UEFA Champions League em directo

Sabia tudo sobre as 32 equipas em prova.

Encerrado
19-10-2015
Filtros
Clubes
Jogos
  • Todos os clubes,
  • Todos os jogos
Reiniciar X

Fique a par de todas as notícias sobre a terceira jornada da fase de grupos da UEFA Champions League no blogue em directo do UEFA.com.

Cinco peças fundamentais do Lyon não rumaram a São Petersburgo no domingo para disputarem o jogo de terça-feira na casa do líder o Grupo H, o Zenit, com Henri Bedimo (coxa), Nabil Fekir (joelho), Gueïda Fofana (tornozelo), Clément Grenier (coxa), Aldo Kalulu (tornozelo) e Milan Biševac (coxa) todos por lesão. Jérémy Morel (na foto) está de regresso depois de ter falhado o empate 1-1 no Mónaco, devido a um problema nas costas.

©Getty Images

Zinédine Zidane falou ao Canal+ francês sobre o jogo do Grupo A entre Paris e Real Madrid. "Para mim, são mas duas melhores equipas da Europa nesta altura", disse o jogador que venceu a UEFA Champions League com o Real, em 2002. "Penso que são as melhores, talvez lhes juntasse o Barcelona. E, atrás, o Bayern München."

©uefa.com 1998-2014. All rights reserved.

O antigo treinador do Paris e do Real Madrid, Carlo Ancelotti, pensa que a formação da capital francesa é um concorrente a ter em conta quanto à conquista da UEFA Champions League, segundo afirmou ao Parisien-Aujourd’hui: "O PSG tornou-se num clube que pode vencer a Champions League. São uma das melhores equipas da Europa e cresceram muito. Este ano, penso que são bons o suficiente para chegarem às meias-finais. Este é o ano do Paris."

©AFP/Getty Images

Saiba como se portaram as 32 equipas em prova este fim-de-semana...

"Sabemos o que é necessário para lhes ganhar", exclama Zlatan Ibrahimović na capa do diário AS desta manhã quando o Paris se prepara para receber o Real Madrid, na quarta-feira.

"Sabemos exactamente o que é preciso fazer para derrotar o Real Madrid," afirmou o capitão do PSG. "Será fantástico jogar contra eles e estamos prontos para o desafio. Ainda não estou no meu melhor esta época, mas estou concencido que lhes vamos ganhar".

ASAS

Arsène Wenger afirma que o Arsenal precisa de fazer um "grande jogo" frente ao Bayern na terça-feira para retornar à luta no Grupo F.

Os Gunners perderam os dois primeiros jogos e agora enfrentam um adversário bem complicado, na figura dos campeões alemães, que têm o máximo de pontos. A formação de Josep Guardiola vai a Londres em grande forma, tendo-se tornado a primeira equipa a vencer as nove primeiras jornadas da Bundesliga este fim-de-semana.

"Sabemos exactamente o que é preciso [porque] nem o 0-0 é um bom resultado. Para marcar golos temos que atacar, disse Wenger. "É verdade [que já fizemos grandes resultados] no passado, mas queremos voltar a fazê-lo porque sentimos que a dor que sentimos [na Champions League] é devidop a nós próprios.



©AFP/Getty Images

Zlatan Ibrahimović tornou-se o melhor marcador de sempre do Paris no começo deste mês, ultrapassando os 109 golos de Pauleta. Quatro desses tentos foram apontados num encontro de Outubro de 2013, e olhamos agora para esses momentos, frente ao Anderlecht, um deles, um tiro de longe fantástico.

Depois de ganhar 21 dos 24 jogos anteriores em casa, o Benfica surpreendeu o Atlético ao ganhar por 2-1 no Vicente Calderón, na última jornada. A formação espanhola vai agora procurar reagir de pronto frente ao estreante Astana, esta quarta-feira, mas, contudo, o avançado Fernando Torres já avisou que é preciso evitar optimismos em excesso.

"No papel somos favoritos, mas na realidade isso não é bem verdade, pois sabemos que eles podem ser bem perigosos", disse Torres. "Nestes jogos temos que fazer o nosso jogo, ter a concentração necessária nos jogos da Champions League e abordá-lo com a determinação necessária para vencer".

©AFP/Getty Images

José Mourinho ainda não se encontrou esta época, mas poderá fazer história como treinador do Chelsea. O 'special one' poderá ser o primeiro treinador a vencer a prova por clubes diferentes se erguer o troféu em Milão, a 28 de Maio. O português contou-nos os seus pontos altos e baixos na UEFA Champions League com o UEFA.com.

Não há jogador na Europa que possa, nesta altura, igualar os números goleadores de Robert Lewandowski, com o atacante do Bayern a somar 15 golos nos últimos sete jogos pelo clube e selecção. O jogador do Arsenal, Alexis Sánchez, está no bom caminho, no entanto, com dez tentos nos últimos seis encontros e os Gunners vão precisar muito que o chileno se acerque do registo do polaco no jogo do Grupo F, esta semana. Uma derrota ante os bávaros deixará os londrinos a nove pontos do adversário e com a qualificação em real perigo.

©AFP/Getty Images

Benfica vai viajar para Istambul esta tarde, onde vai procurar fazer história ao vencer pela primeira vez três jogos seguidos na fase de grupos.


O lateral-esquerdo brasileiro Marçal, que joga nos turcos do Gaziantepspor, por empréstimo do Benfica, acredita que os campeões portugueses podem levar a melhor sobre o Galatasaray na Turquia: "O Benfica é capaz de derrotar o Galatasaray. Não porque o Galatasaray seja uma equipa fraca, mas porque a sua defesa - em especial no meio - é algo frágil e não está ao mesmo nível do seu meio-campo ou ataque".

©AFP/Getty Images

Edinson Cavani avisa o Real Madrid para "vigiar de perto o nosso ataque", pode ler-se na capa da Marca de hoje.

"Agora vem o Real Madrid. É sempre uma grande ocasião quando se defronta o Real e estamos a preparar o jogo da melhor maneira possível", disse o avançado do Paris. "Uma das coisas que fazem as melhores equipas do mundo é que, a partir do meio-campo em frente, são capazes de fazer a diferença em qualquer instante. É sempre uma honra jogar jogos como estes, pois eles têm grandes jogadores que em segundos podem resolver um jogo".

MarcaMarca

Gianluigi Buffon poderá falhar o jogo de quarta-feira com o Gladbach em Turim. O capitão da Juventus sofre um pequeno toque nos gémeos no domingo à noite no Derby d'Italia, frente ao Inter, tendo afirmado que a baliza ficará bem entregue nas mãos de Neto, contratado este defeso.

"Senti uma picada forte, mas joguei assim 65 minutos, o que é um bom sinal" disse Buffon no sítio do clube. "Se puder jogar na Champions League, óptimo, mas, caso não consiga, temos no Neto um excelente segundo guarda-redes."

©Getty Images

Maccabi Tel-Aviv é o último do Grupo G com zero pontos e se tal não bastasse, visita agora um dos mais complicados redutos da Europa, na terça-feira. O Porto ganhou os últimos 19 jogos jogados no Estádio do Dragão – onde se incluem triunfos ante Bayern e Chelsea, este na segunda jornada. Para impedir a 20ª vitória, o Maccabi, que ainda não marcou, vai ter de fazer mossa numa defesa que não sofre golos em casa para o campeonato deste 14 de Dezembro de 2014.

©Getty Images

Depois de falhar o centenário no domingo na visita à Real Sociedad, Fernando Torres espera atingir frente ao Astana o seu golo 100 pelo Atlético. O primeiro surgiu há 14 anos, no segundo escalão, frente ao Albacete, mas ainda não marcou na UEFA Champions League pelos Rojiblancos. O jogador de 31 anos soma 18 golos na prova, apontados pelo Liverpool e Chelsea e espera assim atingir uma dupla marca ante a formação cazaque, na quarta-feira.

©AFP/Getty Images

Porto procura a 20ª vitória seguida na condição de visitado esta terça-feira - feito alcançado há 30 anos - quando receber o Maccabi no Estádio do Dragão.


O conjunto de Julen's Lopetegui soma 53 golos nos últimos 19 jogos em casa e irá reforçado com o regresso do defesa Iván Marcano (na foto), após lesão. Com Maicon a contas com um problema na coxa esquerda, o defesa espanhol irá jogar ao lado do internacional holandês Bruno Martins Indi no coração do sector mais recuado. A formação lusa não sofre golos para o campeonato em casa há 14 jogos - série iniciada a meio de Dezembro do ano passado (0-2 v SL Benfica).

Depois de vitórias sobre Valência e Gent, o Zenit tem a ocasião de se tornar a segunda formação russa a começar a fase de grupos com três vitórias quando receber o último do Grupo H, o Lyon. Foi há 20 anos que o Spartak Moskva venceu todos os seis jogos da fase de grupos na época 1995/96, caindo apenas nos quartos-de-final, com o Nantes. A equipa de André Villas-Boas procurará repetir o feito e as três vitórias iniciais constituem uma óptima base para, para já, garantir o acesso aos oitavos-de-final.

©AFP/Getty Images

O director desportivo do Leverkusen, Rudi Völler, irá defrontar o seu antigo clube na terça-feira, pois militou na Roma entre 1987 e 1992. O internacional alemão marcou 45 golos em 142 partidas na Serie A pelo clube romano.

"O futebol é engraçado porque ao fim de tantos anos a trabalhar aqui na Alemanha nunca defrontei a Roma ou a Lazio, mas agora, no espaço de poucas semanas terei encontrado as duas", disse Völler, em entrevista exclusiva à Roma TV. "Primeiro foram os Biancocelesti no 'play-off' e agora dois jogos com os Giallorossi na Champions League. Estou certo que será um momento emocionante e espero também um grande jogo".

GettyImages-79048243Getty Images

Depois dos quatro golos marcados ao Rayo Vallecano para a Liga espanhola, o avançado do Barcelona Neymar está na capa do Mundo Deportivo e o seu desejo é voltar a destacar-se na Europa, a começar frente ao BATE, amanhã. O 11 do Barça vai em oito golos nos últimos oito jogos pela formação catalã.

Mundo DeportivoMundo Deportivo

Se o CSKA Moskva se quiser destacar no Grupo B é chegada a altura de Igor Akinfeev colocar um ponto final numa série bem negativa. O internacional russo sofreu golos em cada um dos 33 últimos jogos na UEFA Champions League que disputou, qualificações incluídas, remontando a Novembro de 2006, frente ao Arsenal, a última vez que terminou um jogo com a folha limpa. Com o grupo tão equilibrado - as quatro equipas têm quatro pontos – uma vitória sobre o Manchester United no Khimki poderá ser decisiva se os comandados de Leonid Slutski quiserem atingir a ronda a eliminar pela primeira vez desde 2011/12.

©Getty Images

Arsenal, Shakhtar, Gladbach, Malmö e Maccabi somam zero pontos nos dois primeiros jogos da UEFA Champions League – as suas esperanças não são as maiores, mas não desapareceram ainda...

Do fantástico golo de meio-campo de Alessandro Florenzi pela Roma contra o Barcelona, ao hat-trick de Robert Lewandowski, veja o que de melhor se passou na fase de grupos desta época em menos de dois minutos ...

Arsène Wenger e Aaron Ramsey são os representantes do Arsenal na conferência de imprensa de antevisão do encontroi contra o Bayern. Fique connosco para ler as principais declarações a partir das 12h30 ...

Depois de não ter atingido o objectivo de ganhar a prova nos últimos três anos, o Paris espera fazer melhor este ano quando defrontar o Real Madrid no Parc des Princes. Sempre que os detentores da Ligue 1 encontraram oposição de topo nos quartos-de-final, nas últimas três épocas, na figura de Barcelona (duas vezes) e Chelsea, caíram sempre,

Se este ano será diferente, resta esperar pelas alturas decisivas, mas podem aferir já o seu poderio ao defrontarem o Real Madrid. Com David Luiz (joelho), Marco Verratti (gémeos), Kevin Trapp (coxa) e Presnel Kimpembé (tornozelo) de fora, uma vitória do Paris mandará uma mensagem para a Europa, mas, mais importante, para eles próprios, que este ano poderá ser diferente.

Nenhum médio tem lugar garantido no meio-campo titular do Manchester United nesta altura, dada a imensa qualidade à disposição de Louis Van Gaal no sector. Mas Ander Herrera – que se destacou na vitória por 3-0 na visita ao Everton - acredita que a competição não é nada de mau apesar de ter de lugar com Bastian Schweinsteiger, Juan Mata, Morgan Schneiderlin, Michael Carrick e Marouane Fellaini por um lugar.

"Queremos jogar sempre, mas isto é o Manchester United," disse o médio espanhol, que acredita que os seus companheiros ajudam a que o seu jogo melhore. "É bom para mim e bom para o clube. Penso da mesma maneira. Quando o clube contrata grandes jogadores temos benefícios com isso e é isso que estou a capitalizarr. Temos ao nosso lado [Schweinsteiger] e Michael Carrick que são jogaodres muito experientes. Penso que o Morgan e eu podemos aprender com eles."

©Getty Images

Josip Pivarić, médio do Dinamo:


Sabemos da sua qualidade [do Olympiacos], que tem estado impressionante no seu campeonato. Vimos quão [bem] jogaram contra o Bayern [na primeira jornada] e em especial em Londres contra o Arsenal [na última jornada]. Mas se fizermos o nosso melhor e repetir o que fizemos contra o Arsenal [na jornada um], se fizermos como equipa, podemos bater o Olympiacos.

Iker Casillas e os seus colegas do Porto durante o treino desta manhã...

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images

Arsène Wenger, treinador do Arsenal revelou que o defesa-central Gabriel regressa, mas o guardiao David Ospina vai falhar o jogo contra o Bayern.

Arsène Wenger, treinador do Arsenal:


Se calhar não abordámos os primeiros dois jogos da Champions League como devíamos. Já derrotámos equipas do Bayern pelo menos tão boas como esta.

[Josep Guardiola] fez um grande trabalho no Barcelona e tem estado muito bem também com o Bayern, pois é um grande treinador. Ele faz as equipas jogar muito bem.

Aaron Ramsey, médio do Arsenal:

[O Bayern] é uma grande equipa, cheia de grandes jogadores, que trabalham muito como equipa. É por mérito próprio que eles estão na ribalta todos os anos. Será um jogo difícil, mas somos mais que capazes de fazer um bom resultado se jogarmos como sabemos. É começar bem e aproveitar essa embalagem, contando sempre com o apoio dos adeptos.

Zenit prepara a recepção ao Lyon, esta terça-feira ...

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images

Zoran Mamić, treinador do Dinamo:


Esperamos um jogo complicado ante um adversário de grande qualidade. Por isso não poderemos jogar de forma tão atacante como acontece quase sempre no campeonato. Respeitamos o Olympiacos e sabemos do seu poderio, mas o futebol não é previsível.

Aleksandr Yermakovich, treinador do BATE:


Sexta-feira tornámo-nos campeões da Bielorrússia, mas agora jogamos uma prova diferente e a estratégia é também diferente. Infelizmente não poderemos contar com Aleksandr Hleb, Vitali Rodionov, Maksim Zhavnerchik e Kaspars Dubra [frente ao Barcelona].

A antiga estrela do Paris e seu treinador, Antoine Kombouaré, recordou a vitória histórica dos campeões franceses em 1992/93. Kombouaré marcou o golo decisivo do Paris, já nos descontos, que deu a vitória sobre o Real Madrid por um total de 5-4 na segunda mão dois oitavos-de-final da Taça UEFA.

"Sim, esse golo fez história para o clube. É uma honra para mim! Mas o facto é que no jogo [da terceira ronda] anterior contra o Anderlecht, também marquei. Mas, sim, esse golo [contra o Real Madrid] colocou-nos nos quartos-de-final", disse o actual técnico do RC Lens. "A sensação foi incrível. Senti-me como se estivesse a voar".

©AFP/Getty Images

Nuno Espírito Santo, treinador do Valência:


Respeitamos sempre o adversário e nunca o subestimamos. O Gent tem bons jogadores e é uma equipa compacta. São muito bem organizados na defesa e sabem como pressionar-nos. O nosso triunfo sobre o Lyon [na segunda jornada] foi muito importante, mas estes dois jogos são ainda mais decisivos para o futuro do grupo. Temos o destino nas nossas mãos.

©AFP/Getty Images

Igor Stasevich, médio do BATE:


O jogo para o Barcelona é um bónus para nós. Não temos medo, respeitamos apenas o adversário. Preferia que o Lionel Messi pudesse jogar contra nós.

Sofiane Feghouli, médio do Valencia:


O Gent é uma equipa difícil, que respeitamos. Estamos mais confiantes depois da vitória no campeonato [3-0 contra o Málaga] e esperamos pelo apoio dos adeptos. Foi um jogo difícil contra o Zenit [na primeira jornada], que nos deu mais experiência - melhorámos no segundo contra o Lyon.

©AFP/Getty Images

Edin Džeko deverá voltar aos relvados contra o Leverkusen depois de recuperado de uma lesão no joelho. Se o treinador da Roma, Rudi Garcia, sentar o atacante bósnio no banco, Gervinho será o titular na frente. O avançado costa-marfinense poderá jogar também ao lado de Džeko se Alessandro Florenzi for usado como ala direito. O defesa-central Antonio Rüdiger também deverá estar em condições depois de recuperar de uma lesão no joelho e luta agora com Leandro Castán por um lugar no centro da defesa.

O treinador do Valência, Nuno Espírito Santo, dirige o último treino antes do jogo de terça-feira contra o Gent ...

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images

Julen Lopetegui, treinador do Porto:


Não vejo o Maccabi como a equipa mais fraca do grupo; vejo-os como o nosso principal desafio. Têm bons jogadores e mereciam mais dos jogos anteriores na prova. Afastaram o Basileia, são uma equipa boa. Vamos precisar do ambiente especial de Champions League, que só os nossoa adeptos conseguem fazer.

Entramos em cada jogo com a ambição de ganhar. O Maccabi é uma equipa bem organizada, com bons jogadores e com um estilo de jogo que me agrada. O seu treinador tem também muita qualidade pelo que vamos ter de jogar muito bem para ganhar. Vamos preparar o jogo e jogar em função dos nossos pontos fortes, não de acordo com aquilo que esperamos que o adversário faça.

©AFP/Getty Images

Ömer Toprak, defesa do Leverkusen:


Venho de uma lesão difícil (na coxa), mas felizmente tudo correu bem e não houve recaídas. Sempre tive a Champions League como ambição, regressar aqui o mais rápido possível porque é a melhor prova que existe. É aqui que queremos estar como jogadores, é por isto que trabalhamos no duro na recuperação.

©Getty Images

Robert Lewandowski, atacante do Bayern:


Aguardamos com entusiasmo este duplo-confronto. O Arsenal continua um adversário forte. Não têm um ponto na Champions League e precisam de começar a marcar o quanto antes. E já contra nós.

Não são um adversário fácil de bater. Por vezes é mais fácil defrontar uma equipa que aposta no futebol de passe, que não se limita a estacionar o autocarro e defender o jogo todo. Deverá ser um jogo interessante, mas espero que o Bayern saia vencedor.

©Getty Images

Não há qualquer dúvida do tamanho da tarefa do Arsenal frente ao Bayern depois de perder os dois primeiros jogos. Se a falta de concentração fez pagar caro aos Gunners até agora, este desafio exige algo mais. "O nível de confiança está lá - sabemos exactamente o que precisamos", disse Wenger. "Temos de atacar."

Confira quem mais golos marcou até agora na prova, numa lista liderada por um português...

Alexandre Lacazette, atacante do Lyon:


O jogo de amanhã será muito importante, mas mesmo se perdemos [com o Gent], podemos ainda ficar no segundo lugar [do Grupo H]. As nossas exibições na segunda parte contra o Valência [na segunda jornada], e contra o Mónaco [na Ligue 1, na sexta-feira] são exemplos de como deveremos jogar em termos da atitude certa e de vontade.

©AFP/Getty Images

Roger Schmidt,treinador do Leverkusen:


Não gosto muito de olhar para o que o adversário fez. Temos o nosso plano de jogo e tentamos cumpri-lo em campo. Amanhã temos uma ocasião de dar passo em frente rumo ao apuramento. Precisamos de vencer e é assim que queremos jogar.


A Roma tem muitos jogadores rápidos na frente. Uma vez na frente, eles conseguem contra-atacar com perigo, o que normalmente culmina em vitórias dilatadas. Neste momento temos alguns problemas na finalização. Apesar disso, jogamos bo futebol e estou certo que vamos começar de novo a aproveitar as ocasiões que surgirão.

Ninguém duvida que o Barcelona é o grande favorito e seria uma grande surpresa se perdesse pontos em Borisov. No entanto, o BATE mostrou o que é capaz ao derrotar a Roma pelo que tudo poderá acontecer desta feita, em especial devido à ausência de Lionel Messi (joelho. O BATE espera aproveitar a embalagem dada pela conquista pelo décimo título seguido, na sexta-feira.

©Pressball

Leverkusen tem uma grande oportunidade para cimentar a distância para com a Roma no Grupo E. Para tal, os alemães têm de suplantar os italianbos que marcaram 14 golos nos últimos quatro jogos em todas as provas.

Bruno Martins Indi, defesa do Porto:


Assistimos a vídeos do Maccabi e também os vimos ao vivo, pelo que sabemos que têm uma boa equipa. Sei que o [Eran] Zahavi é um bom avançado, mas não podemos ligar apenas a um jogador. O Maccabi tem jogadores experientes e isso é importante no futebol, em especial numa prova como a Champions League. Acredito que será um jogo com grande intensidade.

Posso jogar em vários lugares, mas não quero falar de mim. Ainda não sei se vou jogar, mas se o fizer, darei o melhor pela minha equipa. Posso apenas esperar por jogar.

Real Madrid anunciou que Gareth Bale se lesionou num pé. Apesar de ainda não ser conhecido o tempo de paragem, não irá jogar, para já, a partida de quarta-feira com o Paris. No entanto, há uma boa notícia para a formação espanhola, com o regresso aos treinos sem limitações por parte de Luka Modrić, esta segunda-feira.

Xabi Alonso, médio do Bayern:


Esperamos uim jogo complicado devido à motivação [que o Arsenal] tem [depois de perder os primeiros dois jogos do Grupo F]. A jogar em casa, fazem-no sempre bem, praticando um bom futebol.

Sempre gostei de vir a Inglaterra jogar, o ano passado com o [Manchester] City e agora com o Arsenal. Dos meus tempos com o Liverpool sinto uma ligação à Premier League e é sempre bom estar de volta.

Thomas Müller, avançado do Bayern:


Vencemos os dois últimos jogos aqui [no Arsenal Stadium, ambos a contar para a primeira mão dos oitavos-de-final], e marquei das duas vezes. Amanhã entrarei em campo com boas recordações de aqui jogar. Estamos todos entusiasmados, mas não vimos cá passear!

Josep Guardiola, treinador do Bayern:


Quando analiso uma equipa nunca olho para a classificação. Isso não me interessa. Tenho que a analisar como se tivesse seis pontos. Conhecemo-nos bem, já os defrontrei [o Arsenal] duas vezes com o Barça e outras tantas com o Bayern. Têm muita capacidade técnica, sendo um adversário bem complicado de defrontar.

Vinte anos num clube é agora impossível. O Wenger não é apenas um treinador, é um director desportivo. Ele mudou o clube. Jogavam defensivamente antes dele chegar. Ele é algo mais que um treinador, é quase tudo.

José Mourinho, treinador do Chelsea:

O mais importante para mim são os resultados. Precisamos de ganhar jogos tanto na Premier League como na Champions League. Precisamos de somar pontos para passar para a fase seguinte. Sim, começámos abaixo das expectativas, perdemos demasiados jogos, mas espero melhorias em termos de resultados e exibições.

Vi o vídeo do jogo em que o Dynamo perdeu com o Shakhtar Donetsk [3-0 na sexta-feira] e mandei também o meu adjunto ver o encontro lá. Analisámos também as partidas do Dynamo contra o Porto e Maccabi Tel-Aviv, pelo que temos toda a informação necessária.

©AFP/Getty Images

Marco Silva, treinador do Olympiacos:


Não concordo que se tome o Olympiacos como favorito. O Dinamo Zagreb é uma boa equipa e penso que ambas têm as mesmas possibilidades. Estamos a fazer um bom trabalho e a melhorar todos os dias. Jogámos com tácticas diferentes nos primeiros dois jogos, pois quando se defrontam formações da classe do Bayern, temos que alterar o nosso jogo.

Se calhar vamos tentar fazer o mesmo jogo contra o Dinamo Zagreb ou talvez tentar algo de novo, mas é em campo que se vê e é aí que teremos que reagir. Não ficaremos satisfeitos com o empate, preparamos cada jogo para ganhar. Vamos dar o nosso melhor para tal. É esse o plano.

©AFP/Getty Images

André Villas-Boas, treinador do Zenit:


Amanhã é um jogo muito importante para nós, porque teremos o apuramento para os oitavos-de-final praticamente garantido em caso de vitória. É muito importante para nós e para os adeptos que sigamos em frente, pelo que sonhamos com isso. O Lyon é uma equipa forte e experiente. [Mathieu] Valbuena, [Alexandre] Lacazette e Rafael são todos experientes.

A este nível o talento individual dos jogadores é importante, pois num espaço de segundos um jogador pode decidir o resultado de um jogo. [Artem] Dzyuba e [Oleg] Shatov, bem como Hulk, Danny, [Axel] Witsel podem todo mudar um jogo. Temos jogadores muito bons no ataque e que são muito bons no contra-ataque - é se calhar a sua melhor característica - pelo que não vamos surpreender o treinador do Lyon.

Ainda temos jogos para disputar na França e Bélgica, pelo que quanto mais rápido nos apurarmos melhor. Estou muito satisfeito por temos seis pontos depois dos primeiros dois jogos, pelo que quero que continuemos no mesmo espírito.

©AFP/Getty Images

Rudi Garcia, treinador da Roma:


Sabemos que o Leverkusen é uma boa equipa. Têm jogado bem até agora na competição e sabemos que são muito competitivos. Se não somarmos pontos nos próximos dois jogos será muito, muito complicado seguir em frente. Estamos a utilizar sistemas diferentes nos nossos jogos. Não temos que privilegiar um, mas sermos sim tacticamente flexíveis. Temos de fazer um bom jogo de modo a fazermos um bom resultado.

©AFP/Getty Images

Serhiy Rebrov, treinador do Dynamo Kyiv:


Espero que os meus jogadores tenham recuperado psicologicamente depois da nossa derrota com o Shakhtar [3-0 na sexta-feira à noite]. Analisámos os nossos jogos e espero ver outra equipa amanhã. Ainda bem que não tivemos tempo para pensar no qe nos aconteceu. Temos que mudar o foco para outro jogo muito importante e não posso imaginar maior motivação para os meus jogadores que jogar com o Chelsea na Champions League.

Temos que tentar e jogar ao mesmo nível de intensidade da Premier League. Em Inglaterra, não se tem mais que dois, três segundos para pensar. O Chelsea está habituado a isso e nós vamos tentar jogar assim. Estudámos bem o jogo do Chelsea, que tem imensas qualidades, mas também problemas que nós queremos aproveitar.

©AFP/Getty Images

Hein Vanhaezebrouck, treinador do Gent:


O Valência é uma equipa com muita técnica. Todos os jogadores querem ter a bola. Sabemos ue será muito complicado, mas nada é impossível. O Valência vai controlar o ritmo de jogo. Jogar frente a 55 mil pessoas será especial.

©AFP/Getty Images

Andriy Yarmolenko, atacante do Dynamo Kyiv:


Claro que estamos em baixo devido à derrota com o principal rival, o Shakhtar [3-0 na sexta-feira]. Todos os jogadores estão a sentir-se mal, mas agora é mudar o foco para outra competição e esquecer o jogo com o Shakhtar. Agora temos que esquecer esse jogo. Analisámos os nossos erros e estamos a preparar o Chelsea. O mais importante para mim agora é entrar em campo amanhã e ganhar.

©AFP/Getty Images

Laurent Depoitre, atacante do Gent:


É o jogo mais complicado do nosso grupo, pois o Valência joga em casa e será muito difícil, mas tudo é possível. É um jogo de Champions League pelo que temos sempre pressão.

©AFP/Getty Images

Slaviša Jokanović, treinador do Maccabi Tel-Aviv:


Estou feliz por estar aqui, é emocionante jogar neste estádio. Estamos a passar por um processo de aprendizagem e sinto a equipa melhor, mas este vai ser um jogo muito complicado. Espero um resultado melhor que nos dois jogos anteriores. Temos de ser eficazes quando tivermos ocasiões pois não vamos ter muitas.

Sofremos um golo cedo nos dois jogos anteriores, vamos tentar impedir que isso aconteça de novo amanhã. O Porto é uma das melhores equipas da Europa, são a que está em melhor forma do grupo. Estamos prontos para a batalha. Temos hipóteses e queremos aproveitá-las ao máximo.

©AFP/Getty Images

O treinador do Barcelona, Luis Enrique acaba de falar à imprensa na Bielorrússia...

O treinador do Barcelona e o jogo com o BATE.

Depois de um dia atarefado em várias salas de imprensa na Europa, o nosso blogue encerra por hoje. Amanhã estaremos de volta para a antecipação dos jogos do dia, entre os quais a recepção do Porto ao Maccabbi e das restantes conferências de imprensa dos joos de quarta-feira, com destaque para a do Benfica, em Istambul, onde defronta o Galatasaray. Boa noite.

A imprensa grega acredita que Olympiacos pode dar sequência ao triunfo no reduto do Arsenal com mais um bom resultado fora de casa, desta vez com o Dinamo. O SportDay pede ao Olympiacos para "jogar como sabe", enquanto o GoalNews recorda que os campeões gregos "têm os oitavos-de-final no horizonte" num jogo que está marcado para "o estádio onde confirmou o apuramento para a fase seguinte em 1998". O Protathlitis acrescenta que os jogadores de Marco Silva são "como comandos, preparados para tudo".

PROTATHLITIS coverPROTATHLITIS cover

O jornal Le Progrès destaca a importância do Lyon fazer um bom resultado na Rússia com o Zenit, escolhendo para manchete da edição desta terça-feira a manchete: "OL sob pressão e em perigo em São Petersburgo". O diário explica: "A equipa precisa mostrar uma personalidade forte, pois uma derrota implicará provavelmente o final da campanha".

©AFP/Getty Images

Compreensivelmente, Andrei Kanchelskis, antigo extremo do Manchester United, tem sido muito procurado pela imprensa russa para comentar o embate do seu antigo clube com o CSKA Moskva. O ucraniano de 46 anos, que actualmente reside em Moscovo, considera que o CSKA pode causar problemas aos “diabos vermelhos” se conseguir tirar partido da velocidade de Ahmed Musa e Seydou Doumbia.

"A principal fraqueza do Manchester United?" respondeu ao Sovetsky Sport. "É a defesa. Comete erros, sofre muitos golos e não consegue anular os atacantes. Penso que a grande velocidade do Doumbia e do Musa podem ser decisivos para o CSKA na quarta-feira".

©Getty Images

Olympiacos e Dinamo chegaram a acordo para que os adeptos não acompanhem as equipas aos jogos fora nos encontros entre os dois clubes.

O treinador Stanimir Stoilov decidiu poupar alguns dos principais jogadores do Astana para o encontro do Grupo C, de quarta-feira, no reduto do Atlético, com os campeões do Cazaquistão a pensarem no importante desafio do campeonato com o Kairat.

"O voo para Madrid é de nove horas e temos um jogo importante com o Kairat no fim-de-semana", explicou Stoilov. "Estamos a lutar pelo título e não nos podemos dar ao luxo de perder pontos. Por isso tive de tomar esta decisão".

©AFP/Getty Images

A ausência de Esteban Cambiasso, devido a um problema nos gémeos, foi anunciada no domingo e é uma má notícia para o treinador Marco Silva, que afirmou antes da deslocação do Olympiacos a Zagreb: "A ausência de um jogador não vai alterar os nossos planos. O nosso trabalhou baseia-se no esforço colectivo".

©Getty Images

O treinador Roger Schmidt acredita que os seus jogadores têm um bom motivo para derrotar a Roma, esta noite, no BayArena. Um triunfo deixará o Leverkusen com cinco pontos de vantagem sobre os italianos na classificação do Grupo E, mas Schmidt avisa que a sua equipa terá de jogar bem melhor do que no sábado, quando não foi além de um nulo com o Hamburgo na Bundesliga.

"Temos uma grande oportunidade de dar uma grande passo rumo aos oitavos-de-final ao terceiro jogo", explicou o técnico de 48 anos ao Rheinische Post. "Esse é o nosso objectivo mas, para isso, precisamos de uma vitória e precisamos de jogar bem. A Roma é muito forte no ataque, com jogadores muito rápidos. Não podemos permitir que joguem ao seu ritmo".

©AFP/Getty Images

O  La Gazzetta dello Sport descreve o desafio da Roma em Leverkusen como "um jogo de ‘play-off’". O diário de Milão acrescenta que o treinador Rudi Garcia já vai poder contar com Edin Džeko no ataque. O Corriere dello Sport afirma que o meio-campo da equipa italiana será decisivo para um triunfo na Alemanha. "Há quatro mosqueteiros que vão estar no centro dos acontecimentos: Radja Nainggolan, Daniele] De Rossi, Alessandro Florenzi e Miralem Pjanić" sublinha o jornal.

Gazzetta SportGazzetta Sport

Thomas Müller discorda que o Bayern seja “claramente favorito” frente ao Arsenal, mas a revista alemã Kicker considera que os líderes da Bundesliga não têm muito a temer em Londres. "Actualmente ganhar é tão fácil para a equipa de  Munique, que é difícil imaginar que o Arsenal, que ainda não venceu ou pontuou na  UEFA Champions League, consiga infligir a primeira derrota no Bayern desde o início de Agosto".

©Getty Images

Carlos Garcia, defesa do Maccabi:


Estamos a passar por um dos melhores momentos da história do clube. O futebol israelita tem vindo a melhorar. Não jogamos da mesma forma na UEFA Champions League e no campeonato nacional. Respeitamos o Porto, mas vamos usar as nossas qualidades para criar problemas. Vou tentar ajudar a equipa se jogar, se não jogar vou ter a mesma atitude, estou sempre disponível.

©AFP/Getty Images

O Arsenal está muito pressionado e Pep Guardiola, treinador do Bayern, espera encontrar esta noite um adversário muito combativo. "É a última oportunidade", afirmou. "Na vida, quando estamos perante a última oportunidade, temos de dar o máximo. Por isso, temos de estar preparados no encontro com o Arsenal". Os londrinos responderam bem nos últimos anos sempre que estiveram entre a espada e a parede. Depois de perderem por 3-1 com o Mónaco nos oitavos-de-final da época passada, deram muita luta à equipa de Leonardo Jardim na segunda mão e só no principado devido aos golos marcado fora. Foi o mesmo que aconteceu frente ao Bayern na mesma ronda em 2012/13, quando após uma derrota por 3-1 em casa, foram ganhar por 2-0 a Munique. Em 2011/12 a equipa de Arsène Wenger ficou a um golo de anular a desvantagem de 4-0 da primeira mão com o Milan. Infelizmente, para o Arsenal, a boa reacção nunca foi suficiente.

Rúben Neves pode fazer história esta noite tornar-se no mais jovem capitão de sempre do Porto num desafio Europeu, na recepção ao Maccabi ao Estádio do Dragão. O defesa Maicon, que normalmente enverga a braçadeira está lesionado, enquanto o guarda-redes Helton está relegado para o banco por Iker Casillas, pelo que o médio de 18 anos deverá capitanear a equipa frente aos israelitas se Hector Herrera não for titular.

No ataque, Vincent Aboubakar vai tentar torna-se no primeiro jogador do Porto desde Zlatko Zahovič (em 1998/99) a marcar mais de três golos nos primeiros três jogos da fase de grupos da UEFA Champions League.

©AFP/Getty Images

Igor Akinfeev, guarda-redes do CSKA Moskva, vai defrontar pela primeira vez o Manchester United na UEFA Champions League desde uma noite "horrível" em Old Trafford em Novembro de 2009...

Mircea Lucescu, treinador do Shakhtar:


Não é fácil continuar a trabalhar com 70 anos, após mais de três décadas no futebol europeu, e nunca fiz qualquer pausa. O que me faz continuar é a minha paixão pelo futebol, a paixão de trabalhar com pessoas e fazer evoluir jogadores.

Claro que isso não é suficiente para sobreviver a este nível, também são precisos resultados. Temos de estar sempre concentrados e motivados para ser os melhores e precisamos das pessoas certas em nosso redor.

A satisfação e o sentimento de realização, tudo isso me faz sentir que ainda quero estar no futebol e não me permite sentir que já ando aqui há tantos anos. O futebol pode dar-nos essa satisfação. Estou a tentar dar ao futebol tudo aquilo que ele me deu ao longo de todos estes anos.

©AFP/Getty Images

Luis Enrique, treinador do Barcelona:


O nível desta competição leva a que não existam favoritos em jogos como este. Qualquer equipa pode dar luta a qualquer outra. O BATE venceu o campeonato bielorrusso pela décima vez consecutiva, o que prova a hegemonia doméstica. Somos líderes do grupo, mas o BATE só tem menos um ponto.

Não estamos à espera de um jogo fácil. Há quatro anos o Barcelona venceu o BATE por duas vezes, mas muito mudou desde então. Basta olhar para a primeira parte que o Borisov fez com a Roma, foi impressionante.

 Recentemente sofremos muitos golos, mas só alguns resultaram de erros graves. Os nossos adversários têm tido sorte.

©AFP/Getty Images

Slaviša Jokanović, treinador do Maccabi Tel-Aviv:


Estou feliz por estar aqui, é uma excelente sensação jogar neste estádio. Vai ser um jogo muito difícil, mas espero que seja possível fazer um resultado melhor do que nos últimos dois jogos. A minha filosofia como treinador será sempre tentar ganhar. Temos de ser eficazes, pois não vamos ter muitas oportunidades.

Os nossos adversários conseguiram marcar muito rapidamente nos dois primeiros jogos, temos que impedir que isso volte a acontecer. O Porto é uma das melhores equipas da Europa. Começaram muito bem a época e são a equipa em melhor forma no grupo.

Lembro-me de jogar contra Lopetegui. Era naquele tempo um dos melhores guarda-redes de Espanha e tem tudo para também ser um dos melhores treinadores da Europa. Estamos prontos para a luta.

©AFP/Getty Images

José Mourinho quer tornar-se no primeiro treinador a conquistar a provar ao serviço de três clubes diferentes, o técnico português do Chelsea recorda a sua história na UEFA Champions League.

José Mourinho, treinador do Chelsea:


O mais importante para mim agora é inverter os nossos resultados. Precisamos ganhar jogos, tanto na Premier League como na UEFA Champions League. Temos de pontuar aqui para passar à fase seguinte. Começámos a época abaixo das expectativas, perdemos muitos jogos, mas espero que possamos melhorar os resultados e as exibições. Não pensamos na distância que nos separa dos primeiros, só queremos ganhar o próximo jogo.

Vi uma gravação da derrota do Dynamo com o Shakhtar Donetsk [3-0 na sexta-feira] e enviei um adjunto ao jogo. Também analisámos os jogos do Dínamo com o Porto e o Maccabi Tel-Aviv, temos todas as informações necessárias. Não posso comparar o Dynamo com qualquer equipa da Premier League, porque a cultura do futebol é completamente diferente.

©AFP/Getty Images

"Bale rompeu", é a manchete desta manhã do jornal desportivo espanhol AS. Gareth Bale vai falhar a deslocação do Real Madrid a Paris, na quarta-feira, devido a uma lesão nos gémeos. Os “merengues” vão contar na capital francesa com Sergio Ramos e Luka Modrić, mas o galês fica de fora.

ASAS

André Villas-Boas, treinador do Zenit:


É um jogo muito importante para nós, pois uma vitória praticamente garante a passagem à fase seguinte. A qualificação é muito importante para nós e para os adeptos, é isso que queremos. O Lyon é uma equipa forte, experiente. Mathieu Valbuena, Alexandre Lacazette e Rafael são jogadores experientes.

A este nível, o talento individual dos jogadores é importante, porque em poucos segundos um jogador pode virar o resultado de uma partida. O Artem Dzyuba e o Oleg Shatov, assim como o Hulk, Danny e o Axel Witsel podem decidir um desafio. Temos jogadores muito bons no ataque e somos fortes no contra-ataque, é talvez a nossa melhor característica, mas o treinador do Lyon está avisado.

Depois deste jogo ainda temos de ir a França e à Bélgica, mas quanto mais rápido garantirmos a qualificação, melhor. Estou muito satisfeito com os seis pontos somados em dois jogos e queremos continuar assim.

©AFP/Getty Images

Hubert Fournier, treinador do Lyon:


Temos capacidade para vencer o Zenit, especialmente depois de vermos os problemas que sentiram frente ao Gent [na segunda jornada]. Sabemos que é uma equipa muito perigosa no contra-ataque, mas vamos, como sempre, atacar, ao mesmo que somos cautelosos na defesa. O Zenit chega a este jogo com seis pontos, por isso é apenas mais um jogo para eles. Para nós é a última oportunidade de começar a somar os pontos necessários para ultrapassar a fase de grupos. Apesar desta pressão, os meus jogadores devem estar apenas concentrar nos aspectos positivos.

©AFP/Getty Images

O Zenit parece viver numa realidade paralela. Hulk está satisfeito por trocar o papel de goleador pelo de rei das assistências, enquanto as duas vitórias em dois jogos na UEFA Champions League parecem a cura para as maleitas da equipa de André Villas-Boas na Liga russa. O Zenit está a dez pontos do líder CSKA Moskva, a mesma distância que separa o Lyon do líder Paris Saint-Germain na Ligue 1. A equipa de Hubert de Fournier tem apenas um ponto no Grupo H, pelo que está em sério risco, isto apesar da irregularidade da equipa da casa.

©AFP/Getty Images

Os 23 nomeados à FIFA Ballon d'Or 2015 jogam na UEFA Champions League...

Marco Silva, treinador do Olympiacos:


Não considero que a nossa equipa seja favorita. O Dinamo Zagreb é uma boa equipa e considero que os dois clubes ainda têm hipóteses. Temos vindo a fazer um bom trabalho e continuamos a melhorar a cada diz que passa. Utilizámos tácticas diferentes nos dois primeiros jogos, porque frente a uma equipa com a classe do Bayern temos de fazer ajustes. Podemos fazer o mesmo frente ao Dinamo Zagreb ou tentar algo de novo, vamos ver o que se passa em campo e só depois decidiremos.

Não ficaremos satisfeitos com um empate, isto apesar de ainda temos de receber o Dinamo Zagreb e o Arsenal. Preparamos todos os jogos com a intenção de ganhar e este não será diferente.

©Getty Images

Este pode ser um desafio decisivo para o Dinamo, Um vitória será um passo de gigante para continuar a campanha europeia na Primavera, um sonho de mais de 40 anos para o clube de Zabreg. O português Ivo Pinto está recuperado e Gonçalo Santos e Paulo Machado conhecem bem Marco Silva, treinador do Olympiacos. Os gregos afirmaram que empatar no Maksimir seria uma grande decepção.

O guarda-redes Gianluigi Buffon deve alinhar pela Juventus frente ao Mönchengladbach em Turim, apesar de ter sofrido uma ligeira lesão nos gémeos no domingo. O treinador Massimiliano Allegri deve confirmar que na quarta-feira vai apostar num sistema de 4-3-3, com Andrea Barzagli a jogar como defesa-direito, já que Stephan Lichtsteiner e Martín Cáceres continuam lesionados. Mario Mandžukic e Paulo Dybala são candidatos à vaga no ataque ao lado de Juan Cuadrado e Álvaro Morata.

André Almeida, Andreas Samaris, Gonçalo Guedes e Jonas devem recuperar a titularidade no jogo do Benfica com Galatasaray no Grupo C, depois de terem sido poupado pelo treinador Rui Vitória no triunfo por 2-1 sobre o Vianense, do terceiro escalão, na terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Os campeões portugueses, que chegaram a Istambul ontem à tarde, querem somar na quarta-feira o primeiro triunfo de sempre na Turquia. Artur Moraes, antigo guarda-redes do Benfica que agora representa os turcos do Osmanlıspor, explicou que os seus antigos colegas deviam apostar no contra-ataque no desafio no Ali Sami Yen Spor Kompleksi.

©AFP/Getty Images

Hein Vanhaezebrouck, treinador do Gent:


O Valência joga com muita técnica. Todos os seus jogadores querem a bola. Sabemos que vai ser muito difícil, mas nada é impossível. Vai ser especial jogar perante 55.000. Somos a equipa que tem mais posse de bola na Bélgica, mas os espanhóis irão dominar neste jogo, mas o mais importante é ganhar, não quem tem mais posse de bola.

©AFP/Getty Images

Dizem que não há nada como a nossa casa, mas Thomas Müller, do Bayern, também se sente em casa no norte de Londres. O avançado de 26 anos marcou nas duas visitas anteriores ao Arsenal Stadium e descreveu o relvado dos londrinos "é como como o tapete na minha sala". O Bayern venceu o Arsenal em ambos nos duelos em 2012/13 e 2013/14 e Müller espera que esta noite se volte a sentir em casa.

©Getty Images

Roger Schmidt, treinador do Leverkusen:


Não gosto de pensar muito nos adversários. Temos de ter o nosso plano e tentar impor o nosso jogo. Amanhã temos uma excelente oportunidade de dar um grande passo para os oitavos-de-final. Precisamos de uma vitória e vamos jogar com esse objectivo. A Roma tem muitos jogadores rápidos no ataque. Se estiverem em vantagem, podem contra-atacar à vontade, o que geralmente resulta em triunfos folgados.

Neste momento temos um pequeno problema na concretização, mas estamos a praticar um bom futebol e tenho a certeza que vamos recuperar a eficácia.

André Almeida, médio do Benfica:


Podemos fazer história amanhã [como a primeira equipa do Benfica a vencer três jogos da fase de grupos]? Vamos ver, a nossa prioridade é vencer [em casa do Galatasaray].

Quem joga, quem fica de fora e quem está em dúvida? Precisa fazer mudanças da equipa do Fantasy Football? Temos as equipas prováveis e todas as notícias sobre lesões e castigos antes dos jogos de terça-feira...

©AFP/Getty Images

Leonid Slutski, treinador do CSKA Moskva:


O Manchester United fez várias alterações no último jogo na Premier League, mas penso que não foi a pensar no nosso jogo. Penso que vão apresentar uma equipa semelhante à que defrontou o Everton. O United é um clube de topo, independentemente de quem jogar, será sempre uma equipa muito forte.

Estes jogos seguidos com o mesmo adversário são sempre decisivos, temos de respeitar os nossos rivais e não esquecer que estamos perante um gigante, mas temos o direito de sonhar com um resultado positivo.

Rui Vitória, treinador do Benfica:


Se levarmos em linha de conta a qualidade da actual equipa e o prestígio do clube, estamos perante um adversário muito forte. Respeitamos o Galatasaray, mas vamos fazer tudo para regressar a casa com uma vitória.

As pessoas que conhecem a minha filosofia sabem que não gosto de fazer mudanças radicais nas minhas equipas. Não tenciono fazer grandes alterações, mas cada jogo exige uma estratégia diferente. Posso garantir que não vão ver grandes mudanças.

Estamos habituados a jogar a este nível perante adeptos entusiásticos, mas em campo só temos de defrontar onze jogadores, pelo que considero que o ambiente no estádio não nos vai causar problemas.

©AFP/Getty Images

Kevin Trapp (coxa), David Luiz (joelho) e Marco Verratti (gémeos) poderão estar em condições de defrontar o Real Madrid na quarta-feira. Os três jogadores do Paris lesionaram-se nas selecções, mas podem regressar na recepção ao “merengues” na capital francesa.

A imprensa da Croácia tem vindo a recordar os treinadores e jogadores que já representaram Dinamo e Olympiacos. Martin Novoselac jogou pelo Dínamo (1977-1979) antes de assinar pelo Olympiacos, onde conquistou três campeonatos consecutivos. O lendário guarda-redes Tomislav Butina alinhou dois anos na Grécia (2006-2008). Finalmente, o português Paulo Machado jogou dois anos (2012-14) no Olympiacos, onde conquistou dois campeonatos e uma Taça da Grécia e foi colega de equipa de Giannis Maniatis, Dimitris Siovas, Alejandro Domínguez, Leandro Salino e Roberto. O húngaro Márton Bukovi e o croata Stjepan Bobek foram treinadores dos rivais do Grupo F.

O Dinamo quer vencer o Olympiacos.

O Dynamo Kyiv quer regressar às vitórias frente ao Chelsea e o Sport-Express adianta que os campeões ucranianos não perderam o optimismo apesar da derrota na sexta-feira com o rival Shakhtar na Liga ucraniana . O jornal acrescenta que o clube de Kiev terá de tentar bater a equipa de José Mourinho com as suas armas. "Sabemos que quatro jogadores do Chelsea nem sempre recuam no terreno para ajudar a defesa", explicou o médio Serhiy Rybalka que está de regresso à equipa após uma lesão. "Temos de tentar tirar partido disso e não ter receio dos nomes sonantes que vamos ter pela frente".

©AFP/Getty Images

As lesões de Leonardo Sigali (tornozelo), Arijan Ademi e Gordon Schildenfeld (coxa) vão obrigar o médio português Gonçalo Santos a recuar no terreno e a alinhar a defesa-central pelo Dinamo frente ao Olympiacos. É pouco provável que Filip Benković alinhe de início no desafio do Grupo F, após a exibição decepcionante frente ao Bayern. Marko Rog pode ser titular no meio-campo, onde terá a tarefa de travar Kostas Fortounis, que está em excelente forma.

Åge Hareide, treinador do Malmö:


O Shakhtar deu luta ao Real Madrid e também jogou bem frente ao Paris. É uma boa equipa. Joga com grande velocidade, mas também pode ser mais directa com posse de bola. Tem excelentes jogadores, como o Alex Teixeira, o Bernard e um avançado muito alto [Olexandr Gladkiy]. Os defesas-laterais são muito bons, mas temos de os travar como equipa, não como individualidades. É uma equipa que está quase sempre ao ataque, pelo que pode deixar algumas espaços que talvez possamos aproveitar.

Ashley Young vai falhar o desafio do Grupo B do Manchester United no reduto do  CSKA Moskva. Young já não jogou no sábado, no triunfo por 3-0 sobre o Everton na Premier League, devido a uma lesão nos gémeos. "Os lesionados são os mesmos, o Luke Shaw [perna], o Paddy McNair [gémeos] e o Ashley Young não vão viajar com a equipa", explicou hoje o treinador do United, Louis van Gaal, à MUTV.

©AFP/Getty Images

Arsène Wenger deve apresentar hoje a mesma equipa que no sábado venceu o Watford, por 3-0, na Premier League. David Ospina (ombro) está lesionado, pelo que Petr Čech continuará na baliza, e e embora Gabriel tenha recuperado de uma doença, é pouco provável que ele retire o lugar a Per Mertersacker ou a Laurent Koscielny no centro da defesa do Arsenal.

Olivier Giroud volta a estar disponível após cumprir castigo, mas Theo Walcott tem justificado a titularidade como ponta-de-lança, pelo que o francês pode ser obrigado a esperar pelo momento certo no banco. Do lado do Bayern, Douglas Costa deve regressar à equipa depois de ter falhado o encontro com o Bremen no fim-de-semana e Juan Bernat deve ser o sacrificado. Javi Martínez também deve jogar de início.

©Getty Images

O treinador Manuel Pellegrini confirmou que Sergio Agüero vai ficar cerca de um mês sem poder representar o Manchester City devido à lesão muscular sofrida ao serviço da selecção da Argentina. O capitão Vincent Kompany está apto para defrontar o Sevilla, mas Gaël Clichy, Fabian Delph, David Silva e Agüero vão falhar o desafio de quarta-feira.

Quando o Dinamo visitou o Arsenal na primeira jornada, estavam poucas centenas de adeptos croatas nas bancadas em Londres, mas esta noite não haverá cânticos gregos em Zagreb. O Olympiacos e o clube croata decidiram não levar adeptos aos jogos fora entre os dois clubes a contar para o Grupo F. Os adeptos locais esperam mais uma vitória europeia no Stadion Maksimir.

Manuel Pellegrini, treinador do Manchester City:

Não sei as estatísticas exactas, mas temos de melhorar [os resultados em casa na UEFA Champions League]. É difícil comparar épocas diferentes. Obviamente que o Sergio Agüero é muito importante, mas tenho o hábito de não lamentar as ausências. Jogamos bem no último jogo e queremos fazer o mesmo, com ou sem Agüero.

O Sevilla não estar a fazer o início de época que esperávamos, pensávamos que estariam melhor classificados na Liga espanhola. Todas as equipas têm fases da época em que não são tão fortes. Esta é uma competição diferente. Neste momento, considero que estes dois jogos vão decidir que equipa se vai qualificar.

Tenho a certeza que todas as equipas querem vencer a UEFA Champions League, mas não é fácil. O nosso objectivo é apenas ganhar cada jogo que disputarmos.

©AFP/Getty Images

Maksim Volodko, médio do BATE, não ficou triste por Lionel Messi não poder alinhar pelo Barcelona no desafio do Grupo E devido a lesão. "O Messi não joga em Borisov e isso é bom. Claro que é pior para os espectadores, mas é melhor para nós. Ele define o estilo de jogo do Barcelona, mas vai ser muito complicado para o BATE de qualquer forma".

Volodko também elogiou o brasileiro Neymar: "Marcou quatro golos no fim-de-semana. Ele finta os adversários como se fossem crianças, é incrível. Temos de estar atentos a ele desde o primeiro minuto".

©Getty Images

Thomas Müller considera que o compatriota Mesut Özil está em grande forma no Arsenal. "O Mesut está muito mexido”, afirmou o avançado do Bayern ao Arsenal Player. "Tem um pé esquerdo fantástico e sempre teve um talento especial para servir os colegas de equipa. O estilo de jogo encaixa perfeitamente no do Arsenal, por isso é que se adaptou tão bem”.

"O Mesut pode provocar problemas a qualquer adversário, especialmente em Londres, tanto mais que considero que o Arsenal é bem mais forte em casa do que fora. Temos de evitar que Mesut faça passes perigosos no último terço do terreno".

©AFP/Getty Images

Hamza Hamzaoğlu, treinador do Galatasaray:

 

Acredito que podemos transportar a boa forma que temos mostrado na Liga turca para a UEFA Champions League. Muitos consideram que ficar em terceiro lugar no grupo e passar para a UEFA Europa League é um objectivo mais realista para o Galatasaray mas, para mim, temos de continuar na UEFA Champions League.

Já tenho na cebeça a equipa que vai jogar. Os titulares vão ser Fernando Muslera, Sabri Sarıoğlu, Aurélien Chedjou, Hakan Balta, Lionel Carole, Bilal Breve, Selçuk İnan, Wesley Sneijder, Lukas Podolski, Yasin Öztekin e Umut Bulut. O Umut sempre foi muito bom, tem tido apenas algum azar na concretização.

Vamos ter jogos em que vamos apostar jogar com dois avançados, mas amanhã não.

O Nicolás Gaitán é o melhor jogador do Benfica. O Jonas é um goleado de topo. É uma equipa que joga bem colectivamente, tem um estilo de jogo semelhante ao nosso.

O Manchester United tem boas recordações de Moscovo, pois foi na capital russa que venceu o Chelsea na épica final de 2008. No ano seguinte os “red Devils” venceram por 1-0 no terreno do CSKA , a única vitória em sete encontros com clubes russos. Desta vez as equipas vão medir forças nos arredores de Moscovo, no Arena Khimki, onde o conjunto de Leonid Slutski não perde há seis meses, mas também não teve de medir forças com uma equipa do United que parece de regresso aos melhores tempos sob o comando de Louis van Gaal.

©Getty Images

Umut Bulut, avançado do Galatasaray:


Já marquei golos importantes, em desafios importantes, em várias competições ao longo da minha carreira. Amanhã vamos entrar em campo para ganhar, espero conseguir esse objectivo com o apoio dos nossos adeptos. Não vai ser um jogo fácil. Se eu marcar, ficarei ainda mais feliz.

Os triunfos consecutivos que conseguimos recentemente no campeonato vieram aumentar a nossa auto-confiança. A amizade e a união da equipa também vão ajudar. O nossos adversário é forte. O jogo de amanhã é decisivo para lutarmos pela qualificação neste grupo.

Markus Rosenberg, capitão do Malmö:


O Shakhtar concede alguns espaços, pois os defesas-alterais sobem muito no terreno. Espero que possamos tirar partido disso. Penos que vamos jogar cada vez melhor com o decorrer da fase de grupos.

©AFP/Getty Images

Thiago Silva, defesa do Paris:


Vai ser um jogo difícil com o Real Madrid, como são todos na UEFA Champions League, apesar de eles terem vários jogadores lesionados, como o Gareth Bale.

O Cristiano Ronaldo é muito difícil de defender. Temos de estar muito atentos, pois vai estar motivado para fazer a diferença para o Real Madrid. Estamos a trabalhar em soluções para o travar.

Vai ser, provavelmente, a primeira vez esta época que vamos defrontar uma equipa tão forte como a nossa. Por isso, espero que o Paris faça uma grande exibição, especialmente para os nossos adeptos. O nosso objectivo é ficar no primeiro lugar do grupo. Se ganharmos amanhã em casa, um empate em Madrid pode ser suficiente.

©AFP/Getty Images

Laurent Blanc, treinador do Paris:


Este jogo vai ser extraordinário, excelente para o prestígio do nosso clube. Vamos defrontar um dos maiores clubes da Europa. Quando se comparam as duas equipas, é difícil ser imparcial. Basta olhar para as salas de troféus.

O Real Madrid é uma equipa de topo na Europa, o Paris ainda não está ao mesmo nível, mas podemos vencer. Porque jogamos em casa, porque temos qualidade, porque já batemos um dos grandes da Europa, o Barcelona. Temos de respeitar os nossos adversários, mas podemos ganhar. Não é um jogo decisivo, apesar de vencer o nosso grupo ser um objectivo muito importante, mas ainda não é decisivo.

Admiro tudo no Cristiano Ronaldo. Basta olhar para as suas estatísticas: é um dos dois alienígenas que abrilhantam o futebol actual. É bom em tudo: é rápido, ultrapassa os defesas e marca golos. Vamos estar muito atentos a ele em campo. Não temos um planto "anti-Ronaldo", não vamos fazer nada de específico, mas vamos estar sempre vigilantes.

O Real Madrid parece apostar em defender recuado e lançar contra-ataques, porque têm jogadores para isso: voam como o vento! Por vezes parece que estamos perto de marcar e dez segundos depois sofremos um golo! São muito eficazes.

.

©AFP/Getty Images

Bas Dost, avançado do Wolfsburg:


Chegou a altura do mundo reconhecer que o Wolfsburg já não é um clube pequeno.

©AFP/Getty Images

"Sozinho perante o perigo" é o título escolhido pelo diário desportivo Marca para explicar a tarefa de Cristiano Ronaldo frente ao Paris, já que o Real Madrid não vai poder contar na quarta-feira, na capital francesa, com Karim Benzema (coxa), Gareth Bale (gémeos), James Rodríguez (coxa), Pepe e Dani Carvajal (tornozelo).

MarcaMarca

Estamos apenas na terceira jornada, mas o Galatasaray-Benfica parece potencialmente decisivo. Se os campeões portugueses somarem a terceira vitória em três jogos no Grupo C ficam numa posição privilegiada, enquanto o Galatasaray ficará em situação muito delicada, com apenas um ponto no final da primeira volta. A decisão de Hamza Hamzaoğlu de anunciar antecipadamente o “onze” titular, e de considerar a sua equipa favorita, veio aumentar ainda mais o interesse em redor do duelo em Istambul.

©AFP/Getty Images

"Quando se quer ganhar títulos, temos de jogar com quem está disponível, em vez de ficar a lamentar os lesionados", afirmou Kevin De Bruyne depois de o Manchester City bater o Bournemouth por 5-1. A forma como o belga e os colegas de ataque jogaram no sábado reforça as esperanças do treinador Pellegrini em bater o Sevilla, mesmo sem Sergio Agüero e David Silva.

Dieter Hecking, treinador do Wolfsburg:


Qualquer que seja o resultado, não vai começar a decidir o nosso grupo. É claro que com uma vitória ficaríamos numa posição mais forte [que o PSV], não temos obrigação de vencer, mas queremos ganhar.

O PSV tem uma equipa muito equilibrada, muito irrequieta e, por isso, temos de dar uma boa resposta em campo. Se vencermos, nada ficará decidido no grupo, porque ainda haverá mais três jogos para disputar. Por isso é que pensamos jogo a jogo. Temos oportunidade de ganhar amanhã mas, mesmo se perdermos, continuaremos a ter boas hipóteses de seguir em frente.

©Getty Images

Raphaël Varane fala do duelo do Real Madrid com o Paris.

Rafael Benítez fala do encontro com o Paris.

André Schubert, treinador do Mönchengladbach:


Não há lugar para o medo no futebol, mas este é um desafio frente a uma grande equipa que foi finalista na época passada. Estamos ansiosos por este jogo, mas sem qualquer receio. Estamos a defender muito melhor e de forma mais inteligente que no início da época.

Sabemos que neste grupo estão algumas das melhores equipas da Europa, mas estamos satisfeitos por as poder defrontar. O único segredo é o trabalho duro. Vamos abordar este jogo com muita auto-confiança.

©AFP/Getty Images

Chegou a altura do blogue ceder o protagonismo ao MatchCentre da UEFA Champions League. Lá poderá encontrar cobertura em texto, minuto a minuto, dos oito jogos desta noite.

Ligue-se ao MatchCentre e não perca um minuto da acção.

©Getty Images

“Rakitić bisa e o Barça é líder do grupo", escreve o jornal catalão Sport depois de os campeões europeus vencerem por 2-0 em casa do BATE Borisov, enquanto o Mundo Deportivo destaca o “Duo letal" composto por Rakitić e Neymar – foi o brasileiro que fez os passes para os dois golos do croata - e afirma que a equipa de Luis Enrique tem "um pé" nos oitavos-de-final depois do empate 4-4 entre Bayer Leverkusen e Roma no outro jogo do Grupo E.

MD21octMundo Deportivo cover

A comemoração de Ideye Brown está na capa da maioria dos jornais desportivos gregos após o triunfo do Olympiacos em casa do Dínamo Zagreb. 'Dynamite' é o título do GoalNews, que acrescenta: "O Olympiacos saiu como um comboio da estação de Zagreb e está a caminho dos oitavos-de-final. O treinador Marco da Silva foi incrível e Ideye Brown parecia um tanque no ataque". O SportLive também mostra euforia e saúda a “lenda com 16 estrelas” e destaca que é a primeira vez que o Olympiacos consegue duas vitórias consecutivas fora de casa na prova.

GoalNews2GoalNews front cover

O jornal diário Super Deporte escolheu o título "Que forma de sofrer!" para descrever a vitória suada do Valencia sobre o Gent, que resultou de dois auto-golos da equipa belga, um em cada parte.

SuperDeporte front cover

O L'Équipe faz a antevisão do encontro desta noite entre Paris e Real Madrid, o diário desportivo fez uma montagem fotográfica, com Zlatan Ibrahimović e Ángel Di María a olharem para Cristiano Ronaldo para alegar que os clubes estão em "pé de igualdade". E acrescenta: "Os parisienses não têm motivos para recear a recepção aos ‘merengues’ de Cristiano Ronaldo".

©AFP/Getty Images

O Gazzetta dello Sport faz uma homenagem à banda desenhada de Asterix na manchete "Estes romanos são loucos" - uma referência ao empate da Roma a quatro golos em Leverkusen, depois de ter estado a perder por 2-0 e a vencer por 4-2, com o jornal a acrescentar: "Uma grande reação, mas quatro golos não chegaram para a vitória".

O Corriere dello Sport descreve: "a perder por 2-0 aos 19 minutos, a Roma finalmente reagiu e dominou totalmente o Leverkusen, marcando quatro golos nos minutos finais do encontro, no entanto, voltou a ceder e sofreu dois golos num curto espaço de tempo. Os ‘giallorossi’ são agora obrigados a vencer o Leverkusen em casa para poderem continuar a lutar pela qualificação".

GazzettaGazzetta dello Sport cover

"Foi preciso algum tempo, mas o Arsenal pode ter finalmente aprendido a desfrutar da alegria de ganhar feio", escreve Matt Hughes no Times, com a imprensa inglesa a elogiar a exibição corajosa e espirituosa frente ao Bayern. "Esta famosa vitória será recordada como uma das raras noite em que o Arsenal não privilegiou a estética."

"Olivier Twist", exclama o Sun, destacando a forma como o suplente Olivier Giroud virou o jogo com um golo poucos instantes depois de entrar em campo, mas também é dado destaque à defesa de Manuel Neuer face a Theo Walcott, na primeira parte, que o Daily Mail descreve como a "defesa da época".

O mais importante é que os “gunners” voltam a ter hipóteses de lutar pela qualificação: "O Arsenal de repente volta a estar vivo na Europa", escreve Daniel Taylor no The Guardian. "Foi necessário um invulgar erro de Manuel Neuer para animar a equipa, mas um triunfo sobre o Bayern tem de ser valorizado e este parece ter sido libertador".

English pressEnglish press

Rafael Benítez, treinador do Real Madrid:


Nos últimos anos o Paris ganhou tudo nas provas nacionais e provou que é a melhor equipa em França. Para além disso, também comprou excelentes jogadores, por isso vamos encarar este desafio com muito entusiasmo. Estão reunidos todos os ingredientes para um grande jogo frente a um grande adversário. Vai ser um duelo entre iguais.

Luka Modrić tem treinado nos últimos dias. Se foi convocado é porque está disponível. Vamos avaliar e tomar uma decisão depois do treino. Os jogadores do Real Madrid têm sempre de estar prontos para jogar, o mesmo se passa com Jesé. Não sei quem vai substituir Gareth Bale, só saberei amanhã.

É verdade que temos vários jogadores lesionados, mas podemos contar com maior goleador do Real Madrid no futebol europeu e talvez da história do futebol. Talvez esteja ao nível de Pelé.

©AFP/Getty Images

"Nada de especial" é a forma como o Sport-Express resume o nulo entre Dynamo Kyiv e Chelsea, ontem à noite, na Ucrânia.

O jornal acrescenta: "No final, o Dynamo travou os contra-ataques do Chelsea como conquistadores, mas Willian quase teve a última palavra, o remate em arco não saiu muito longe do alvo".

"Este empate mantém o Dynamo Kyiv em segundo lugar, mas vai ser um tarefa formidável continuar lá após o jogo em Londres", destaca o diário.

©AFP/Getty Images

O jornal bielorrusso Pressball escreve que o BATE está em boa posição, apesar da segunda derrota em três jogos no Grupo E.

"Mesmo depois da derrota por 2-0 com o Barcelona, o BATE ainda tem hipóteses de passar aos oitavos-de-final - e ainda pode garantir um lugar na UEFA Europa League – devido ao empate entre Leverkusen e Roma, 4-4, na Alemanha".

©AFP/Getty Images

O Parc des Princes vai parecer esta noite o centro do mundo do futebol, com duas das equipas mais fortes do planeta a lutarem pela supremacia no Grupo A. O Real Madrid tem um enorme prestigio que resultado dos dez títulos de campeão europeu, mas o Paris está longe de ser uma equipa vulgar. Na época passada venceu o campeonato, a Taça de França e Taça da Liga francesa, agora volta a ter o sonho de conquistar a Europa.

O Paris, tal como o Real Madrid, ainda não perdeu esta época e vai ter o primeiro grande teste de 2015/16, ficando a saber como está face aos principais rivais na UEFA Champions League. Com o reforço Ángel Di María – assim como o guarda-redes alemão Kevin Trapp, que parece estar em condições de jogar – o clube francês está determinado em ir além dos quartos-de-final, onde caiu na últimas três épocas, tanto mais que fica a ideia que só uma presença nas meias-finais poderá garantir a continuidade do treinador Laurent Blanc.

©Getty Images

Duelo de avançados esta noite em Wolfsburgo.

"Um grande passo em frente" é a forma como A Bola descreve o triunfo do Porto, por 2-0, sobre o Maccabi no Estádio do Dragão. O jornal português acrescenta: "Um golo e uma assistência de Vincent Aboubakar resolveram o jogo e deixaram os ‘dragões’ na liderança do grupo e muito perto da qualificação".

O Jogo também destaca o contributo decisivo de Aboubakar e sob o título "Fórmula Aboubakar" explica que o avançado "decidiu a questão em cinco minutos", antes de destacar que foi o 20º triunfo consecutivo em casa de Julen Lopetegui no comando da Porto.

Finalmente, o Record destaca o facto de Rúben Neves – com apenas 18 anos e 221 dias de idade- se ter tornado no capitão mais jovem na história da UEFA Champions League. Enquanto Iker Casillas estabeleceu um novo máximo com 51 golos na prova sem sofrer golos.

O JogoO Jogo

O jornal russo Sport Express deixa um elogio especial ao treinador do Zenit, André Villas-Boas, depois de o técnico ter conduzido a equipa de São Petersburg ao terceiro triunfo consecutivo no Grupo H.

O diário apela ao clube da segunda maior cidade da Rússia a fazer tudo ao seu alcance para conservar o treinador Português [Villas-Boas anunciou que vai deixar o Zenit no final da época, destacando que "Hulk não é apenas um líder, mas é também um jogador de equipa", enquanto jogadores como Oleg Shatov e Igor Smolnikov parecem ter "florescido" sob a sua liderança.

©AFP/Getty Images

Diego Simeone, treinador do Atlético:


O Astana é uma equipa competitiva, que corre muito e que gosta de tratar bem a bola. Estamos sempre concentrados no que fazemos, mas temos de jogar bem e vencer. Preparo sempre da melhor forma os jogos com todos os adversários.

Não quero que o Atlético pare de evoluir. O Atlético é uma das melhores equipas da Europa - temos de viver com isso e não é fácil. O Astana jogou bem com o Benfica e esteve até final no encontro com o Galatasaray. Surpreenderam-me pela ambição que mostram. É uma equipa compacta, que não gosta de perder uma bola e tenta sempre melhorar durante o jogo. Acho que isto mostra que o treinador está a fazer um bom trabalho.

©AFP/Getty Images

Stanimir Stoilov, treinador do Astana:


Deixámos oito jogadores em Astana, porque temos um jogo importante no campeonato do Cazaquistão no domingo. Trouxemos 14 jogadores que são capazes de praticar um futebol de alto nível. Não vamos mudar a nossa estratégia e vamos jogar da forma como fizemos com o Galatasaray e o Benfica. Se o Atlético atacar, teremos de fazer um esforço na defesa, se não, vamos tentar jogar de forma mais ofensiva.

O Astana não tem muita experiência nas competições europeias, mas este jogo é a nossa oportunidade de somar três pontos. Respeito muito o Atlético tanto e vamos tentar jogar ao mesmo nível.

©AFP/Getty Images

"Primeiro Super-homem, depois voou às cegas" é desta forma que Bild descreve a exibição de Manuel Neuer - que impediu o Arsenal de ganhar vantagem aos 33 minutos, numa jogada de Theo Walcott, antes de falhar um alívio e permitir que o suplente Olivier Giroud inaugurasse o marcador para o Arsenal. O jornal alemão acrescentou: "No final Neuer falou mais sobre o erro do que sobre a defesa incrível: ‘Foi o meu pior momento no jogo, tenho de trabalhar estas jogadas’".

"O principal problema do Bayern neste jogo não foi o guarda-redes, mas as dificuldades de penetração", escreve o Süddeutsche Zeitung. "O Bayern passa, passa e passa, mas não marca".

O Frankfurter Allgemeine Zeitung acrescenta: "É assim que você pode derrotar o Bayern" e o "Bayern não joga sózinho". O FAZ também destacou que o Arsenal é a primeira equipa a não sofrer golos esta época dos líderes da Bundesliga.

©Getty Images

Louis van Gaal, treinador do Manchester United:


Disse antes do jogo em casa do PSV que um ponto é bom. Três pontos é melhor, mas um ponto é bom.

Para mim, como treinador, o próximo jogo é o mais importante. Não penso no encontro com o Manchester City [no domingo]. Só penso no CSKA Moskva, tenho de estar concentrado neste desafio e exijo o mesmo dos meus jogadores. Já perdemos um jogo em casa do PSV longe e queremos ganhar, pelo menos, um ponto. Por isso é que é um jogo muito importante para nós.

Não sabia que Marcos Rojo tinha jogado pelo Spartak Moskva, vi-o no Campeonato do Mundo no Brasil, quando esteve muito bem pela Argentina, também o observei no Sporting. O que mais aprecio nele é que é muito forte, cabeceia bem e passa rápido. Considero que tem potencial para se tornar num excelente jogador no Manchester United.

©AFP/Getty Images

Phillip Cocu, treinador do PSV:


Temos de dar tudo para regressar a casa com os três pontos. Não podemos ter receio de nada [em Wolfsburgo]. Só temos de evitar cometer erros e fazer uma boa exibição.

O jogo com o Manchester United provou que podemos resistir nesta competição e estes dois jogos com o Wolfsburg podem determinar qual das equipas passa à fase seguinte.

©Getty Images

O Benfica nunca ganhou na Turquia para as competições europeias, mas o Galatasaray também não vence há dez jogos na UEFA Champions League. Embora tenha perdido apenas seis dos últimos 22 desafios europeus em casa.

O último triunfo na prova foi frente à Juventus, quando bateu os italianos por 1-0 na sexta jornada. Desde então, o clube de Istambul averbou sete derrotas e três empates nos últimos 10 jogos disputados.

©AFP/Getty Images

"Três em três para o Zenit"! escreve o Sport-Express esta manhã na capa depois da equipa russa bater o Lyon, por 1-0, em casa, e somar três vitórias em três jogos no Grupo H. O jornal continua: "Nunca o Zenit tinha começado a fase de grupos da UEFA Champions League de forma tão convincente."

"Boy oh Boas!" exclama o Sovetski Sport. "O muito criticado treinador do Zenit está a um passo de levar a equipa até à fase seguinte”.

"Três da sorte do Zenit"! é a manchete do Sport Den za Dnem. "Esta noite vimos o belo e verdadeiro Zenit".

©AFP/Getty Images

Unai Emery, treinador do Sevilha:


Neste momento estamos empatados com o Manchester City. Considero que o desafio de amanhã é tão importante como os anteriores. O City é uma grande equipa, com um grande plantel, tem excelentes jogadores. Jogando um ou outro, são sempre fortes. Estamos cientes do perigo que podem criar, mas também sabemos que somos capazes de jogar bem, também podemos causar problemas.

Encarámos este jogo como um desafio isolado. É algo que temos de viver e desfrutar e, ao mesmo tempo, deixar uma boa imagem. Queremos lutar e mostrar o que somos capazes. Temos estado bem nesta competição, temos uma derrota e uma vitória, pelo o jogo de amanhã é fundamental. Um empate pode ser positivo para nós.

Sabemos o que significa o Jesús Navas para o Sevilla. Estamos muito felizes por ele. Estamos felizes por estar a jogar mais. É uma pessoa fantástica.

©AFP/Getty Images

Francis Coquelin, médio do Arsenal:


Sabíamos que Bayern iria ter muita bola, mas nos últimos jogos contra as equipas grandes nunca tivemos muita posse e usámos o contra-ataque. Voltou a resultar bem, todos defendemos bem e não sofremos golos, pelo que estou satisfeito com a nossa exibição.

©Getty Images

Dizer que um jogo entre Paris e Real Madrid é "especial" para um jogador poderá ser algo redundante, mas o facto é que, para Ángel Di María, a partida será sentida de forma diferente. Acarinhado pelos adeptos do Santiago Bernabéu e homem do jogo na final de 2014 da UEFA Champions League, o internacional argentino não queria sair quando foi vendido ao Manchester United em 2014.
 
Um ano depois está na capital francesa, tendo marcado o seu regresso à principal competição europeia de clubes com um golo madrugador frente ao Malmö na primeira jornada. Agora vai enfrentar os antigos companheiros, com Di María pronto para se destacar, apesar de assumir já um compromisso caso marque. "Não irei festejar pois, do  fundo do meu coração, o Real continua a ser importante para mim", disse recentemente ao Canal+. "Não esquecerei o que vivi em Madrid, em especial a 'Décima'".

©AFP/Getty Images

O defesa-central do Arsenal, Laurent Koscielny, elogiou o trabalho defensivo dos Gunners na vitória de terça-feira contra o Bayern.

"O Bayern nunca tinha perdido esta época, pelo que foi muito difícil para nós, pois tivemos de jogar de forma diferente e todos mais à frente [da defesa] trabalharam muito bem - o resultado foi óptimo e agora há que continuar o resto da época.

Petr Čech, guarda-redes do Arsenal:


Estamos de volta à luta. A chave foi o ter mantido a disciplina e ser organizado. O [Bayern] jogou muito bem. Chegou cheio de confiança e controlou a bola através de uma boa posse e criação de espaços, tendo nós sido pacientes com a bola. Temos de estar organizados, disciplinados e temos de trabalhar unidos – como um só homem – e penso que o fizemos muito bem

Estou obviamente contente por ter defendido aquele remate de Lewandowksi, porque naquele momento ficaríamos a perder 1-0. Poucos minutos depois ficámos a vencer por 1-0 e isso, basicamente, decidiu o jogo. Esta partida teve altos e baixos, houve oportunidades e remates e foi muito divertido. Parecia que um golo poderia decidir tudo e fico contente por termos sido a equipa que o marcou.

Mircea Lucescu, treinador do Shakhtar:


Este jogo com o Malmö não é decisivo, é apenas mais um jogo da fase de grupos. É claro que se uma das equipa ganhar os próximos dois jogos, terá boas hipóteses de passar à fase seguinte. Perdemos dois jogos, mas que foi por nossa culpa. Cometemos vários erros, embora tenhamos jogado ao nível do Real Madrid e do Paris.

Vamos defrontar uma bom adversário, Malmö, Real Madrid e Paris são equipas bem organizadas. Vamos tentar jogar a bola pelo chão e esperemos que isso seja suficiente para conseguir a vitória.

©AFP/Getty Images

Raphaël Varane, defesa do Real Madrid:


Entramos sempre em campo para ganhar, marcar golos e atacar. É a nossa filosofia. Cada um tem a sua opinião, mas o que mais me interessa agora é falar do desafio de amanhã. Ambas as equipas gostam de ter a bola. Sabemos como gerir a posse e bater os adversários em contra-ataque. Temos um estilo de jogo atacante. Marcamos muitos golos, criamos muitas oportunidades e a nossa intenção é atacar sempre.

O nosso objectivo é conquistar títulos e vamos precisar de todo o plantel para o conseguir. Preparámos este jogo com o objectivo de ganhar. Não vamos poder contar com alguns jogadores importantes, mas isso não vai mudar a nossa abordagem do jogo. Vamos entrar em campo com a ambição e filosofia de sempre.

©AFP/Getty Images

Filipe Luís, defesa do Atlético:


Queremos ganhar este jogo com o Astana, a derrota frente ao Benfica na última jornada leva-nos a queres ganhar ainda mais este jogo, porque queremos garantir a qualificação e se for com vencedores do grupo, melhor ainda. Não vai ser fácil, é um jogo complicado, como todos os desafios da UEFA Champions League, mas jogamos em casa, onde os nossos adeptos geram um grade ambiente. Conquistar os três pontos é muito importante.

Sami Khedira, médio da Juventus:


Jogar contra adversários alemães é sempre uma experiência interessante, mas o meu objectivo é sempre o mesmo, jogar bem e somar os três pontos. O Gladbach é uma equipa perigosa e ameaçadora, que joga com velocidade e energia. Vamos jogar em casa, sabemos os nossos pontos fortes e estamos confiantes em manter a boa forma europeia.

Estamos a revelar uma maior entendimento como equipa, depois de um início de época difícil. Temos tido algumas lesões nas últimas semanas, mas agora todos estamos a subir de forma e, ao mesmo tempo, a mostrar maior flexibilidade táctica. Ainda temos muitos jogos pela frente e vamos continuar a melhorar.

Wayne Rooney, capitão do Manchester United:


Perdi aqui em Moscovo ao serviço de Inglaterra, mas foi aqui que vivi o melhor momento da minha carreira no clube, quando ganhei a UEFA Champions League de 2008. Foi uma noite especial para o Manchester United, um jogo que eu e os adeptos jamais vamos esquecer. Conquistar este troféu dá vontade de o voltar a ganhar. Este é um grupo diferente de jogadores, mas espero que eu e o Michael Carrick, que também venceu aqui a UEFA Champions League, os possamos ajudar com a partilha da nossa experiência. Não há nada melhor do que ter sucesso em equipa. Os troféus individuais são bons, mas é uma sensação fantástica ter sucesso com os outros jogadores e os treinadores. Os principais objectivos da minha carreira não são os título individuais, mas que a equipa tenha sucesso.

©Getty Images

Cristiano Ronaldo espera que se repita no Parc des Princes o desfecho do último duelo com Zlatan Ibrahimović em jogos oficiais. Os dois avançados tornaram-se recentemente os melhores marcadores se sempre dos seus clubes – com Ronaldo a entrar para a história do Real Madrid ao marcar o 324º golo no sábado - mas o último encontro entre os dois foi na selecção, quando Portugal mediu forças com a Suécia no “play-off” para o Campeonato do Mundo de 2014.

Ronaldo decidiu a primeira mão, ao marcar o único golo no triunfo de Portugal por 1-0, antes do embate decisivo em Solna. O madeirense inaugurou o marcador, mas Ibrahimović respondeu com dois golos para a Suécia. O avançado do Real Madrid não deu hipóteses, fez um “hat-trick” e confirmou a presença de Portugal no Brasil. Ambos têm justificado o estatuto de grandes figuras deste embate, mas Ronaldo tem levado a melhor no duelo pessoal e o capitão do Paris não quer que a tradição se mantenha.

©AFP/Getty Images

André Schubert, treinador do Gladbach:


Não há lugar a medo no futebol; este é um desafio especial frente a um clube enorme [Juventus] que atingiu a final na época passada. Nenhuma das equipas fez um bom começo de época, mas ambas estão a dar a volta, pelo que estamos prontos e desejosos de jogar, mas sem medo. Estamos a defender muito melhor, de forma mais eficaz que nos primeiros jogos da temporada. Não há segredos, apenas muito trabalho.

Massimiliano Allegri, treinador da Juventus:


Digamos que o [Mario] Mandžukic está bem. Se calhar ainda não tem 90 minutos nas pernas, mas está bem. Não tem jogado muito devido a lesões. O [Álvaro] Morata tem jogado muito e o [Simone] Zaza está em boa forma, como mostrou no sábado. O [Paulo] Dybala precisa de crescer com calma, como aconteceu com o Morata na época passada. Não lhe podemos pedir muito - tem 21 anos e precisa de se integrar e evoluir.

Será um jogo totalmente diferente do encontro com o Sevilha, pois, acima de tudo, o Gladbach está em boa forma na Bundesliga. São agora mais compactos, também mentamente. Amanhã precisamos de jogar como se fosse uma partida a eliminar, sabendo que temos 90 minutos para obter o resultado que precisamos.

O Borussia é uma boa equipa e está ainda na corrida, enquanto nós temos a ocasião de ficarmos muito perto do apuramento. Temos que respeitar o adversário e não nos deixar levar pelo entusiasmo conquistado nos primeiros dois jogos do grupo.

©AFP/Getty Images

"Reyes sabe o caminho", titula o diário de Sevilha Estadio Deportivo, ao falar do registo do capitão do Sevilha, José Antonio Reyes, ante o Manchester City quando jogou em Inglaterra pelo Arsenal.

Ao falar no atacante como um "perito em ganhar ao City", o jornal escreve que Reyes venceu os três primeiros jogos da Premier League contra os Citizens, em 2003/04, 2004/05 e, de forma dramática, em 2005/06, quando o andaluz saiu do banco no minuto 72 - com o resultado 1-1 em Manchester – para bisar e dar o triunfo por 3-1 aos Gunners.

GettyImages-57534048Getty Images

Um tema que tem vindo à baila antes do jogo de logo entre Paris e Madrid é o futuro de Cristiano Ronaldo. Com Zlatan Ibrahimović a terminar o contrato no final da época e sendo esperada a sua saída, o clube francês procura outro jogador icónico para liderar a equipa e suceder ao capitão sueco como o rosto da ambição do clube.
 
O desejado estará hoje do outro lado e recentemente afirmou o seu desejo de terminar a carreira nos Merengues. No entanto, depois de se ter tornado o melhor marcador de sempre do clube no sábado e conquistado todos os triunfos possíveis de branco, o avançado português poderá estar assim aberto a uma nova aventura.
 
Essa é a opinião do antigo presidente do Real Madrid, Ramón Calderón. "Ouvi rumores do interesse do PSG," disse ao Le Parisien ontem. "Como antigo presidente e adepto do Real Madrid, espero que isso nunca aconteça. Mas como conhecedor do mundo do futebol, penso que saída é possível".
 
O capitão do Paris, Thiago Silva, espera que algo de bom aconteça. "É normal que estejam preocupados", disse recentemente ao AS. "Eu também estaria. Não sei quantos mais anos o Cristiano jogará em Madrid." Com a antiga equipa de Ronaldo, o Manchester United, a desejar o regresso do atacante de 30 anos, o próximo Verão prometer ser animado.

©AFP/Getty Images

O treinador do Galatasaray, Hamza Hamzaoğlu, tomou a ousada decisão de anunciar de véspera a equipa titular contra o Benfica,  [Muslera; Sabri Sarıoğlu, Chedjou, Hakan Balta, Carole; Selçuk İnan, Bilal Kısa; Yasin Öztekin, Sneijder, Podolski; Umut Bulut].


Apesar da estrela do ataque, Burak Yılmaz, e o lateral-direito belga Jason Denayer terem participado no último treino do Cimbom antes do jogo do Grupo C, Hamzaoğlu decidiu poupá-los para o derby contra o Fenerbahçe, a contar para a Super League turca

O técnico do Galatasaray poderá utilizar Burak na parte final do jogo. O avançado saiu do banco nos últimos 15 minutos contra o Gençlerbirligi, no fim-de-semana, e marcou de grande penalidade a três minutos do final.

Benfica visita o Galatasaray em Istambul esta noite à procura da terceira vitória em três jogos do Grupo C e bater ainda dois recordes no processo. Os campeões portugueses nunca venceram em solo turco (V0 E2 D2) e nunca somaram três vitórias seguidas na fase de grupos.


A ocupar o quinto posto da Liga Portuguesa, com menos um jogo, e com o rival Sporting CP como adversário no domingo, Rui Vitória afirma que os seus jogadores não vão pensar no derby de Lisboa: "O nosso foco está no Galatasaray e quem pensar de forma diferente não está pronto para ser jogador do Benfica. Neste clube, o próximo jogo é o mais importante".

©AFP/Getty Images

"Não me vou portar como um miúdo e pedir-lhe um autógrafo. Mas ele é um grande modelo para mim", disse o guardião do Gladbach, Yann Sommer, ao Express, antes do jogo contra o seu ídolo - o capitão da Juventus, Gianluigi Buffon.

"É uma experiência. Será a primeira vez que o vou defrontar. Mesmo quando era miúdo o via como uma grande personalidade. Estive atrás da sua baliza uma vez, como apanha-bolas", disse Sommer.


©Getty Images

Manuel Neuer poderá, apesar da derrota e do erro cometido no primeiro golo do Arsenal, recordar com agrado a sua defesa ao cabeceamento de Theo Walcott. "É incrível como o Manu defendeu aquela bola", disse o capitão do Bayern, Philipp Lahm. "Não havia mais ninguém capaz de a apanhar". Já candidata a defesa do ano, Neuer estava encostado ao primeiro poste quando a bola sai da esquerda. Theo Walcott, surge sem marcação, à entrada da pequena área e cabeceia firmemente para golo, mas Neuer voa para o outro lado e tira a bola em cima da linha.

Perfeccionista como poucos, é o erro que permitiu que Olivier Giroud marcasse que preocupa o alemão. "No geral fiz um bom jogo, mas cometi um grande erro que permitiu que o Arsenal se adiantasse no marcador", disse. "Foi um ponto fraco do meu jogo. Tenho que trabalhar para o corrigir". Mesmo para os melhores há sempre espaço para melhorar.

©Getty Images

O registo caseiro do Manchester City em casa a contar para a UEFA Champions League é destacado pela imprensa inglesa antes do jogo desta noite do Grupo D contra o Sevilha.

O Times, que destaca o facto do presidente da China, Xi Jinping, ir visitar o Etihad Stadium na sexta-feira, sugere que para o City se tornar uma verdadeira potência "será à custa do sucesso na Champions League" e que para tal acontecer, "o registo caseiro do City na prova tem de melhorar dramaticamente".

Granit Xhaka vai jogar esta noite pelo Gladbach contra a Juventus em Itália, tal como aconteceu na vitória por 5-1 da Bundesliga frente ao Frankfurt no fim-de-semana, apesar de ter feito uma entorse no tornozelo ao serviço da Suíça - lesão por norma afasta os jogadores durante duas ou três semanas.

"Outros optariam por parar. O meu nome não é Granit[o] por acaso. Os meus pais fizeram tudo bem quando me deram esse nome", disse Xhaka ao Bild. Em Abril, o médio suíço jogou com uma costela partida sem ser do conhecimento público. Em Dezembro de 2013 fracturou o metacarpo e estava de regresso aos treinos quatro dias depois. "Estas mazelas não me afectam. Está na hora de começarmos a somar pontos em busca do objectivo mínimo que é o terceiro lugar do grupo".

©AFP/Getty Images

Candidatos ao título ou apenas uma equipa talentosa? Eis a questão que se coloca ano após ano sobre o Paris e vamos começar a ver essa questão a ser respondida quando enfrentar o Real Madrid num jogo cheio de motivos de interesse - a começar por um duelo entre os recentes recordistas de golos por cada um dos clubes. Zlatan Ibrahimović e Cristiano Ronaldo. Tem tudo para ser bom.

Manchester United tem boas recordações de Moscovo onde derrotou o Chelsea numa final épica, em 2008. No ano seguinte, os Red Devils venceram por 1-0 o CSKA – a única vitória em sete jogos contra equipas russas. Desta feita as formações encontram-se nos arredores da capital, na Arena Khimki, onde o conjunto de Leonid Slutski vai numa série de seis meses sem perder. Mas vai agora encontrar um United que está na melhor forma desde que é comandada por Louis van Gaal.


Vivi a experiência da Champions League como adepto no Calderón e, na época passada, disputei um jogo da prova aqui. É algo que sonhava desde miúdo e passados muitos anos, depois de ter jogado fora, consegui. Esta é um presente extra que o meu regresso ao Atlético me proporcionou. Agora é desfrutar e saber o que esta prova significa para os adeptos. Espero que façamos bons jogos.

No papel somos favoritos [contra o Astana], mas sem saber ao certo se constituem um verdadeiro perigo. Em jogos destes temos que nos focar em nós, jogar o nosso jogo, manter a concentração que precisamos nos encontros da Champions League e abordá-lo com determinação rumo à vitória.

O atacante do Leverkusen, Javier Hernández, falou da resiliência da sua equipa depois do fantástico 4-4 com a Roma na BayArena ...

©Getty Images

Resumo: Arsenal 2-0 Bayern

Weja os melhores momentos do jogo do Grupo F em que Oliver Giroud e Mesut Özil marcaram numa vitória histórica para os da casa ...

Danilo, defesa do Real Madrid:

 

Vai ser um jogo difícil, o Paris é uma grande equipa, mas estamos prontos para jogar. Com tantas lesões é complicado, mas temos jogadores para substituir os lesionados e os que não estão a 100 por cento.

Quem vai jogar, que está de fora e quem está em dúvida? Precisa de fazer alterações na sua equipa do Fantasy? Compilámos toda a informação relativa a equipas prováveis, castigos e lesões antes dos jogos de quarta-feira.

©Getty Images

Diego Simeone vai querer que não se repita frente ao Astana o que se passou na segunda jornada ante o Benfica no Vicente Calderón. Com os visitantes e o Galatasaray a somarem apenas um ponto em dois golos, um triunfo do Atlético irá lançá-los para as oitavos-de-final.

©Getty Images

Podemos estar apenas na terceira jornada, mas este Galatasaray v Benfica ganha contornos de potencialmente decisivo. Caso os portugueses aumentem o seu registo perfeito no Grupo C para três jogos, dificilmente serão apanhados. E será também uma longa caminhada para a formação turca com apenas um ponto a meio da sua participação. A decisão de Hamza Hamzaoğlu em dar o seu onze de véspera - e afirmar que a sua equipa é favorita - aumentou ainda mais a parada.

Depois de um mau começo de época, o Gladbach já encontrou o caminho das vitórias na Bundesliga e espera-se que seja um osso bem duro de roer para a Juventus. Apesar de derrotada, a formação alemã mostrou ser competitiva contra o Manchester City.

A Juve também deu sinais de crescimento nas últimas semanas e tem importantes jogadores a regressarem após lesão, em especial no meio-campo. Antevê-se um encontro equilibrado, com os finalistaas da época passada deverão capitalizar o facto de jogarem em casa, como tem acontecido muitas vezes nas provas europeias.

Bas Dost, avançado do Wolfsburg:


Este jogo não é especial para mim. A única situação é que vou encontrar alguns colegas da selecção [da Holanda]. Já joguei em clubes pequenos e disputei oito jogo pelo PSV, Marquei apenas um golo, mas isso foi no passado e não é relevante para hoje. Agora jogo no Wolfsburg.

©Getty Images

'Dois gigantes: Ibrahimović e Cristiano lideram o derby da Europa", titula o AS, na antevisão do encontro entre o Paris e o Real Madrid, que é também uma batalha entre dois grandes avançados.

Marca lança o jogo como sendo "O assalto a Paris' para a equipa de Rafa Benítez e acredita que o jogo será o primeiro "grande desafio" para o guarda-redes titular Keylor Navas, que tem sido um dos principais destaques na equipa espanhola esta época.

ASAS

Os adeptos do Galatasaray esperam para entrar no Ali Sami Yen Spor Kompleksi, em Istambul, a mais de duas horas do jogo com o Benfica...

IMG_5023Ali Sami Yen Spor Kompleksi

Chegou a altura do acompanhamento dos jogos passar para o MatchCentre da UEFA Champions League. Ligue-se já para não perder nada da acção.

O blogue regressa amanhã de manhã com as reacções e análises aos jogos da terceira jornada, marcámos encontro para amanhã, até lá desfrute de uma noite de futebol que promete ser emocionante.

©Getty Images

O UEFA.com tem disponíveis os resumos das oito partidas de quarta-feira até às 23h00 (de Portugal continental): veja-os na nossa secção de vídeo.

©AFP/Getty Images

A comunicação social espanhola ficou impressionada com a exibição do Real Madrid no empate sem golos em Paris. A manchete da Marca esta quinta-feira é “No caminho certo”, declarando alegremente “que ninguém consegue bater esta equipa do Madrid”. Na primeira página do jornal pode ainda ler-se “Madrid superou inúmeras ausências e foi claramente melhor que o Paris”, enfatizando que a equipa de Rafael Benítez teve sempre o jogo sob controlo, destacando com elogios Toni Kroos.     

Sobre a vitória clara do Atlético sobre o Astana, o jornal destaca a importância do primeiro golo de Jackson Martínez no Vicente Calderón,, escrevendo “Jackson finalmente marca”.      

O AS reconhece também que o Madrid teve um desempenho forte pese embora as ausências de jogadores como Karim Benzema e Gareth Bale, sublinhando que os “merengues”, “passearam em Paris”. “Um ponto para o optimismo”, é a manchete do jornal.    

©AFP/Getty Images

Veja o que disse Lukas Podolski ao UEFA.com após fazer o golo da vitória do Galatasaray sobre o Benfica…

“Juve stop” é a manchete da La Gazzetta dello Sport depois do empate 0-0 da Juventus contra o Borussia Mönchengladbach, em Turim. “Allegri, viste ou não o Dybala?” – é a questão que levanta. “O argentino jogou apenas 12 minutos na parte final do jogo. Os ‘bianconeri’ continuam a liderar o grupo, graças ao golo da vitória do Manchester City sobre o Sevilha aos 91 minutos”.  


O jornal de Turim, Tuttosport enfatiza a amargura: “raiva”, é a manchete. O jornal explica que “os bianconeri foram estéreis e sem fantasia no ataque. Falharam a oportunidade de marcar posição nos oitavos-de-final da UEFA Champions League. Mas salvou-se o primeiro lugar”.  

©Getty Images

“Um zero eterno” escreve na Ucrânia o jornal Sport-Exress depois da terceira derrota consecutiva do Shakhtar Donetsk no Grupo A. Na verdade, após o desaire por 1-0 na visita ao Malmö, a equipa de Mircea Lucescu ainda não marcou qualquer golo. “Neste momento, o Shakthar apenas ganha experiência, mas não pontos. Um deles é vital para atingir o objectivo, mas nem mesmo a experiência será suficiente se a equipa se exibir da mesma forma, em casa, contra o Malmö”.     

©AFP/Getty Images

Algumas reacções da Rússia ao empate 1-1 do CSKA Moskva com o Manchester United.


“Quem disse ao CSKA para ter medo do Man United?”, pergunta filosoficamente no Sovetski Sport, Evgen Lovchev. “Na primeira parte vimos uma equipa que fez o seu jogo e que não se remeteu à defesa. Após o intervalo, já parecia o CSKA da época passada – muito instável na defesa. Teve sorte que o Man United esteve demasiado inerte, mas ainda assim sentia-se que era o jogo em que o CSKA poderia ter agarrado a oportunidade de apuramento para os oitavos-de-final”.  

A vitória do Wolfsburgo por 2-0 sobre o PSV foi a única das equipas alemãs esta semana na UEFA Champions League . Com os “lobos” agora no primeiro lugar do Grupo B, o Süddeutsche Zeitung escreve: “A equipa de Dieter Hecking dominou por completo, apenas deixando a desejar um pouco na finalização. Ao aumentar a sua eficiência na segunda parte foi capaz de assegurar um triunfo merecido”.      

O mesmo jornal comentou também o desempenho do Mönchengladbach no empate 0-0 na visita à Juventus, dscrevendo-o como “o primeiro sucesso prestigiante”. Todavia, numa avaliação à classificação no Grupo D, o SZ  sente que as oportunidades do Gladbach atingir os oitavos-de-final “caíram para o mínimo”.

©AFP/Getty Images

No sábado Manchester City e United vão medir forças no derby e o vencedor sabe que ficará com o primeiro lugar na Premier League, já que o City vai entrar em campo com dois pontos de vantagem sobre os “red devils” e o Arsenal. O reforço Kevin De Bruyne, que teve um grande impacto na equipa de Manuel Pellegrini, considera que a melhor solução para os visitantes manterem o primeiro lugar é jogando ao ataque em Old Trafford.

"Não podemos jogar defensivamente, porque a nossa principal vantagem reside no ataque", explicou o belga ao “site” do City. "Sabemos que vai ser difícil. O United é a uma equipa topo há muito tempo e a rivalidade entre os dois clubes é muito antiga. Sabemos a importância que isto tem para os nossos adeptos e seria bom se conseguíssemos ir lá somar os três pontos".

©AFP/Getty Images

O Arsenal começou mal a campanha no Grupo F da UEFA Champions League e não evitou duas derrotas, mas a situação ficou bem melhor depois do triunfo sobre o Bayern München na terça-feira, enquanto na Premier League vai entrar para o encontro de sábado com o Everton numa série de três triunfos consecutivos.

"Estamos numa boa fase, que nos pode aumentar os níveis de confiança para o próximo desafio", afirmou Arsène Wenger. "A regularidade traz credibilidade. Muitos pensavam que este podia ter sido um desafio em que íamos fraquejar, mas respondemos de forma positiva. Considero que ao mais alto nível, é possível vir de um jogo grande, voltar a concentrarmo-nos e voltar a fazer uma boa exibição".

O treinador também confirmou que Aaron Ramsey e Mikel Arteta não vão poder jogar devido a lesão. "O Ramsey fez hoje uma ecografia ao tendão da coxa e não pode jogar. Acredito que vai ficar de fora até à próxima pausa para os jogos das selecções. Na quinta-feira perdemos o Arteta devido a um problema num tornozelo".

©AFP/Getty Images

A antevisão do derby de Manchester.

O extremo Arjen Robben (de fora desde 3 de Setembro, aductor) poderá voltar a jogar pelo Bayern no sábado, no encontro da Bundesliga com o Köln.

"Sinto-me muito bem", afirmou Robben à revista kicker. "Tenho treinado com os sub-23. Parece que está tudo bem. Se tudo continuar assim, volto a jogar no sábado".

Javi Martínez também poderá jogar, enquanto Mehdi Benatia (22 de Agosto, coxa) já regressou aos treinos e está ao dispor de Pep Guardiola.

Sebastian Rode (tendão de um coxa), Mario Götze (8 de Outubro, virilha), Franck Ribéry (11 de Março, tornozelo) e Holger Badstuber (21 de Abril, coxa) continuam entregues ao departamento médico.

Andrés Iniesta (de fora desde 29 de Setembro, tendão da coxa) deve regressar aos relvados no domingo, no encontro do Barcelona com o Eibar em Camp Nou.

Iniesta, que não joga desde que teve de ser substituído aos 60 minutos do triunfo do Barça na segunda jornada, voltou a treinar com os colegas da equipa principal na quinta e sexta-feira.

©AFP/Getty Images

Com 18 anos e 221 dias, o médio do Porto, Rúben Neves tornou-se o mais jovem capitão na UEFA Champions League quando entrou em campo a liderar a sua equipa na vitória por 2-0 sobre o Maccabi. O anterior detentor do recorde, Rafael van der Vaart, que capitaneou o Ajax na visita ao AC Milan, a 16 Setembro 2003, tinha 20 anos e 217 dias. Igor Akinfeev tinha apenas mais dez dias quando usou a braçadeira na visita do CSKA Moskva ao Porto, a 21 de Novembro de 2006. Veja os números da terceira jornada...

Conheça o homem da semana...

O Toulouse, que ocupa um modesto 17º lugar na Ligue 1, não conseguiu dar luta ao Lyon na sexta-feira. Mathieu Valbuena serviu Sergi Darder para o primeiro golo aos 18 minutos e depois aproveitou uma assistência de Claudio Beauvue para aumentar para 2-0 aos 69 minutos. Beauvue também fez o passe para o suplente Maxwel Cornet, de apenas 19 anos, marcar nos minutos finais e confirmar o terceiro triunfo consecutivo do Lyon em casa para o campeonato.

©AFP/Getty Images

Arjen Robben marcou no jogo de regresso após a lesão numa coxa este sábado e ajudou o Bayern a bater o Köln, por 4-0, e a somar a décima vitória em dez jogos da Bundesliga esta temporada. O holandês inaugurou o marcador numa jogada individual aos 36 minutos e Arturo Vidal fez o 2-0 antes do intervalo. Robert Lewandowski apontou o terceiro - o 13º golo do polaco na Bundesliga esta temporada - e Thomas Müller estabeleceu o resultado final na conversão de uma grande penalidade.

©Getty Images

Depois a meio da semana ter marcado dois golos nos minutos finais do encontro com o Roma para garantir um empate 4-4 na UEFA Champions League, o Leverkusen voltou a mostrar uma notável determinação na recepção ao Stuttgart na Bundesliga. Esteve a perder por 2-0 e por 3-1, mas os golos de Sebastian Boenisch (70), Javier Hernández (72) e Admir Mehmedi (88) permitiram o triunfo por 4-3 da “werkself”.

©Getty Images

O Wolfsburg conquistou três vitórias em apenas oito dias ao triunfar por 1-0 em Darmstadt. A equipa de Dieter Hecking dominou a posse de bola, mas teve dificuldade em criar situações de golo frente a um adversário que está a meio da tabela. Daniel Caligiuri entrou para o lugar de Julian Draxler e rapidamente fez o único golo do encontro aos 78 minutos. O Wolfsburg continua a ter um ponto de vantagem sobre o Leverkusen, mas está a 12 do líder Bayern.

©AFP/Getty Images

Um cabeceamento de Andy Carroll – o primeiro golo do avançado desde Janeiro – permitiu ao West Ham triunfar por 2-1 na recepção ao Chelsea, que continua a fazer uma campanha frustrante na Premier Leage. Mauro Zárate aproveitou a desatenção da defesa visitante para inaugurar o marcador, Nemanja Matić viu o segundo cartão amarelo e José Mourinho foi expulso do banco ao intervalo. Gary Cahill empatou para o Chelsea aos 56 minutos, mas a equipa da casa garantiu o triunfo aos 79 minutos.

©Getty Images

O Real Madrid subiu à liderança e passou a ser a única equipa invencível na Liga espanhola depois de vencer por 3-1 no reduto do Celta Vigo. Os “merengues” chegaram ao intervalo em vantagem graças aos golos de Cristiano Ronaldo e Danilo, mas o jogador em maior destaque foi o guarda-redes Keylor Navas, que fez três defesas decisivas. O internacional da Costa Rica acabou por ser batido por Nolito nos minutos finais, mas Marcelo ainda elevou para 3-1 em período de compensação.

©AFP/Getty Images

O Zenit venceu o “lanterna-vermelha” Anji por 5-1 e manteve a pressão sobre os gigantes Moscovo CSKA e Lokomotiv que lideram a classificação. Artem Dzyuba bisou, Axel Witsel e Oleg Shatov marcaram um golo cada um, antes de Hulk - que participou em três dos golos - completar a goleada com a melhor golo da tarde.

"O Artem chama a atenção dos defesas, o que permite aos médios chegar com perigo ao ataque", explicou Sergei Semak que substituiu o treinador André Villas-Boas, que está suspenso, na conferência de imprensa do Zenit. "A qualidade do nosso jogo defensivo ainda tem de melhorar. Temos de ser mais consistentes, consentimos demasiados golos, é um aspecto que temos de corrigir".

O Arsenal somou o quarto triunfo consecutivo em todas as competições, com dois cabeceamentos certeiros em dois minuto a valerem a vitória por 2-1 sobre o Everton. Olivier Giroud inaugurou o marcador a passe de Mesut Özil e Santi Cazorla fez a assistência para Laurent Koscielny aumentar para 2-0 aos 38 minutos.

Os “toffees” ainda cheram a sonhar, graças a um remate de Ross Barkley que sofreu um desvio, mas não conseguiram evitar que o Arsenal subisse à liderança do campeonato, com o Manchester City, que entrou para esta ronda no primeiro lugar, a defrontar o Manchester United no domingo.

©AFP/Getty Images

Sébastien Sinai marcou ao cair do pano e impediu o campeão Gent de vencer o duelo entre os primeiros classificados na Bélgica. O médio Thomas Matton marcou aos 75 minutos e parecia ter assinalado o 30º aniversário com o golo da vitória sobre o Oostende, isto depois de Kevin Vandendriessche ter respondido ao golo inaugural de Danijel Miličević para o Gent. Os dois clubes continuam em igualdade pontual.

©AFP/Getty Images

O PSV foi vencer por 3-1 ao terreno do Twente, com dois golos nos minutos finais, e continua a perseguição a Ajax e Feyenoord, que lideram a  Eredivisie com um ponto de vantagem. A equipa de  Phillip Cocu ganhou vantagem no início da segunda parte quando Luuk de Jong desviou um remate de Adam Maher com a cabeça, mas Hakim Ziyech empatou logo a seguir. A equipa de Eindhoven reagiu no final do encontro e Jürgen Locadia recolocou o PSV em vantagem aos 84 minutos, antes de Gaston Pereiro fazer o 3-1.

©Getty Images

Depois de um início de época terrível, o Sevilla não perdeu nenhum dos últimos quatros desafios para o campeonato, com Kevin Gameiro a fazer o primeiro “hat-trick” pelo clube na goleada de 5-0 ao Getafe, que terminou o jogo reduzido a dez jogadores. O francês bisou antes do intervalo e completou o “hat-trick” na conversão de uma grande penalidade à hora de jogo. Foi a segunda de três grandes penalidades do Sevilla, com Éver Banega e Yevhen Konoplyanka a converterem as outras.

©AFP/Getty Images

Astana, segundo da tabela, refoçou a sua candidatura ao título ao ganhar na casa do primeiro classificado. Tanat Nuserbayev marcou o tento da vitória em Almaty colocando um dos adversários do Benfica no Grupo C a dois pontos do topo da líder da Premier League do Cazaquistao, o Kairat, com menos um jogo.

Paulo Dybala e Mario Mandžukić marcaram para a Juventus que mantém assim a sua recuperação na tabela. O atacante argentino Dybala inaugurou o marcador no minuto 28, com um remate à entrada da área, cabendo a Mandžukić aumentar a vantagem, à boca da baliza. Paul Pogba desperdiçou uma grande penalidade, depois da Atalanta ver Rafael Toloi expulso no minuto 74. Com este resultado, os campeões italianos, que não perdem há três jornadas da Serie A, subiram ao 12º posto da tabela.

Alberto Botía marcou duas vezes na segunda parte na oitava vitória em outros tantos jogos do Olympiacos no campeonato, sendo que este foi o quarto triunfo fora consecutivo. O defesa espanhol Botía, que marcou o tento inaugural na vitória por 4-0 sobre o AEK Athens na última jornada, bisou em apenas quatro minutos, com Miloš Stojčev a reduzir no minuto 75 para os da casa.

Os campeões suecos do Malmö, depois de derrotarem o Shakhtar Donetsk a meio da semana, lograram manter o ceptro do seu país. O tento de Rasmus Bengtsson no mihuto 58 fez a diferença entre o Hammarby.

O 170º derby de Manchester terminou em branco, com o primeiro remate no alvo a surgir apenas no minuto 83. No entanto foi o quarto classificado, o Manchester United, quem dispôs das melhores ocasiões, com o entrado Jesse Lingard a acertar na barra e Chris Smalling a obrigar Joe Hart a brilhar perto do final.

©Getty Images

Para o Manchester City, o derby foi o primeiro nulo sem marcar em 61 jogos da Premier League. Nicolás Otamendi destacou-se na defesa, mas atacantes da formação de Manuel Pellegrini sentiram muitas dificuldades e agora estão na frente da classificação com melhor diferença de golos que o Arsenal.

©Getty Images

Dinamo sofreu a terceira derrota nos últimos 50 jogos em todas as competições ao ser batido na casa do segundo, o Rijeka. Junior Fernandes marcou para os visitantes, logo no minuto seis, mas Jérémy Taravel foi expulso com um vermelho directo aos 34. Miral Samardžić fez o empate antes do intervalo e Anas Sharbini fez o tento da vitória perto do final para os da casa, terminando com a resistência dos dez homens vindos de Zagreb. Os campeões croatas são agora terceiros, a dois pontos do líder Hajduk Split.

Dmitri Mozolevski bisou, uma vez em cada parte, no encontro em que o campeão da Bielorrússia, o BATE, aumentou a sua série sem perder para nove jogos. O BATE, que festejou o décimo título seguido depois do jogo, adiantou-se no marcador no 15º minuto, por Mozolevski. O atacante de 30 anos voltaria a marcar na segunda parte, antes de Ruslan Gunchak fazer o tento de consolação para o Naftan, a 11 minutos do final. Aleksandr Hleb, Vitali Rodionov, Maksim Zhavnerchik e Kaspars Dubra falharam o jogo por lesão.

Gladbach garantiu o quinto triunfo seguido na Bundesliga desde que o técnico interino André Schubert assumiu o cargo, depois de cinco derrotas nas primeiras cinco jornadas. Lars Stindl marcou o primeiro, no minuto 32, num ressalto surgido após Ralf Fährmann ter defendido a sua grande penalidade. No entanto, um autogolo de Andreas Christensen fez o empate, mas Raffael e Julian Korb fizeram o 3-1 final.

A liderança do CSKA na Premier League russa poderá ser reduzida depois da perda de dois pontos no domingo. Ainda sem perder, a formação de Leonid Slutski empatou pela terceira vez na prova à 13ª jornada e tem agora seis pontos de vantagem – mas poderá ver a vantagem reduzida quando o Lokomotiv Moskva receber o Rostov, na segunda-feira.

©AFP/Getty Images

Galatasaray desperdiçou a ocasião de ficar na frente da tabela, pelo menos até ao jogo do Beşiktaş esta segunda-feira, ao empatar 1-1 com o Fenerbahçe no derby de Istambul. A equipa de Vítor Pereira adiantou-se no marcador por Diego, mas o entrado Olcan Adın (na foto) deu um ponto ao Galatasaray a seis minutos do final, ficando assim em segundo, com mais um jogo.

Mohamed Salah marcou à sua antiga equipa em Florença, com a Roma a ter agora dois pontos de vantagem na frente da Serie A ao vencer na casa do antigo líder, a Fiorentina. O jogador de 23 anos marcou aos seis minutos, com Gervinho a aumentar a vantagem antes do intervalo. Salah foi expulso por acumulação de amarelos, com Khouma Babacar a reduzir perto do final para a formação de Paulo Sousa.

Um Barcelona com dez jogadores deu a volta frente ao marcador frente ao Eibar para se manter a par do Real Madrid na frente da Liga espanhola. Luis Suárez fez o seu segundo hat-trick na prova, depois de Borja González ter colocado os visitantes na frente em Camp Nou, aos dez minutos de jogo. Suárez empatou de cabeça para os da casa, antes do intervalo e colocou-os na frente, no minuto 48. Javier Mascherano seria expulso, mas o uruguaio fez o 3-1 final a cinco minutos dos 90.

Benfica sofreu a terceira derrota em sete partidas da Liga portuguesa, ao ser derrotado pelo rival Sporting no derby de Lisboa. Orientado pelo antigo técnico dos "encarnados", Jorge Jesus, os visitantes adiantaram-se no marcador por Teófilo Gutiérrez e fizeram o resto do resultado ainda antes do intervalo, com Slimani e Bryan Ruiz a deixaram os da casa no otavo posto, mas com menos um jogo.

©AFP/Getty Images

Porto foi incapaz de se manter a par do Sporting na frente da Liga portuguesa, ao somar o terceiro empate na prova, tendo, apesar de dominar, não ido além de um nulo ante o Braga, quarto classificado. Vincent Aboubakar dispôs da primeira ocasião e André André atirou por cima, mas a formação de Julen Lopetegui não seria capaz de chegar ao golo.

©AFP/Getty Images

Atlético Madrid mantém-se a dois pontos do Real Madrid e Barcelona ao receber e vencer o Valência por 2-1, num encontro em que foi amplamente dominador. Jackson Martínez e Yannick Carrasco (na foto) marcaram na primeira parte, mas Paco Alcácer reduziu para a equipa de Nuno Espírito Santo.

©AFP/Getty Images

O líder da Ligue 1, o Paris, aumentou a sua série sem derrotas esta época ao derrotar por 4-1 o St-Étienne, iniciada com um tento de pé esquerdo de Layvin Kurzawa, o primeiro pelo clube. A formação da capital aumentou a vantagem por Edinson Cavani e Zlatan Ibrahimović, com Lucas a aumentar de novo a vantagem após um autogolo de Marco Verratti, resultado que colocou o Paris com mais sete pontos de avanço.

©AFP/Getty Images

Wayne Harrison

Ben Gladwell, Turin

Aidyn Kozhakhmetov

Alberto Sanchez, Málaga

Alexandr Ustinov, Moscovo

Artem Nefedyev, São Petersburgo

Aurélien Sagner, Paris

Bogdan Buga, Lviv

Carlos Santos, Porto

Çetin Cem Yılmaz

Chris Burke, en route to Marseille

Chris Parrott

Claire Gray, Manchester

Denis Orlov, Minsk

Dimitri Rogovitski, Moscow

Dmitri Rogovitski, Moscovo

Elvir Islamovic, Zagreb

evgeni.polyakov

Harry Jurkschat

Igor Linnyk, Kiev

Joseph Walker, Madrid

Julian Beattie, Manchester

Marcos Prieto, Madrid

Matthew Howarth

Michael Harrold

Nick Aitken, Manchester

Paolo Menicucci a caminho de Turim

Paolo Menicucci, Milão

Paul Saffer, Londres

Pedro Marques

Philip Röber, Munique

Redacção alemã do UEFA.com

Redacção francesa do UEFA.comRedacção francesa do UEFA.com

Redacção russa do UEFA.com

Richard Binks

Richard Martin

Richard van Poortvliet, Donetsk

Roberta Radaelli, Milão

Sébastien AucourtSébastien Aucourt

Simon Hart, Istambul

Steffen Potter, Dortmund

Steffen Potter, Frankfurt

Türker Tozar, Istambul

UEFA.com Italian newsdesk

UEFA.com newsdesk

UEFA.com Spanish newsdesk

Ulf Nilsson, Malmö

Vassiliki Papantonopoulou, Atenas

Vjekoslav Paun, Zagreb

Vladimir Bogachov, Grodno