Pagamentos de solidariedade 2016/17 para programas jovens

Os clubes europeus da primeira divisão vão beneficiar este ano de um total de 124,37 milhões de euros em pagamentos de solidariedade da UEFA, valor destinado ao desenvolvimento de programas para jovens.

Keylor Navas, guarda-redes do Real Madrid, é batido pelo fantástico pontapé-de-bicicleta de Mario Mandžukić, da Juventus, na final da UEFA Champions League 2016/17
Keylor Navas, guarda-redes do Real Madrid, é batido pelo fantástico pontapé-de-bicicleta de Mario Mandžukić, da Juventus, na final da UEFA Champions League 2016/17 ©Getty Images

Os clubes das primeiras divisões europeias estão a receber este ano pagamentos de solidariedade reforçados por parte da UEFA, destinados ao desenvolvimento de programas para jovens. Os pagamentos resultam das receitas geradas pelas competições de clubes da UEFA em 2016/17.

Um total de 124,37 milhões de euros provenientes de receitas da UEFA Champions League e UEFA Europa League 2016/17 – comparado com 120,83 milhões no ano passado – está disponível para distribuição aos clubes através da respectiva liga profissional ou federação.

Deste valor total, 80 por cento será distribuído a clubes de federações e/ou ligas com pelo menos um clube a participar na fase de grupos da UEFA Champions League. Os restantes 20 por cento destinam-se a federações e/ou ligas sem clubes na fase de grupos da UEFA Champions League.

Os clubes devem usar os pagamentos no desenvolvimento dos seus programas para jovens e projectos comunitários locais.

Apenas clubes que não participam na fase de grupos da UEFA Champions League ou da UEFA Europa League em 2016/17 terão direito a uma parte destes pagamentos solidários.

As seguintes verbas estão disponíveis para a época 2016/17:

- 17 federações e/ou ligas com participantes na fase de grupos da UEFA Champions League 2016/17 (99,49 milhões, comparado com 96,66 milhões em 2015/16);

- 37 federações e/ou ligas sem participantes na fase de grupos da UEFA Champions League 2016/17 (24,87 milhões, comparado com 24,16 milhões em 2015/16);

Os pagamentos são baseados no sistema de distribuição introduzido há dois anos e acordado pela UEFA em cooperação conjunta com a Associação Europeia de Clubes (ECA).

Os valores destinados a programas de desenvolvimento jovem em clubes que não participem na fase de grupos da UEFA Champions League ou da UEFA Europa League representa cinco por cento da receita bruta total das duas competições.

Para além disso, esta distribuição a federações e/ou ligas já não se baseia apenas no seu valor de mercado. Segundo a nova forma de distribuição, 60 por cento das quantias disponíveis serão distribuídas em partes iguais entre todas as federações e/ou ligas, e 40 por cento será distribuído segundo o valor do mercado televisivo de cada federação com equipa(s) na UEFA Champions League. Isto resulta em maiores benefícios para clubes de federações pior classificadas.

Em princípio, o dinheiro deve ser partilhado de forma igual entre todos os clubes de primeira divisão que não estejam envolvidos na fase de grupos da UEFA Champions League ou da UEFA Europa League. Podem ser aprovados critérios de distribuição diferentes, desde que baseados em critérios de treino jovem definidos.

Qualquer clube, para receber financiamento, deve ter em prática um programa de desenvolvimento jovem aprovado segundo o manual de licenciamento de clubes nacional, acreditado pela UEFA.