O "site" oficial do futebol europeu

O que mais está a acontecer no futebol europeu?

Publicado: Quarta-feira, 29 de Março de 2017, 15.00CET
REVELADO: O segredo por detrás das celebrações dos golos de Thierry Henry. E AINDA: As relações familiares na Qualificação Europeia desta semana e Jermain Defoe sobre a sua nova dieta vegan.
O que mais está a acontecer no futebol europeu?
Thierry Henry celebra (acredite em nós) ©Getty Images

Especiais UEFA.com

O futebol feminino nas federações nacionais
  • O futebol feminino nas federações nacionais
  • Festejar o Women's EURO
  • Declaração da UEFA sobre a tragédia num estádio no Senegal
  • Nova aplicação activa no EURO Feminino
  • UEFA.org funde-se com UEFA.com
  • Desempates por penalties: pontapés para a história
  • Rui Jorge e a importância do EURO Sub-21 para os jogadores
  • Seleccionadores europeus que regressaram ao cargo
  • Quem tem mais títulos nas Ligas europeias?
  • Léo sonha dar título europeu ao Sporting
1 de 10
Publicado: Quarta-feira, 29 de Março de 2017, 15.00CET

O que mais está a acontecer no futebol europeu?

REVELADO: O segredo por detrás das celebrações dos golos de Thierry Henry. E AINDA: As relações familiares na Qualificação Europeia desta semana e Jermain Defoe sobre a sua nova dieta vegan.

Henry orgulhoso?
Sempre quis saber por que motivo Theirry Henry festejou a maior parte dos seus 226 golos pelo Arsenal e 51 pela França sem sorrir? Actualmente parte da equipa técnica da selecção da Bélgica, Henry fez a revelação numa entrevista à televisão: “Fui criado pelo meu pai”, disse. “Havia um jogo dos escalões de formação: Viry-Châtillon - Sucy-en-Brie. Começou às 14h00. Ganhámos 6-0. Fiz os seis golos. Na viagem de regresso a casa ele listou todos os erros que cometi e isso deixou-me maluco. Eu tinha 12 ou 13 anos. Depois disso, quando marcava golos pensava nos que tinha falhado, dizendo a mim próprio: “Como pudeste falhar aquela oportunidade?”

Nova dieta para Defoe
De regresso à selecção de Inglaterra após três anos de ausência e a fazer golos aos 34 anos, Jermain Defoe revelou, entre outras coisas, uma nova dieta: “Estou a tentar tornar-me vegan”, explicou. “É engraçado porque quando vou a casa da minha mãe, ela tem todo o tipo de comida na mesa que possamos imaginar. A minha namorada sugeriu que eu passasse isso. Bem, ela disse-me: 'Tens de o fazer' e está constantemente a mostrar-me documentários sobre isso. É sempre bom ter alguém por perto que te ajude, encaminhe e que nos queira bem.”

©Fedja Krvavac

Gibraltar's band of brothers

Laços familiares
Gibraltar, Kosovo e Islândia estão entre as federações mais pequenas, pelo que não surpreende que uma ou duas famílias talentosas desempenhe um papel enorme nas selecções nacionais. Kenneth Chipolina estreou-se por Gibraltar no sábado contra a Bósnia e Herzegovina, alinhando a lateral-direito. No flanco contrário estava o irmão mais velho Joseph; entre eles esteve um terceiro Chipolina, o “patrão” da defesa, mas não familiar, Roy. Tal como habitual, a família Casciaro também esteve bem representada pelo avançado Lee e pelo médio Kyle. O terceiro irmão, Ryan, está lesionado.

Entretanto, quando o Kosovo defrontou a Islândia, os cunhados Samir Ujkani e Besart Berisha alinharam juntos pela primeira vez. Os dois antigos jogadores albaneses casaram com duas irmãs de Pristina (uma delas apresentadora de televisão).

Pela Islândia, Björn Bergmann Sigurdarson estreou-se a marcar pela selecção, seguindo as pisadas dos meios-irmãos Thórdur Gudjónsson, Jóhannes Karl "Joey" Gudjónsson e Bjarni Gudjónsson. Sigurdarson teve a mesma mãe que aquele trio, cujo pai Gudjón Thórdarson treinou a Islândia no final da década de 1990.

Porque é a Islândia tão apelativa?
Uma perguntra: concorda que a eliminatória da Taça da Liga islandesa entre o Breidablik e o Fram deveria ter sido cancelada?

Cântico dos checos
Tem sido uma semana alegre para a República Checa. Na segunda-feira apurou-se para o Campeonato da Europa de Sub-19 da UEFA e, depois de derrotar a Áustria, a equipa perfilou-se esperando que o seleccionador Jan Suchopárek terminasse a entrevista à televisão, após o que entoou um cântico da carreira do jogador que alinhou na fase final do EURO’96 (e que acabou quando a equipa já tinha quase o dobro dos elementos).

No dia anterior, a República Checa terminara um início sem golos do apuramento para o Campeonato do Mundo goleando fora San Marino, por 6-0, com cinco golos antes do intervalo. No decorrer da segunda parte os adeptos checos juntaram-se aos cânticos dos jovens locais e cantaram ruidosamente: “San Marino, San Marino”. Sobre o jogo, o seleccionador checo Karel Jarolím disse: "É assim que eu gostaria que fosse o futebol: cinco a zero no intervalo, é quase agradável fazer este trabalho."

Última actualização: 29-03-17 15.13CET

Informação relacionada

Perfis das equipas

http://pt.uefa.com/memberassociations/news/newsid=2453259.html#o+mais+esta+acontecer+futebol+europeu