UEFA suspende seis jogadores Sub-21 de Malta por manipulação de resultados

O Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA suspendeu seis jogadores da selecção Sub-21 de Malta por estarem envolvidos em manipulação de resultados.

Logótipo da UEFA
Logótipo da UEFA ©UEFA

O Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA suspendeu seis jogadores internacionais Sub-21 de Malta, dois deles para sempre, por estarem envolvidos em manipulação de resultados.

A UEFA iniciou investigações disciplinares contra sete jogadores Sub-21 de Malta, por alegada infração de diversas alíneas do Artigo 12 dos Regulamentos Disciplinares da UEFA, em virtude de potenciais ligações a questões relacionadas com a manipulação de resultados. Em concreto, a investigação esteve relacionada com dois jogos de apuramento para o Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA de 2017, realizados em Maço, nos quais Malta defrontou o Montenegro, a 23 de Março de 2016, e a República Checa, a 29 de Março de 2016.

A 14 e 15 de Dezembro de 2017, o Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA levou a cabo várias audições para examinar os casos de cada um dos diferentes indivíduos alegadamente envolvidos em actividades de manipulação de resultados.

Esta terça-feira, o Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA anunciou as suas decisões referentes aos procedimentos disciplinares acima mencionados:

- Emanuel Briffa: Art. 12 (2) (a) dos Regulamentos Disciplinares da UEFA: Suspensão definitiva, para toda a vida, de quaisquer actividades relacionadas com o futebol por ter agido de forma a exercer influência à margem das leis no curso e/ou no resultado de um jogo ou de uma competição tendo em vista tirar proveito próprio ou para terceiros;

- Kyle Cesare: Art. 12 (2) (a) dos Regulamentos Disciplinares da UEFA: Suspensão definitiva, para toda a vida, de quaisquer actividades relacionadas com o futebol por ter agido de forma exercer influência à margem das leis no curso e/ou no resultado de um jogo ou de uma competição tendo em vista tirar proveito próprio ou para terceiros;

- Samir Arab: Art. 12 (2) (d) dos Regulamentos Disciplinares da UEFA: Suspensão de 2 anos (até 31.12.2019) por não ter, de imediato e voluntariamente, informado a UEFA em caso de abordagem ligada a actividades que visam influência à margem das leis o curso e/ou o resultado de um jogo ou de uma competição;

- Ryan Camenzuli: Art. 12 (2) (d) dos Regulamentos Disciplinares da UEFA: Suspensão de 1 ano e 6 meses (até 30.06.2019) e prestação de serviço comunitário ligado ao futebol por não ter, de imediato e voluntariamente, informado a UEFA em caso de abordagem ligada a actividades que visam influência à margem das leis o curso e/ou o resultado de um jogo ou de uma competição;

- Llywelyn Cremona: Art. 12 (2) (d) dos Regulamentos Disciplinares da UEFA: Suspensão de 12 meses (até 31.12.2018) e prestação de serviço comunitário ligado ao futebol por não ter, de imediato e voluntariamente, informado a UEFA em caso de abordagem ligada a actividades que visam influência à margem das leis o curso e/ou o resultado de um jogo ou de uma competição;

- Luke Montebello: Art. 12 (2) (d) dos Regulamentos Disciplinares da UEFA: Suspensão de 12 meses (até 31.12.2018) e prestação de serviço comunitário ligado ao futebol por não ter, de imediato e voluntariamente, informado a UEFA em caso de abordagem ligada a actividades que visam influência à margem das leis o curso e/ou o resultado de um jogo ou de uma competição;

- Matthew Cremona: O Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA decidiu encerrar os procedimentos disciplinares abertos. Consequentemente, o jogador está autorizado a participar em quaisquer actividades relacionadas com o futebol.

A UEFA aproveita esta oportunidade para sublinhar o seu empenho na luta contra o malefício da manipulação de resultados ─ descrito pelo Presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, como "uma doença que ataca o coração do futebol”. No que a este assunto diz respeito, a UEFA reitera o seu empenho em livrar o futebol da manipulação de resultados.

Topo