Potenciar a estabilidade e a harmonia

O Memorando de Entendimento assinado entre UEFA e Associação Europeia das Ligas de Futebol Profissional vai reforçar os esforços mútuos para criar maior estabilidade e harmonia.

Michel Platini, presidente da UEFA, e Sergey Pryadkin, membro da direcção da EPFL, assinam o Memorando de Entendimento entre os dois organismos
Michel Platini, presidente da UEFA, e Sergey Pryadkin, membro da direcção da EPFL, assinam o Memorando de Entendimento entre os dois organismos ©UEFA.com

Os esforços mútuos para encontrar estabilidade e harmonia entre todos os envolvidos no futebol europeu culminaram com a assinatura por parte da UEFA de uma série de Memorandos de Entendimento, no recém-realizado XXXVI Congresso Ordinário da UEFA, em Istambul.

Foram assinadas actualizações dos memorandos entre UEFA e Associação Europeia de Clubes (ECA), a Associação Europeia das Ligas de Futebol Profissional (EPFL) e Divisão Europeia do Sindicato dos Jogadores, FIFPro.

O Memorando com a EPFL foi assinado pelo Presidente da UEFA, Michel Platini, e por Sergey Pryadkin, membro da direcção da EPFL, e vem reforçar a relação entre os dois organismos. A Associação Europeia das Ligas de Futebol Profissional (EPFL) foi fundada em 2005 e, tal como a UEFA, encontra-se sedeada em Nyon, na Suíça. Originalmente composta por 12 membros, a EPFL conta hoje com mais de 30 membros e membros associados espalhados por toda a Europa.

A EPFL representa também as Ligas dentro do Conselho Estratégico de Futebol Profissional (PFSC) - ao lado da UEFA, da ECA, em representação dos clubes, e da Divisão Europeia da FIFPro, em representação dos jogadores – na qual são discutidos assuntos de grande importância para o futebol europeu profissional.

A UEFA e a EPFL assinaram, no passado, memorandos em 1998, 2005 e 2009. Este novo acordo tem por base grande parte do que vigorava anteriormente. Durante este período, os dois organismos têm cooperado com êxito em diversos assuntos ligados ao futebol profissional.

O "fair play" financeiro é parte importante deste novo acordo, tendo sido identificado pelos dois organismos como um passo necessário para melhorar a situação financeira do futebol europeu. A integridade do jogo é fundamental para ambas as partes, o que as leva a empenharem-se na promoção do "fair play" e da luta contra o racismo, o doping, a violência, a viciação de resultados e a corrupção no futebol.

Para além disto, foi ainda atingido um acordo no que toca ao calendário de jogos internacionais e na proposta da realização de duas jornadas duplas de jogos de selecções ao longo de um período de dois anos. Esta proposta contou igualmente com o apoio das outras partes da família do futebol envolvidas na questão. O memorando cobre ainda várias outras questões de interesse mútuo para as Ligas e a UEFA.

"Os acordos vão oferecer ao futebol Europeu a estabilidade necessária para os próximos anos", destacou o secretário-geral da UEFA, Gianni Infantino, durante o Congresso de Istambul. "Ilustram o empenho de todas as partes envolvidas no futebol europeu em trabalharem em conjunto de forma a melhorarem este desporto que todos nós tanto adoramos."