Ranking de clubes da UEFA: A situação de Portugal

Terminou esta semana a participação das equipas portuguesas nas provas de clubes da UEFA de 2016/17 e aproveitamos para olhar para o ranking dos clubes lusos.

Pierre-Emerick Aubameyang (Dortmund)
©AFP/Getty Images

Terminou esta semana a participação das equipas portuguesas nas provas de clubes da UEFA de 2016/17, com a eliminação do FC Porto frente à Juventus, nos oitavos-de-final da UEFA Champions League. Olhamos agora para a situação actual no que aos rankings da UEFA diz respeito.

Portugal iniciou a temporada no quinto lugar do ranking das competições de clubes da UEFA, com mais 0,3 pontos do que a França e mais 2,0 pontos do que a Rússia, mas consciente de que a sua melhor prestação das últimas cinco épocas havia sido registada precisamente na primeira dessas últimas cinco temporadas (2011/12, 11,750 pontos) e iria deixar de ser contabilizada, sendo substituída pela pontuação somada esta temporada pelos clubes lusos, pelo que era preciso ober um bom pecúclio de pontos. No entanto, o registo dos clubes portugueses em 2016/17 não foi além dos 8,083 pontos, a pior prestação desde 2008/09, quando somaram apenas 6,785 pontos.

Assim, Portugal viu-se ultrapassado quer pela França, quer pela Rússia e caiu para o sétimo lugar. Isso implica que, em 2018/19 - temporada para a qual o actual ranking irá determinar o número de participantes por país - Portugal terá apenas, ao todo, cinco equipas nas provas europeias de clubes: duas na UEFA Champions League (com o campeão português a entrar directamente para o Pote 1 da fase de grupos, mas o vice-campeão a entrar em cena logo na terceira pré-eliminatória do Caminho das Ligas) e três na UEFA Europa League (o vencedor da Taça de Portugal com entrada directa na fase de grupos, e o terceiro e quarto classificados com entrada na terceira pré-eliminatória).

Contabilizando apenas 2016/17, Portugal figura no décimo posto, superado ainda por Bélgica, Dinamarca e Holanda, para além de Espanha, Inglaterra, Alemanha, Itália, França e Rússia, países que já se encontram à sua frente no ranking global. E, olhando para o futuro, não será fácil para Portugal recuperar o quinto lugar que agora perde e que detinha desde 2011/12

Highlights: Aubameyang hat-trick sends Dortmund through
Resumo: "Hat-trick" de Aubameyang ajuda a eliminar Benfica

França está a realizar a sua melhor temporada europeia de clubes das últimas sete épocas e abriu já uma vantagem de 5,2 pontos sobre Portugal (vantagem essa que pode ainda crescer, visto que Mónaco e Lyon ainda seguem nas provas europeias), pelo que só um cenário idílico para as equipas portuguesas nos próximos tempos permitirá voltar a ultrapassá-la nas épocas mais próximas.

Adam Hloušek (Legia)
O Sporting disse adeus à Europa ainda na fase de grupos da UEFA Champions League©AFP/Getty Images

E a Rússia, apesar de, tal como Portugal, ter já visto todas as suas equipas eliminadas esta temporada e de ter apenas 1,2 pontos de avanço sobre as cores lusas, superou a pontuação de Portugal em todas as últimas quatro temporadas, sendo que no final da próxima época Portugal voltará a descartar a sua melhor época das cinco que agora contam para o ranking (11,750 em 2012/13), enquanto a Rússia descartará os seus 9,750 dessa temporada de 2012/13. Na prática, isso significa que, para ultrapassarem os russos no sexto posto (que dá acesso a três equipas na UEFA Champions League e a três na UEFA Europa League) já na próxima época, os clubes portugueses terão de totalizar mais 3,2 pontos do que os clubes da Rússia, algo que não sucede desde 2010/11.

Highlights: Dybala penalty puts Juventus into last eight
Resumo: Juventus volta a vencer e afasta Porto

De facto, Portugal vai até entrar para a próxima com uma desvantagem para o sexto lugar - os tais 3,2 pontos de diferença para a Rússia - maior do que a vantagem com que entrará para aquela que será, no arranque da próxima época, a oitava classificada. A Bélgica iniciará 2017/18 a apenas 1,343 pontos de Portugal. E essa vantagem lusa pode até ser reduzida - ou, no limite, invertida -, uma vez que há ainda dois clubes belgas em cena na UEFA Europa League esta temporada, o que poderá ter consequências ainda mais negativas para os clubes portugueses em 2019/20.