O "site" oficial do futebol europeu

Heróis do EURO: 2012 – Jordi Alba

Conhecido como "a mota" pela velocidade com que joga pelos flancos, Jordi Alba ajudou a que a posse de bola à espanhola não ficasse obsoleta em 2012.
Heróis do EURO: 2012 – Jordi Alba
Jordi Alba comemora depois de marcar o segundo golo de Espanha na final do UEFA EURO 2012 ©Getty Images

Heróis do EURO: 2012 – Jordi Alba

Conhecido como "a mota" pela velocidade com que joga pelos flancos, Jordi Alba ajudou a que a posse de bola à espanhola não ficasse obsoleta em 2012.

O triunfos de Espanha no UEFA EURO 2008 e no Campeonato do Mundo de 2010 foram alicerçados numa obsessão com a posse de bola, mas os adversários começaram a aprender a contrariar este estilo de jogo. A “roja” precisava encontrar uma nova arma em 2012 para conquistar o terceiro título internacional consecutivo, foi então que surgiu Jordi Alba, com 23 anos e prestes a assinar pelo Barcelona, depois de uma época em que foi a revelação da Liga espanhola ao serviço do Valência.

"Assinei pelo Barcelona, marquei um golo na final do Campeonato da Europa e conquistámos o título, foi uma das melhores semanas da minha vida", recordou o defesa-esquerdo com carinho.

Toque final
A Espanha dominava a final em Kiev e estava em vantagem graças a um cabeceamento de David Silva mas, no final da primeira parte, Alba desferiu o golpe que atirou a Itália ao tapete. "Estávamos a trocar a bola no nosso meio-campo e eu passei a bola ao Xavi", recordou. "Estávamos a jogar sem avançado, por isso corri para o ataque sem pensar".

Correu é um eufemismo. Alba disparou para o ataque logo que abola saiu da sua bota, obrigando Xavi Hernández a dobrar o passe.

Rejeição do Barça
Alba cresceu a apenas 15 minutos de Camp Nou e é adepto do Barcelona desde criança, tendo Hristo Stoichkov como ídolo. O esquerdino esteve na academia do clube, mas foi dispensado aos 15 anos, demasiado cedo. "Encarei bem a situação", garantiu. "Nunca duvidei que ia conseguir e não me deixei abater".

©Getty Images

Unai Emery trocou Jordi Alba de posição

Destacou-se ao serviço do Cornellà, um clube local, sendo depois contratado pelo Valência e garantido um lugar na equipa de Unai Emery depois de um período de empréstimo ao Tarragona. O treinador basco foi decisivo ao tomar a decisão de adaptar o extremo ao posto de defesa-esquerdo. "O Emery mudou a minha vida, sem dúvida. É o treinador que teve maior impacto na minha carreira", explicou Alba. "Fomos alvo de muitas críticas quando ele me colocar a jogar como defesa, ele insistiu e deu resultado".

“A mota”
O Barcelona estava atento e, depois das exibições na Polónia e na Ucrânia, levou-o a regressar a Camp Nou. Um homem de família, cujo passatempo favorito é dormir, Alba continua a viver em L'Hospitalet, a cidade onde nasceu e não gosta de carros, ao contrário da maioria dos jogadores. Enquanto os colegas chegam aos treinos numa caravana de Audis, Alba pede boleia ao pai.

No entanto, continua a ser dos mais rápidos em campo, com os colegas em Espanha a darem-lhe a alcunha de “A Mota”. Alba tem de voltar a acelerar, para ajudar Espanha a estabelecer um novo recorde em França com a conquista do quarto título num Campeonato da Europa.

Última actualização: 28-05-16 9.56CET

Informação relacionada

Perfis dos jogadores
Perfis das equipas

http://pt.uefa.com/uefaeuro-finals/history/memories/newsid=2338003.html#herois+euro+2012+jordi+alba