O "site" oficial do futebol europeu

Árbitros Assistentes Adicionais

Árbitros Assistentes Adicionais
Os árbitros assistentes adicionais dão uma ajuda extra na tomada de decisões ©UEFA

Calendário

Árbitros Assistentes Adicionais

Uma inovação que se tem provado benéfica e que faz agora parte das Leis do Jogo é o sistema de árbitros assistentes adicionais (AAR), que tem ajudado o árbitro principal no processo de tomada de decisões.

Neste sistema, ao árbitro, aos dois assistentes e ao quarto árbitro juntam-se dois árbitros assistentes adicionais, posicionados ao lado de cada uma das balizas, com a missão particular de observar incidentes dentro das áreas, como empurrões e agarrões. 

A experiência com árbitros assistentes adicionais começou a ser feita num mini-torneio de apuramento para o Campeonato da Europa de Sub-19, realizado na Eslovénia, no Outono de 2008. Durante a época 2009/10, ainda numa fase experimental, os jogos da UEFA Europa League foram apitados com estes árbitros assistentes adicionais. 

Na sequência de uma decisão do International Board (IFAB), o organismo responsável pelas leis do futebol, em Julho de 2010, o sistema passou a ser objecto de um período de experimentação nas principais competições europeias de clubes, a UEFA Champions League e a UEFA Europa League, nas temporadas 2010/11 e 2011/12. Foi também utilizado na SuperTaça Europeia de 2011 e os árbitros assistentes adicionais também estiveram presentes no UEFA EURO 2012.

A 5 de Julho de 2012, o IFAB aprovou o uso dos dois árbitros assistentes adicionais, reconhecendo o apoio que podem dar às arbitragens dos jogos. Depois desta decisão, a UEFA passou a utilizar o sistema nas suas competições de clubes.

Os resultados positivos têm sido fáceis de constatar, conforme explica Pierluigi Collina, responsável da arbitragem da UEFA. "O objectivo principal dos árbitros assistentes adicionais é ajudar na tomada de decisões, em particular nas jogadas dentro das áreas, onde essas decisões podem determinar o resultado de um jogo", afirmou.

"O que temos visto é um melhor controlo dos jogos [por parte dos árbitros]", acrescentou. "Tem havido uma redução de faltas, em especial nos lances de bola parada como os cantos e livres, um melhor controlo das jogadas na linha de golo e uma maior eficácia ao nível das decisões dos árbitros assistentes. Estes objectivos têm sido alcançados graças aos árbitros assistentes adicionais."

Todas as federações inscritas na FIFA são livres de aplicar o sistema no seu todo e diversas federações europeias já o introduziram nas competições internas.

Pierluigi Collina sublinhou que os árbitros assistentes adicionais preencheram uma necessidade criada pelas mudanças vividos no futebol ao longo da última década. "A maior mudança dos últimos dez anos tem a ver com a velocidade", referiu. "Hoje é muito difícil a um árbitro tomar certas decisões, muito mais do que no passado. O trabalho dos árbitros tornou-se cada vez mais difícil."

"Com o futebol a tornar-se mais rápido e os jogadores mais fortes, parece que, por vezes, os árbitros enfrentam uma missão impossível", salientou. "Dois pares de olhos extra, atentos ao que se passa nas áreas, são uma ajuda valiosa para o árbitro e fortalecem as equipas de arbitragem, em termos numéricos e de confiança, permitindo ao mesmo tempo que o jogo seja mais fluido."

http://pt.uefa.com/insideuefa/protecting-the-game/refereeing/aar/index.html#arbitros+assistentes+adicionais