1879326
Andy Brassell
por
Andy Brassell
de
Londres

Clubes portugueses com capacidade de regeneração

Após perderem alguns jogadores importantes, os três clubes de Portugal presentes na UEFA Champions League parecem estarem a ter capacidade para renovar-se.
 
 
Publicado: Segunda-feira, 22 de Outubro de 2012, 14.00CET

Clubes portugueses com capacidade de regeneração

Após perderem alguns jogadores importantes, os três clubes de Portugal presentes na UEFA Champions League parecem estarem a ter capacidade para renovar-se.
©AFP/Getty Images

James Rodríguez marcou o golo da vitória do FC Porto sobre o PSG

Depois do encerramento de um período de transferências no qual todos perderam jogadores importantes, podia pensar-se que FC Porto, SL Benfica e SC Braga queriam apenas seguir tranquilamente as respectivas campanhas UEFA Champions League. Mas lidar com a partida dos seus maiores talentos é algo a que Portugal já está habituado.

No futebol europeu, os principais clubes portugueses são mestres na arte do improviso, reutilizando, reconstituindo e renovando para se adaptarem. O encorajador desempenho das três equipas do país na segunda jornada da UEFA Champions League, com vitórias para Porto e Braga e uma derrota digna do Benfica frente ao FC Barcelona, constitui um exemplo perfeito desse espírito.

Como é hábito em Portugal, uma nova geração de jogadores começa a emergir discretamente e com pouco alarido. Talvez a mais fantástica das exibições tenha sido protagonizada por Éder, ponta-de-lança do Braga. Nascido na Guiné-Bissau, o atacante de 24 anos chegou à formação do Minho proveniente da A. Académica de Coimbra, a competir esta época na UEFA Europa League, com um modesto registo de golos e a difícil missão de fazer esquecer Lima, um dos melhores marcadores a Liga portuguesa na época passada.

Éder mostrou-se uma ameaça constante para a defesa do Galatasaray AŞ, com movimentações inteligentes, e esteve nos dois golos do triunfo dos "arsenalistas" na Turquia. Foi recompensado com a chamada à selecção de Portugal nos jogos da fase de qualificação para o Campeonato do Mundo disputados este mês e ajudou na construção do lance que permitiu a Hélder Postiga evitar a derrota diante da Irlanda do Norte.

Nemanja Matić foi outro dos jogadores a afirmar-se e marcar posição, mostrando-se totalmente confortável no meio-campo defensivo do Benfica frente ao Barcelona, diante da conceituada dupla formada por Andrés Iniesta e Xavi Hernández. Por outro lado, no FC Porto, o guarda-redes Helton e o capitão Lucho González foram os únicos jogadores com mais de 30 anos a alinhar pelo campeão lusitano na recepção ao Paris Saint-Germain FC, num encontro em que coube a um jovem, James Rodríguez, de 21 anos, apontar o golo da vitória e assumir o papel de herói que, até há bem pouco tempo, pertencia a Hulk.

Apesar da juventude do autor do tento do FC Porto, Zlatan Ibrahimović, do PSG, afirmou ao UEFA.com que a sua equipa tinha sido batida pela maior experiência dos "dragões". Essa declaração, mais do que qualquer outra, resume o dom de regeneração que as equipas portuguesas que participam nas provas europeias têm vindo a demonstrar, ano após ano. Têm a capacidade única de, de um dia para o outro, fazer esquecer a saída de jogadores importantes.

As opiniões expressas neste artigo são da autoria do autor e não reflectem necessariamente a visão da UEFA.

http://pt.uefa.com/uefachampionsleague/news/blogs/blog=ucl_blog_portugal/postid=1879326.html#clubes+portugueses+renovam

Última actualização: 22-10-12 14.49CET
  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • As palavras CHAMPIONS LEAGUE e UEFA CHAMPIONS LEAGUE, o logótipo e o troféu da UEFA Champions League e o logótipo da Final da UEFA Champions League estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.