Sérvia

SérviaFederação de Futebol da Sérvia

O "site" oficial do futebol europeu

Os primeiros passos da Sérvia

A República da Sérvia só foi declarada em 2006, mas já antes tinha causado impacto no futebol.
Os primeiros passos da Sérvia
A Sérvia celebra o apuramento para o Mundial de 2010, na sequência de um triunfo por 5-0 sobre a Roménia ©AFP

Os primeiros passos da Sérvia

A República da Sérvia só foi declarada em 2006, mas já antes tinha causado impacto no futebol.

A Federação Sérvia de Futebol (Fudbalski savez Srbije ou FSS) foi originalmente fundada em 1919, como Federação Jugoslava de Futebol, e foi admitida na FIFA e na UEFA em 1921 e 1954, respectivamente.

A Jugoslávia realizou o primeiro jogo internacional frente à Checoslováquia, nos Jogos Olímpicos de Antuérpia, no dia 28 de Agosto de 1920, perdendo por 7-0. No entanto, demorou pouco tempo até alcançar êxitos, com o país a participar em cinco Olimpíadas e oito Mundiais. Foi campeã olímpica em Roma, em 1960, medalha de prata em Londres (1948), Helsínquia (1952) e Melbourne (1956), e de bronze em Los Angeles (1984).

Também participou com regularidade em Campeonatos do Mundo: Uruguai, em 1930, alcançando as meias-finais; Brasil (1950); Suíça (1954); Chile (1962), onde foi quarto classificado; Alemanha (1974); Espanha (1982); Itália (1990) e França (1998). Para além isso, a Jugoslávia esteve cinco vezes na fase final de Campeonatos da Europa. Foi segunda classificada em Paris (1960) e Roma (1968), terminou em quarto lugar em Belgrado, em 1976, e também competiu em França (1984) e na Bélgica/Holanda (2000). No entanto, Jogos Olímpicos à parte, os títulos têm sido pertença exclusiva das selecções jovens.

A selecção Sub-21 da Jugoslávia foi campeã europeia em 1978, e conquistou o Torneio Internacional Jovem um ano depois. Seguiram-se mais motivos para festejar, com o triunfo no Mundial de Sub-20 de 1987, no Chile. A nível individual, o emblemático Dragan Džajic detinha o recorde de internacionalizações, com 85, até ter sido ultrapassado por Savo Milošević, que se retirou com 102 no currículo. Stjepan Bobek continua a ser o melhor marcador, com 38 golos.

Mas sem dúvida que o maior feito internacional de uma equipa jugoslava foi a vitória do FK Crvena Zvezda sobre o Olympique de Marseille, na final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, em 1991: 5-4 nas grandes penalidades, depois de um empate a zero em Bari. Mais tarde, nesse mesmo ano, o Estrela Vermelha derrotou o CD Colo Colo, do Chile, por 3-0, conquistando a Taça Intercontinental em Tóquio. O FK Partizan, também de Belgrado, esteve perto de alcançar a glória europeia, mas perdeu a final de 1966, em Bruxelas, frente ao Real Madrid CF, por 2-1. Ambos os clubes da capital são potências futebolísticas nas competições internas.

Todos estes acontecimentos tiveram lugar sob um cenário de alterações políticas. De 1919 a 1941 a Jugoslávia foi um reino, mas em 1946 tornou-se numa república, sofrendo várias alterações de identidade posteriormente. Entre 1946 e 1963 denominou-se República Popular Federal da Jugoslávia, depois República Socialista Federalista da Jugoslávia, até que por fim se fragmentou, em 1992. Nesse último período, o país consistia em seis repúblicas: Sérvia, Bósnia-Herzegovina, Montenegro, Croácia, Macedónia e Eslovénia.

Em 1992, o novo estado da Sérvia e Montenegro passou a chamar-se República Federal da Jugoslávia. No mesmo ano, uma resolução das Nações Unidas, que impunha sanções ao país, estendeu-se até ao desporto. Em consequência disso, a sua selecção foi impedida de participar na fase final do EURO '92, na Suécia, para a qual se tinha qualificado com mérito. Pelo mesmo motivo, foi proibida de participar nas fases de qualificação para o Mundial de 1994 e o EURO '96.

Em Fevereiro de 2003, a República Federal da Jugoslávia mudou o seu nome uma vez mais para Sérvia e Montenegro. Finalmente, em Junho de 2006, Sérvia e Montenegro tornaram-se nações distintas, e a República da Sérvia foi declarada. O primeiro jogo da Sérvia enquanto entidade única foi frente à República Checa, em Agosto de 2006. Outro feito aconteceu com a qualificação para o Campeonato do Mundo de 2010, na África do Sul, sob o comando do treinador Radomir Antić.

O sucesso chegou igualmente às camadas jovens, com a selecção de Sub-19 a vencer o título europeu na Lituânia, em 2013. Dois anos mais tarde, a equipa de Sub-20 conquistou o Campeonato do Mundo da categoria na Nova Zelândia - naquele que foi o primeiro título mundial de uma selecção desde a independência da Jugoslávia e da dissolução da Sérvia e Montenegro.

Dejan Stanković é o jogador com mais internacionalizações pela selecção principal da Sérvia, tendo ultrapassado Savo Milosević ao completar o seu 103º e último jogo em Outubro de 2013.

Agora designada por FSS, com sede em Belgrado, é responsável por todas as actividades futebolísticas no país e é uma federação independente, democrática, não-governamental, política e religiosamente neutra.

http://pt.uefa.com/insideuefa/member-associations/association=srb/news/newsid=946738.html#os+primeiros+passos+servia

Passar ao topo  

Presidente

 

Slaviša Kokeza

Slaviša Kokeza

Nacionalidade: Sérvio
Data de nascimento: 7 de Julho de 1977
Presidente da federação desde: 2016

• Homem de negócios de sucesso, Slaviša Kokeza desde cedo se envolveu no mundo do futebol. Após uma breve carreira de jogador, destacou-se como dirigente em vários clubes, entre eles o FK Zemun e o FK Crvena zvezda. Em 2014 foi eleito presidente da Associação de Futebol de Belgrado e vice-presidente da Federação Sérvia de Futebol (FSS).

• A 20 de Maio de 2016 foi eleito por unanimidade presidente da FSS. Anunciou de imediato várias reformas, dando especial atenção ao investimento em infraestruturas futebolísticas, incluindo a construção de um novo estádio nacional e de uma nova sede para a federação, e expressando a importância do respeito mútuo entre todos os membros da família do futebol sérvio.

• “A FSS será um parceiro de confiança no apoio a todos os clubes com vista ao desenvolvimento do futebol profissional e amador,” disse. “Juntos, vamos construir uma atmosfera de consideração e respeito e a a federação deve dar o exemplo.”

Secretário-Geral

 

Jovan Šurbatović

Jovan Šurbatović

Nacionalidade: Sérvia
Data de nascimento: 29 de Março de 1968 
Secretário-geral da federação desde: 2016

• Jovan Šurbatović é bacharel em Economia. Realizou a pós-graduação na escola internacional do Centro Europeu para a Paz e Desenvolvimento, em Belgrado, e tornou-se mestre em ciências de gestão. Em 2012 apresentou um tese de doutoramento sobre gestão de centros desportivos e tornou-se doutor na área de gestão desportiva.

• Em 9 de Dezembro de 2016 foi eleito secretário-geral da Federação Sérvia de Futebol, tendo passado secretário-geral adjunto em Agosto de 2016. Antes disso tinha sido secretário-geral da Associação de Futebol de Belgrado (2011-2016) e também foi vice-presidente do organismo (2010-2011).

• Para além de ser professor na Faculdade de Desporto da Universidade Union-Nikola Tesla, publicou inúmeros trabalhos científicos e profissionais sobre o desporto e gestão desportiva, especialmente sobre futebol.

Dados da Federação

  • Fundação: 1919
  • Afiliação à UEFA: 1954
  • Afiliação à FIFA: 1921
  • Morada: 35, Terazije CP 263 11000 BEOGRAD
  • Telefone: +381 11 323 4253
  • Fax: +381 11 323 3433

Coeficiente de clubes por país

PaísClubesPts
28 NoruegaNoruega4/414.300
29 LiechtensteinLiechtenstein1/113.000
30 SérviaSérvia2/413.000
31 EslováquiaEslováquia4/411.500
32 EslovéniaEslovénia3/410.750
Última actualização: 10/07/2017 10:20 CET

Palmarés das Selecções Nacionais