1980: Valência vence à justa

Celebration (Valencia CF)
©Getty Images

Nottingham Forest FC 2-1 Valencia CF
Valencia CF 1-0 Nottingham Forest FC
(total: 2-2, Valência vence devido aos golos marcados fora)

Depois de ter ganho a Taça dos Clubes Campeões Europeus e a SuperTaça Europeia de 1979 já no início do ano de 1980, o Nottingham Forest FC conseguiu alcançar o seu terceiro troféu europeu ao bater o Hamburger SV, onde alinhava a vedeta inglesa Kevin Keegan, na final da prova.

No entanto, a caminhada europeia não correu tão bem à equipa de Brian Clough quando alinharam frente ao Valencia CF na final da SuperTaça Europeia de 1980. A margem do triunfo foi a mais escassa de sempre para a formação de Bernadino Perez Eladiran, com a vantagem pelos golos marcados fora de casa a pender para o lado espanhol.

Após ter jogado a final anterior da SuperTaça Europeia em Janeiro e Fevereiro de 1980, batendo o FC Barcelona, o Nottingham tornou-se na primeira equipa a disputar duas finais da SuperTaça no espaço de um ano, quando entrou na prova de 1980 a vencer, por 2-1, no City Ground, a 25 de Novembro.

Ian Bowyer marcou para a equipa a casa aos 57 minutos e voltou a facturar a um minuto do fim. Porém, o golo fundamental surgiu por Dario Luis Felman, do Valência, que havia marcado para os visitantes a dois minutos do intervalo.

Um golo que se revelou decisivo para o reencontro da segunda mão, em Espanha. No Estádio Luis Casanova, em Valência, a 17 de Dezembro, o Nottingham perdeu a final, graças ao golo sem resposta de Fernando Morena, aos 51 minutos. Assim, o Valência tornou-se na primeira equipa a vencer uma final pela vantagem de golos marcados fora.