Proteger o "belo jogo" - Aleksander Čeferin

Na sua mensagem de fim de ano, o Presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, faz o balanço de 2017, em que a UEFA continuou a cumprir com brilhantismo a missão de proteger, promover e desenvolver o futebol.

Aleksander Čeferin, o Presidente da UEFA
Aleksander Čeferin, o Presidente da UEFA ©UEFA

O final do meu primeiro ano completo como Presidente da UEFA é o momento ideal para fazer o balanço de 12 meses em que a UEFA avançou com objectivo e confiança ao serviço do futebol europeu.

Ao longo de 2017 permanecemos fiéis à nossa missão principal de proteger, promover e desenvolver o futebol a todos os níveis no continente.

Na área da governação, traçámos o rumo para o futuro. As propostas de reforma aprovadas no Congresso da UEFA em Helsínquia, em Abril, vieram reforçar as fundações da UEFA e criam a tranquilidade e estabilidade necessárias para que possamos desempenhar as nossas funções.

A ligação próxima com as federações-membro dura há mais de seis décadas, desde a fundação da UEFA, e continua a ser a base de todas as nossas actividades. Também reforçámos o diálogo e as relações com os principais parceiros do futebol europeu, como os clubes e as ligas, e atribuímos-lhes um maior papel nos processos de tomada de decisão.

Demos continuidade ao nosso trabalho na vanguarda do combate a fenómenos negativos como o doping e a viciação de resultados - erradicar este último é essencial para salvaguardar o futebol de uma doença que coloca em perigo a sua própria alma. Também não mostraremos qualquer tolerância em relação a todos os que destroem o nosso desporto com comportamentos racistas ou discriminatórios.

O futebol deve continuar a usar o seu poder e popularidade como força para o bem social e o coração social da UEFA bateu mais forte do que nunca em 2017.

A nova campanha #EqualGame está a mostrar ser um excelente veículo para a transmissão de valores fundamentais de diversidade e inclusão - e que o futebol é um jogo para todos, independentemente de quem sejam e de onde vêm.

O trabalho para atrair mais mulheres e raparigas para o futebol também recebeu um novo impulso este ano com o lançamento da campanha Juntos #WePlayStrong. O futebol feminino tem um enorme potencial e temos de nos esforçar para alterar a percepção que existe em seu redor.

Um grande passo nesta direção foi dado na prova mais importante do ano, o Campeonato da Europa Feminino da UEFA de 2017, na Holanda, que levou o futebol feminino de topo a outro patamar. A memorável festa do futebol durou três semanas e permitiu o aparecimento de novas equipas e novas estrelas, sublinhando o excelente trabalho de desenvolvimento que está a ser realizado pelas várias federações nacionais europeias.

Este ano, um trio de antigos jogadores de topo juntou-se à nossa organização - Nadine Kessler e Dejan Stanković em Março, e Luís Figo em Outubro. Considero que isto é muito importante para a UEFA. Estes nossos novos colegas estão numa posição ideal, graças aos seus conhecimentos e experiência, para desempenharem um importante papel na nossa tomada de decisões.

Ainda temos muito para fazer e estamos ansiosos pelo próximo ano. Vai arrancar uma nova competição de selecções nacionais, a UEFA Nations League. Aguardamos com expectativa o início de uma prova que que irá ajudar a reforçar a posição do futebol de selecções na Europa, fonte fundamental de orgulho nacional e identidade no futebol.

O tempo nunca pára no futebol, e seremos corajosos, determinados e vanguardistas para enfrentar desafios e reforçar a nossa credibilidade. Podem ter a certeza que o futebol será sempre a primeira prioridade em todas as nossas decisões. Temos de proteger e acarinhar este belo jogo que significa tanto para todos nós.

Com isso em mente, gostaria de terminar com o desejo de boas festas para vocês e para as vossas famílias. Desejo-vos um feliz e próspero Ano Novo.

Aleksander Čeferin
Presidente da UEFA

Topo