O "site" oficial do futebol europeu

1996: Futebol regressa a casa

1996: Futebol regressa a casa
Jürgen Klinsmann ergue o troféu Henri Delaunay em Wembley ©Getty Images

Seria difícil escolher um cenário melhor para acolher aquela que foi a maior edição de um Campeonato da Europa, até à data, do que o país responsável pela criação do futebol moderno. Dezasseis selecções marcaram presença em Inglaterra no Verão de 1996, mas ao mesmo tempo que os britânicos comemoraram o "regresso do futebol a casa", foram os velhos rivais germânicos a fazer a festa.

O ambiente em torno do torneio foi o melhor que se poderia pedir, graças aos renovados estádios ingleses, palcos de excelentes espectáculos e entusiasmo por parte dos adeptos, mesmo que alguns temessem que Paul Gascoigne e Alan Shearer, jogadores-chave entre os ingleses, pudessem ficar de fora. Apesar disso, depois de ter contado com Shearer durante os 21 meses em que ficou sem marcar, o seleccionador Terry Venables contou com a compreensão dos adeptos, apesar de ter chamado o avançado.

Após um empate ante a Suíça (1-1), jogo em que Shearer voltou aos golos, a Inglaterra bateu a Escócia por 2-0, com Gascoigne a assinar o segundo golo. Melhor ainda foi a expressiva vitória frente à Holanda, por 4-1, com Shearer e Teddy Sheringham a apontarem dois golos cada. O único tento dos holandeses, apontado por Patrick Kluivert, valeu à turma "laranja" um lugar nos quartos-de-final, em detrimento da Escócia.

A Itália e os detentores do troféu, a Dinamarca, tiveram menos sorte, já que ficaram pelo caminho na fase de grupos, antes dos quartos-de-final, onde vigorou pela primeira vez a regra do golo de ouro. Karel Poborský foi uma das surpresas do torneio na República Checa, principalmente quando marcou um golo memorável nos quartos-de-final, frente a Portugal, com um chapéu magnífico. Os alemães seguiram em frente graças a um golo de Matthias Sammer, ao passo que França e Inglaterra precisaram das grandes penalidades para deixar pelo caminho Holanda e Espanha, respectivamente.

Curiosamente, ambas as selecções viriam a ser eliminadas nas meias-finais, também na decisão dos penalties. Os “bleus” foram eliminados pela República Checa após 120 minutos sem golos, e 20 anos depois do famoso penalty de Antonín Panenka, os checos voltavam a marcar presença na final da prova. Assim como em 1976, a República Checa voltou a encontrar a Alemanha no jogo decisivo. Na outra meia-final, Shearer deu alento aos adeptos da casa, com um golo logo aos três minutos, mas Stefan Kuntz viria a empatar a contenda. Nas grandes penalidades, coube a Gareth Southgate falhar o pontapé decisivo, com os alemães a fazerem a festa.

Em contraste com a desilusão dos ingleses, mais de 76,000 espectadores marcaram presença em Wembley para ver a quinta final da Alemanha. A última tinha terminado da pior forma, com uma derrota ante a Dinamarca, em 1992, cenário que voltou a pairar no ar quando Patrik Berger converteu uma grande penalidade para os checos. Contudo, Berti Vogts lançou no jogo o atacante Oliver Bierhoff, que apontou de cabeça o tento do empate. No prolongamento, o mesmo Bierhoff colocou os alemães em vantagem - com um remate em jeito -, dando o título à sua equipa, que se sagrara campeã europeia devido à regra do golo de ouro, algo que sucedeu pela primeira vez na história dos Europeus.

Última actualização: 26-04-16 10.39CET

http:s//pt.uefa.com/uefaeuro/season=1996/overview/index.html#1996+futebol+regressa+casa

1996

Inglaterra

AlemanhaAlemanha

A final - 30-06-1996

República Checa1-2Alemanha
  • Alemanha vence por "Golo de Ouro"

Sabia que?

Outro facto
1 de 10

Estrela

1 de 1

Equipa do Torneio

 

Também neste ano

Vencedor da Taça dos Clubes Campeões Europeus: Juventus (1-1, 4-2 nos penalties contra o AFC Ajax)

Futebolista Europeu do Ano: Ronaldo (PSV Eindhoven/FC Barcelona)

Vencedor do Festival Eurovisão da Canção: Eimear Quinn (República da Irlanda) cantando 'The Voice'

Vencedor da Bota de Ouro ESM: Zviad Endeladze (FC Margveti Zestafoni)

Vencedor do Prémio Nobel da Paz: Carlos Filipe Ximenes Belo e José Ramos-Horta (pelo trabalho desenvolvido em prol da paz em Timor Leste)

Campeão Olímpico dos 100m: Donovan Bailey (Canadá) com um recorde mundial de 9.84 segundos

Campeão do Mundo de Fórmula 1: Damon Hill (Grã-Bretanha) ao volante de um Williams

Campeão Mundial de Boxe de Pesos Pesados: Francois Botha (África do Sul)

Óscar para melhor filme: O Paciente Inglês

Factos relevantes
8 de Janeiro – O presidente de França há mais tempo no cargo, Francois Mitterrand, morre aos 79 anos de idade

5 de Julho – A ovelha Dolly é o primeiro mamífero a ser clonado a partir de uma célula adulta, no Instituto Roslin, em Midlothian, na Escócia

15 de Novembro – Tomb Raider é lançado para PC, Sony Playstation e Sega Saturn, dando origem a uma série de sequelas e filmes