UEFA Champions League em directo

Saiba as últimas das 32 equipas em prova.

Encerrado
02-11-2015
Filtros
Clubes
Jogos
  • Todos os clubes,
  • Todos os jogos
Reiniciar X

As primeiras conferências de imprensa do dia são as do Grupo C, onde está o Benfica, relativas ao jogo entre Astana e Atlético. O médio colombiano Roger Cañas irá estar ao lado de Stanimir Stoilov quando os da casa falarem aos jornalistas, pelas 10h15 (Portugal continental); Fernando Torres e o seu técnico, Diego Simeone, falarão em nome dos espanhóis pelas 12h15.

©Getty Images

Louis van Gaal espera que o Manchester United possa regressar aos golos contra o CSKA, esta semana, depois de uma série de três empates 0-0 nas competições internas. "As coisas podem mudar num jogo - que seja contra o CSKA, porque precisamos de uma vitória", disse o técnico holandês. 

Anthony Martial marcou o último tento do United, no empate 1-1 na visita ai CSKA, na terceira jornada. "Tenho que ter a esperança que voltemos aos golos contra os russos pois assim estaríamos a falar de maneira diferente", acrescentou Van Gaal.

©Getty Images

Dinamo Zagreb está a passar por uma fase complicada recentemente; sem perder durante 45 jogos antes da partida da segunda jornada, em Munique, contra o Bayern, os croatas perderam quatro dos últimos sete encontros - internamente frente ao Rijeka e RNK Split, a que se juntaram desaires contra Bayern e Olympiacos. Rumam ao Pireu esta semana com os defesas Gordon Schildenfeld e Ivo Pinto de fora, com Leonardo Sigali em dúvida. O talentoso jovem médio Domagoj Pavičić e o atacante argelino El Arbi Hilal Soudani também deverão estar ausentes, enquanto o centrocampista Arijan Ademi está castigado.

©Getty Images

O treinador do Paris, Laurent Blanc, rodou a equipa no jogo de sexta-feira frente ao Rennes, com Serge Aurier a jogar no centro da defesa, Benjamin Stambouli titular e Ezequiel Lavezzi a ser o avançado-centro. Blaise Matuidi e os atacantes Zlatan Ibrahimović e Edinson Cavani foram poupados para o jogo desta semana contra o Real Madrid, cabendo a Ángel Di María marcar o único golo na vitória por 1-0 - a décima do Paris na Ligue 1 desta época. "Estamos satisfeitos pela maneira como as coisas correram em Rennes porque trouxemos os três pontos, poupámos jogadores e ninguém se lesionou", disse Blanc. "A preparação não poderia ser melhor."

©AFP/Getty Images

É justo afirmar-se que o público no Stade de Gerland irá estar motivadíssimo quando o Lyon de Hubert Fournier receber o Zenit, na quarta-feira, numa partida em que a vitória é fundamental no acalentar da esperança em estar nos oitavos-de-final. Depois, no domingo, o mesmo recinto irá ter a presença do rival Saint-Étienne. "Esperamos ter mais seis pontos no domingo à noite", disse o presidente Jean-Michel Aulas.

©AFP/Getty Images

Olivier Giroud marcou o golo 2000 do Arsenal sob o comando de Arsène Wenger na vitória por 3-0 no reduto do Swansea, no sábado, tendo afirnado: "Foi bom. Sentirei orgulho em dizê-lo à minha família e aos meus amigos". Os Gunners reagiram depois de uma pálida primeira parte, marcando os três golos após o intervalo e Giroud afirmou que o triunfo dará a embalagem certa para o encontro da quarta jornada. "Foi bom ter surgido antes do jogo contra o Bayern, na quarta-feira," explicou o atacante de 29 anos.

©Getty Images

John Obi Mikel conta que a falta de sorte do Chelsea termine esta semana, na recepção ao Dynamo Kyiv, em Stamford Bridge, na ressaca da derrota em casa por 3-1 ante o Liverpool, no sábado. "Todos estão a ver o quanto estamos a trabalhar e a jogar bem, mas os resultados não estão a surgir", disse o médio. "Cada remate adversário é golo, cada remate desviado acaba na baliza. Precisamos de uma ponta de sorte que não estamos a ter. Mas podemos ver que a equipa está a dar tudo, estamos a trabalhar muito".

©Getty Images

Na noite de domingo, o treinador do Paris, Laurent Blanc, revelou os convocados para a viagem a Espanha para defrontar o Real Madrid. O defesa-central David Luiz está entre os eleitos, apesar de não jogar desde 8 de Outubro devido a uma lesão no joelho, mas o médio Javier Pastore (conjuntivite) e o defesa Marquinhos (coxa) está de fora. "Vamos jogar para ganhar o grupo, mas o problema é que o Real também tem o mesmo objectivo", acrescentou.

"Há um grande respeito por esta equipa do Real Madrid" disse o capitão Thiago Silva. "Mas vamos lá para ganhar e podemos consegui-lo".

©AFP/Getty Images

Tendo pela frente um Zenit em grande forma, na quarta-feira, o Lyon irá de novo confiar no avançado Alexandre Lacazette, apesar do francês ainda não ter exibido a grande forma da época passada. A ausência do parceiro Nabil Fekir, devido a uma grande lesão no joelho, também não está a ajudar. "Sinto a falta do Nabil," disse Lacazette. "Treinava muito bem. Agora Mathieu [Valbuena] e o Claudio [Beauvue] estão connosco. São jogadores diferentes. Quermo aprender com eles e melhorar com eles."

©AFP/Getty Images

A última quinzena foi de altos e baixos para o atacante do Sevilha, Kevin Gameiro. O jogador francês de ascendência lusa marcou o tento da sua equipa no empate 1-1 na visita ao Eibar, a 17 de Outubro; falhou de cabeça uma clara situação de golo quando estava 1-1 na derrota da sua equipa por 2-1 no encontro do Grupo D na casa do Manchester City, quatro dias depois; a seguir fez um "hat-trick" na vitória por 5-0 frente ao Getafe, a 24 de Outubro, tendo sofrido uma distensão muscular na coxa na derrota de sábado por 2-1 na visita ao Villarreal – lesão que o vai afastar na recepção ao City esta terça-feira, no Estadio Ramón Sánchez Pizjuán.

Apesar deste cenário, o treinador Unai Emery, poderá contar com a qualidade e experiência de Fernando Llorente, autor de um belo tento de cabeça no fim-de-semana. "Não posso dizer que estou satisfeito [por ter marcado], porque a derrota foi muito dolorosa", disse o antigo avançado do Athletic Club e da Juventus, ao www.sevillafc.es. "Estávamos numa trajectória ascendente e esta derrota não veio numa bola altura, apesar da equipa ser forte mentalmente e estar determinada em trabalhar no duro. Tenho tido algum azar com uma lesão que me tem vindo a assolar, mas estou a trabalhar muito para voltar ao meu melhor".

Marco Verratti acredita que a estrela do Barcelona, Andrés Iniesta, é um médio mais completo que ele. "Ele é muito versátil", disse o jogador do Paris à estação televisiva francesa Canal Plus. "[Iniesta] pode marcar e escapar aos adversários - é um jogador muito criativo no seu jogo. adoro vê-lo jogar."

Sobre o jogo que aí vem frente ao Real Madrid, Verratti acrescentou: "É um encontro que nos ajuda a aferir em que nível estamos. É um jogo decisivo se quisermos terminar em primeiro, como para o Real."

GettyImages-166230349Getty Images

Per Mertesacker afirmou que o Arsenal precisa de ter cautelas frente ao Bayern quando defrontar o líder da Bundesliga na quarta-feira. "Eles estão feridos," disse Mertesacker. "Fomos a primeira equipa que os desafiou e lhes ganhou [na terceira jornada]. Vão tentar mostrar que são melhores que nós."


©Getty Images

Apesar do treinador do Sevilha, Unai Emery, ter ficado visivelmente desiludido pela derrota fora por 2-1 com o Villarreal, adversário que derrotaram nas quatro vezes que o encontraram na época passada, antes da recepção ao Manchester City, o the Guardian acredita que os espanhóis têm razões para entrar confiantes no seu estádio.

"[Antes da vitória por 2-1 graças ao penalty de Yaya Touré], o Manchester City sofreu a bom sofrer para derrotar um resiliente Norwich, mostrando uma falta de imaginação que irá encorajar o seu adversário na Champions League, o Sevilha," pode ler-se. "Os representantes espanhóis virão ainda fracos desempenhos de Touré e Kevin De Bruyne, e ainda um Wilfried Bony longe de ser letal na hora de marcar."

©AFP/Getty Images

Per Mertesacker afirmou que o Arsenal vai ter de se preocupar com a reacção do Bayern quando encontrar o líder da Bundesliga na quarta-feira. "Eles estão feridos", disse Mertesacker. "Fomos a primeira equipa que os desafiou e os venceu [na terceira jornada]. Eles vão tentar mostrar que são melhores que nós."

©Getty Images

• Quais são os jogos da quarta jornada?
Notícias das equipas antes dos jogos de terça-feira: quem joga, quem fica de fora e quem está em dúvida?
• Antevisões do Grupo A: Shakhtar Donetsk-Malmö, Real Madrid-Paris
• Antevisões do Grupo B: Man. United-CSKA Moskva, PSV-Wolfsburg
• Antevisões do Grupo C: Astana-Atlético, Benfica-Galatasaray
• Antevisões do Grupo D: Mönchengladbach-Juventus, Sevilla-Man. City
Como estão as classificações dos grupos?
• Veja todos os números da prova na nossa secção de estatísticas

Juventus venceu o derby de Turim no sábado graças a um golo de Juan Cuadrado no minuto 93 frente ao Torino. No entanto, perdeu Sami Khedira, no minuto 11, com uma lesão na coxa. Apesar de não ser grave, o facto é que o alemão vai assim falhar o jogo do Grupo D no reduto do Gladbach. Hernanes e Stefano Sturaro estão prontos para ocupar o seu lugar. 


Mario Mandžukić ou Paulo Dybala lutam por um lugar na frente. Entretanto, Martín Cáceres já recuperou de uma lesão no tornozelo e poderá jogar na Alemanha. Roberto Pereyra (coxa) e Stephan Lichtsteiner (cirurgia coronária) são baixas certas.

Roger Cañas, médio do Astana:


Todos os jogadores estão muito motivados para este jogo. Defrontar uma equipa deste nível é uma ocasião única. Quero escrever o meu nome na história.

O Atlético tem muitos jogadores de grande qualidade, mas queria destacar o Jackson Martínez, com quem já joguei. As pessoas esperam dele um hat-trick em cada jogo, e isso não é fácil. Ele tem de se adaptar à nova equipa.

©Dinara Baikadamova

Lionel Messi marcou o primeiro de 77 golos pelo Barcelona na UEFA Champions League há dez anos, frente ao Panathinaikos, em Camp Nou...

GettyImages-56058828Getty Images

Hakan Çalhanoğlu considera que David Beckham e Juninho Pernambucano foram fundamentais para a sua evolução na marcação de livres. O médio do Leverkusen está, mais uma vez, a causar sensação na UEFA Champions League.

"Tento colocar a bola por cima da barreira. É o que faço melhor e quando bato bem na bola ela, normalmente, entra", explicou o internacional turco. "Vi como muitos especialistas marcavam as faltas. O David Beckham foi um extraordinário marcador de livres, o Juninho também, é fundamental observar os melhores para aprender. Todos os futebolistas têm os seus ídolos e estes foram os meus, foi graças a eles que desenvolvi a minha técnica".

Stanimir Stoilov, treinador do Astana:


Considero que a equipa está motivada. Temos de estar motivados sempre que jogamos na UEFA Champions League. Acredito sempre nos meus jogadores, se isso não acontecesse, não seria o treinador desta equipa. O Atlético é favorito, mas tudo pode acontecer no futebol. A viagem de Madrid até aqui é muito longa e complicada, já jogámos em Lisboa e Madrid, por isso sabemos como é difícil. O tempo frio também pode causar problemas ao Atlético. Podemos abrir um pouco o telhado do estádio para lhes complicar ainda mais a vida.

Começou a nevar quando o Atlético aterrou em Astana no domingo à noite e na segunda-feira de manhã o chão estava coberto com um manto branco. Existem poucas probabilidades de o tempo aquecer, pelo que este é mais um desafio para a equipa do português Tiago, que veio preparada para temperaturas negativas. O Astana falhou a conquistar o título no fim-de-semana e vai ter um encontro decisivo com o Aktobe na última jornada do campeonato do Cazaquistão. Stanimir Stoilov pode optar por poupar alguns jogadores a pensar nesse jogo, tal como aconteceu no desafio em Madrid.

O Real Madrid continua a preparar a recepção ao Paris na terça-feira...

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images

Marcelo, defesa do Real Madrid:


Espero um jogo muito difícil. O PSG é uma equipa com jogadores de grande qualidade, pelo que espero um jogo complicado. Vai ser um embate decisivo. Todos os jogadores querem jogar, é como uma final. Vamos jogar com grande entusiasmo.

Penso que o Di María vai ter uma boa recepção [no regresso ao Santiago Bernabéu]. Foi óptimo jogar ao lado dele. O Di María é um grande jogador e um grande amigo. Desejo-lhe o melhor. Não podemos estar concentrados apena num jogador do PSG, temos de pensar em toda a equipa.

O capitão é o Sergio Ramos. Para mim é uma honra ser o vice-capitão. Temos que dar o exemplo.

O Barcelona demonstrou confiança no lesionado Rafinha ao renovar contrato com o médio até Junho de 2020. O brasileiro sofreu uma lesão no ligamento cruzado anterior de um joelho no empate a um golo com a Roma na primeira jornada, uma lesão que o vai manter afastados dos relvados durante seis meses, mas o Barça explicou em comunicado que o jogador de 22 anos está "no bom caminho para a recuperação". O clube também anunciou que o novo contrato incluiu uma cláusula de rescisão de 75 milhões de euros para evitar que os rivais tentem aliciar o talentoso médio.

Rafael Benítez revelou na conferência de imprensa de hoje que James Rodríguez recuperou de uma lesão numa coxa e vai figurar entre os convocados do Real Madrid para o encontro de terça-feira com o Paris...

Rafael Benítez, treinador do Real Madrid:


O Cristiano Ronaldo é fundamental para nós. Espero que o seja amanhã e nos próximos anos.

A equipa está a jogar bem, mas estou convencido que ainda vai melhorar. Quero ver o melhor equipa quando estivermos a discutir títulos. Quando todos os jogadores estiverem disponíveis terei de decidir quem joga e quem fica de fora. O futebol é um jogo que se decide dia a dia.

O Marcelo é um dos melhores defesas do mundo. Além disso, também é muito ofensivo. Dá o máximo em campo. Todos sabíamos do potencial do Raphaël Varane. As ausências do Sergio Ramos e do Pepe permitiram-lhe jogar mais e crescer.

Foi há dez anos que Lionel Messi começou a fazer história.

Louis van Gaal orienta o treino do Manchester United com o objectivo de conseguir o primeiro triunfo sobre equipas russas em Old Trafford, na recepção ao CSKA, no encontro do Grupo B agendado para terça-feira...

©Getty Images
©Getty Images
©Getty Images

Fernando Torres, avançado do Atlético:


Vamos jogar no estádio do adversário, pelo que é natural que se sintam mais fortes. Vamos ter de lidar com as temperaturas mais baixas, por isso que hoje treinámos ainda mais cedo. Todos os jogos são diferentes. Temos de esquecer o resultado do jogo em Madrid [na terceira jornada] e concentrarmo-nos em fazer um bom resultado amanhã. Estamos motivados para este desafio e espero que amanhã possamos estar ainda mais felizes, porque vamos tentar somar os três pontos.

Diego Simeone, treinador do Atlético:


O que aprecio no Astana é joga como um bloco, independentemente da táctica. Quando somos crianças temos de jogar na rua, no asfalto. Os relvados sintéticos são apenas mais uma condicionante, como o sol, o vento ou a neve, temos de encontrar forma de lidar com estas situações. Amanhã vamos defrontar jogar em casa de um adversário sério.

O Gladbach continua a sensacional recuperação na Bundesliga, somou a sexta vitória consecutiva no sábado, no terreno do Hertha Berlin, e já está no sexto lugar. Os golos de Oscar Wendt, que está recuperado, de Raffael e uma grande penalidade de Granit Xhaka permitiram levar o marcador até aos 3-0, antes de Alexander Baumjohann reduzir para a equipa da casa. Håvard Nordtveit estabeleceu o resultado final em período de compensação.

A equipa alemã vai reencontrar a Juventus na quarta jornada e quer dar sequência ao ponto conquistado com o nulo em Turim.

©AFP/Getty Images

Hakan Çalhanoglu, médio do Leverkusen:


Somos uma equipa muito jovem, mas determinada e ambiciosa, e queremos continuar assim. Alguns observadores consideram que o estilo de jogo do nosso treinador é demasiado atacante e um pouco imprudente, mas já conseguimos muitas coisas com este sistema. Quando funciona bem, é muito divertido.

O treinador Roger Schmidt chegou ao do Leverkusen ao mesmo tempo que eu e tivemos uma excelente primeira época. Dou-me muito bem com ele e com toda a equipa. Tem feito um óptimo trabalho e trata todos os jogadores da forma que eles gostam. Temos vindo a crescer em conjunto.

©AFP/Getty Images

Luisão, capitão do Benfica:


Esperamos um adversário difícil, assim como foi na Turquia. O Galatasaray é uma equipa aguerrida, que sabe o que quer, mas também vamos para este jogo com uma ambição muito grande. Vamos lutar até ao final para garantir o resultado que queremos.

Lamentamos sempre que um jogador não está disponível, mas sabemos que o grupo é grande, que tem a confiança de toda a gente e que quem for chamado vai dar conta do recado.

GettyImages-495350472Getty Images

Rui Vitória, treinador do Benfica:


O Galatasaray é uma equipa que nos vai criar dificuldades. É um adversário recheado de bons jogadores, que tem conseguido bons resultados e que nos vais criar muitos problemas. Não custa reconhecer isso.

Por outro lado o Benfica tem vários jogadores experientes nestas andanças, vai jogar perante os seus adeptos e vai querer repor alguma justiça do que serão estes dois jogos com este adversário, depois de na Turquia termos dominado, mas não termos vencido.

O Fesja e o Mitroglou, vamos ver o que poderá acontecer hoje, mas deverão estar fora. Em princípio não poderão ser opção.

GettyImages-495350350Getty Images

Unai Emery, treinador do Sevilha:


O Manchester City está na liderança da Premier League e vai exigir muito da nossa equipa. A nossa única opção, se quisermos passar à fase seguinte, é vencer este jogo. Jogámos bem em Manchester, mas perdemos. Temos de melhorar os aspectos do jogo que nos impediram de ganhar em Inglaterra. Vai ser muito difícil, a Juventus e o Manchester City têm boas hipóteses de chegar à final e vencer. Normalmente jogamos melhor em casa e temos de provar amanhã.

Estou satisfeito com o Ciro Immobile, mas o Kevin Gameiro e o Fernando Llorente estão em vantagem [para ocupar a vaga de ponta-de-lança]. Temos jogado pior quando apostamos em dois avançados de início. O Jesús Navas vai regressar amanhã a casa, esperamos que não faça um bom jogo.

GettyImages-495350278Getty Images

O Bayern perdeu a oportunidade de igualar o recorde europeu do Tottenham de 11 vitórias consecutivas no início de um campeonato (1960-1961), quando viu terminar a série recorde de dez triunfos seguidos na Bundesliga na sexta-feira. O nulo em Frankfurt levou a equipa de Josep Guardiola a perder pontos pela primeira vez esta época na Alemanha.

Guardiola lamentou a táctica defensiva do Frankfurt, mas reconheceu que é uma opção aceitável frente aos campeões. "Os nossos adversários são livres de jogar da forma que querem. Nós temos de estar em condições de atacar bem", explicou o treinador que pretende uma exibição mais produtiva na recepção ao Arsenal na quarta-feira.

O médio Sami Khedira não vai poder seguir com a Juventus para a Alemanha devido à lesão sofrida numa coxa no sábado, no triunfo por 2-1 sobre o Torino no “derby” de Turim. O internacional alemão foi submetido a exames médicos na segunda-feira, em Vinovo, que mostraram um ligeiro estiramento muscular, mas afastaram a possibilidade de ruptura. Hernanes e Stefano Sturaro poderão ocupar a vaga no meio-campo frente ao Gladbach.

GettyImages-495156672Getty Images

O médio Sami Khedira não vai poder seguir com a Juventus para a Alemanha devido à lesão sofrida numa coxa no sábado, no triunfo por 2-1 sobre o Torino no “derby” de Turim. O internacional alemão foi submetido a exames médicos na segunda-feira, em Vinovo, que mostraram um ligeiro estiramento muscular, mas afastaram a possibilidade de ruptura. Hernanes e Stefano Sturaro poderão ocupar a vaga no meio-campo frente ao Gladbach.

O treinador Massimiliano Allegri também tem boas notícias. Stephan Lichtsteiner, que foi submetido a uma pequena cirurgia cardíaca a 2 de Outubro, depois de sentir dificuldades respiratórias, está de regresso aos convocados da Juve.

GettyImages-495156672Getty Images

Vitolo, médio do Sevilha:


O Éver Banega [em dúvida devido a um pequeno problema num tornozelo] é um jogador importante para nós, pode decidir um jogo, a equipa é melhor quando ele joga. Provámos no jogo em Manchester [na terceira jornada] que temos uma boa equipa, fizemos um bom trabalho e agora vamos defrontar o Manchester City no Ramón Sánchez Pizjuán, frente aos nossos adeptos. Será muito difícil lutar pela qualificação se não ganharmos amanhã.

GettyImages-495350452Getty Images

Apenas três jogos da UEFA Champions League (da fase de grupos até à final) terminaram com 4-4 no marcador. Leverkusen e Roma foram os últimos a partilhar oito golos, quando mediram forças na terceira jornada...

André Schubert na preparação do último treino do Gladbach antes da recepção à Juventus ...

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images

Ao falar com o UEFA.com antes do seu regresso à capital espanhola esta terça-feira, ao serviço do Paris, Ángel Di María recordou o seu penúltimo jogo como jogador do Real Madrid – a final de 2013/14 da UEFA Champions League  ...

Rafael Benítez, treinador do Real Madrid:


[Karim] Benzema, [Gareth] Bale e [Álvaro] Arbeloa - que não estão convocados - não têm ainda o ritmo de jogo ideal para um encontro com a intensidade que este vai ter. A primeira coisa que fazemos é falar com os jogadores e depois com o corpo clínico de forma a sabermos o exacto estado físico.

O Real Madrid fez um grande jogo [em Paris na terceira jornada]. Ninguém pode questionar a qualidade do PSG. Estão a melhorar como equipa ano após ano e têm muito potencial. Será um jogo muito difícil e temos de ter a concentração máxima para jogarmos bem e somar os três pontos.


Temos que melhorar sempre para estar no nosso ponto mais alto no final da época, pois é aí que tudo se decide. O período que eu quero que a equipa esteja melhor, tirando agora, é na ponta final da época.

©AFP/Getty Images

Real Madrid tem estado imperial no Bernabéu na UEFA Champions League e vai querer bater o Paris, com quem está empatado com sete pontos na frente do Grupo A. Um triunfo sobre o emblema francês não garante ainda a vitória no grupo, mas deverá potencialmente garantir um lugar na fase seguinte a duas jornadas do final, pelo que os Merengues estarão focados em fazer um grande jogo.

©Getty Images

Gareth Bale (músculo da coxa), Karim Benzema (músculo da coxa) e Dani Carvajal (tornozelo) vão falhar a recepção desta terça-feira do Paris no Bernabéu. No entanto, Luka Modrić (anca) e James Rodríguez (coxa) estão entre os 19 convocados de Rafael Benítez para o encontro do Real Madrid a contar para o Grupo A.

Michael Carrick, médio do Manchester United:


O começo do Anthony Martial tem sido fantástico. Temos de ter cuidado e não exigir demasiado dele. Os sinais são positivos e o futuro promete ser grandioso.

Louis van Gaal, treinador do Manchester United:


Penso que estamos a melhorar dia após dia e podemos ver pelos resultados alcançados. Diz-se que não conseguimos atacar, mas isso não é verdade. É apenas um momento do processo. Temos que melhorar essa situação. Tivemos uma quebra nos nossos resultados e temos agora que a suplantar. É por isso que precisamos do apoio dos adeptos.

[Memphis Depay] tem apenas 21 anos e está numa fase da carreira em que se tem de adaptar a muitas coisas. Estou certo que regressará mais forte que antes, mas temos que lhe dar tempo, como faremos com o Anthony Martial quando tiver uma baixa de forma.

©Getty Images

Héctor Moreno, defesa do PSV:


Faremos tudo para ganhar, pois é um jogo muito importante para nós. Acreditamos em nós próprios e vamos mostrar isso amanhã. Ainda faltam três jogos [no Grupo B] e queremos continuar na Champions League depois do Inverno. O meu objecto pessoal é não sofrer golos e ajudar a equipa a ter um bom resultado [contra o Wolfsburg].

Eduardo, atacante do Shakhtar:


A Champions League é uma prova diferente. Temos que esquecer os jogos do campeonato e focar no próximo encontro. É mais complicado marcar na Champions League. Perdermos o jogo anterior, mas o Malmö mereceu o resultado que conseguiu. mas espero que amanhã seja diferente. Será fundamental marcar primeiro para tornar o jogo mais aberto. O nosso objectivo é ganhar por uma margem de dois golos amanhã.

©AFP/Getty Images

O treinador interino do Gladbach, André Schubert e o médio Ibrahima Traoré falaram à imprensa na Alemanha ...

Phillip Cocu, treinador do PSV:


Estes jogos são decididos nos [pequenos] detalhes. Podemos jogar bem na primeira e na segunda parte, mas isso não garante um bom resultado. Em Wolfsburgo eles foram mais eficazes. Temos que fazer as coisas diferentes amanhã. Precisamos de um bom resultado. O objectivo é ganhar em casa. Mesmo com o empate ficamos a depender de outros. Esperávamos isso num grupo equilibrado. Tem mais três equipas fortes, cada uma delas com o seu estilo de jogo.

©AFP/Getty Images

Markus Rosenberg, avançado do Malmö:


Penso que vai ser um jogo parecido com o que vimos em Malmö [na terceira jornada] com mais posse de bola pelo Shakhtar. Espero que consigamos ser capazes de fazer o que fizemos nessa altura, mas que tenhamos mais ocasiões. Aprendemos muito na Champions League. Perdemos alguns jogos porque não fomos compactos e temos que o ser a este nível - tal como aconteceu contra o Shakhtar em casa. Foi uma situação perfeita para nós, jogarmos compactos e criar ocasiões.

©AFP/Getty Images

Ibrahima Traoré, médio do Gladbach:


Em Turim [na terceira jornada] defendemos muito bem. Não atacámos como costumamos fazer na Bundesliga. Se calhar faltou-nos alguma coragem, mas em casa queremos fazer as coisas diferentes [frente à Juventus]. Precisamos de manter a esperança em nos apurarmos. É por isso que temos de jogar de forma diferente, com mais coragem.

©AFP/Getty Images

Mircea Lucescu, treinador do Shakhtar:


O Malmö ficou fora dos lugares europeus no campeonato, pelo que o jogo de amanhã vai ser o jogo do ano para eles, um resultado positivo pode permitir-lhes continuar a jogar na Europa esta época. O triunfo em casa permite-lhes lutar por uma vaga na UEFA Europa League, mas nós estamos ansiosos pela desforra da derrota na Suécia.

Aprendemos uma lição com os nossos erros. A motivação é o mais importante, porque no primeiro jogo pensámos no subconsciente que iríamos conseguir facilmente os três pontos. Estávamos muito descontraídos. Espero que amanhã a nossa equipa mostre mais motivação que o Malmö e consiga um resultado positivo. Vamos tentar jogar mais rápido. Vamos dar o máximo para alcançar o nosso objetivo.

©AFP/Getty Images

André Schubert, treinador do Mönchengladbach:


A classificação neste momento não me preocupa. Se vencermos o jogo, podemos começar a olhar para a nossa posição. A Juventus é uma excelente equipa, que teve muito sucesso nos últimos anos, mas o que aconteceu nos últimos anos não tem influência neste jogo. Também não estamos mal e queremos causar problemas ao nosso adversário. Temos respeito os seus enormes talentos individuais e também são uma equipa bem trabalhada tacticamente. Temos um plano para lidar com a flexibilidade táctica do nosso adversário. Amanhã saberemos se resultou.

©AFP/Getty Images

Åge Hareide, treinador do Malmö:


Amanhã espero que o Shakhtar vá atacar com todas as suas forças, provavelmente vão ter de correr mais riscos. Vamos estar mais concentrados na nossa defesa, mas se conseguirmos fazer boas transições da defesa para o ataque e encontrar espaço, será mais complicado para o Shakhtar. Vai ser decisivo a forma como defendermos e como atacarmos. O futebol na Ucrânia continua a ser muito forte e temos que levar isso em consideração.

©AFP/Getty Images

Dieter Hecking, treinador do Wolfsburg:


Vamos jogar para ganhar, como sempre. O PSV é uma equipa forte e boa tecnicamente, também vai fazer tudo para conseguir a vitória. Espero que possamos manter a forma actual e os bons resultados. Temos de  fazer o nosso jogo. O nosso objectivo é passar à fase seguinte, queremos terminar no primeiro ou no segundo lugar do grupo. Amanhã podemos ficar mais perto desse objectivo se vencermos. Temos de cometer menos erros que o PSV. Os detalhes serão decisivos.

©AFP/Getty Images

Grandes quantidades de adeptos do Manchester City já chegaram a Sevilha, mas Unai Emery considera que a maior pressão está do lado da equipa da casa. "Se o City ganhar amanhã não seremos capazes de os alcançar e se empatar continuará com uma vantagem significativa sobre nós", explicou Emery. "Amanhã somos praticamente obrigados a ganhar para continuar a lutar por uma vaga nos oitavos-de-final".

Felizmente para o treinador basco, os sevilhanos estão gradualmente a voltar a transformar o Estadio Ramón Sánchez Pizjuán na fortaleza que testemunhou uma série de 34 jogos sem derrotas. "Amanhã jogamos no Sánchez Pizjuán e temos de continuar a vencer".

©AFP/Getty Images

Laurent Blanc, treinador do Paris:


Eles foram superiores a nós na posse de bola em Paris e jogaram com mais velocidade. O jogo de amanhã vai ser diferente. Seria um privilégio vencer o Real Madrid, mas isso não significaria nada para o futuro. No ano passado derrotámos o Barcelona na fase de grupos e não alcançámos as meias-finais. O Real Madrid esteve bem organizado e mostrou uma defesa sólida em Paris.

Não atingimos o mesmo nível, mas fizemos um jogo sólido. Ainda temos alguns problemas com lesões, mas o Real Madrid está na mesma situação. Um empate a zero não será suficiente. Respeitamos o nosso adversário, mas somos ambiciosos e viemos aqui para impor o nosso jogo. Temos capacidade técnica e física para conseguir a vitória.

©AFP/Getty Images

Massimiliano Allegri, treinador da Juventus:


O Gladbach está numa boa série de resultados, conseguiu seis vitórias consecutivas no campeonato. Nós ainda não conseguimos duas vitórias seguidas esta época! Há sempre mudanças numa equipa, quer seja táctica ou de jogadores. Não é tanto uma questão de táctica, mas de atitude em campo. Fizemos mudanças, mas não foram muitas. Temos novos jogadores e todos eles são capazes de cumprir o seu papel.

A UEFA Champions League é o nível máximo que existe no futebol. No campeonato temos sempre a possibilidade de recuperar de uma fase má, mas na UEFA Champions League cada jogo é como uma final. Rapidamente ficamos pelo caminho.

©AFP/Getty Images

Hamza Hamzaoğlu, treinador do Galatasaray:


O Galatasaray vai ter uma vantagem psicológica amanhã e estará mais tranquilo porque recentemente vencemos o Benfica, por isso o objectivo é repetir o resultado. O Benfica tem jogadores que individualmente podem fazer a diferença. Para mim o sector mais forte é o ataque, jogam bem em equipa, mas a defesa não é tão boa.

Se não conseguirmos ganhar, é provável que o Benfica consiga o apuramento e nosso objectivo passará a ser manter o terceiro lugar [e conquistar uma vaga da UEFA Europa League]. O que queremos é manter as esperanças para a próxima jornada. Não é o meu estilo optar por marcações individuais aos adversários. Defendemos como um bloco. O Galatasaray vai jogar para ganhar, para fazer isso tem de atacar, mas não podemos esquecer que temos de ser cautelosos na defesa.

©AFP/Getty Images

Zoran Tošić, médio do CSKA Moscovo:


Estou feliz por estar de volta. Passei aqui um ano maravilhoso aqui [2009/10]. Estou muito animado para este jogo. Foi um ano maravilhoso para mim, mas era jovem e não tinha muita experiência. Foi importante para mim, pois penso que depois me tornei num jogador melhor. Fiquei desiludido porque não ter jogado muito, mas aprendi muito como futebolista e como homem. Vamos dar o máximo para fazer um bom resultado.

©Getty Images

Selçuk İnan, capitão do Galatasaray: 


A nossa equipa acredita que vai fazer um bom resultado. Consideramos que o jogo de amanhã vai determinar qual destas equipas continua em prova. O nosso objectivo é vencer, no entanto, um empate também seria um bom resultado. Num estádio como este, com um ambiente fantástico, ficaremos felizes com um empate.

Não entrámos em campo com a concentração necessária [no primeiro jogo com o Benfica] e isso é algo que não pode acontecer numa equipa como o Galatasaray. A concentração é fundamental durante os 90 minutos.

©AFP/Getty Images

Leonid Slutski, treinador do CSKA: 


O United é uma equipa muito diferente do que quando o defrontámos [em 2009/10]. Há uma grande diferença na estratégia e na táctica da equipa, mas o United continua a ser uma equipe de alto nível. A UEFA Champions League é uma competição em que damos o máximo para tentar passar à fase seguinte. É óbvio que o United é muito bom com a posse de bola e só posso dizer que vamos apostar no contra-ataque. Eles têm uma equipa que pode marcar a qualquer momento e a qualquer adversário.

©Getty Images

Manuel Pellegrini, treinador do Manchester City:


David Silva, Sergio Agüero e Samir Nasri estão lesionados e não vão jogar. Considero que este desafio não é tão decisivo como os outros da fase de grupos, mas se vencermos temos quase a garantia de passar à fase seguinte. Vamos defrontar uma equipa importante, o Sevilha é forte em casa, têm muitos jogadores bons. Um empate não é um mau resultado, mas vamos entrar desde início com o objectivo de vencer. Agora o mais importante é passar o mais rapidamente à fase seguinte.

Temos uma grande equipe, é verdade que temos muitas lesões, mas estamos num bom momento e espero que possamos continuar a melhorar.

©AFP/Getty Images

O blogue está encerrado por hoje, após um dia agitado nas salas de imprensa de toda a Europa. Não se preocupe, na terça-feira vamos regressar bem cedo com os preparativos acelerados para os jogos da quarta jornada.

Todas as conferências de imprensa de antevisão dos jogos de quarta-feira vão ser acompanhadas aqui, pelo que terá toda a informação que precisa. Vemo-nos de novo amanhã de manhã.

©AFP/Getty Images

Gerd Müller está de parabéns e sabia que Seydou Doumbia tem uma média de golos superior a Cristiano Ronaldo e a Lionel Messi?

Daniele De Rossi está em dúvida na Roma devido a uma lesão numa coxa e o treinador Rudi Garcia poderá não arriscar com o internacional italiano já que Miralem Pjanić, outro dos médios da equipa, vai ter de cumprir castigo no “derby” com a Lazio no fim-de-semana. Alessandro Florenzi, que também treinou à parte dos colegas, poderá subir para o meio-campo. Seydou Keita regressou aos treinos sem limitações depois de recuperar de uma lesão numa coxa. O capitão Francesco Totti continua de fora.

©Getty Images

"A vez de jogarem", é a manchete do L'Équipe, com o diário francês a apelar a Zlatan Ibrahimović, Edinson Cavani e Ángel Di María para "estarem ao nível das expectativas do seu clube na UEFA Champions League" na visita do Paris ao Real Madrid, um desafio importante para definir o primeiro lugar do Grupo A. "Tímido e sem criatividade no primeiro embate, o trio de ataque Cavani-Di María-Ibrahimović tem de corrigir a imagem esta noite", explica. O Le Parisien tem um título semelhante, exigindo "mais imaginação e mais eficácia" dos campeões franceses.

LEquipeLEquipe

“Trafford é velho, Slutsky é novo" é o enigmático título escolhido pelo Sport-Express e que deixa entender que o treinador do CSKA Moscovo, Leonid Slutski, é um homem diferente da primeira visita a Manchester como treinador dos moscovitas, em 2009, quando os visitantes empataram 3-3 após sofrerem um golo ao cair do pano. "Leonid Slutski regressa com dois títulos nacionais, como seleccionador da Rússia e com rumores a indicarem que o Chelsea está interessado nele", explica o jornal. "Também regressa a Manchester depois de ter ganho no reduto do Manchester City na edição da época passada".

©AFP/Getty Images

“Sem Bale e Benzema, mas com Cristiano” é a manchete do diário AS esta manhã, destacando que o Real Madrid recebe o PSG numa batalha pela liderança do Grupo A sem dois dos três elementos do famoso tridente atacante, mas James Rodríguez está de regresso à equipa após uma ausência de 56 dias. No interior, o jornal antecipa do "choque de titãs" entre Zlatan Ibrahimović e Cristiano Ronaldo.

AScoverAScover

Foi qualificado como "mágico" pela imprensa italiana na antevisão do encontro com a Juventus, mas o treinador do Mönchengladbach, André Schubert, não considera que a sua equipa precise de uma varinha mágica para derrotar os líderes do Grupo D na terça-feira. "é uma excelente equipa, que teve muito sucesso nos últimos anos", afirmou Schubert, que levou a equipa a seis triunfos consecutivos na Bundesliga desde que foi nomeado treinador principal em Setembro. "O que aconteceu nos últimos anos não tem influência neste jogo. Também não estamos mal e queremos causar problemas ao nosso adversário".

©AFP/Getty Images

O Estadio Deportivo, diário de Sevilha, e o AS dão destaque a Jesús Navas, extremo do Manchester City e antigo ídolo do Sevilha, que vai defrontar pela primeira vez o seu clube de infância. Natural da localidade vizinha de Los Palacios y Villafranca, o jogador que detém o recorde de desafios pelo Sevilha nas competições europeias (58) vai regressar ao Estadio Ramón Sánchez Pizjuán 12 anos despois de ter feito a estreia na Liga espanhola pelos sevilhanos.

Figura importante da equipa que conquistou a Taça UEFA em 2006 e 2007, assim como a SuperTaça Europeia de 2006, o Estadio Deportivo avisa que "vai ser estranho vê-lo a jogar pelo adversário, num estádio que será para sempre a sua casa, mas que certamente que será recebido com o carinho que merecem os 31 golos, 83 assistências e milhares de quilómetros percorridos pelo flanco direito Sevilha".

IMG_20151103_101811Spanish press

Na antevisão do encontro desta noite entre o Manchester United e o CSKA, a imprensa inglesa centra as atenções no jejum de golos dos anfitriões que dura há 325 minutos. O Independent recorda que o United só por duas vezes consentiu três nulos consecutivos - "em Janeiro de 2005, quando a equipa de Alex Ferguson parecia atordoada atrás de Chelsea e Arsenal, e em Setembro de 1921, no início de uma época em que ficou no último lugar e desceu de divisão".

"Não sempre é o ‘Teatro dos Sonhos’" é a manchete do Times, que cita o treinador Louis Van Gaal na conferência de imprensa ontem. O jornal acrescenta que: "Louis van Gaal contextualizou mal a mediocridade da sua equipa, os três empates consecutivos a zero, a falta de criatividade, a má forma de Wayne Rooney". O diário cita Van Gaal: "Nem sempre foi este grande ‘Teatro dos Sonhos’. Acredito que estamos a fazer história, mas isso leva tempo".

O The Mirror acrescenta: "A última fez que o United ficou em branco em quatro jogos seguidos foi no Outono de 1992, uma série negra que levou o clube a contratar Eric Cantona e a dar início a duas décadas de sucesso sem precedentes. Será que esta noite Van Gaal conseguirá uma mudança de sorte semelhante"?

UnitedEnglish press

Dieter Hecking, treinador do Wolfsburg:


O nosso objectivo é passar à fase seguinte e para isso temos de ficar no primeiro ou segundo lugar no nosso grupo, uma vitória aqui será mais um passo dessa direcção. O PSV é uma equipa forte e dotada tecnicamente. É verdade que sofreram três golos no último jogo fora de casa, mas marcaram seis!

Também fiquei impressionado com a grande ambiente frente ao Manchester United, os adeptos foram fantásticos. Temos de estar preparados para isso. O PSV vai fazer tudo para vencer.

©AFP/Getty Images

O PSV vai ter esta noite um desafio decisivo. A equipa de Phillip Cocu está no último lugar do Grupo B e precisa vencer o Wolfsburg para continuar a manter esperanças realistas em passar à fase seguinte. A história está do lado dos campeões holandeses, mas de forma tangencial, o clube venceu 19 dos 37 jogos disputados em casa a contar para a fase de grupos da UEFA Champions League.

©AFP/Getty Images

Laurent Blanc, treinadores do Paris:


O 0-0 não será suficiente. Respeitamos o nosso adversário, mas também somos ambiciosos e viemos aqui para impor o nosso jogo. Temos capacidade técnica e física, vamos precisar de ambas para o conseguir.

Este jogo vai ser muito especial para o Ángel Di María. Esteve muito tempo em Madrid e adora o clube. Espero que não sinta a pressão.

O futebol francês esteve muito tempo sem uma equipa de topo. Temos vindo a reforçar este grupo e esperamos estar ao mais alto nível a curto prazo. Não jogámos mal em Paris. Estivemos bem na defesa, mas termos de tomar melhores decisões na saída para o ataque.

©AFP/Getty Images

O Real Madrid tem estado imperial no Bernabéu na UEFA Champions League e vai querer bater o Paris, com quem está empatado com sete pontos na frente do Grupo A. Um triunfo sobre o emblema francês não garante ainda a vitória no grupo, mas deverá potencialmente garantir um lugar na fase seguinte a duas jornadas do final, pelo que os Merengues estarão focados em fazer um grande jogo. 

©Getty Images

Leonid Slutski, treinador do CSKA Moscovo:


É uma equipa muito diferente do que quando o defrontámos em 2009. O United continua a ser uma equipe de alto nível. O United é muito forte com a posse de bola e só posso dizer que vamos apostar no contra-ataque. Eles têm uma equipa que pode marcar a qualquer momento e a qualquer adversário.

©AFP/Getty Images

A grande questão que rodeia o Manchester United é quando irá terminar o jejum de golos. A última vez que a equipa inglesa esteve três jogos sem marcar foi em Janeiro de 2005, por isso amanhã será interessante ver a reacção dos adeptos em Old Trafford se o CSKA conseguir frustrar o United no início do encontro, tanto mais que a equipa da casa conseguiu apenas uma vitória nos últimos seis jogos em todas as competições. Louis van Gaal irá destacar os excelentes números defensivos da sua equipa esta época (13 golos sofridos em 18 jogos), mas imprensa e adeptos vão estar mais preocupados com o que se passa na outra baliza.

©AFP/Getty Images

Stanimir Stoilov, treinador do Astana:


O Atlético é favorito, mas tudo pode acontecer no futebol. A viagem de Madrid até aqui é muito longa e complicada, já jogámos em Lisboa e Madrid, por isso sabemos como é difícil. O tempo frio também pode causar problemas ao Atlético. Podemos abrir um pouco o telhado do estádio para lhes complicar ainda mais a vida.

©AFP/Getty Images

Manuel Pellegrini, treinador do Manchester City:


Um empate com o Sevilha não seria um mau resultado, mas vamos entrar em campo para ganhar. Vamos provar que somos uma equipa com muita qualidade. Considero que podemos jogar de várias formas: podemos jogar sem atacantes ou com quatro atacantes. Os nossos jogadores podem jogar em várias posições, mas temos sempre o mesmo objectivo: ganhar jogos.

Agora o mais importante é passar o mais rapidamente à fase seguinte. Temos uma grande equipe, é verdade que temos muitas lesões, mas estamos num bom momento e espero que possamos continuar a melhorar.

©AFP/Getty Images

Embora o Sevilha ainda não tenha vencido fora de casa esta época, a equipa de Unai Emery ganhou quatro dos últimos cinco jogos em todas as competições disputados no Estadio Ramón Sánchez Pizjuán, incluindo o triunfo sobre o Barcelona. A lesão sofrida por Kevin Gameiro no sábado é um rude golpe, mas Emery terá de encontrar uma alternativa no caso de Éver Banega também não poder defrontar o Manchester City.

André Schubert, treinador do Mönchengladbach:


Sou um mágico como o Harry Potter? Não tenho uma cicatriz na testa. Não temos varinha mágica ou poções mágicas. Trabalhamos muito todos os dias e, felizmente, tenho alguns mágicos, como o Ibrahima Traoré, na equipa.

A Juventus é uma excelente equipa, que teve muito sucesso nos últimos anos, mas o que aconteceu nos últimos anos não tem influência neste jogo. Também não estamos mal e queremos causar problemas ao nosso adversário. Temos respeito os seus enormes talentos individuais e também são uma equipa bem trabalhada tacticamente. Temos um plano para lidar com a flexibilidade táctica do nosso adversário. Amanhã saberemos se resultou.

.

Este é um desafio que o Mönchengladbach tem de vencer para continuar a ter legítimas aspirações de passar aos oitavos-de-final. Os alemães chegam a este desafio em boa forma e vão querer bater os finalistas da época passada, tanto mais que a Juventus está longe muito desses tempos.

©Getty Images

Åge Hareide, treinador do Malmö:


Amanhã espero que o Shakhtar vá atacar com todas as suas forças, provavelmente vão ter de correr mais riscos. Vamos estar mais concentrados na nossa defesa, mas se conseguirmos fazer boas transições da defesa para o ataque e encontrar espaço, será mais complicado para o Shakhtar. Vai ser decisivo a forma como defendermos e como atacarmos. O futebol na Ucrânia continua a ser muito forte e temos que levar isso em consideração.

©AFP/Getty Images

Este desafio é decisivo para o Shakhtar, pois a derrota na Suécia com Malmö colocou em risco o objectivo mínimo do clube: a passagem à UEFA Europa League. Os ucranianos tinham prometido dificultar a vida aos favoritos do Grupo A, Real Madrid e Paris, mas continuam sem pontuar, e sem marcar golos, a meio da fase de grupos. A boa forma do Shakhtar nas competições nacionais significa que ainda há esperança.

©AFP/Getty Images

Jérôme Rothen, antigo médio do Paris e finalista da UEFA Champions League de 2004 pelo Mónaco:


O Paris pode ser uma ameaça para o Real Madrid esta noite. Vai ser um jogo de alto nível e será decidido nos pequenos detalhes. Considero que o Paris pode ganhar não só porque continuo a ser adepto do clube, mas porque não se deve sentir inferior ao Real Madrid.

©Getty Images

Numa altura em que a Juventus prepara o desafio do Grupo D em Mönchengladbach, o avançado “bianconeri” Mario Mandžukić encontrou tempo para falar com Jupp Heynckes, que foi seu treinador no Bayern. Na primeira época em Munique, sobre o comando de Heynckes, Mandžukić ajudou o Bayern a fazer um “tripla” inédita na Alemanha ao marcar 22 golos em todas as competições, incluindo o primeiro no triunfo sobre o Dortmund, por 2-1, na final da UEFA Champions League em 2013.

Robert Pires e Arsène Wenger discutem a táctica do Arsenal para a deslocação ao reduto do Bayern…

©Getty Images
©Getty Images
©Getty Images

Josep Guardiola, treinador do Bayern:


É um novo jogo depois da derrota em Londres [na terceira jornada], isto acontece na UEFA Champions League, mas considero que mostrámos que queríamos ganhar o jogo. Amanhã é um novo desafio e queremos ganhar frente aos nossos adeptos.

O Arsenal é uma equipa forte, mesmo que não possa contar com alguns jogadores. O guarda-redes Petr Čech é um dos melhores do mundo. O Arsenal quer ditar o ritmo de jogo e manter a posse de bola. Basta ver os jogadores com que vão alinhar, são jogadores que gostam de ter a bola. Vão querer a atacar e talvez apostar nas bolas longas para o Giroud. Vamos ter de nos adaptar.

Nunca pedi aos meus jogadores antes de um desafio para jogarem para o empate, peço para atacarem o mais possível e para criarem o maior número de oportunidades possível. Amanhã vamos jogar ao ataque.

Rui Vitória afirmou que o Benfica pode vencer esta noite o Galatasaray, isto apesar de vários titulares estarem lesionados. Andreas Samaris (castigado) e Nélson Semedo (joelho) ficam de fora, enquanto Ljubomir Fejsa (pé) e Kostas Mitroglou (tornozelo) estão em dúvida e ainda vão fazer testes para ver se podem jogar.

O jornal desportivo A Bola escreve "Águia quer voar alto na Europa", acrescentando que objectivo para hoje é "ganhar ao Galatasaray para estar entre as 16 melhores equipas da UEFA Champions League".

O Record destaca as palavras do avançado brasileiro Jonas, que afirmou que "Nicolás Gaitán é fundamental". O internacional argentino marcou nos três jogos disputados no Grupo C.

©AFP/Getty Images

Igor Stasevich, um dos jogadores mais importantes do BATE, renovou contrato com o clube de Borisov até ao final do próximo ano. O médio regressou ao clube da cidade onde nasceu e onde fez a formação em 2015, após uma ausência de quatro anos, e participou em 34 jogos esta época, tendo conseguido oito golos e 12 assistências em todas as competições.

O avançado Nikolai Sergeevich vai falhar o jogo com o Barcelona devido a uma lesão num tornozelo, tal como Vitali Rodionov, que está afastado dos relvados desde Agosto devido a um problema num joelho.

©AFP/Getty Images

Andrei Kanchelskis, antigo médio do Manchester United, considera que o CSKA pode bater a equipa de Louis van Gaal esta noite. "O CSKA tem de tentar marcar, pois é muito difícil sair de Old Trafford sem sofrer golos", explicou numa entrevista ao Sport Express. "No primeiro jogo o CSKA mostrou que é possível ganhar a esta equipa. Estive no estádio e fiquei surpreendido por o United ter jogado tão mal na primeira parte. Teve mais posse de bola, mas quase não criou perigo na área do CSKA".

©Getty Images

O Porto chegou ontem a Haifa, onde na quarta-feira vai defrontar o Maccabi. As novidades na convocatória de Julen Lopetegui são o jovem guarda-redes João Costa e o avançado André Silva, que esta época, aos 19 anos, marcou nove golos em dez jogos pela equipa B.

A titular no ataque deve continuar Vincent Aboubakar. O avançado camaronês está em grande forma e já marcou três golos no Grupo G, contando um total de seis na prova. Aboubakar marca um golo a cada 90 minutos na UEFA Champions League, destaca O Jogo, antes de sublinhar que que "só dois jogadores chegaram mais depressa aos seis golos em toda a história da prova". O jornal acrescenta: " Jackson Martínez, antigo ponta-de-lança do Porto precisou do dobro do tempo para marcar seis golos na UEFA Champions League".

©AFP/Getty Images

A equipa do Mönchengladbach está optimista para o encontro desta noite com a Juventus. "Temos hipóteses de garantir a continuidade nas competições europeias e queremos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para continuar nesta prova", afirmou o médio Lars Stindl antes do reencontro com os campeões italianos. "Já mostrámos que conseguimos dar luta à Juventus".

©Getty Images

"Será que Hecking volta a acertar"? questiona o Wolfsburger Nachrichten antes do jogo do Wolfsburg em Eindhoven. O jornal destaca o facto do treinador Dieter Hecking ter acertado em cheio nas últimas substituições que fez. "Três suplentes marcaram nos últimos três jogos. Esperemos que a história se repita frente ao PSV Eindhoven".

©AFP/Getty Images

O capitão Granit Xhaka afirmou que o Mönchengladbach ainda não perdeu a esperança de passar aos oitavos-de-final da mais prestigiada competição de clubes da Europa, apesar de chegar à quarta jornada no último lugar do Grupo D.

"Confirmámos a qualidade da Juventus no jogo em Itália", afirmou o internacional suíço que, há duas semanas, ajudou a sua equipa a impor um nulo em Turim. "Considero que se arriscarmos um pouco mais nas saídas para o ataque podemos causar-lhes problemas. Se dessa forma conseguirmos ficar no segundo, ou mesmo no primeiro lugar no grupo, ficaremos muito felizes".

©AFP/Getty Images

O Arsenal está em boa forma e viaja para Munique com esperança renovada de lutar pela qualificação. Após a derrota na terceira jornada, a equipa de Josep Guardiola sabe que tem de aproveitar as oportunidades que criar ou corre o risco de voltar a ser castigada pelos ingleses em contra-ataque. "O mais importante é controlarmos o jogo e marcarmos o primeiro golo", explicou Robert Lewandowski, avançado do Bayern.

Thiago Alcántara, médio do Bayern:


Custa sempre perder um jogo, nunca ninguém gosta de perder. Ambas as equipas precisam ganhar. Penso que o Arsenal vai jogar ao ataque, vai pressionar e querer manter a bola. Não temos de sentir qualquer pressão, o importante é estarmos concentrados na nossa forma de jogar. A nossa filosofia é tentar ganhar todos os jogos.

O Douglas Costa tem tudo o que um atacante precisa: velocidade, técnica e capacidade de concretização. Com o Costa, o Arjen Robben, o Kingsley Coman e o Franck Ribéry ficamos com um ataque incrível.

Javi Martínez, médio do Bayern:


Vai ser um belo jogo frente a uma das melhores equipas da Europa, estamos ansiosos por este desafio perante os nossos adeptos. Sinto-me muito bem depois de disputar dois jogos seguidos. Não sinto qualquer problema no joelho, não tenho qualquer dor. Penso que estou quase a 100 por cento. Estou pronto para jogar, este encontro é muito importante para nós e para eles.

Em risco de ser eliminado na fase de grupos da UEFA Champions League pela primeira vez em 16 anos, o Arsenal reuniu as tropas e conseguiu um improvável triunfo na recepção ao Bayern na terceira jornada. Agora a equipa que tem estado em boa forma na Premier League desloca-se à capital da Baviera com a confiança de que poderá repetir o triunfo conseguido na segunda mão dos oitavos-de-final de 2013. Quem marcou os golos nesse encontro? Olivier Giroud e Laurent Koscielny, que também contribuíram para o triunfo do Arsenal por 3-0 no reduto do Swansea no último sábado.

©AFP/Getty Images

John Terry, capitão do Chelsea:


O nosso balneário continua unido, nos últimos dois ou três dias ouvimos histórias ridículas. Posso garantir que os jogadores apoiam o treinador a 100 por cento. Estamos unidos, quem tenha assistido aos últimos quatro ou cinco jogos pôde ver que fomos extremamente infelizes. Vamos inverter esta situação. Continuamos unidos.

O treinador é muito exigente, quer que os jogadores ganhem, tem a maior parte da responsabilidade sobre os seus ombros. Fica arrasado sempre que não consegue ganhar. Vamos reagir colectivamente e recuperar na tabela classificativa. Em todos os aspectos, José Mourinho é de longe, por uma diferença muito grande, o melhor treinador com que trabalhei. Vamos dar a volta a esta situação. Ele vai dirigir a equipa até ao final da época e por muto tempo após eu terminar a carreira, pois é o homem certo para levar o clube para a frente. Todas estas críticas são injustas. Estamos preparados para lutar e todos os que assistiram aos jogos puderam ver isso.

José Mourinho, treinador do Chelsea:


Ontem um amigo enviou-me algumas frases da conferência de imprensa depois da final da UEFA Champions League em Maio de 2004, que eu já me tinha esquecido. Nessa altura disse que um dia os maus resultados iriam surgir na minha carreira, disse isso em 2004, depois de vencer a final da UEFA Champions League com o Porto. Resisti bem à natureza do meu trabalho, à natureza do futebol, adiei este momento por 11 anos. Demorou algum tempo, mas finalmente chegou e estou estável e forte para o enfrentar. Tento melhorar todos os dias, analiso todos os detalhes do trabalho que realizo todos os dias. Analiso os jogos, é isso que faço todos os dias. Faço tudo pelos meus jogadores e não vou mudar.

Penso que o Chelsea vai terminar no primeiro lugar no grupo e tenho a certeza que vamos conseguir a qualificação. A realidade é que nem temos de ganhar este jogo, um empate e duas vitórias chegam para nos qualificarmos.

©Getty Images

Rudi Garcia, treinador da Roma:


No primeiro jogo ficamos a saber que o Leverkusen tem uma grande qualidade no ataque e alguns pontos fracos na defesa. Não temos escolha, vamos jogar para ganhar, como sempre, e temos que vencer. Neste momento ninguém está apurado e ninguém está eliminado. Sabemos que precisamos de uma vitória e queremos consegui-la amanhã.

©AFP/Getty Images

Ainda sem qualquer vitória no Grupo E, a Roma necessita mostrar a boa forma que tem exibido na Serie A e, sobretudo, melhorar uma defesa que encaixou oito golos nos três jogos da fase de grupos. Um triunfo deixará o Leverkusen com um pé nos oitavos-de-final, pelo que Roger Schmidt não deve abdicar a sua filosofia atacante para o desafio no Stadio Olimpico de Roma.

©Getty Images

Thomas Vermaelen, defesa do Barcelona:


Amanhã pode ser um dia especial, posso fazer a estreia pelo Barcelona na UEFA Champions League [frente ao BATE em Camp Nou]. Vai ser muito especial e estou ansioso. As pessoas podem estar preocupadas se estou nas condições física ideais, mas sinto-me bem. Não tenho receio de me lesionar. Fiquei desiludido quando tive um pequeno revés no início da época, mas sinto-me bem novamente e eu não tenho medo de sofrer outra lesão.

©AFP/Getty Images

Os holandeses sonham com uma surpresa do PSV.

Radamel Falcao sofreu uma lesão muscular durante o treino que o Chelsea realizou em Cobham. O treinador José Mourinho confirmou depois que o avançado colombiano vai ter de parar durante algumas semanas.

©Getty Images

Hein Vanhaezebrouck, treinador do Gent:


Vimos em Valência que são uma equipa muito bem organizada e mostrou toda a sua classe. Controlámos grandes partes do jogo, mas não conseguimos marcar. Frente ao Valência temos sempre de estar muito atentos ao contra-ataque, pois eles são excelentes. A grande diferença é que desta vez jogamos em casa e temos o apoio de 19.000 adeptos.

©AFP/Getty Images

Luis Enrique, treinador do Barcelona:


O objetivo é vencer, queremos continuar na liderança do grupo. O Sergi Roberto está bem, conhecíamos a sua qualidade, está mais do que preparado para o desafio. O Thomas Vermaelen é um bom jogador, forte e com grande confiança. O seu regresso é uma excelente notícia para a equipa. Amanhã não vamos jogar em 4-4-2, podemos testar outras alternativas, é bom conseguir sermos flexíveis em campo.

©Getty Images

O jornal turco Hürriyet destacou elementos que podem ser decisivos para o Galatasaray conseguir, esta noite, um resultado positivo em casa do Benfica. A pressão alta, os passes em profundidade e a capacidade de evitar cair na armadilha do fora-de-jogo serão aspectos decisivos para o Galatasaray tentar chegar ao golo, mas o diário explica também que os turcos terão de ter atenção aos extremos do Benfica, evitar que os defesas fiquem sozinhos perante os atacantes da equipa da casa e evitar fazer faltas nas imediações da área.

Slaviša Jokanović, treinador do Maccabi Tel-Aviv: 


Espero que a minha equipa este amanhã ao seu melhor nível. Para muitos dos nossos jogadores esta é uma experiência nova e estão a aprender a jogar contra este tipo de equipas, em que todos os erros são fatais. Jogámos com o Porto há duas semanas. Eles estão privados de alguns jogadores importantes, mas têm um plantel vasto e não vão ter problemas.

Espero que o nossa equipa seja mais competitiva do que no primeiro jogo. Poderíamos dizer que precisamos de mais jogadores, mas isso não é possível, temos de nos adaptar e foi por isso que transformámos o Zahavi num avançado. Talvez não seja o melhor lugar para ele, mas é o melhor lugar para mim.

Temos vontade de mostrar aos nossos adeptos aquilo que somos e retribuir por todo o apoio que nos têm dado. Vamos tentar estar concentrados e ser eficazes, de forma a conseguir o resultado que pretendemos.

©AFP/Getty Images

Hubert Fournier, treinador do Lyon:


Temos de estar optimistas e jogar com um “loucura organizada”. Estamos sob pressão, é a última hipótese. Temos de ser fortes no ataque e evitar os contra-ataques do Zenit. A chave deste jogo é evitar cometer os mesmos erros. Espero que a minha equipa consiga mostrar o orgulho e ambição. Queremos mostrar que somos dignos de estar nesta competição.

©AFP/Getty Images

Marco Silva, treinador do Olympiacos:


Não acredito que o jogo de amanhã seja decisivo para o desfecho do grupo. O último jogo será o mais decisivo. Claro que se ganharmos, melhoramos as nossas hipóteses de continuar em prova, mas não será decisivo.

É sempre importante marcar primeiro, mas isso também não é decisivo. O que é importante é estarmos bem preparados para tudo para, se eles marcarem primeiro, estarmos prontos para reagir. Não temos receio de nada, mas nem tudo depende de nós. O nosso adversários é forte. O que temos de fazer amanhã é jogar melhor que os nossos adversários em todos os sectores, temos de ser superiores.

Em Zagreb jogámos muito bem frente a uma equipa que estava invicta em casa há 50 jogos, o que mostra bem a dimensão da nossa proeza. Eles são muito fortes e perigosos no contra-ataque. Temos de causar mais estragos a eles do que eles a nós.

©Getty Images

Já se sente o ambiente de jogo grande antes do Benfica-Galatasaray

André Villas-Boas, treinador do Zenit:


O Hulk está em condições, mas o Ezequiel Garay fica de fora. Estamos em boa posição, mas queremos garantir a qualificação o mais rapidamente possível. O Lyon vai pressionar alto, não tem nada a perder. Um ponto praticamente garante o nosso apuramento. O Lyon está numa boa fase no campeonato. A nossa situação é um pouco diferente, mas estamos muito concentrados na UEFA Champions League e esperamos que os resultados positivos possam influenciar o jogo do Lyon.

Claro que os clubes franceses sentem dificuldades na Europa, talvez por causa da sua juventude, mas seria bom ver o Paris e outras equipas francesas chegarem mais longe nas provas da UEFA.

©AFP/Getty Images

Zoran Mamić, treinador do Dínamo Zagreb:


Estamos à espera de um grande jogo, perante adeptos entusiásticos e com um grande ambiente. Jogámos bem no primeiro encontro em Zagreb e acreditamos que amanhã vamos jogar ainda melhor. A nossa relativa inexperiência pode provocar-nos alguma preocupação, mas também pode servir como motivação. Esperamos que o Olympiacos seja agressivo, mas estamos preparados para isso. É uma equipa muito disciplinada e organizada, com grande coesão. Também são muito fortes individualmente e saber tirar o melhor partido das jogadas de bola parada.

©Getty Images

Arsène Wenger, treinador do Arsenal: 


Queremos voltar a fazer um resultado positivo. Estivemos bem na última jornada e isso deixa-nos motivados para o desafio de amanhã. Vai ser uma boa oportunidade para mostrar que crescemos como equipo. O Mesut Özil evoluiu bem e ganhou muita confiança. É inteligente e está no seu melhor período, os jogadores atingem o zénite entre os 27 e os 32 anos.

Espero que o Bayern nos coloque sob uma grande pressão, tanto mais que conta no ataque com jogadores como Müller, Lewandowski e outros mais. O melhor para nós talvez seja também atacar e tentar marcar. Se perdermos ficamos numa posição difícil. Queremos jogar para ganhar. O Bayern é uma boa equipa, mas tenho certeza que temos qualidade para lutar com eles.

©AFP/Getty Images

Julen Lopetegui, treinador do Porto:


O Maccabi joga em casa e vai ser uma equipa diferente [em relação à terceira jornada], motivada e com vontade de somar os primeiros pontos no grupo. Entro em todos os jogos para ganhar. As lesões fazem parte do jogo. Conto com os jogadores disponíveis e tenho a certeza que podem conseguir aquilo que queremos.

A minha principal preocupação é conseguir a qualificação para a fase seguinte da UEFA Champions League e amanhã podemos dar um grande passo para alcançar este objectivo. Respeitamos o Maccabi Tel-Aviv, é uma boa equipa, com bons jogadores e muitos adeptos em sua casa. Vamos ter de estar ao nosso melhor nível.

©AFP/Getty Images

O MatchCentre da UEFA Champions League passa a ser o responsável pela noite, com comentário de texto minuto-a-minuto dos sete jogos desta noite. O blogue volta a entrar em actividade ao início da manhã com as reacções aos desafios desta noite e os preparativos para os jogos de quarta-feira, contamos consigo.

Clique aqui para ir para o MatchCentre da UEFA Champions League.

O Shakhtar venceu pela primeira vez, o PSV tem os mesmos seis pontos que o Wolfsburg, a esperança do Gladbach terminou aos pés da Juventus e o Benfica lidera com mais dois pontos que o Atlético. Eis o que aconteceu na terça-feira...

• Quais vão ser os jogos da quarta jornada?
Notícias das equipas antes dos jogos de quarta-feira
• Antevisão do jogo: Bayern v Arsenal
Antevisão do jogo: M. Tel-Aviv v Porto
Como estão os grupos?
• Esteja a par de todos os números na nossa secção de estatísticas

"Tantos lamentos" exclama o L'Équipe desta manhã depois do Real Madrid ter conseguido suster a vaga atacante do Paris na primeira parte e garantir uma disputada vitória no Grupo A, que valeu, para já, lugar nos oitavos-de-final. O jornal coloca uma imagem de Edinson Cavani, que viu o golo ser-lhe negado em cima da linha depois de uma noite de desilusões para a formação da Ligue 1.

"Derrotado com um erro de Kevin Trapp, o PSG perde em Madrid apesar de dominar o Real," pode ler-se, destacando o papel de Trapp e de Nacho no golo decisivo, na primeira parte. Entretanto, o Le Parisien fala de uma "Champions League cruel" e de um "golo de sorte" para o Real, com o título "De nervos".

lequipeL'Équipe

Na capital espanhola fala-se da pálida exibição do Real Madrid - apesar da vitória. O Diario AS escreve que o resultado da noite de ontem foi "um milagre no Bernabéu," conquistada com um golo fortuito e salva por o Paris ter acertado três vezes no poste. Apesar de ter apenas 41% de posse de bola no Santiago Bernabéu, o Madrid conseguiu bater uma forte equipa francesa e rumar aos oitavos-de-final. No entanto, nas interiores pode ler-se que há grandes dúvidas no que toca ao valor da equipa quando faltam três semanas para o El Clásico.

ASAS

Marca, por seu lado, é também crítica ao escrever que o ao mesmo tempo que o Real Madrid tem excelentes números estatísticos, tem também "um jogo pobre." O jornal da capital espanhola afirma que o Paris dominou a primeira parte e que teve o Real à sua mercê. Ainda na primeira página pode ler-se que "o Madrid está nas rondas a eliminar... sem saber como," e que o "todo o jogo foi muito sofrido para os adeptos do Real Madrid."

MarcaMarca

O jornal ucraniano Sport-Express antecipa a viagem do Dynamo Kyiv a Londres e disseca a primeira vitória do Shakhtar na prova. A formação de Serhiy Rebrov enfrenta um Chelsea em dificuldades em Stamford Bridge, esta noite.

O Shakhtar regressou às vitórias em grandes estilo esta terça-feira, ao golear o Malmö em Lviv. "O Shakhtar venceu o jogo europeu mais importante do Outono, mas deixou uma questão relevante - como é que esta equipa fantástica perdeu em Malmö?", questiona o jornal. Há duas semanas os mineiros foram derrotados por 1-0 na Suécia, mas marcaram por quatro vezes em casa e estão agora no terceiro posto do grupo A.

Sport ExpressSport-Express

Uma das relevantes estatísticas para o jogo de mais logo é que, passado pouco mais de um ano da estreia, Luis Suárez tem um registo goleador semelhante ao de Diego Maradona no Camp Nou. Com mais dois golos ele irá igualar o argentino - tem ainda oito jogos para marcar três vezes, situação que o deixaria em igualdade com o antigo avançado do Barcelona, Romário.

Mundo DeportivoMundo Deportivo

A lenda do Manchester United, Peter Schmeichel, acredita que a vitória de ontem à noite por 1-0 sobre o CSKA Moscovo foi conseguida na melhor exibição da época que viu da equipa de Louis van Gaal: "Parece que Van Gaal deverá ter ouvido [a imprensa] – uma pequena mudança nos nomes, com [Wayne] Rooney no apoio a [Anthony] Martial, que estava a jogar pelo meio," disse o antigo guarda-redes do United à Sky Sports. "Rooney jogou muito, muito bem. Parece que essa é a sua posição. No final, foi para 9 e marcou daí, mas ele recua, de modo a poder passar a bola."

©AFP/Getty Images

Manchester City deu a resposta certa a quem afirmou que era uma equipa demasiado ingénua para ter sucesso na prova ao terminar com a série de Sevilha de dez jogos seguidos a ganhar em casa na Europa, segundo o Manchester Evening News: "Manuel Pellegrini tem sido criticado pela ingenuidade da sua equipa do Manchester City na Europa nas duas últimas épocas. O que vimos no Ramón Sánchez Pizjuán foi o voltar do City orientado por um treinador pragmático na Europa - sem nunca perder o pendor atacante que sempre foi a sua identidade e na qual Pellegrini insiste."

©AFP/Getty Images

O playmaker do Arsenal, Mesut Özil, afastou os receios sobre a sua capacidade em jogar ao mais alto nível nos jogos decisivos, pode ler-se no Telegraph. "Aquando da chegada à Alemanha na noite de ontem, Özil era estatisticamente o mais eficaz criador de golos na Europa. As suas nove assistências fazem dele o melhor nesse capítulo nas cinco principais ligas europeias e mostram que está na melhor forma da sua carreira. A diferença não está apenas no facto dele ser capaz de produzir esses momentos de enorme qualidade individual - recorde-se o toque para Alexis Sánchez em Leicester, um dos melhores passes da época – mas agora é cada vez mais influente nos jogos."

©AFP/Getty Images

No Independent, pode ler-se que o treinador do Chelsea, José Mourinho, enfrenta os dois jogos mais importantes da sua carreira de treinador, a começar com frente ao Dynamo Kyiv, esta noite: "Mourinho tem de conseguir uma das maiores reviravoltas dos últimos tempos no futebol moderno. Teria de começar frente ao Dínamo de Kiev de modo a colocar o Chelsea na rota do apuramento na UEFA Champions League."

©Getty Images

Wayne Rooney, capitão do Manchester United:


Denis Law é uma lenda deste clube, pelo que estou muito satisfeito por igualar o seu recorde. Estamos na frente do grupo, mas são somámos três pontos. Temos agora outro jogo importante contra o PSV. Outro triunfo e estamos apurados.

Nenhum deles havia sofrido golos até ontem na presente UEFA Champions League, mas seria o guarda-redes do Real Madrid, Keylor Navas, quem terminou o encontro como o único que ainda não foi batido na temporada 2015/16. Com Kevin Trapp, do PSG, a ser batido pelo tento de Nacho, Navas – que esteve perto de deiar o clube no Verão – deu segurança e estabilidade à sua equipa, sendo que com duas belas intervenções manteve o seu registo intacto.

Wayne Rooney foi o homem mais elogiado devido ao golo da vitória – o seu 237º pelo Manchester United, que o deixa empatado com Denis Law – mas contra o CSKA Moskva seria um jovem a despontar quem foi escolhido para o homem do jogo ...

Foi uma noite de contrastes para os atacantes holandeses em Eindhoven, com o PSV a ganhar ao Wolfsburg por 2-0. Enquanto Luuk de Jong criou o golo para Jürgen Locadia e apontou o outro, Bas Dost, que liderou o ataque dos alemães, poucas bolas recebeu  e nunca chegou a ameaçar a defesa dos da casa.

Locadia, de 21 anos, que jogou no lugar de Maxime Lestienne na ala esquerda, fez um bom jogo. Esteve perto do golo antes do intervalo e finalizou com classe, na segunda parte, selando uma importante vitória no Grupo B. "Foi um sentimento incrível marcar em Eindhoven, pelo que foi uma noite especial", disse ao UEFA.com. "O jogo foi difícil, mas jogámos um bom futebol nos 90 minutos".

©Getty Images

Apesar da derrota por 1-0 na visita ao Real Madrid em partida do Grupo A, os jogadores do Paris saíram do Santiago Bernabéu optimistas.

Ángel Di María disse que esta foi a "melhor exibição da temporada da sua equipa", apesar dos apenas três remates no alvo serem algo que poderá ir contra esse sentimento.

"É duro," disse Di María, que regressou ao Bernabéu pela primeira vez desde que trocou os Merengues pelo Manchester United em Agosto de 2014. "Fizemos um jogo excepcional, mas cometemos um erro e perdemos. Jogámos dez vezes melhor que o Madrid, mostrando que o Paris pode lutar contra as melhores equipas do mundo.

"Precisamos de continuar a trabalhar de modo a evitar que esses erros que nos custaram tão caro voltem a acontecer. Estamos no caminho certo, pois a equipa é forte - titulares e suplentes. Dominámos o jogo."

"[Defrontar o meu antigo clube] não foi o que queria dado que perdemos, mas foi bom rever antigos colegas aqui no Bernabéu," disse o jogador de 27 anos. "Dito isto, não aconteceu o mais importante - ganhar."

©AFP/Getty Images

Há quatro anos Sergi Roberto marcou o seu primeiro golo na UEFA Champions League - frente ao BATE. Apenas quatro dos jogadores do Barcelona dessa noite estão hoje no clube. Mas o catalão de 24 anos está na melhor época de sempre - marcou no último jogo da fase de grupos em Camp Nou - e foi descrito como o "jogador da moda" pelo Diario Sport de hoje.

Dario SportDiario Sport

O capitão do Benfica, Luisão, é a capa dos jornais desportivos depois de marcar o golo que deu a vitória por 2-1 sobre o Galatasaray em Lisboa, resultado que deixa os campeões portugueses na frente do Grupo C e muito perto dos oitavos-de-final. A Bola escreve: "Luisão foi gigante: participou no primeiro golo, marcou o segundo e ajudou a segurar o resultado no final". O Record acrescenta que o "Benfica pode garantir um lugar nos oitavos-de-final com uma vitória sobre o Astana no próximo jogo, ou caso o Galatasaray derrote o Atlético". O Jogo, por seu lado, fala do único aspecto negativo da noite: "Gaitán foi expulso e vai falhar a viagem a Astana."

©AFP/Getty Images

"Uma exibição moralizadora" é como o diário Rheinische Post resumiu o jogo do Gladbach depois do empate 1-1 contra a Juventus, que não foi suficiente para manter vivas as esperanças da formação alemã na prova. "É algo que não se vê sempre numa temporada, uma equipa que domina a Juventus a espaços", pode ler-se.


©Getty Images

Francis Coquelin, médio do Arsenal:


Jogámos muito bem contra o Bayern [na terceira jornada]. Sabemos do que somos capazes, mostrámos no primeiro jogo e vamos tentar de novo agora. Infelizmente não começámos bem a Champions League e sabemos que temos de somar pontos contra o adversário mais forte do grupo.

©Getty Images

André Gomes, médio do Valência:


Estamos a crescer, estamos mais confiantes e tentamos melhorar todos os dias. Estamos preparados e prontos. O nosso objectovo é sempre o mesmo, tentar ganhar cada jogo. Fazemos isso no campeonato e também na Champions League. Somos um grupo unido e se vencermos um dos nossos objectivos fica já cumprido.

©AFP/Getty Images

Zoran Mamic, treinador do Dinamo Zagreb:


Esperamos um grande jogo em frente a um público apaixonado. Fizemos um grande jogo em Zagreb e acreditamos que podemos jogar ainda mais - apesar do ambiente apaixonado que vamos encontrar.


©AFP/Getty Images

Marco Silva, treinador do Olympiacos:


Como disse anteriormente, não acredito que o jogo de amanhã seja decisivo para as decisões finais do grupo. O último jogo será decisivo. Claro que ganhar nos ajuda a estar mais próximos do apuramento, mas não será decisivo. Em Zagreb, estivemos muito bem frente a uma equipa que não perdia em casa há 50 jogos. Isso mostra o nível da nossa decisão. Eles são muito fortes e perigosos no contra-ataque. Temos que causar mais problemas a eles que eles a nós.

©AFP/Getty Images

Hubert Fournier, treinador do Lyon:


Precisamos de ser positivos e jogar com uma pequena dose de loucura organizada. Queremos mostrar que somos melhores do que mostrámos até agora. Esperamos poder vencer o Zenit.


©AFP/Getty Images

André Villas-Boas, treinador do Zenit:


Estamos numa boa posição, mas queremos o apuramento o mais rápido possível - um ponto e estaremos quase lá. O Lyon não tem nada a perder e está numa boa série na Ligue 1 depois de duas vitórias; para nós é um pouco diferente. Mas estamos muito concentrados na Champions League.

O Lyon tem estado bem nos últimos anos. Teve altos e baixos, mas têem uma grande estrutura, uma grande cultura, grandes fundações. Seria bom ver o Paris ou outras equipas franceses irem mais longe na Europa.

©AFP/Getty Images

Hein Vanhaezebrouck, treinador do Gent:


Vimos em Valência que são muito bem organizados e que mostraram a sua classe. Durante grandes partes do jogo, controlámos mas não marcámos. Com o Valência, temos que ter cuidado com os seus contra-ataques - são muito bons nisso. A grande diferença desta vez é que jogamos em casa e temos 19 mil adeptos connosco.

©AFP/Getty Images

Serhiy Rebrov, treinador do Dynamo Kyiv:


Não deveríamos pensar no que está a acontecer no Chelsea, porque o que lhes está a acontecer a eles acontece a todos numa dada altura. Estou certo que o seu treinador tem muita qualidade para lidar com esta situação e que irá encontrar uma solução. Precisamos de pensar no nosso jogo e não se eles são ou não um animal ferido. Não pensámos assim em Kiev e não o faremos aqui. Desejamos a melhor sorte ao Chelsea na Premier League, mas não neste jogo. A única coisa que me preocupa é a vitória neste jogo.

©AFP/Getty Images

Nuno Espírito Santo, treinador do Valência:


Desde o começo da prova que sabemos que o Gent é uma boa equipa, são campeões da Bélgica e agora estão de novo na frente da sua liga. São fortes em casa, mas estamos preparados e focados. Sabemos que será um jogo complicado, mas não estamos em nada surpreendidos com a qualidade do Gent. Vamos tentar jogar melhor fora, como acontece em casa. O Mestalla dá-nos muita energia e seria muito bom jogar lá sempre!

©AFP/Getty Images

Rudi Garcia, treinador da Roma:


O primeiro jogo mostrou-nos que o Leverkusen tem uma grande capacidade na frente e algumas fraquezas na defesa. Não temos opção - temos que jogar para ganhar como sempre e temos de o fazer. Nesta altura, ninguém está apurado ou eliminado. Sabemos que precisamos e ganhar e queremos somar os três pontos.

©AFP/Getty Images

Roger Schmidt, treinador do Leverkusen


Perdemos fora com Lazio e Barcelona esta época, pelo que precisamos de melhorar, mas isso não quer dizer que venhamos a Roma para defender. O Javier Hernández está a jogar cada vez melhor. A Lazio e a Roma são incomparáveis: a Roma tem um estilo mais espectacular e dinâmico.

©AFP/Getty Images

Aleksandr Yermakovich, treinador do BATE:


Claro que temos noção do poderio adversário e esperamos que eles joguem com a sua melhor equipa, mas estamos completamente preparados para este jogo. Jogamos contra a melhor equipa do mundo e que tem os melhores jogadores para as respectivas posições. Estamos entusiasmados pela possibilidade de ir encontrar uma equipa com tanta qualidade.

©AFP/Getty Images

Luis Enrique, treinador do Barcelona:


A recuperação do Leo Messi está a recuperar com planeado. Não há nenhuma actualização sobre a sua lesão. Mas não me preocupo demasiado com lesões antes do Natal. Esta época as lesões obrigaram-me a utilizar mais outros jogadores, mas em Janeiro estaremos de volta no nosso máximo. Não vamos jogar em 4-4-2; se calhar vamos tentar outras formações. É bom haver flexibilidade em campo.

©AFP/Getty Images

Slaviša Jokanovic, treinador do Maccabi:


Espero a melhor exibição até agora e não conto com nada menos do que uma vitória. Para muitos dos nossos jogadores enfrentar uma equipa como esta é uma nova experiência - cada erro tem um preço. Queremos mostrar aos nossos adeptos quem somos e dar-lhes uma alegria. Vamos tentar jogar concentrados e eficazes. A nossa situação obriga-nos a não desperdiçar qualquer ocasião.

Julen Lopetegui, treinador do Porto:


A minha principal preocupação é atingir a próxima fase e amanhã podemos dar um grande passo rumo a esse objectivo. Respeitamos muito o Maccabi Tel-Aviv; é uma boa equipa, com bons jogadores e que vai ter os adeptos do seu lado. Vamos ter de dar o nosso melhor. Temos uma oportunidade de consolidar a nossa posição no grupo.

©AFP/Getty Images

Arsène Wenger, treinador do Arsenal:


Vamos tentar prosseguir o mesmo caminho e queremos a mesma exibição que realizámos contra eles no último jogo. Queremos novamente um resultado positivo. Continuamos a evoluir como equipa. Estivemos bem nas últimas semanas e tal deverá dar-nos a crença de que podemos conseguir algo amanhã. Será uma boa ocasião para mostrarmos que evoluímos como equipa.

©AFP/Getty Images

"O Man United somou o seu primeiro ponto frente a uma equipa russa", escreveu o diário russo Sport-Express depois da derrota por 1-0 do CSKA’ em Old Trafford, acrescentando: "Depois de Doumbia ter falhado uma ocasião clara quando estava 0-0, é difícil afirmar quem merecia chegar ao golo" O Sport Den za Dnem acrescenta: "Enquanto o CSKA está na frente da liga russa, é última no seu grupo da UEFA Champions League."

©AFP/Getty Images

O líder do Grupo G, o Porto poderá garantir o apuramento para os oitavos-de-final quando defrontar esta noite o Maccabi Tel-Aviv, com o Record a prever uma surpresa nos titulares com a entrada do médio mexicano Hector Herrera. A Bola e o O Jogo, por seu lado, falam das palavras de Maxi Pereira, que afirmou: "O meu sonho é ganhar a Champions League com o Porto." O Jogo acrescenta mais palavras do lateral uruguaio: "O antigo jogador do Benfica quer colocar as coisas como deve ser e esquecer duas derrotas na final da UEFA Europa League com as Águias"

©AFP/Getty Images

A imprensa grega espera que o Olympiacos faça mais uma boa exibição depois de vitórias seguidas ante Arsenal e Dinamo Zagreb no grupo F. O belo pôr-do-sol em Atenas e no Pireu proporcionou a foto perfeita para a capa do SportDay, que escreveu: "O Olympiacos pode pintar o céu de vermelho esta noite também!! Uma vitória garante futebol europeu no ano novo e deixa-o mais perto dos oitavos-de-final".

SportDaySportDay

Petr Čech regressa a Munique pela primeira vez desde a final de 2012 da UEFA Champions League, com o técnico do Bayern, Josep Guardiola, a descrever o guarda-redes do Arsenal como "um dos melhores do mundo" antes do decisivo encontro do Grupo F. O internacional checo defendeu duas grandes penalidades na vitória do Chelsea sobre o Bayern na final de 2012 e poderá ter de ser de novo heróico para não sofrer golos ante um Bayern que soma 27 tentos nos sete jogos em casa esta temporada.

Adivinhar as equipas titulares de Marco Silva no Olympiacos tem sido uma ciência nada exacta, em especial no ataque, onde as opções são várias. A principal questão é saber se Hernâni vai começar de início pela primeira vez um jogo da UEFA Champions League, pois o jogador de 24 anos  emprestado pelo Porto  jogou nos dois últimos jogos do Olympiacos nas provas internas, bisando no 2-2 para a taça contra o Platanias e saindo do banco para fazer um dos tentos na vitória por 2-0 na visita ao Veria, para o campeonato. Os números sugerem que Hernâni tem boas possibilidades, mas Marco Silva poderá estar mais virado para a capacidade de Sebá em trabalhar para a equipa quando ela não tem a bola.

©AFP/Getty Images

'Cuore Juve' (Coração da Juve) é o título do jornal de Turim Tuttosport depois de Stephan Lichtsteiner ter marcado o tento do empate em Gladbach um mês depois de ter sido operado ao coração. "Por vezes no futebol precisamos de de usar o cérebro e a calculadora", pode ler-se. "Aqui a Juve lotou com dentes e dedos - e com coração, recordando o golo de Stephan Lichtsteiner que daria o empate – que deram um precioso ponto na Alemanha."


©Getty Images

Uma lesão no adutor de Héctor Bellerín vai impedi-lo de jogar pelo Arsenal esta noite. O defesa espanhol teve um duelo difícil frente a Douglas Costa no primeiro jogo, mas recuperou e fez uma sólida segunda parte. Poucos defesas são capazes de parar o brasileiro esta época e a rapidez de Bellerín seria um forte argumento para o Arsenal, mas Arsene Wenger aposta na qualidade do seu substituto, Mathieu Debuchy: "Confio no Debuchy, é um jogador muito experiente e empenhado, quer nos treinos quer nos jogos", disse o treinador do Arsenal.

©AFP/Getty Images

Depois de marcar o seu regresso no campeonato frente ao 1. FC Köln na semana passada, Arjen Robben parece perto de se estrear na UEFA Champions League esta época pelo Bayern esta noite, reforçando assim as opções atacantes de Josep Guardiola. Com Kinglsey Coman a continuar a mostrar serviço na ala direita, Guardiola tem dado a Robben um papel mais central nos dois últimos jogos do campeonato, apesar de Thomas Müller e Thiago Alcântara serem também opções para o onze inicial e Douglas Costa estar fantástico na esquerda, pelo que vamos aguardar quem irá o técnico espanhol escolher para apoiar Robert Lewandowksi no ataque.

©Getty Images

"Tanto domínio, mas pouca recompensa", resumiu-se desta maneira o encontro do Bayern contra o Arsenal na terceira jornada, segundo o Süddeutsche Zeitung, que questiona como é que a formação de Arsene Wenger irá abordar tacticamente o jogo desta noite.

Apesar de ser estilo do Arsenal "querer ter o controlo da bola", como referiu o médio do Bayern, Thiago Alcántara, na conferência de imprensa de ontem, a equipa de Joesp Guardiola teve 70% de posse de bola em Londres, há duas semanas. "Gostam de atacar e controlar a bola, mas isso não aconteceu em Londres, sendo a eficácia no contra-ataque que fez a fiferença nesse encontro.

Apesar dos Gunners terem ficado satisfeitos com os três pontos em casa, um empate seria agora positivo na luta pelo apuramento no Grupo F e é difícil vê-los fugir da táctica usada no jogo anterior que tão bons resultados deu. Se será eficaz ou não em Munique, vamos ver no final. "Jogos como estes são complicados", disse o defesa Javi Martínez quando questionado sobre equipas que jogam atrás e defendem, mas "nós ganhámos 95 em 100."

©Getty Images

O treinador da Roma, Rudi Garcia confirmou que Daniele De Rossi vai ser titular esta noite e não será poupado para o derby contra a Lazio, no fim-de-semana. Tal facto poderá ser bom para os Giallorossi, como escreve a Gazzetta dello Sport. Com o 16 na frente da defesa, a Roma ainda não perdeu esta época. Sofreram apenas quatro golos nos cinco jogos da Serie A em que De Rossi foi médio defensivo. No jogo da BayArena, De Rossi jogou mais adiantado – e bisou – mas a sua equipa sofreu quatro golos, pelo que é esperado que Garcia o coloque mais atrás esta noite.

©AFP/Getty Images

Na última vez que o Barcelona encontou o BATE em Camp Nou, há four anos, Josep Guardiola deixou 14 jogadores da primeira equipa de fora, o Barça ganhou por 4-0 e Sergi Roberto, que está em grande forma, marcou o seu primeiro golo na UEFA Champions League goal. Ainda não há Messi, mas Neymar e Luis Suárez estão a fazer bem o seu papel.

©Getty Images

Ainda sem ganhar no Grupo E, a Roma tem de encontrar a boa forma da Serie A e, acima de tudo, defender bem melhor, pois sofreu oito golos em apenas três jogos da fase de grupos. Uma vitória do Leverkusen deixa-os com um pé nos oitavos-de-final, pelo que não se espere que Roger Schmidt abandone o seu estilo de logo atacante em Roma.

©Getty Images

Um Arsenal em grande forma regressa a Munique com renovada esperança no apuramento. Depois da derrota na terceira jornada, a equipa de Josep Guardiola tem de aproveitar as suas ocasiões de modo a não ser castigado de novo pelos Gunners. "O mais importante é o controlo do jogo e que marquemos o primeiro golo", disse o atacante do Bayern, Robert Lewandowski.

©AFP/Getty Images

Esta vai ser uma final para o Olympiacos. Com a vitória frente ao Dinamo Zagreb a dar-lhes, pelo menos o terceiro lugar - e mais futebol europeu na Primavera - bem como uma injecção de confiança para a recepção ao Arsenal. A equipa de Marco Silva já está em alta com os desempenhos esta época.

©AFP/Getty Images

São temos diferentes os que se vivem em Stamford Bridge. Uma visita do Dynamo Kyiv normalmente não causaria grandes transtornos nos adeptos do Chelsea, mas nesta altura é um encontro que tem um rótulo de "vitória obrigatória". Poderá ser uma oportunidade perfeita para os Blues reagirem e regressarem às boas exibições, mas poderá ser apenas mais uma ocasião em que tal é dito dada a contínua má forma da equipa de José Mourinho.

Josep Guardiola, treinador do Bayern:

São uma das grandes equipas da Europa. É um novo jogo depois da derrota em Londres. É um jogo que queremos vencer diante dos nossos adeptos. Temos 90 minutos para ficar mais perto da qualificação para a próxima fase.

 

O Arsenal gosta de ter a bola e de atacar. Veja-se todos os jogadores que têm em campo – são jogadores de posse e, talvez, para tentar os passes longos para o [Olivier] Giroud. Teremos de adaptar a nossa defesa à forma como irão jogar. Queremos pressioná-los alto de forma a que não possam sair a jogar da sua defesa. Digo sempre aos meus jogadores para atacarem o mais possível e para criarem o máximo de oportunidades.

©AFP/Getty Images

O treinador do Bayern, Josep Guardiola, queria jogar no Arsenal, disse Arsène Wenger na conferência de imprensa dos Gunners.

"Ele queria ser treinado por mim", disse Wenger. "Conheci-o e ele queria jogar pelo Arsenal. Ele tinha 30 ou 31 anos na altura, penso.

"Ele foi para Itália [Brescia em 2001] depois e eu tinha jogadores na altura como Patrick Vieira e Emmanuel Petit, que eram novos e jogavam pela selecção nacional. Na altura, ele já mostrava uma grande personalidade"

Wenger acrescentou: "[Guardiola] tem uma mentalidade muito positiva e uma abordagem muito positiva em termos de futebol. Penso que é por isso que ele encaixa tão bem no Bayern. Tornou-se num grande treinador."

©Getty Images

Zenit deseja prolongar a sua história série vitoriosa quando defrontar o Lyon no Stade de Gerland. A equipa de Danny e André Neto garante o apuramento para a fase seguinte em caso de vitória. Um empate será também suficiente caso o Gent não vença o Valência no outro jogo do Grupo H.


A formação orientada por André Villas-Boas vai numa sequência de 12 jogos sem perder (V7 E5) em todas as provas, com 31 golos marcados no processo.

O UEFA Champions League MatchCentre é agora o centro das atenções, pelo que é lá que poderá ter acesso à cobertura minuto-a-minuto das incidências de cada jogo, com natural destaque para o jogo do Porto em Israel, frente ao Maccabi e para a recepção do Bayern ao Arsenal.

Carregue aqu para aceder ao UEFA Champions League MatchCentre mas esteja de volta amanhã, onde o nosso blogue fará o rescaldo dos jogos desta semana.

©Getty Images

 “O Bayern no seu próprio mundo” é a avaliação do jornal de Munique, Süddeutsche Zeitung na sequência da vitória na quarta-feira por 5-1 sobre o Arsenal. A publicação credita o Bayern com um estilo "forte, determinado e imaginativo" e acrescenta: "O Arsenal, enfraquecido pela ausência de cinco jogadores de ataque, defendeu com nove homens como se quisessem jogar para o empate."

Entretanto, o Der Tagesspiegel, acrescenta: “É difícil ser mais impressionante do que isto. A competição retirará as suas conclusões e Pep Guardiola continua à procura de um adversário que posso realmente desafiar a sua equipa”.

©Getty Images

Os media russos elogiam de forma particular Hulk e Artem Dzyuba após o Zenit ter batido o Lyon, por 2-0, na quarta-feira mantendo o seu registo perfeito na fase de grupos e conseguindo a qualificação, a duas jornadas do fim, para os oitavos-de-final.

“Zenit é o No1 na Europa”, destaca o jornal diário Sport-Express. “Nenhum outro clube tem 12 pontos após quatro jogos, nem mesmo o Bayern ou o Real. É algo de que se orgulhar, não é verdade?”  

O Sport Den za Dnem brinca: “Enquanto o Barcelona estava habituado à parceria Xaviniesta, o Zenit tem agora a Dzyubulk. O poderoso atacante russo e o feiticeiro brasileiro são uma combinação que destrói qualquer defesa. Hulk sai de qualquer situação com bola e faz desmarcações maravilhosas para o apressado Dzyuba que apenas tem de se libertar dos defesas”.

 

©uefa.com 1998-2014. All rights reserved.

O diário catalão Mundo Deportivo descreve hoje Neymar, o herói do Barcelona na quarta-feira, como uma “Super estrela”. No seu interior repetem-se os elogios ao brasileiro e a Luis Suárez, que ajudou a colocar o Barça no limiar da qualificação para a fase a eliminar, cinco pontos acima da Roma, segunda classificada. A alegria, contudo, fica ligeiramente contida devido a facto de Ivan Rakitić ter-se lesionado e estar agora em dúvida para o “clássico” de 21 de Novembro.     



A imprensa italiana descreve a vitória da Roma por 3-2 contra o Bayer Leverkusen como “louca”, tendo os “giallorossi” triunfado após terem começado por conceder uma vantagem de dois golos. “Um suspense com um final feliz” é a manchete da Gazzetta dello Sport, com o jornal a sublinhar a forma como o penalty marcado por Miralem Pjanić reavivou as expectativas de apuramento da Roma. Contudo, deixa um alerta. “As dúvidas mantêm-se, principalmente em relação à força mental dos Giallorossi e à estabilidade defensiva”.    



©AFP/Getty Images

A aposta segura que foi Felipe Pardo domina esta quarta-feira de manhãs as primeiras páginas da imprensa desportiva grega.

"Viva o colombiano", escreve o LiveSport. “O suplente dourado de Marco Silva liderou o Olympiacos numa reviravolta épica frente ao Dinamo Zagreb para ficar no limiar da fase a eliminar”. O jornal desportivo declara que “o campeão grego enfrentou dificuldades próprias na primeira parte, quando se viu a perder, mas tudo mudou assim que Pardo entrou”.

Com a manchete “Super homens”, o GoalNews destaca o desempenho de três jogadores: Pardo, claro, (um “super herói”), a “extraordinária exibição de Pajtim Kasami" e “a assistência mágica de Kostas Fortounis, perto do fim, para o golo da vitória”.  

©Getty Images

“Tão longe do zénite”, escreve o jornal local, Le Progrès depois da derrota do Lyon por 2-0 ante o Zenit, na quarta-feira. “ A exibição do Lyon até nem foi má mas, tal como no jogo na Rússia, Hulk foi decisivo e deu ambos o golos a Artem Dzyuba”. Este foi, provavelmente, o penúltimo jogo europeu disputado no Stade de Gerland, com o novo Stade de Lyon a caminho de ser inaugurado em Janeiro. Ainda assim, ainda há uma possibilidade de lá ser jogada a UEFA Champions League na Primavera. “Ainda há esperança, mas as probabilidades do Lyon são muito curtas”.        

Entretanto, o L'Equipe, abre com a manchete: “Lyon não está ao nível”. E prossegue o jornal: “O Lyon foi batido pelo Zenit e sofreu a terceira derrota consecutiva na Champions League. A porta dos oitavos-de-final (ainda) não está fechada mais o Lyon terá de trabalhar muito mesmo para terminar no terceiro lugar do grupo”.   

©AFP/Getty Images

A imprensa croata acredita que a má sorte foi a culpada da derrota do Dinamo Zagreb, por 2-1, na visita ao Olympiacos, com o jornal 24sata a escrever em manchete “Maldição de Modri” – a alcunha do Dínamo é Modri (azuis). “Com um pouco mais de sorte, o Dinamo poderia ter somado seis pontos nas partidas contra o Olympiacos”, acrescenta o jornal. “Assim sendo, não têm nada. É triste”.

O Jutarnji list começa a sua peça com a frase “O Dinamo fez três meias partes perfeitas ao longo dos dois jogos [contra o Olympiacos], mas no fim nem um ponto conseguiu. O jogo no Piréu foi "roubado" por Pardo a dois minutos do apito final numa partida que o Dinamo não mereceu perder ".

O Večernji list resumiu tudo numa frase: “Não é fácil ser adepto do Dinamo Zagreb nas competições europeias”.

©Elvir Islamović

“A longa espera pela maturidade” é a manchete do Spiegel Online referindo-se à derrota do Bayer Leverkusen, ontem, em Roma. “As exibições do Leverkusen têm flutuado entre momentos de futebol de classe mundial e um festival de erros. E foi também o caso em Roma”. O artigo assinala que a temporada do Leverkusen está em perigo de desmoronamento: "Na Bundesliga, o ambicioso clube é apenas sétimo classificado, enquanto na Champions League paira a ameaça de uma eliminação precoce”.

“Salvando o Special One”, é a manchete no diário ucraniano Sport-Express após um triunfo emocionante por 2-1 do Chelsea sobre o Dynamo Kyiv. “O Special One demonstrou alguma ansiedade nas capas dos jornais ingleses de ontem. Facilmente se adivinharia o destino que teria de enfrentar se o Chelsea não conseguisse bater o Dynamo Kyiv na quarta-feira e, depois, o Stoke City durante o fim-de-semana”.

“Quando o Willian marcou de livre directo, Serhiy Rebrov enterrou com desespero a cara nas suas mãos enquanto José Mourinho iniciou a sua dança fantasiosa. Os seus jogadores bailaram com a bola durante toda a partida e isso foi impressionante. O Chelsea não chegou ao terceiro golo, mas fez o suficiente para cumprir a primeira parte da missão de Mourinho”.    

©uefa.com 1998-2014. All rights reserved.

O treinador do BATE Borisov, Aleksandr Yermakovich acredita que a sua equipa merecia, pelo menos, ter marcado um golo em Camp Nou, afirmando: “Não tenho palavras duras para os meus jogadores, eles deram tudo. É difícil competir contra um adversário como este. Aprendemos uma adequada lição de futebol”.  

“Foi uma exibição melhor comparada com o jogo em casa”, acrescentou Yermakovich após a derrota de 3-0 para o Barça. “Criámos mais situações no ataque e merecemos marcar um golo. Vamos tentar no nosso próximo jogo em casa com o Leverkusen dar aos nossos adeptos algo para festejar. Vamos tentar vencer e sair do último lugar da classificação”.  

©AFP/Getty Images

“O Bayern no seu próprio mundo”, destaca o Süddeutsche Zeitung depois da equipa de Pep Guardiola golear o Arsenal numa deslumbrante exibição de futebol de ataque. Foi um desempenho sufocante que carimbou o apuramento para a fase a eliminar e que provou que a derrota por 2-0, na terceira jornada, não foi mais do que um percalço. “A sua sublime exibição entusiasmou mesmo quem habitualmente não gosta do Bayern”, continuou o jornal de Munique, descrevendo o triunfo por 5-1 como outra convincente ” demonstração de poder”.   

Entretanto, em Londres, o The Telegraph descreveu a actual equipa bávara como estando “entre as melhores da história do clube” ao mesmo tempo que deu conta das dificuldades dos clubes ingleses nas provas europeias. Foi a mais pesada derrota conjunta dos “gunners” na Europa e com o Olympiacos a derrotar o Dinamo Zagreb “os gregos ficaram em vantagem” na batalha pelo segundo lugar no Grupo F.

©Getty Images

O treinador do Paris, Laurent Blanc, espera que os seus jogadores possam reagir frente ao Toulouse, penúltimo da Ligue 1, à primeira derrota da temporada, em Madrid. 


"Ultimamente estamos a enfrentar problemas com lesões, mas isso é algo que acontece também em muito lado. Os jogadores sentem-se cansados. Vamos tentar colocar uma equipa competitiva em campo contra o Toulouse, a melhor que tivermos," disse, depois das ausências forçadas de Javier Pastore, Marquinhos e Marco Verratti. 

"Este jogo vem a seguir da Champions League. O resultado frente ao Real foi algo frustrante. Dominámos, jogámos bem, mas não conseguimos vencer. Há ainda trabalho a fazer para alcançarmos o que nos falta."

©AFP/Getty Images

O treinador do Barcelona, Luis Enrique, afirma estar satisfeito pelo recente desempenho positivo da sua equipa. A vitória por 3-0 sobre o BATE na UEFA Champions League foi a terceira partida consecutiva sem sofrer golos para os Blaugranas, números bem positivos para uma equipa que viu a baliza chegar à sua rede, no começo de época, em oito encontros seguidos.


Agora os catalães esperam por outra forte exibição defensiva quando receberem, no domingo, um Villarreal em grande forma. "Analisamos sempre os nossos erros, quer soframos golos quer não, pois é uma questão de melhorarmos as coisas", disse o treinador. "Agora estamos bem melhor na defesa, mas isso não significa que tudo esteja resolvido. Ainda podemos mudar em todos os aspectos do nosso sector mais recuado".

O treinador também exibiu a sua satisfação pela forma como a sua equipa tem lidado com a ausência de Lionel Messi, ao averbar sete vitórias em oito encontros no campeonato e na UEFA Champions League na ausência do argentino.

"Somos muito mais fortes com Messi, sem qualquer dúvida, mas temos uma grande equipa, com muitos recursos e demos um grande passo em frente", disse. “Todos estão impressionados com o trabalho de Suárez e Neymar na frente, mas estão também a trabalhar imenso na defesa".

Depois de estar em segundo lugar no Grupo E, depois do triunfo na quarta-feira sobre o Leverkusen, a Roma vira agora as suas atenções para o Derby della Capitale, este domingo.

O treinador Rudi Garcia convocou Maicon, que deixou o relvado frente aos alemães devido a queixas musculares, para o jogo com a Lazio. Daniele De Rossi e Alessandro Florenzi, ambos poupados a meio da semana, também estão de regresso, mas o técnico afirmou que irá decidir "apenas no domingo de manhã", se vão ou não jogar.

"Queremos ganhar o jogo e regressar à lideranla da Serie A," disse o francês. "O derby é o jogo mais importante do ano em Roma e para o ganhar temos de dar 200%."

©AFP/Getty Images

O empate 1-1 em Gladbach significa que a Juventus se pode apurar para os oitavos-de-final à quinta jornada, mas agora os Bianconeri têm de se virar para a campeonato.
 
Os campeões de Itália defrontam o Empoli no domingo e o treinador Massimiliano Allegri pediu à sua equipa para somar a segunda vitória seguida na Serie A depois de derrotar o Torino no Derby della Mole, no fim-de-semana.
 
"Não sei a razão [de não termos ainda ganho dois jogo seguidos esta época], é algo que pode acontecer no futebol," comentou Allegri. "Precisamos de uma vitória fora, mas vamos enfrentar uma equipa que joga bom futebol"

Gareth Bale e James Rodríguez vão ambos regressar às escolhas do Real Madrid para o jogo de domingo contra o Sevilha, depois das ausências por lesão.

Bale está fora há três semanas, a contas com um problema nos gémeos, enquanto o colombiano não joga pelos Merengues desde Agosto, devido a uma lesão muscular. Rafael Benítez confirmou que ambos vão viajar até Sevilha, mas não afirmou se iriam ou não ser titulares.

"O que posso dizer é que o Bale está convocado e que, por isso poderá jogar. Vamos ver quanto tempo ele vai jogar", disse o técnico sobre o internacional galês.

Acrescentou ainda que "James é um grande jogador e que estou muito satisfeito por o ver com tanta vontade em regressar. Mas eu sou o treinador e tenho uma responsabilidade. Depois de 55 dias de fora ele fez apenas cinco treinos. Ele é um jogador decisivo para nós, mas não apenas por um ou dos jogos - mas sim para toda a época. Ele pode jogar em qualquer lado no ataque porque tem muita qualidade".

O líder na Ucrânia, o Shakhtar, somou a sua oitava vitória seguida na prova, no reduto do Olexandriya, com a ajuda do 19º golo de Alex Teixeira em apenas 13 partidas, esta temporada. Dentinho e Olexandr Gladkiy marcaram, antes de Alex Teixeira fazer o mesmo no, minuto 54. No entanto, o avançado brasileiro seria expulso, nos descontos.

Jesse Lingard marcou o seu primeiro golo pelo Manchester United no encontro em que a formação de Louis van Gaal derrotou o West Brom, por 2-0. O tento inaugural de Lingard foi o primeiro dos Red Devils na Premier League em 260 minutos, com Juan Mata a fazer o segundo, já perto do final, resultado que deixou o United a um ponto dos líderes Manchester City, Arsenal e Leicester City.

O terceiro classificado Wolfsburg perdeu terreno para o Bayern, líder da Bundesliga, com a formação de Vieirinha, orientada por Dieter Hecking, a sofrer a segunda derrota no espaço de cinco dias. Os Lobos perderam Julian Draxler, expulso na primeira parte, com Pablo De Blasis a empurrar para golo depois de defesa incompleta de Diego Benaglio. Yunus Mallifez fez o sétimo da temporada, fazendo o resultado final para o anfitrião Mainz.

A série de seis vitórias seguidas do Gladbach terminou com a perda dos primeiros pontos sob o comando do técnico interino, André Schubert. O Ingolstadt, formação recém-chegada à Bundesliga, forçou os da casa - que perderam Granit Xhaka com um segundo amarelo, no minuto 86 - a um empate a zero.

Leverkusen sofreu a segunda derrota seguida na Bundesliga com o Colónia a vencer o Rhine ao ganhar por 2-1, num encontro em que Dominic Maroh bisou na BayArena. Javier Hernández fez o décimo golo em 12 partidas mantendo assim a sua veia goleadora.

Quatro golos na primeira parte ante o rival Estugarda, garantiu o 11º triunfo em 12 jornadas para o Bayern, num jogo em que Holger Badstuber regressou à competição após uma lesão na coxa.

Arjen Robben e Douglas Costa marcaram nos primeiros 17 minutos, com Thomas Müller a fazer a jogada para Robert Lewandowski finalizar para o terceiro. Müller fez o quarto, depois de Arturo Vidal acertar no poste. Os líderes aumentaram a vantagem na frente da Bundesliga para oito pontos, tendo, no entanto, mais um jogo que o segundo, o Dortmund.

Robben igualou o registo de Mario Gomez pelo FCB, ao marcar o 113º golo pelo campeão em título.

Valência fez o Celta – terceiro antes do começo do encontro – descer à terra ao ser goleada pela equipa de Nuno Espírito Santo, que marcou cinco golos pela primeira vez desde Abril de 2014. Paco Alcacer e Dani Parejo bisaram, com Shkodran Mustafi a fazer o outro tento para a equipa que contou hoje com João Cancelo, Rúben Vezo e André Gomes a titulares, no triunfo poo 5-1 na visita à formação galega. Augusto Fernandez marcou o tento de consolação para os da casa.

Paris aumentou a vantagem na frente em França para 13 pontos ao derrotar facilmente o Toulouse por 5-0. Zlatan Ibrahimović bisou e aumentou o registo na época para nove na sétima vitória seguida da formação de Laurent Blanc na Ligue 1. Ángel Di María, Lucas e Ezequiel Lavezzi fizeram os outros golos no Parc des Princes.

Galatasaray somou a segunda derrota no campeonato esta temporada - primeira desde o final de Agosto - ao ser batido de forma dramática na visita ao Rizespor. A expulsão de Umut Bulut no minuto 88 antecedeu dois golos nos descontos que ditaram a vitória por 4-3. Wesley Sneijder, Lukas Podolski e Olcan Adın colocaram os visitantes na frente por 3-2, mas Leony Kweuke e Deniz Kadah consumaram a reviravolta depois da expulsão de Umut Bulut. A formação de Hamza Hamzaoğlu sofreu quatro golos pela última vez na Super League turca em Outubro do ano passado.

Chelsea é 16º depois de sofrer a terceira derrota seguida na Premier League pela primeira vez desde 1999, ao cair frente ao Stoke. Um remate acrobático de Marko Arnautovic, no minuto 53, garantiu a vitória por 1-0 aos da casa.

Maccabi Tel-Aviv tem três pontos de avanço na frente da Premier League em Israel, ao vencer o último, o Maccabi Netanya, por 2-1, com Eran Zahavi a marcar de grande penalidade pela sgunda vez em quatro dias. Tal Ben Chaim fez o segundo antes de Andrei Mishchenko apontar o tento de consolação para os visitados.

A incidental tarde do Galatasaray – sofreu dois golos nos descontos que ditaram a derrota por 4-3 com o Rizespor – contou ainda com vários problemas físicos. Both Selçuk İnan e Hakan Balta saíram nos primeiros 23 minutos, com o substituto deste, Semih Kaya,  a ser forçado a abandonar na segunda parte depois de chocar com o guardião Fernando Muslera. Os três jogadores serão examinados este domingo.

©Getty Images

Astana, que é a primeira equipa do Cazaquistão a participar na prova, garantiu o segundo título consecutivo com uma vitória fora na última jornada. Junior Kabananga fez o 1-0 que daria o triunfo a três minutos do final, poucos momentos passados do Aktobe ter perdido Sergey Khizhnichenko com um cartão vermelho. O próximo adversário do Benfica no Grupo C terminou a prova com mais um ponto que o Kairat Almaty.

Luuk de Jong falhou um penalty no minuto 64, mas corrigiu a situação oito minutos depois ao fazer o 30º tento na Eredivisie para os campeões da Holanda, o PSV, que subiu temporariamente ao segundo posto. Héctor Moreno inaugurou o marcador logo ao segundo minuto frente ao Utrecht, com Bart Ramselaar a empatar para os visitantes, na segunda parte. No entanto, o entrado Gastón Pereiro assistiu Santiago Arias para colocar os da casa de novo na frente, antes de De Jong fazer o décimo tento da temporada depois de bom trabalho de Jürgen Locadia, que faria o 3-1 final.

Olympiacos continua imparável e invencível na Grécia, com a formação de Marco Silva a marcar uma vez em cada parte para derrotar o Iraklis e assim voltar a ter oito pontos de avanço sobre o Panathinaikos, ao somar a décima vitória seguida no campeonato. Luka Milivojević e Ideye Brown - que marcou pela segunda vez consecutiva na prova - marcaram para os anfitriões que venceram por 2-0.

Já proclamados campeões da Bielorrússia, o BATE terminou o campeonato com 12 pontos de avanço sobre o Dinamo Minsk e sem derrotas fora de casa - perdendo apenas por uma vez em 26 jornadas. A formação de Aleksandr Yermakovich festejou o décimo título seguido e terminou em grande estilo, o campeonato em casa, ao derrotar o Slutsk por 4-1. Aleksei Rios bisou, Nemanja Nikolić marcou de grande penalidade e Aleksandr Karnitski fez o quarto

O Aston Villa, último da Premier League, forçou o líder Manchester City a um nulo na partida de estreia do antigo treinador do Lyon, Rémi Garde, que se sentou pela primeira vez no banco em Villa Park. Fernando acertou na barra nos descontos, de cabeça, naquele que foi o segundo empate a zero seguido fora de casa por parte da equipa de Manuel Pellegrini.

©Getty Images

Malmö, campeão sueco em 2014, apurou-se facilmente para a terceira ronda da Taça da Suécia com uma vitória clara por 5-0 na visita ao Gotene, do quinto escalão. Vladimir Rodić e Jo Inge Berget bisaram, com Simon Kroon a fazer o restante.

Juventus, sétima da tabela, esteve a perder mas deu a volta para derrotar o Empoli por 3-1, naquele que foi o primeiro triunfo fora de casa na Serie A desde 20 de Setembro. Massimo Maccarone colocou o Empoli na frente, mas Mario Mandžukić fez o empate. Patrice Evra deu a vantagem aos campeões italianos perto do intervalo, fazendo o seu primeiro da temporada. O entrado Paulo Dybala garantiu os três pontos, a seis minutos do final.

©AFP/Getty Images

Roma está a um ponto da liderança da Serie A ao derrotar a vizinha Lazio por 2-0 no 179º derby de cidade eterna, disputado no Stadio Olimpico. Edin Džeko marcou de penalty no décimo minuto, com Gervinho a garantir a vitória depois do intervalo com o sexto golo em sete partidas.

CKSA perdeu pela primeira vez esta temporada na Premier League russa, com o Krasnodara terminar a sua série sem derrotas. Fedor Smolov bisou para os da casa, com Alan Dzagoev a reduzir para os Soldados, que, apesar do desaire, lideram com mais seis pontos.

O líde da Liga espanhola Barcelona garantiu uma vitória confortável no último encontro antes de enfrentar o rival Real Madrid no 'El Clásico'. Neymar bisou - destaque para o seu fantástico segundo tento - e Luis Suárez fez o 3-0 de penalty, resultado final ante o Villarreal no Camp Nou. Neymar (nove golos em sete jogos) e Suárez (oito em sete) marcaram os últimos 17 golos do Barça no campeonato.

Depois de derrotas consecutivas frente ao Split e Rijeka, o segundo classificado Dinamo Zagreb regressou aos triunfos na visita ao Istra, relançando-se deste modo na luta pelo título croata. Junior Fernandes fez o tento da vitória, a nove minutos do final, deixando assim a equipa de Eduardo, Gonçalo Santos e Paulo Machado a um ponto do Rijeka, mas com mais um jogo.

Benfica garantiu a segunda vitória seguida na Liga portuguesa, mas teve de sofrer para derrotar o Boavista por 2-0 em Lisboa, num encontro em que Gonçalo Guedes inaugurou o marcador, antes do intervalo. Os campeões portugueses só respiraram de alívio no minuto 88 quando o entrado Mehdi Carcela-González fez o resultado final, que valeu para já a subida ao  terceiro posto.

Arsenal somou um ponto no derby do norte de Londres num encontro em que esteve perto de somar a segunda derrota esta semana. Os Gunners viram-se a perder no minuto 32 com o Tottenham, graças a um tento de Harry Kane, num lance em que Laurent Koscielny colocou o atacante em jogo, mas o entrado Kieran Gibbs fez o empate a 13 minutos do final, a centro de Mesut Özil.

©Getty Images

Zenit está agora a dez pontos da liderança na Rússia, ao ser batido por 2-0 na visita ao Lokomotiv Moskva, somando assim a terceira derrota em 15 jornadas. Um auto-golo de Nicolas Lombaerts indiciou um mau dia para os campeões russos, logo após o intervalo, com Aleksandr Samedov a fazer o resultado final para o Lokomotiv, segundo classificado.

Antoine Griezmann negou ao Atlético o terceiro empate seguido em todas as provas, ao fazer de cabeça o golo que daria o 1-0 frente ao Deportivo já nos descontos. Los Colchoneros tiveram problemas para criar ocasiões, mas respiraram de alívio no minuto 93, quando o francês fez o seu quinto golo na prova.

Andriy Yarmolenko marcou duas vezes perto do final ao Dniprodzerzhynsk, dando assim ao campeão Dynamo Kyiv a vitória que o colocou a par do líder Shakhtar. A formação de Serhiy Rebrov venceu 11 dos últimos 13 jogos do campeonato.

Um Porto ainda sem derrotas, continua no segundo posto ao somar a sexta vitória em nove jornadas da Liga portuguesa. Vincent Aboubakar inaugurou o marcador no minuto 70, com Miguel Layún a aumentar a vantagem a seis minutos do final, fazendo assim o 2-0 final frente ao Setúbal.Os Dragões não sofreram golos em casa nos últimos 16 encontros na Liga portuguesa.

O Gent de Hein Vanhaezebrouck perdeu a liderança na First League belga pela primeira vez esta temporada, ao perder 3-1 em casa com o Charleroi. Está agora a um ponto do novo líder, o Oostende, ao fim da 15ª jornada.

©Getty Images

Sevilha ascendeu à primeira metada da Liga espanhol pela primeira vez ao vencer por 3-2 o Real Madrid, tornando-se a primeira formação a marcar por três vezes à equipa de Cristiano Ronaldo e Pepe desde o Getafe, em Maio. A formação andaluza esteve a perder, mas respondeu, ainda antes do intervalo, quando Ciro Immobile marcou o primeiro golo pelo clube, com Éver Banega e Fernando Llorente a fazerem o resultado final, já no segundo tempo.

Real Madrid parte para o Clásico de 21 de Novembro a três pontos do Barcelona depois da derrota por 3-2 em Sevilha - a primeira sob comando de Rafael Benítez. Sergio Ramos colocou os visitantes na frente, mas os da casa marcaram por três vezes, de nada servindo o jogo do regressado James Rodríguez, já nos descontos.

O último derby no Stade de Gerland terminou de forma épica para o Lyon depois de um hat-trick de Alexandre Lacazette ter dado o triunfo sobre o St-Étienne por 3-0. De fora da selecção da França para os particulares ante a Alemanha e Inglaterra, o avançado celebrou o seu jogo 150 na Ligue 1 ao marcar pela segunda vez três golos num jogo enquanto profissional.

©AFP/Getty Images

Wayne Harrison

Jordan Maciel, Munich

Alberto Sanchez, Málaga

Alessandro Massimo, Milão

Ben Gladwell, Roma

Ben Gladwell, Turim

Boaz Goren

Bogdan Buga, Kiev

Carlos Machado

Claire Gray, Manchester

Daniel Lerche, Munique

Denis Orlov, Minsk

denis.novitsky

Derek Brookman, Amsterdam

Dimitri Rogovitski, Moscow

Dmitri Rogovitski, Moscovo

Elvir Islamovic, Zagreb

Eugene Ravdin

Fabio Balaudo

Fabio Balaudo, Milão

Giovanni de Paola

Graham Hunter, Barcelona

helder.sousa

Joseph Walker, Madrid

Julian Beattie, Manchester

Klaus Klump

Lyubomir Kuzmyak, Lviv

Marco Ghighi

Matthew Howarth

Nick Aitken, Manchester

Nick Aitken, Seville

Nicolai Lisberg, Barcelona

Paolo Menicucci a caminho de Turim

Paolo Menicucci, Milão

Paris Ayiomamitis

Pedro Marques

Philip Röber

Redacção alemã do UEFA.com

Redacção francesa do UEFA.comRedacção francesa do UEFA.com

Redacção russa do UEFA.com

Richard Martin

Sébastien Blanchard, Lyon

Simon Hart, Istambul

Steffen Potter

Steffen Potter, Frankfurt

Trevor Haylett

Türker Tozar, Istambul

UEFA.com newsdesk

UEFA.com Spanish newsdesk

Vassiliki Papantonopoulou, Atenas

Yegor Sozinov, Astana