O "site" oficial do futebol europeu

Espanha imperial volta a reinar

Espanha imperial volta a reinar
A Espanha comemora a conquista do título europeu em Kiev ©Getty Images

Tratou-se de guardar o melhor para o fim. A caminhada de Espanha até à final do UEFA EURO 2012 foi, por vezes, mais eficaz do que espectacular. Alguns comentadores classificaram mesmo o estilo de jogo como "aborrecido", pois esperavam a repetição do festim de futebol servido quatro anos antes. Na final, os espanhóis, com todo o Mundo a assistir, ofereceram um verdadeiro banquete.

Os homens de Vicente del Bosque nunca mostraram sinais de ceder à pressão de estarem a lutar pelo inédito terceiro triunfo consecutivo numa grande competição internacional. A tarefa não era fácil, tanto mais que a equipa não podia contar com o lesionado David Villa, melhor marcador de sempre da Espanha, e o adversário parecia mais adaptado ao seu estilo de jogo.

Isso pareceu evidente no empate 1-1 com a Itália no jogo de estreia e, embora não tenham sentido dificuldades para bater a República da Irlanda, os espanhóis estiveram sob enorme pressão no encontro com a Croácia no fecho da fase de grupos. Uma derrota teria levado à eliminação e não esteve longe de acontecer, mas Jesús Navas garantiu a vitória e o apuramento com um golo aos 88 minutos.

A pouco eficaz selecção francesa revelou-se um adversário bem mais acessível nos quartos-de-final, mas as unhas roídas frente aos croatas não tiveram tempo para voltar a crescer antes do encontro das meias-finais com o rival ibérico Portugal. A formação de Paulo Bento, liderada por Cristiano Ronaldo, estava em crescendo e deixou a ideia que poderia vencer se conseguisse ser um pouco mais eficaz no ataque.

A meia-final foi uma lição de rigor defensivo e, após 120 minutos sem golos, o jogo teve de ser decidido num desempate por grandes penalidades, que oscilou para um lado e para o outro até à conversão de Cesc Fàbregas. Muitos apontaram o pontapé de Sergio Ramos como determinante, embora o remate “à Panenka” (que poderá ter sido demasiado arriscado) tenha sido uma demonstração de enorme confiança num momento em que equipa poderia ter sido abalada pelas dúvidas.

Três dias antes, a execução foi ainda melhor quando Andrea Pirlo coroou a sua extraordinária exibição com um pequeno toque que permitiu à Itália bater a Inglaterra no desempate dos quartos-de-final. Pirlo esteve excelente durante todo o Europeu, hipnotizando os adversários com raciocínio rápido e pés mágicos. O médio só cedeu o protagonismo nas meias-finais, quando Mario Balotelli passou a figura ao apontar os dois golos que terminaram com as esperanças da Alemanha.

A emotiva campanha dos italianos na fase a eliminar parece ter deixado marcas e o cansaço exibido na final coincidiu com a energia renovada dos espanhóis. Os detentores do título assumiram o controlo do jogo quando David Silva inaugurou o marcador, num raro cabeceamento, aos 14 minutos. O incansável Jordi Alba apontou o primeiro tento pela selecção no final do primeiro tempo e deixou a “azzurra” em dificuldades.

Terceiro suplente lançado pelos italianos, Thiago Motta deixou o campo de maca e obrigou a Itália a jogar os últimos 28 minutos em inferioridade numérica. Fernando Torres e Juan Mata aproveitaram a vantagem e elevaram o resultado até aos 4-0. Foi a primeira vitória de Espanha sobre Itália, durante os 90 minutos de um jogo oficial, em 92 anos e conduziu ao inédito terceiro triunfo seguido em grandes competições. No entanto, desta vez, o festim teve tanto de qualidade como de quantidade.

Última actualização: 15-02-13 18.07CET

http://pt.uefa.com/uefaeuro/season=2012/overview/index.html#espanha+volta+reinar

2012

Polónia-Ucrânia

EspanhaEspanha

A final - 01-07-2012

Sabia que?

Outro facto
1 de 10

Estrela

1 de 1

Equipa do Torneio

 

Fotografias

  • Gerard Piqué, Pepe Reina; Fernando Llorente, Iker Casillas & Xavi Hernández (Spain)
    Gerard Piqué, Pepe Reina; Fernando Llorente, Iker Casillas & Xavi Hernández (Spain)
  • David Silva (Spain)
    David Silva (Spain)
  • Fernando Torres (Spain)
    Fernando Torres (Spain)
  • David Silva (Spain)
    David Silva (Spain)
  • Portugal players
    Portugal players
  • Bruno Alves (Portugal)
    Bruno Alves (Portugal)
  • Mario Balotelli (Italy) & Manuel Neuer (Germany)
    Mario Balotelli (Italy) & Manuel Neuer (Germany)
  • John Terry (England)
    John Terry (England)
  • Xabi Alonso (Spain)
    Xabi Alonso (Spain)
  • Marco Reus & Philipp Lahm (Germany)
    Marco Reus & Philipp Lahm (Germany)
  • Cristiano Ronaldo (Portugal)
    Cristiano Ronaldo (Portugal)
  • Wayne Rooney (England) & Andriy Pyatov (Ukraine)
    Wayne Rooney (England) & Andriy Pyatov (Ukraine)
  • Republic of Ireland fans
    Republic of Ireland fans
  • Wojciech Szczęsny (Poland) & Dimitris Salpingidis (Greece)
    Wojciech Szczęsny (Poland) & Dimitris Salpingidis (Greece)
  • Przemysław Tytoń (Poland)
    Przemysław Tytoń (Poland)
  • Joris Mathijsen, Robin van Persie, Rafael van der Vaart & Wesley Sneijder (Netherlands)
    Joris Mathijsen, Robin van Persie, Rafael van der Vaart & Wesley Sneijder (Netherlands)
1 de 16

Também neste ano

Didier Drogba (Chelsea FC)

Vencedor da Taça dos Campeões: Chelsea FC (1-1 ap, 4-3 no desempate frente ao FC Bayern München)

Vencedor da Bola de Ouro FIFA: Lionel Messi (FC Barcelona)

Vencedor da Bota de Ouro ESM: Lionel Messi (FC Barcelona)

Vencedor do Festival Eurovisão da Canção: Loreen (Suécia) com a canção Euphoria

Queen Elizabeth II (2012)

Vencedor do Prémio Nobel da Paz: União Europeia (pelos avanços da paz, reconciliação, democracia e direitos humanos na Europa)

Campeão olímpico dos 100 metros masculinos: Usain Bolt (Jamaica) em 9,63 segundos

Campeão mundial de Fórmula 1: Sebastian Vettel (Alemanha) ao volante de um Red Bull-Renault

Óscar para o Melhor Filme: O Artista

Queen Elizabeth II (2012)

Principais eventos
6 de Fevereiro - A rainha Isabel II comemora o Jubileu de Diamante que assinala os 60 anos desde a subida ao trono no Reino Unido.

2 de Maio - Uma versão pintada a pastel de “O Grito”, de Edvard Munch, é vendida por 93 milhões de euros e estabelece novo recorde no leilão de uma obra de arte.

4 de Julho - A descoberta de uma nova partícula consistente com o Bosão de Higgs é anunciada depois de experiências no Grande Colisor de Hádrons.