Holanda

HolandaFederação Holandesa de Futebol

O "site" oficial do futebol europeu

Holandeses conquistam respeito

A história do futebol holandês remonta a 1889 e tudo começou graças a um jovem de Haia.
Holandeses conquistam respeito
Os jogadores holandeses celebram a conquista do Campeonato da Europa de 1988 ©empics

Holandeses conquistam respeito

A história do futebol holandês remonta a 1889 e tudo começou graças a um jovem de Haia.

Em 1889, Pim Mulier, um holandês de 24 anos, fundou, em Haia, a Nederlandse Voetbal en Atletiek Bond (NVAB). O organismo era constituído por nove clubes e, sem surpresas, Mulier foi escolhido para ser o seu primeiro presidente.

A primeira competição não foi muito a sério e até um pouco anárquica, pois cada clube tinha a liberdade de decidir quando queria disputar os seus jogos. Em 1895, a parte do atletismo foi removida do nome e nasceu a Nederlandse Voetbalbond (NVB). A competição oficial começou em 1897/98.

Em 1904, a NVB foi um dos membros fundadores da FIFA, a organização responsável pelo futebol a nível mundial, sendo que, um ano depois, a Holanda disputou o seu primeiro jogo internacional oficial, frente à Bélgica. No final de 2009, estes dois vizinhos dos Países Baixos já se tinham encontrado por 124 ocasiões. Em 1929, o 40º aniversário da federação foi uma ocasião especial. A NVB recebeu a designação oficial de "Koninklijke" (Real) por parte da Rainha, transformando-se na Koninklijke Nederlandse Voetbalbond (KNVB).

Mas a KNVB não era a única federação de futebol na Holanda, pois a divisão religiosa tinha forçado os católicos e os protestantes a formarem as suas respectivas federações. Estas fundiram-se em 1940, sob pressão da Alemanha, mas continuaram juntas após a libertação em 1945. Num país onde a segregação religiosa era ainda normal em muitos sectores da vida quotidiana, o futebol ajudava a derrubar barreiras.

No final da década de 40 e início da de 50, muitos jogadores holandeses emigraram para jogar nas Ligas francesa e italiana, pois a KNVB resistia à adopção do profissionalismo. Esta situação terminou em 1953, quando foram disputados dois jogos de beneficência para angariar dinheiro para as pessoas afectadas pelas grandes cheias que nesse ano tiveram lugar na Holanda. A selecção nacional perdeu, por 2-1, com a Dinamarca em casa, enquanto, em contraste absoluto, os profissionais holandeses bateram a selecção nacional francesa, por 2-1, em Paris. Um ano mais tarde, a KNVB finalmente cedeu e fundiu-se com a recém-formada NBVB, num claro sinal de que tinha chegado o profissionalismo. A barreira entre futebol amador e profissional é, hoje, bastante menor, permitindo que equipas amadoras ascendam ao escalão principal, profissional, e que equipas profissionais sejam relegadas para a principal Liga amadora do país.

O futebol holandês precisou de apenas vinte anos de profissionalismo para conquistar um lugar de destaque no mapa do futebol mundial. Na Alemanha, em 1974, a selecção nacional, que incluía o melhor jogador holandês de todos os tempos, Johan Cruyff, chegou à final Campeonato do Mundo, um feito que repetiu quatro anos mais tarde, na Argentina. Embora tenham perdido ambas as finais, os holandeses praticaram um estilo que passou a ser sinónimo do futebol holandês, o "futebol total".

Outro marco histórico foi atingido a 8 de Abril de 1978, quando a KNVB se transformou na primeira e, até agora, única federação holandesa a ter um membros um milhão, um tal de Arjan Kruisinga. A federação tinha percorrido um longo caminho em pouco tempo. No final da temporada de 2008/09, a KNVB contava com 1,2 milhões de membros, entre eles 112 mil do sexo feminino, de diversas idades.

O maior triunfo da história da Holanda aconteceu na final do Campeonato da Europa de 1988, quando venceu, por 2-0, a União Soviética, na final. Rinus Michels, o seu treinador, era rico em recursos tácticos e Ruud Gullit, Marco van Basten e Frank Rijkaard foram os arquitectos da vitória no relvado. Este trio juntou-se a Johan Neeskens, Willem van Hanegem, Ruud Krol, Ronald Koeman, Dennis Bergkamp, Edwin van der Sar e Clarence Seedorf como os jogadores holandeses que deixaram a sua marca na história do futebol europeu.

Dirigentes como KJJ Lotsy, Lodewijk Brunt, Jos Coler, Jo van Marle e Mathieu Sprengers foram um bom exemplo para os jogadores, sendo que a maioria têm títulos honorários da UEFA. Entretanto, desde Março de 2009, o presidente da KNVB, Michael van Praag, é membro do Comité Executivo da UEFA. Clubes como o Feyenoord, AFC Ajax e PSV Eindhoven continuam a aumentar o enorme respeito que o futebol holandês detém um pouco por todo o Mundo. Quatro selecções presentes no Campeonato do Mundo de 2006 – Holanda, Austrália, Coreia do Sul e Trinidade e Tobago – apresentavam treinadores holandeses. Um deles, Bert van Marwijk, guiou mesmo a Holanda até à final do Mundial. Essa geração de jogadores, que incluiu  Wesley Sneijder, Robin van Persie e Arjen Robben, chegaram ao terceiro lugar do Campeonato do Mundo de 2014, no Brasil, apesar da desilusão que se seguiria, já que Guus Hiddink e Danny Blind não foram capazes de levar a selecção "laranja" ao UEFA EURO 2016.

http://pt.uefa.com/insideuefa/member-associations/association=ned/news/newsid=948462.html#holandeses+conquistam+respeito

Passar ao topo  

Presidente

 

Michael van Praag

Michael van Praag

Nacionalidade: Holandesa
Data de nascimento: 28 Setembro 1947
Presidente da federação desde: 2008

• O pai de Michael van Praag, Jaap, foi presidente do AFC Ajax de 1964 a 1978, período durante o qual o clube conquistou a Taça dos Clubes Campeões Europeuis três vezes consecutivas. Seguiu as pisadas do seu pai, sendo presidente do clube de 1989 a 1993, com o Ajax a vencer a Taça UEFA e a UEFA Champions League sob a sua presidência.

• Jogador e árbitro amador no passado, Van Praag também é um músico dotado – e talvez sem surpresa, uma vez que o seu tio Max era um cantor famoso na Holanda – tocando bateria, piano, vibrafone e tuba. Também faz parte da banda da selecção nacional holandesa. Para além disso, criou uma cadeia de produtos audiovisuais livres de impostos em aeroportos.

• Sucedeu ao falecido Mathieu Sprengers como presidente da Federação Holandesa de Futebol (KNVB), em 2008; é casado e pai de um filho. A propósito da sua passagem pelo Ajax, disse: "Orgulho-me de ter conquistado a UEFA Champions League em 1995. O meu momento mais bonito foi sobrevoar Amesterdão com a equipa e o piloto fazer uma manobra especial para saudar a multidão." Foi reeleito como presidente da KNVB em Dezembro de 2013, para um novo mandato de três anos. Foi novamente reeleito para um mandato de três anos em Novembro de 2016.

Secretário-Geral

 

Bert van Oostveen

Bert van Oostveen

Nacionalidade: Holandesa
Data de nascimento: 30 de Outubro de 1970
Secretário-Geral da federação desde: 2012

• Bert van Oostveen estudou ciência política na Vrije Universiteit de Amesterdão, possuindo também qualificações em gestão de recursos humanos. Antes de 1996, trabalhou para o partido político alemão CDU e para a Real Companhia Aérea Holandesa (KLM).

• Van Oostveen trabalha para a KNVB desde 1996, tendo começado na organização dos quadros competitivos de arbitragem. Em 2002 foi nomeado para gerir as questões competitivas e para vice-director do futebol profissional. Nesse cargo, liderou o projecto para o Campeonato do Mundo de 2006 e UEFA EURO 2008, bem como o Campeonato do Mundo de 2010.

• Foi director do futebol profissional de 2010 a 2016 e passou a ser o Secretário-Geral da KNVB a 1 de Setembro de 2012. Nos seus tempos livres gosta de fazer ciclismo, jogar golfe e de desportos de Inverno. Até há poucos anos foi também guarda-redes no escalão amador.   

Dados da Federação

  • Fundação: 1889
  • Afiliação à UEFA: 1954
  • Afiliação à FIFA: 1904
  • Morada: Woudenbergseweg 56-58 Postbus 515 3700 AM ZEIST
  • Telefone: +31 343 499 201
  • Fax: +31 343 499 189

Coeficiente de clubes por país

PaísClubesPts
9 UcrâniaUcrânia0/533.933
10 TurquiaTurquia1/529.800
11 HolandaHolanda1/527.649
12 República ChecaRepública Checa1/524.675
13 SuíçaSuíça1/524.500
Última actualização: 10/07/2017 10:20 CET

Palmarés das Selecções Nacionais

Competições domésticas

Última actualização: 03/07/2017 13:06 CET