Vitória despede-se da montra europeia com empate

Medhi Bourabia deu vantagem Konyaspor com golo fantástico – Vitória chegou ao empate na segunda parte com autogolo de Ali Turan – Paolo Hurtado e Wilfried Moke acertaram na trave nos últimos minutos.

Vitória e Konyaspor ficaram-se pelo empate, 1-1, na sexta e última jornada do Grupo I da UEFA Europa League. O resultado não serviu os interesses de nenhuma das equipas, que ainda dependiam do que acontecesse no Marselha-Salzburgo, e confirmou a despedida das competições europeias.

O Konyaspor entrou melhor e dominou a primeira meia hora, criando as situações de maior perigo. Medhi Bourabia, num momento de inspiração, rematou forte, de fora da área, e fez um golo de levantar o estádio, com a bola a entrar no ângulo. Douglas não teve quaisquer hipóteses.

O Vitória teve muita dificuldade em reagir e pegar no jogo, mantendo as linhas recuadas, o que permitiu à equipa turca gerir o desafio de forma confortável. Aos 36 minutos, a formação vimaranense dispôs da primeira ocasião, mas Paolo Hurtado, após cruzamento de Raphinha, cabeceou por cima. O Konyaspor respondeu e podia ter ampliado a vantagem, mas Malik Evouna, depois de se ter isolado, hesitou no remate e quando disparou, já pressionado por Pedrão, atirou a bola ao lado, esbanjando uma oportunidade flagrante.

Na segunda parte, o Vitória teve mais bola e, desta vez, foi o Konyaspor a recuar no terreno, mas escassearam as verdadeiras ocasiões de golo. A equipa da casa acabou por chegar ao empate num autogolo de Ali Turan, que foi infeliz ao tentar interceptar o cruzamento de João Aurélio. Após o empate, o Vitória empolgou-se mas faltou mais pontaria na hora do remate, tendo Paolo Hurtado rematado à trave, no período de compensação. Antes, Wilfried Moke, de cabeça, também tinha acertado na barra. Até nisso, as equipas ficaram-se por um empate técnico.

O momento
A obra de arte de Mehdi Bourabia. Encheu-se de coragem e colocou a bola na gaveta, fazendo um golo que vale a pena rever na TV. Foi o momento sublime da noite no Minho.

A Figura: Medhi Bourabia
Para além do golo, pautou o ritmo da equipa turca, sobretudo na primeira parte, onde esteve na génese de outros lances de perigo. Muito cerebral e inteligente nas decisões.

Declarações
Pedro Martins , treinador do Vitória
"Nos primeiros 30 minutos não estivemos bem, mas depois foi diferente e imprimimos mais dinâmica. Sabíamos que íamos encontrar uma equipa com bloco baixo, mas na segunda parte tivemos mais posse, remates e mais alma para chegar a outro resultado. Não conseguimos, mas o grupo foi incansável e não há nada a apontar sobre a entrega e dedicação dos jogadores".

Heldon, avançado do Vitória
"Demos tudo, entregamo-nos por completo ao jogo e mostrámos a nossa força em casa, onde não perdemos nenhum jogo. Foi pena não termos pontuado nos jogos fora. Podíamos ter ido mais além".

Pedrão, defesa do Vitória
"Começámos devagar e eles marcaram. Modificámos, aumentámos o ritmo e chegámos ao empate. Faltou felicidade para chegar ao segundo golo mesmo no fim. Nesta prova, pagámos caro os resultados fora de casa"

Rafael Martins, avançado do Vitória
"Eles marcaram num belo remate, mas na segunda parte já jogámos mais à nossa imagem e mostrámos à nossa força em casa. Estamos tristes, porque queríamos a vitória e tivemos ocasiões para isso"

Mehmet Ozdilek, treinador do Konyaspor
"Podíamos ter acabado o jogo com o segundo golo, ainda na primeira parte. Depois do 1-1, qualquer uma das equipas podia ter ganho. Crescemos na prova, pois no ano passado fizemos apenas um ponto"