Licenciamento de Clubes: dez anos

A UEFA publicou um relatório sobre a forma como o sistema de licenciamento de clubes se tem desenvolvido desde a sua introdução, há mais de dez anos.

O relatório da UEFA olha para o desenvolvimento do licenciamento dos clubes ao longo da última década
O relatório da UEFA olha para o desenvolvimento do licenciamento dos clubes ao longo da última década ©UEFA.com

A UEFA elaborou um relatório sobre a forma como o sistema de licenciamento de clubes se tem desenvolvido desde a sua introdução, há mais de dez anos, o seu impacto no futebol europeu de clubes e de que forma está a ser implementado em cada uma das 54 federações-membro da UEFA.

Na sequência do relatório do "Licenciamento de Clubes - aqui para ficar" publicado decorridos os primeiros anos da introdução do sistema, o documento “Licenciamento de Clubes: dez anos” (em inglês) fornece uma explicação aprofundada das características do sistema de licenciamento de clubes e de como este funciona, bem como mostra a sua evolução com a introdução do “fair play” financeiro.

O impacto positivo do licenciamento de clubes é uma evidência ao longo de todo o relatório, sendo destacado pelo Secretário-Geral da UEFA, Gianni Infantino: “Com o sistema agora firmemente instalado e a ter um impacto positivo no aumento do nível de profissionalismo na gestão dos clubes e no apoio a uma estabilidade financeira dos clubes e integridade das competições”, afirmou, “o relatório mostra que o licenciamento de clubes possibilita a plataforma perfeita para um crescimento futuro e prosperidade dos clubes de futebol europeus”.

A aplicação ampla de licenciamento de clubes pode ser vista através de uma análise abrangente do âmbito e alcance do licenciamento de clubes por toda a Europa, no que diz respeito tanto à UEFA como às competições de âmbito nacional. O relatório tem também uma secção dedicada a cada licenciador nacional, com informações sobre o licenciamento de vários clubes no contexto do futebol de cada país.

Além de explicar o que é o licenciamento de clubes e o seu âmbito de aplicação, o relatório também analisa as conquistas no combate a muitos dos citados problemas dos clubes de futebol europeus que o sistema tentou resolver, tais como a transparência financeira, estádios desadequados, pagamentos em atraso e falta de investimento no futebol jovem.

Na sua apresentação, o responsável da UEFA do licenciamento de clubes e “fair play” financeiro, Andrea Traverso, manifestou a esperança de que o relatório possa incentivar mais organizações desportivas a adoptar normas semelhantes às promovidas através do licenciamento de clubes, com o objectivo de melhorar a gestão e proteger os interesses dos organizadores de competições, clubes, jogadores e, em última análise, os adeptos.

Topo