O "site" oficial do futebol europeu

As sete magníficas de Wembley

Publicado: Terça-feira, 15 de Janeiro de 2013, 17.43CET
Com a principal competição europeia de clubes de regresso a Wembley no dia 25 de Maio pela sétima vez, registo recorde, o UEFA.com recorda as finais anteriores realizadas na "Casa do Futebol".

rate galleryrate photo
1/0
counter
  • loading...
 
 
 
Publicado: Terça-feira, 15 de Janeiro de 2013, 17.43CET

As sete magníficas de Wembley

Com a principal competição europeia de clubes de regresso a Wembley no dia 25 de Maio pela sétima vez, registo recorde, o UEFA.com recorda as finais anteriores realizadas na "Casa do Futebol".

A final da edição 2012/13 da UEFA Champions League realiza-se no Wembley Stadium, a 25 de Maio, quando a principal competição europeia de clubes visitar a "Casa do Futebol" pela sétima vez, registo recorde. Esta será a segunda final desde que o estádio foi reconstruído e, se a história servir de barómetro, os adeptos podem aguardar mais uma ocasião especial. O UEFA.com recorda as finais anteriores que deram brilho ao famoso palco de Londres.

6 de Junho de 2011
FC Barcelona 3-1 Manchester United FC
(Pedro Rodríguez 27, Messi 54, Villa 69; Rooney 34)
Barcelona e Manchester United tinham conquistado a sua primeira Taça Europeia no antigo Wembley, mas a equipa de Alex Ferguson não conseguiu resistir à dominadora e conquistadora formação de Josep Guardiola na primeira final acolhida pelo renovado recinto. O United respondeu de forma positiva ao golo inaugural de Pedro Rodríguez aos 27 minutos, e Wayne Rooney igualou sete minutos depois, no entanto, não teve resposta assim que Messi restabeleceu a vantagem do Barcelona, no início da segunda parte, com o 12º golo da campanha, igualando o recorde de Ruud van Nistelrooy ao serviço do United em 2002/03 (Messi bateria essa marca na temporada seguinte, com 14 golos). David Villa fez o terceiro da partida e selou o resultado final, antes de Éric Abidal – recém recuperado de um tumor no fígado – ter sido o primeiro a erguer o troféu.

20 de Maio de 1992
UC Sampdoria 0-1 FC Barcelona (ap)
(Koeman 112)
A última final a decorrer sob as torres gémeas do antigo estádio também foi a derradeira antes da era da UEFA Champions League, mas revelou-se uma estreia memorável para o Barça, pois alcançou o seu primeiro título europeu. Com um misto de talento local, como Guardiola, e um lote de conceituados nomes estrangeiros, incluindo Michael Laudrup e Hristo Stoichkov, o clube catalão, ainda assim, precisou do prolongamento para bater o rival italiano, cuja ameaça ofensiva recaía sobre Attilio Lombardo, Roberto Mancini e Gianluca Vialli. Finalmente, coube ao internacional holandês Ronald Koeman desfazer o nulo, aos 112 minutos, num dos seus tradicionais livres directos a não dar hipóteses a Gianluca Pagliuca.

10 de Maio de 1978
Liverpool FC 1-0 Club Brugge KV
(Dalglish 64)
Após conquistar a sua primeira Taça Europeia na época anterior, o Liverpool tornou-se na primeira equipa inglesa a revalidar o troféu, frente ao surpreendente Club Brugge. A equipa belga tinha afastado adversários de peso como Club Atlético de Madrid e Juventus a caminho da final, mas teve poucas oportunidades num jogo de sentido único e decidido pelo chapéu de Kenny Dalglish a Birger Jensen, aos 64 minutos. O avançado escocês tinha sido contratado para substituir Kevin Keegan no Verão anterior e não podia ter desejado melhor forma de terminar a campanha de estreia pelo emblema de Merseyside.

2 de Junho de 1971
AFC Ajax 2-0 Panathinaikos FC
(Van Dijk 5, Haan 87)
No encalço do Feyenoord, o Ajax tornou-se na segunda equipa da Holanda a chegar ao topo do futebol europeu, naquele que seria o primeiro de três títulos consecutivos para Johan Cruyff e companhia. Aperfeiçoando a filosofia do futebol total do treinador Rinus Michels – na sua última época no comando do clube de Amesterdão antes de rumar ao Barcelona –, o Ajax levou a melhor sobre o Panathinaikos de Ferenc Puskás graças a dois golos com 82 minutos de diferença. Dick van Dijk pôs o conjunto holandês em vantagem nos instantes iniciais e coube a Arie Haan confirmar o triunfo à beira do fim.

29 de Maio de 1968
Manchester United FC 4-1 SL Benfica (ap)
(Charlton 53 99, Best 92, Kidd 94; Graça 79)
Dez anos após o desastre aéreo de Munique, o United conquistou o seu lugar nos livros de história na qualidade de primeiro clube de Inglaterra a erguer o troféu europeu de clubes mais cobiçado. Os jogadores de Matt Busby não tinham conseguido vencer qualquer jogo fora na competição até à final, por isso deve ter sido reconfortante saber que iam medir forças com o Benfica num local relativamente familiar, mesmo que o marcador só tenha sido inaugurado aos 53 minutos, através de um cabeceamento de Bobby Charlton. No entanto, Jaime Graça fez o empate para a equipa portuguesa, a 11 minutos do fim, e o Benfica esteve perto da vitória quando Eusébio obrigou Alex Stepney a uma defesa perto do fim, falhanço que certamente lamentam, pois George Best e Brian Kidd marcaram nos primeiros quatro minutos do prolongamento. A última palavra pertenceu a Charlton, um dos sobreviventes de Munique.

22 de Maio de 1963
AC Milan 2-1 SL Benfica
(Altafini 58 69; Eusébio 19)
Wembley também se revelara local infeliz para o Benfica cinco ano antes, quando a formação de Lisboa falhou a conquista do terceiro título europeu consecutivo, frente a uma equipa do Milan determinada a trazer o troféu para Itália pela primeira vez. Os "rossoneri" chegaram a Londres munidos de Gianni Rivera, Cesare Maldini e Giovanni Trapattoni, ainda assim o jogo teve a marca do avançado brasileiro José Altafini, autor de golos aos 58 e 69 minutos, depois de Eusébio ter aumentado a esperança do Benfica com o tento inaugural aos 19. O bis de Altafini elevou a conta na competição para 14 golos nessa época, oito deles marcados ao US Luxembourg, na primeira eliminatória.

Última actualização: 04-12-13 7.15CET

Informação relacionada

Perfis das equipas

http://pt.uefa.com/uefachampionsleague/news/newsid=1912005.html#as+sete+magnificas+wembley

  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • As palavras CHAMPIONS LEAGUE e UEFA CHAMPIONS LEAGUE, o logótipo e o troféu da UEFA Champions League e o logótipo da Final da UEFA Champions League estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.