1984: Boniek decisivo na Juve

Zbigniew Boniek (Juventus)
©Getty Images

Juventus 2-0 Liverpool FC

O Liverpool FC ficou com o calendário de jogos tão preenchido depois de conquistar a Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1984 que só em Janeiro de 1985 encontrou uma data livre para discutir a SuperTaça Europeia relativa ao ano anterior. O jogo contra a Juventus foi agendado para Turim.

O Liverpool conquistou o terceiro título de campeão europeu em 1984, quando bateu a AS Roma no desempate por grandes penalidades, após uma igualdade a um golo nos 120 minutos. A Juventus tinha conquistado a Taça dos Vencedores das Taças ao derrotar o FC Porto, por 2-1, na final de Basileia.

O polaco Zbigniew Boniek, que foi decisivo no triunfo sobre os portistas, voltou a assumir o papel principal na conquista da SuperTaça Europeia. O avançado abriu o activo aos 39 minutos e voltou a bater Bruce Grobelaar quando faltavam 11 minutos para o final do encontro.

Sem a necessidade de disputar o habitual jogo da segunda mão, a Juventus pôde comemorar o triunfo frente aos seus adeptos.

No ano seguinte, a SuperTaça Europeia não seria disputada devido a uma tragédia que ensombrou o futebol. A Juventus e o Liverpool voltaram a encontrar-se na final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, a 29 de Maio de 1985, no Estádio do Heysel, em Bruxelas. Um jogo que perdeu toda a importância depois de confrontos entre adeptos dos dois clubes terem provocado a morte de 39 pessoas.

No relvado, um golo de Michel Platini bastou para a Juventus garantir a vitória, mas ninguém comemorou. Com o hooliganismo em Inglaterra a atingir uma dimensão máxima, a UEFA baniu os clubes ingleses das competições europeias durante cinco épocas, o que obrigou à anulação da SuperTaça Europeia de 1985.

O Everton FC, o grande rival do Liverpool, venceu a Taça dos Vencedores das Taças nesse ano e deveria ter discutido o troféu com a Juventus, mas acabou por ser penalizado pelo castigo. Os italianos estavam ainda de luto e pouco interessados em mais um jogo de futebol.