Islândia

IslândiaFederação de Futebol da Islândia

O "site" oficial do futebol europeu

Islândia sai do anonimato

A Federação de Futebol da Islândia foi fundada em 1947, e desde então o futebol no país tem vindo a crescer de forma sustentada.
Islândia sai do anonimato
O islandês Birkir Bjarnason (segundo à direita) festeja com os colegas após marcar o seu primeiro golo frente a Portugal na fase de grupos do UEFA EURO 2016 ©AFP/Getty Images

Islândia sai do anonimato

A Federação de Futebol da Islândia foi fundada em 1947, e desde então o futebol no país tem vindo a crescer de forma sustentada.

Apesar de a Federação de Futebol da Islândia (Knattspyrnusamband Íslands ou KSÍ) ter sido fundada em 1947, a Federação de Futebol de Reiquiavique - autorizada pela Federação dos Desportos da Islândia - organizou um campeonato nacional a partir de 1912. Uma vez estabelecida, a KSÍ filiou-se na FIFA em 1947 e tornou-se membro da UEFA em 1954.

Apenas três equipas participaram na edição inaugural do campeonato, em 1912, ainda assim a popularidade da modalidade cresceu gradualmente, mesmo que o número de equipas tenha aumentado de forma lenta. No ano de formação da KSÍ existiam apenas 14 clubes, oito dos quais ainda permanecem em actividade: Fram, KR, Víkingur e Valur, de Reykjavik; Haukar e FH, de Hafnarfjordur; KA e Thór, de Akureyri. Actualmente, cerca de 80 clubes estão sob a égide da KSÍ.

O primeiro jogo oficial da selecção islandesa foi disputado em 1946, um ano antes da fundação da KSÍ. O adversário foi a Dinamarca e infligiu uma derrota convincente ao adversário, por 3-0.

A primeira vitória da Islândia aconteceu em 1947, frente à Finlândia, em Reykjavik, por 2-0. Três anos depois, a Islândia registou uma das maiores vitórias da sua história: venceu a Suécia por 4-3 na capital, com Ríkhardur Jónsson, jogador do ÍA Akranes, a marcar os quatro golos. Os suecos não voltaram a perder com a Islândia nos 50 anos que se seguiram, até que perderam por 2-1 em Reykjavik. No entanto, o momento menos positivo da sua história aconteceu em 1967, quando a selecção nórdica foi goleada pela Dinamarca em Copenhaga, por 14-2.

Na última década e meia, a Islândia tem alcançado bons resultados com regularidade. Uma vitória por 1-0 sobre a Rússia, em 1998, e um triunfo por 3-1 frente à República Checa, em 2001, são alguns dos destaques. Registou igualmente outros resultados notáveis frente a selecções de nível superior, como Noruegua e Irlanda do Norte. Um dos dias mais felizes da sua história aconteceu em 2004, quando venceu a Itália por 2-0, num amigável realizado em Reiquiavique, perante uma assistência recorde no Estádio Laugardalsvöllur.

O facto de a equipa ter falhado por pouco o apuramento para o UEFA EURO 2000 e o UEFA EURO 2004 demonstra que, mesmo selecções mais pequenas, como é o caso da Islândia, podem causar problemas às grandes potências futebolísticas. Uma das razões desta melhoria competitiva é o número crescente de jogadores islandeses a actuarem fora do país. Contra a corrente veio a qualificação – a expensas da então campeã Alemanha – para o Campeonato da Europa de Sub-21 de 2011, na Dinamarca, a primeira representação do país num grande torneio masculino da UEFA.

O núcleo dessa equipa tornou-se parte integrante da selecção principal da Islândia quando Lars Lagerbäck assumiu o comando, a 14 de Outubro de 2011. O sueco trouxe a experiência e organização que tanta falta faziam à Islândia na fase de afirmação da chamada “geração de ouro”. Ficou claro que a equipa estava a conseguir grandes avanços. Os nórdicos conquistam uma vaga no “play-off” de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2014, mas foram batidos pela Croácia. Uma série de excelentes exibições na qualificação para o UEFA EURO 2016 permitiram ao país disputar o seu primeiro EURO. O resto é história. A Islândia esteve em grande destaque em França e conseguiu derrotar a Inglaterra antes de cair frente aos anfitriões nos quartos-de-final.

A selecção feminina é há algum tempo uma das melhores da Europa e recentemente qualificou-se para a terceira fase final consecutiva de um EURO. Depois de terem ficado pela fase de grupos na sua primeira participação, em 2009, as islandesas atingiram os quartos-de-final em 2013 e só caíram frente à anfitriã Suécia. Depois de uma sensacional campanha de qualificação, onde a só sofreram dois golos, ambos no último jogo com a Escócia, as islandesas garantiram uma vaga no UEFA Women's EURO 2017 na Holanda.

O primeiro futebolista profissional islandês, e um dos melhores de sempre, foi Albert Gudmundsson, que representou Arsenal FC, AC Milan e AS Nancy-Lorraine, durante os anos de 1950. Uma estátua de Gudmundsson está à porta do edifício da KSÍ. Outros jogadores famosos foram Ásgeir Sigurvinsson, capitão de equipa do VfB Stuttgart; Atli Edvaldsson, avançado que actuou na Bundesliga; Arnór Gudjohnsen, que alinhou no RSC Anderlecht e no FC Girondins de Bordeaux, e Eyjólfur Sverrisson, que representou durante vários anos, e com sucesso, Estugarda e Hertha BSC Berlin, além do Beşiktaş JK, da Turquia. Actualmente, mais de 50 jogadores islandeses alinham em campeonatos estrangeiros, nomeadamente em Inglaterra e na Escandinávia. O mais conhecido é Eidur Gudjohnsen, cujo currículo ostenta a conquista da UEFA Champions League ao serviço do FC Barcelona e passagens por Bolton Wanderers FC, Chelsea FC e AS Monaco FC.

Os primeiros jogos internacionais da Islândia realizaram-se no antigo Estádio Melavöllurinn, em Reykjavik, onde se registaram assistências na ordem dos 10 mil espectadores, nos jogos mais importantes. O actual estádio principal, usado pela selecção, é o Laugardalsvöllur, que foi inaugurado na capital em 1957 e é actualmente o centro nevrálgico do futebol islandês. Em 1968, mais de 18 mil pessoas assistiram à partida da Taça dos Clubes Campeões Europeus entre o Valur Reykjavík e o Benfica, onde alinhava Eusébio. Esse recorde de assistência manteve-se até Agosto de 2004, quando 20.204 espectadores assistiram à vitória da Islândia sobre a Itália. Actualmente o Laugardalsvollur tem uma capacidade de aproximadamente 9.700 espectadores, com os bilhetes para todos os jogos a terem uma enorme procura motivada pelos recentes sucessos da Islândia.

http://pt.uefa.com/insideuefa/member-associations/association=isl/news/newsid=946254.html#islandia+anonimato

Passar ao topo  

Presidente

 

Guðni Bergsson

Guðni Bergsson

Nacionalidade: Islandesa
Data de nascimento: 21 de Julho de 1965
Presidente da federação desde: 2017

• Guðni Bergsson foi eleito presidente da Federação Islandesa de Futebol (KSÍ) em Fevereiro 2017. Tem estado envolvido no futebol ao longo da vida, tendo jogado nos escalões jovens do Valur. Após jogar no clube durante vários anos, Bergsson foi transferido para o Tottenham Hotspur, onde esteve seis épocas. Mudou-se posteriormente para o Bolton Wanderers, onde tornou-se jogador fundamental e capitão de equipa.

• Bergsson foi presença regular na selecção da Islândia, pela qual somou 80 internacionalizações como defesa sólido. Marcou um golo. Após pendurar as chuteiras, Bergsson trabalhou como advogado, mantendo-se sempre activo no futebol islandês.

• "É uma honra ter sido eleito presidente da Federação Islandesa de Futebol", afirmou. "Mostrámos que, com dedicação, paixão e espírito de equipa, tudo é possível no futebol."

Secretário-Geral

 

Klara Bjartmarz

Klara Bjartmarz

Nacionalidade: Islandesa
Data de nascimento: 3 de Junho de 1969
Secretária-geral da federação desde: 2015

• Klara Bjartmarz esteve desde sempre ligada apaixonadamente ao futebol. Fez a sua formação como guarda-redes no Víkingur Reykjavík, tendo sido também durante um curto período treinadora dos escalões jovens. Mudou-se depois para o KR Reykjavík, o clube mais antigo da capital, onde jogou durante várias épocas antes assinar pelo Stjarnan, da cidade vizinha de Gardabær.

• Licenciada em Sociologia pela Universidade da Islândia, Bjartmarz começou a trabalhar na Federação (KSI) em Janeiro de 1994 e tem sido elemento importante da equipa dirigente ao longo de mais de duas décadas, presenciando o crescimento da organização e do futebol islandês ano após ano. Fez também formação na área da gestão de eventos da Universidade de Hólar, na Islândia.

• Desempenhou a função de responsável pelas selecções femininas da Islândia, ao mesmo tempo que geria as inscrições de atletas, contratos e questões disciplinares, tendo depois assumido o cargo de gestora da secretaria da federação. Em Março de 2015, Bjartmarz foi nomeada secretária-geral interina, antes de ser confirmada no cargo em Agosto de 2015.

Dados da Federação

  • Fundação: 1947
  • Afiliação à UEFA: 1954
  • Afiliação à FIFA: 1947
  • Morada: Laugardal 104 REYKJAVIK
  • Telefone: +354 510 2900
  • Fax: +354 568 9793

Coeficiente de clubes por país

PaísClubesPts
31 EslováquiaEslováquia4/411.500
32 EslovéniaEslovénia3/410.750
33 IslândiaIslândia3/47.875
34 Rep. MoldavaRep. Moldava2/47.625
35 HungriaHungria3/47.375
Última actualização: 10/07/2017 10:20 CET

Palmarés das Selecções Nacionais

Nenhum troféu

Competições domésticas

Última actualização: 02/08/2017 17:33 CET