão ir para prolongamento.

Marca, diário desportivo de Madrid
O futebol tem caprichos como poucos outros desportos. Tudo é relativo até ao apito final do árbitro. Os últimos minutos mudam a história de equipas, jogadores e adeptos. Perguntem a Sergio Ramos, um especialista nesta área. Salvou a sua equipa mesmo no final, depois de fazer penalty sobre Vitolo, que parecia ditar o destino do Real Madrid. O antigo jogador do Sevilha tem sete vidas, tal como os gatos.

©Getty Images

Estadio Deportivo, diário desportivo de Sevilha
De novo no prolongamento. De novo na SuperTaça Europeia da UEFA. O futebol voltou a ser cruel para o Sevilha, tal como há um ano em Tbilisi [onde o Sevilha perdeu 5-4 com o Barcelona no prolongamento], mas desta vez em Trondheim a equipa de Sampaoli esteve muito perto de ter o troféu nas mãos. Tudo se perdeu no prolongamento e as coisas complicaram-se nos primeiros minutos do tempo extra. O Sevilha promete ser espectacular, porque deu tudo com menos de dois meses de trabalho com um novo treinador. Perdeu mas, como todos os campeões, de cabeça erguida.

As capas:
AS: "Até ao final ... Vamos Real"
Marca: "Isto é o Madrid!"
Estadio Deportivo: "O mais cruel dos argumentos"