Kuipers preparado para a final de Lyon

Árbitro da final da UEFA Europa League, Björn Kuipers apitou recentemente dois encontros decisivos nas provas de clubes da UEFA e garante que cada jogo é sempre uma ocasião especial.

O holandês Björn Kuipers vai arbitrar a terceira final europeia em poucos anos
O holandês Björn Kuipers vai arbitrar a terceira final europeia em poucos anos ©Getty Images

Björn Kuipers já teve várias vezes o prazer de estar em grandes finais, mas o árbitro holandês, que na quarta-feira vai dirigir a final da UEFA Europa League entre Marselha e Atlético de Madrid, explica que cada nova final tem um sabor único.

Este dono de um supermercado de 45 anos, que vive em Oldenzaal, no leste da Holanda, está preparado para o grande momento em Lyon e conta com a experiência das duas finais europeias que arbitrou anteriormente: a final da UEFA Champions League de 2014 entre Real Madrid e Atlético e a final da UEFA Europa League do ano anterior, entre Chelsea e Benfica.

"Foi uma grande surpresa, fantástica", afirmou sobre esta nomeação o holandês que tem dois filhos "Eu muito feliz. É a oitava final da minha carreira e cada uma é especial”.

Kuipers vai liderar esta quarta-feira uma equipa de arbitragem holandesa composta pelas árbitros assistentes Sander van Roekel e Erwin Zeinstra, os árbitros assistentes suplementares Danny Makkelie e Pol van Boekel, e o árbitros-assistente suplente Mario Diks. A equipa fica completa com o polaco Szymon Marciniak como quarto árbitro.

O holandês não tem dúvidas que o trabalho de equipa na arbitragem foi um factor decisivo para mais esta importante nomeação.

"Não é apenas o reconhecimento do meu trabalho", destacou. "Também é um reconhecimento para a minha equipa, são fantásticos, não seria nada sem eles”.

Uma final num estádio cheio apresenta desafios especiais para a equipa de arbitragem. A força mental é um requisito fundamental. "É uma das facetas mais importantes para um árbitro", explicou Kuipers. “Temos tantas pessoas a olhar para nós e a analisar tudo o que fazemos em campo, que temos de ser fortes e confiantes em todas as decisões que tomamos”.

Topo