Douglas Costa sobre a Juventus, o embate com o Tottenham e o sonho da Champions

Em entrevista exclusiva, Douglas Costa fala das passagens por Shakhtar e Bayern, da importância que tiveram para si Mircea Lucescu e Josep Guardiola, do significado de representar a Juventus e do embate dos oitavos-de-final com o Tottenham.

Douglas Costa espera um "duelo de titãs" com o Tottenham
Douglas Costa espera um "duelo de titãs" com o Tottenham ©Getty Images

Em entrevista exclusiva ao UEFA.com antes do embate desta noite com o Tottenham, Douglas Costa falou dos primeiros tempos na Europa, ao serviço do Shakhtar, da importância que tiveram para si os treinadores Mircea Lucescu e Josep Guardiola, do significado de representar a Juventus e do embate dos oitavos-de-final com os "spurs".

O extremo brasileiro destava a qualidade da turma londrina e antevê um "duelo de titãs" e destaca que a solidez defensiva da Juve poderá ser a chave de uma eliminatória que a formação de Turim terá de utrapassar para provar que "merece conquistar a Chamions League.

Passagem pelo Shakhtar

Foi complicado trocar o Brasil pela Ucrânia, mas ajudou à minha adaptação o facto de haver já muitos jogadores brasileiros a jogar lá. E assim, muito por culpa dos meus colegas, ao fim de poucos meses já estava perfeitamente adaptado ao país. Mircea Lucescu foi um treinador que me fez melhorar muito a nível táctico, ajudar mais os meus colegas e marcar mais golos. Penso que aprendi muito nos cinco anos que passei no clube. Vivi grandes momentos na Ucrânia.

Douglas Costa passou cinco temporadas no Shakhtar
Douglas Costa passou cinco temporadas no Shakhtar©AFP/Getty Images

Logo na minha segunda época chegámos aos quartos-de-final da Champions League, onde acabámos eliminados por uma grande equipa do Barcelona. Foi um grande ano para mim e para os meus colegas e ganhámos visibilidade a nível global. Para além dessa campanha fantástica na Champions conquistámos a Liga ucraniana e a Taça da Ucrânia.

A ida para o Bayern

Foi um momento mágico. Fiquei extremamente feliz por ir trabalhar sob as ordens de Guardiola. Aprendi bastante com ele. E a fé que ele tinha em mim foi vital para a minha carreira. O jogador que sou hoje devo-o, em grande parte, ao fantástico trabalho que tive com Guardiola ao longo desses dois anos.

Em 2016 ficou um sabor amargo nas nossas bocas [com a eliminação nas meias-finais da Champions League ante o Atlético Madrid]. Nesse ano pensei realmente que podíamos ir até ao fim e conquistar a Champions League. Tínhamos uma equipa equiibrada e estávamos a jogar muito bem, mas as coisas acabaram por não correr como queríamos e acabámos por não vencer.

O extremo brasileiro marcou 14 golos em 77 jogos com a camisola do Bayern
O extremo brasileiro marcou 14 golos em 77 jogos com a camisola do Bayern©AFP/Getty Images


A chegada à Juventus

Representar a Juventus é algo que nem consigo exprimir poir palavras. Não tinha noção da adoração que estes adeptos têm pelos jogadores. Vestir a camisola da Juventus é qualquer coisa de fantástico, mesmo vindo eu já de outro grande clube como o Bayern. Jogar pela Juventus e conquistar troféus por este clube é extraordinário. Sou muito feliz aqui e espero ficar cá por muitos anos.

Munique era uma cidade mais fria. Em Itália sinto-me em casa. Estou completamente ambientado e muito satisfeito aqui. Os adeptos são verdadeiramente incríveis e transmitem uma energia única aos jogadores no relvado.

A campanha nesta Champions League e o sonho e erguer o troféu

Penso que realizámos um bom trabalho até aqui. Agora vai começar uma nova fase da Champions League, totalmente diferente a fase de grupos. A chave vai ser estarmos 100 por cento concentrados.

Penso que perder duas finais em tão pouco tempo é uma experiência que ninguém merece. Por isso penso que a Juventus merece conquistar a Champions League. Vamos dar o nosso melhor e lutar por isso. Penso que todos os grandes clubes sonham vencer a Champions League e nós não somos excepção. A nível pessoal seria o concretizar de um sonho quer persigo desde que comecei a jogar profissionalmente.

O embate dos oitavos-de-final com o Tottenham

Douglas Costa espera ficar muitos anos em Turim
Douglas Costa espera ficar muitos anos em Turim©Getty Images

Vai ser um grande desafio. Eles têm uma qualidade tremenda e estão a jogar muito bem quer na Premier League, quer na Champions League. Será um duelo de titãs. Teremos de nos focar naquilo que [Massimiliano] Allegri nos pedir e sermos perfeitos tacticamente. Fazer o que temos vindo a fazer até aqui e estarmos concentrados como sempre estamos, seja para a Serie A, seja para a Champions League. Temos vindo a melhorar. Temos uma defesa cada vez mais sólida e temos sofrido poucos golos.

A eliminatória vai decidir-se em 180 minutos e, tendo nós essa solidez defensiva, poderemos ser mais perigosos no contra-ataque para marcarmos os nossos golos. Será muito importante vencer o jogo da primeira mão e ir a Londres com um resultado positivo na bagagem.

Topo