Maldição alemã do Real: quatro vitórias em 30 jogos

O Real Madrid viaja até à Alemanha nos quartos-de-final de regresso a um território maldito, como bem sabem o Bayern e Robert Lewandowski.

©Getty Images

O Real Madrid CF deixou um rastro de destruição por toda a Europa rumo à conquista da glória ao longo das últimas seis décadas, mas há uma fortaleza permanece quase inexpugnável: a Alemanha. Nas 30 anteriores visitas os "merengues" ganhar somente quatro vezes e sofreram 19 derrotas, tendo havido sete empates. O UEFA.com recorda o melhor, o pior e o terrível.

Hamburgo 5-1 Real Madrid
Meias-finais da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1979/80
O Real Madrid tinha um pé na final da Taça dos Campeões depois de ter vencido por 2-0 na primeira mão das meias-finais, mas o sonho caiu por terra naquele que é considerado um dos pontos altos da história do Hamburgo. A vantagem trazida de Madrid desapareceu em apenas 16 minutos, na sequência de uma grande penalidade de Manfred Kaltz e a um dos lendários cabeceamentos de Horst Hrubesch.

Laurie Cunningham respondeu para os forasteiros, mas o Hamburgo marcou mais dois golos até ao intervalo, através de Kaltz e Hrubesch, e ficou numa posição tranquila. Um golo de Caspar Memering no último minuto coroou um triunfo histórico. "Os adeptos não queriam ir para casa e ficaram no estádio durante cerca de uma hora", recordou o defesa Ditmar Jakobs. "Foi o melhor jogo de sempre do Hamburgo."

Kaiserslautern 5-0 Real Madrid
Quartos-de-final da Taça UEFA de 1981/82
Num encontro que fez recordar o jogo em Hamburgo, o Real Madrid chegou à Alemanha com uma vantagem de dois golos, pois desta vez tinha vencido por 3-1 na primeira mão, mas rapidamente voltou à estaca zero. Dois golos madrugadores de Friedhelm Funkel deixaram o Kaiserslautern em vantagem devido ao golo marcado fora e as feridas com dois anos do Real Madrid reabriram de forma letal.

Isidoro San José e Cunningham foram expulsos antes do intervalo e, depois de Ronnie Hellström defender uma grande penalidade de Rafael García Cortés, Francisco Pineda também foi enviado para o balneário a meio do segundo tempo. Os alemães continuaram a castigar os espanhóis, que eram capitaneados por Vicente del Bosque, com Hannes Bongartz (48), Norbert Eilenfeldt (55) e Reiner Geye (71) a elevarem os números da goleada.

Mönchengladbach 5-1 Real Madrid
Terceira eliminatória da Taça UEFA de 1985/86
O Bökelbergstadion, em Mönchengladbach, foi demasiado pequeno demais para acolher os adeptos que queriam ver o Real Madrid, pelo que o jogo foi transferido para Dusseldorf e as 65,000 pessoas que estiveram nas bancadas não saíram desiludidas. Sob chuva intensa, a equipa de Jupp Heynckes transformou a difícil tarefa numa brincadeira de crianças.

Um remate certeiro de Frank Mill e um autogolo de José Antonio Salguero deixaram o Mönchengladbach com uma vantagem de 2-0 ao intervalo e o melhor ainda estava para vir. "Dominámos completamente o jogo na segunda parte", afirmou Uwe Rahn, que bisou, com Ewald Lienen a também marcar para os anfitriões. Rafael Gordillo foi expulso, mas antes marcou o golo de honra dos espanhóis, que se viria a revelar decisivo. O Real Madrid venceu por 4-0 em Espanha e seguiu em frente devido ao tento marcado fora.

Bayern 4-1 Real Madrid
Segunda fase de grupos da UEFA Champions League de 1999-2000
Teoricamente, poucos duvidavam de superioridade dos "merengues", mas em Março de 2000 o Bayern contrariou todas as expectativas, por duas vezes, em apenas nove dias. Os alemães venceram por 4-2 no Bernabéu e fizeram ainda melhor na semana seguinte, mostrando a forma impiedosa que seria decisiva para a conquista do título europeu em 2001.

O Real Madrid chegou à Baviera com vontade de recuperar moral e corrigir o resultado do primeiro encontro, mas à passagem da meia-hora de jogo já estava a perder por 2-0, devido aos golos de Mehmet Scholl e Giovane Elber. Iván Helguera ainda fez os espanhóis sonhar com uma reviravolta, mas o suplente Alexander Zickler fez ruir as esperanças com mais dois tentos.

Bayern 2-1 Real Madrid
Meias-finais da UEFA Champions League de 2000/01
O encontro no ano seguinte foi muito mais equilibrado. Um golo de Elber tinha valido um triunfo por 1-0 no Santiago Bernabéu e um cabeceamento do brasileiro aos oito minutos do encontro da segunda mão deixou o Bayern numa posição confortável. O português Luís Figo respondeu de imediato e aumentou a pressão sobre os anfitriões, mas a táctica de Ottmar Hitzfeld de suster a pressão e surpreender os visitantes em contra-ataque revelou-se acertada.

Jens Jeremies permitiu aos germânicos respirar fundo no final do primeiro tempo, quando rematou forte após um livre de Scholl, e o Real Madrid já não conseguiu reagir. "A equipa fez uma exibição fantástica. É sensacional derrotar por duas vezes o Real. Fizemos um pequeno milagre", afirmou Hitzfeld, que levou o Bayer a bater o Valencia CF na final.

Leverkusen 2-3 Real Madrid
Fase de grupos da Liga UEFA Champions League de 2000/01.
O único triunfo do Real Madrid em 24 deslocações à Alemanha surgiu em 2000, mas não foi fácil. A equipa de Del Bosque esteve por duas vezes em desvantagem neste encontro da segunda jornada, devido aos golos de Bernd Schneider e Michael Ballack, mas Roberto Carlos e Guti conseguiram empatar. Roberto Carlos marcou o golo da vitória dos visitantes a 15 minutos do final, ao aproveitar da melhor forma um erro Jens Nowotny.

Foi a única vez em 144 jogos nas competições europeias que o defesa -esquerdo brasileiro marcou dois golos. O Real Madrid deu seguimento ao mau registo na quarta-feira, frente ao Dortmund.

The last trip: Dortmund 2-2 Real Madrid
The last trip: Dortmund 2-2 Real Madrid