Luta pela integridade ganha ímpeto

A UEFA aponta a manipulação de resultados como um perigo sério para a saúde do futebol - e o alargar dos papéis dos Agentes de Integridade nas federações membro da UEFA é um passo em frente na defesa da modalidade.

Agentes de Integridade da UEFA vindos de 26 diferentes federações nacionais estiveram em Zeist
Agentes de Integridade da UEFA vindos de 26 diferentes federações nacionais estiveram em Zeist ©UEFA

A UEFA continua a marcar posição na luta contra a manipulação de resultados no futebol e o papel da sua rede de Agentes de Integridade espalhada por toda a Europa está a ganhar cada vez mais influência.

Agentes de Integridade em representação de 26 federações-membro da UEFA encontraram-se no Campus da Federação Holandesa de Futebol (KNVB), em Zeist, para um workshop organizado pela unidade anti-manipulação de resultados constituída dentro da recém-criada divisão de Protecção do Jogo da UEFA.

O desejo do presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, em ver um futebol limpo foi reforçado com a criação desta nova divisão, desenhada para oferecer uma abordagem mais directa à luta contra problemas de integridade dentro do futebol europeu.

Os Agentes de Integridade da UEFA actuam como agentes de ligação entre as autoridades do futebol e as forças da lei com vista à detecção de suspeitas de manipulação de resultados.

Partilham informações e conhecimentos com a administração da UEFA, monitorizam procedimentos disciplinares e coordenam acções relevantes, para além de levarem a cabo preciosos programas de educação para jogadores, árbitros e treinadores.

A UEFA aponta a luta contra a manipulação de resultados como uma das suas prioridades, com Čeferin a descrever o fenómeno como "uma doença que ataca o coração do futebol.” As conversas em Zeist centraram-se, em particular, nas ameaças com as quais o futebol europeu se depara actualmente em virtude da manipulação de resultados.

A importância do sistema de detecção de fraudes da UEFA, o qual monitoriza mais de 30 mil jogos por ano, foi sublinhada no workshop como fonte vital de prova em caso de manipulação de resultados, tendo já ajudado o Tribunal Arbitral do Desporto (CAS) a decidir casos recentes.

A convenção do Conselho da Europa sobre manipulação no desporto foi igualmente elogiada, como meio de promoção da coordenação entre forças policiais e autoridades judiciais nos diferentes países e como forma de partilha de informações entre os diferentes organismos, entre os quais a UEFA.

Está a ser introduzido pela UEFA um novo conceito de Agentes de Integridade, de forma a potenciar a comunicação e a troca de informações em toda a Europa. Os agentes terão acesso a um sistema no qual educação, investigações, monitorização, acusações e regulamentos relativos a manipulação de resultados constituam uma só estrutura coerente.

Desta forma, os Agentes de Autoridade podem ser formados e formar outras pessoas dentro das respectivas federações-membro da UEFA de forma harmonizada em todo o continente europeu.

Este novo sistema não só fortalecerá a ligação entre os próprios Agentes de Integridade, como facilitará também o contacto com as autoridades públicas nos respectivos países. Lisboa irá receber o próximo workshop de Agentes de Integridade, em Maio.