O "site" oficial do futebol europeu

Gigantes em grandes dificuldades

Publicado: Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2013, 9.37CET
As dificuldades de Sporting e AEK na presente temporada provam que mesmo os clubes sonantes têm anos maus: o UEFA.com recorda algumas épocas marcadas pelo improvável espectro da descida.
Gigantes em grandes dificuldades
Kiko não evitou a descida do Atlético em 2000 ©Getty Images

Especiais UEFA.com

A fase final das Sub-19 femininas em fotos
  • A fase final das Sub-19 femininas em fotos
  • Sérvia quer dar o passo final
  • O melhor da terceira jornada em fotos
  • Brahimi pronto para seguir as pisadas de Madjer
  • Sheridan cada vez mais em casa no APOEL
  • McGregor assume-se no Celtic
  • Filipe Luís preenche vaga de Cole no Chelsea
  • Veja e pontue o pontapé-de-bicicleta de Mexès
  • Triunfo no Brasil é apenas o início para a Alemanha
  • Euforia alemã em Berlim
1 de 10
Publicado: Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2013, 9.37CET

Gigantes em grandes dificuldades

As dificuldades de Sporting e AEK na presente temporada provam que mesmo os clubes sonantes têm anos maus: o UEFA.com recorda algumas épocas marcadas pelo improvável espectro da descida.

Apesar de nunca ter terminado abaixo do quinto lugar no campeonato, o Sporting Clube de Portugal luta nesta altura no outro extremo da classificação da Liga portuuguesa, enquanto o AEK Athens FC, um dos históricos clubes da Grécia e cuja anterior pior classificação foi o sétimo posto, pode descer de divisão pela primeira vez, pois está também muito perto dos lugares de risco. O UEFA.com descobre que a despromoção é uma realidade dura pela qual até as equipas mais bem-sucedidas têm de passar.

Alemanha: 1. FC Nürnberg (1967/68)
O treinador Max Merkel utilizou apenas 15 jogadores quando o Nuremberga se sagrou, com surpresa, campeão da Bundesliga pela primeira vez, em 1968. Só que a temporada seguinte revelou-se desastrosa e terminou com o Nuremberga no 17º lugar, tornando-se assim no detentor do título a ser despromovido. "Parece um sonho mau", disse a antiga glória do clube Max Morlock. O capitão Heinz Strehl acrescentou: "Só nos vamos aperceber do que aconteceu na próxima época, quando estivermos a jogar em relvados irregulares e a sermos gozados pelos adeptos."

Inglaterra: Manchester United FC (1973/74)
Tommy Docherty salvou o United da descida em 1972/73, mas a decisão de deixar sair o avançado Denis Law, estrela da companhia, a custo zero para o Manchester City FC, nesse Verão, custou-lhe caro na fatídica temporada de 1973/74. Um golo do antigo "Rei de Old Trafford" permitiu ao City vencer o United por 1-0, na penúltima jornada, e ajudou a empurrar os "red devils" para o segundo escalão. Mais tarde, Law, que nunca se perdoou, disse: ''Fiquei inconsolável. Quanto tempo é que esse sentimento durou? Há quanto tempo foi o jogo? Trinta anos. Aí têm a resposta."

Rússia: FC Spartak Moskva (1976)
Disputaram-se duas temporadas soviéticas em 1976, uma na Primavera e outra no Outono. A primeira foi miserável para o clube mais popular do país, que perdeu vários jogadores importantes. A segunda foi um desastre completo. Com fracos recursos financeiros e um treinador inexperiente em ambas, o Spartak foi 14º classificado na primeira e somou apenas 13 pontos na segunda, sendo despromovido juntamente com o FC Dinamo Minsk. A subida ao principal escalão aconteceu logo no ano seguinte, mas o antigo jogador Valeri Gladilin recorda. "Se não tivesse acontecido essa transformação profunda, talvez o clube não tivesse recebido a atenção devida."

França: Olympique de Marseille (1979/80)
"É uma tristeza imensa", disse o presidente da câmara, com a cidade de Marselha a digerir a notícia da descida do seu clube de referência. "Marselha sofreu uma espécie de tragédia, porque as pessoas adoram o seu clube". Era difícil prever esse cenário, já que a equipa, que contava com vários internacionais, reforçou-se ainda mais e era apontada como candidata ao título. Mas o sonho do Marselha rapidamente se começou a desvanecer, com a equipa a terminar no penúltimo lugar. Na época seguinte começou do zero, com recurso a jovens jogadores, mas só regressou à Ligue 1 em 1983/84.

Itália: AC Milan (1981/82)
Três anos após erguer o seu décimo "scudetto", o Milan terminou, de forma surpreendente, a Serie A no antepenúltimo lugar e desceu, de nada servindo uma boa ponta final, com três vitórias em cinco jornadas. "Não começámos assim tão mal", disse o médio Walter Novellino, elemento crucial no título de 1978/79. "O aspecto psicológico é crucial nestes casos. Quando se começa a jogar com medo, acaba-se por cometer erros. Quase que temos medo de entrar em campo, especialmente quando os nossos adeptos nos começam a assobiar."

Espanha: Club Atlético de Madrid (1999/2000)
Quatro anos depois de o Atlético ter conquistado a "dobradinha", o clube madrileno foi relegado para a segunda divisão, pela primeira vez desde 1933/34. O penalty falhado por Jimmy Floyd Hasselbaink no empate a dois com o Real Oviedo ditou o fim infeliz, apesar de ter sido uma série de 13 jogos sem vencer até essa altura que tenha causado os estragos. "Onde antes havia gritos de incentivo, havia agora um silêncio ensurdecedor", disse o capitão Kiko após a partida em Oviedo. "Todos sabiam que iam disputar o próximo jogo na qualidade de equipa do segundo escalão."

Última actualização: 10-01-13 16.47CET

http://pt.uefa.com/memberassociations/news/newsid=1910950.html#gigantes+grandes+dificuldades

  • © 1998-2014 UEFA . Todos os direitos reservados.
  • A palavra UEFA, o logótipo da UEFA e todas as marcas relativas às competições da UEFA estão protegidas por marcas registadas e/ou direitos de autor da UEFA. As referidas marcas registadas não podem ser utilizadas para qualquer fim comercial. A utilização do UEFA.com implica o seu acordo com os Termos e Condições, e com a Política de Privacidade.