Manter o equilíbrio competitivo - Aleksander Čeferin

O Presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, afirmou perante o Congresso Extraordinário da UEFA ser essencial evitar o fosso crescente entre grandes e pequenos no futebol europeu de modo a "manter o sonho vivo para todos".

Aleksander Čeferin discursa em Genebra perante o Congresso Extraordinário da UEFA
Aleksander Čeferin discursa em Genebra perante o Congresso Extraordinário da UEFA ©UEFA

O Presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, afirmou que o equilíbrio competitivo no futebol tem de ser garantido para proteger o que designou como a "magia do jogo".

No discurso perante o 13º Congresso Extraordinário da UEFA, em Genebra, esta quarta-feira, Aleksander Čeferin afirmou que devem ser feitos todos os esforços para garantir que o fosso entre grandes e pequenos no futebol europeu não se torne insuperável.

O Presidente da UEFA explicou aos delegados das 55 federações-membro da UEFA que é imperativo "garantir que as equipas de menor dimensão possam continuar a competir entre os grandes e manter o sonho vivo para todos".

“É isto que torna o futebol tão especial; esta é a magia do futebol. Temos de o proteger antes que seja tarde de mais, mas temos de ter permissão para o fazer."

Aleksander Čeferin pediu que a legislação europeia e nacional ajude o futebol a criar medidas que tornem a modalidade mais justa e melhor regulamentada, de maneira a melhorar a sua ética e solidariedade.

“Tectos salariais, impostos de luxo, limites nos plantéis, evolução do ‘fair play’ financeiro, reformas do sistema de transferências, criação de uma câmara de compensação para controlar os fluxos monetários, restrições das comissões pagas aos agentes dos jogadores, implementação de um imposto de solidariedade sobre as transferências que seria utilizado para apoiar o futebol amador e feminino, limites dos empréstimos, proibição de propriedade partilhada de clubes e o fortalecimento da regra dos jogadores formados localmente."

"Estamos abertos", confirmou o Presidente da UEFA, "a todas e quaisquer reformas que sirvam para o bem do futebol."

"Somos imaginativos e empenhados, estamos apenas à espera da luz verde daqueles que criticam publicamente a situação actual, mas que ainda não permitiram que a corrigisse-mos."

"Estou optimista que as coisas irão mudar em breve. Já existem movimentações nesse sentido, só temos de as aproveitar. Garanto-vos que tenho intenção de o fazer. Porque criar o equilíbrio perfeito não foi apenas o lema da minha campanha; continua a ser um objectivo, meu e vosso."

Aleksander Čeferin recordou os progressos realizados pela UEFA desde que foi eleito Presidente, em Setembro de 2016, progresso que, segundo ele, foi conseguido em tempo recorde.

“Após um ano e seis dias como Presidente da UEFA", recordou aos representantes das federações nacionais, “as minhas e as nossas acções falam mais alto do que as minhas palavras, não tenho qualquer intenção de fazer propaganda ou prestar um serviço pós-venda."

"Lançámos um programa de ‘fair-play’ social, com destaque para a diversidade e a inclusão, como tem sido sublinhado pela nossa nova campanha #EqualGame, mas também visando a protecção das crianças, com iniciativas que vão desde um estudo sobre as consequências dos cabeceamentos até à luta contra os abusos e a pedofilia."

“Reformámos os nossos estatutos para impor limites de mandatos e dar mais autoridade aos titulares de cargos executivos nas diversas federações nacionais, ao mesmo tempo que reforçámos a nossa capacidade para manter a ética no futebol."

“Definimos os procedimentos dos processos de candidatura à organização das nossas competições, incluindo as finais das provas de clubes. Isto pode parecer normal, mesmo trivial, mas é uma medida importante e que permitiu à UEFA afastar-se ainda mais da politização e dar um passo firme rumo a uma nova era de profissionalismo e transparência."

"Finalmente, restabelecemos o diálogo com os nossos diversos parceiros e reconstruímos o espírito de confiança que é fundamental para o progresso importante no nosso desporto."

Aleksander Čeferin congratulou-se com o trabalho de equipa entre os diversos parceiros no futebol para fazer avançar o desporto no futuro próximo.

“Vivemos tempos de harmonia", destacou. "Somos de novo uma equipa. Todos encontraram o seu lugar e parecem dispostos a apoiar os colegas de equipa."

“Só estando juntos, apoiando-nos mutuamente e coordenando as nossas acções”, concluiu o Presidente da UEFA, “é que podemos corrigir os erros do passado e restabelecer o equilíbrio indispensável para o desenvolvimento e a sustentabilidade do futebol europeu."