Hungria de luto por antigo árbitro Károly Palotai

Károly Palotai, árbitro húngaro que dirigiu quatro finais europeias de clubes, entre 1975 e 1981, e participou em quatro Mundiais e dois Jogos Olímpicos, faleceu aos 82 anos.

Károly Palotai, sob o olhar de Sándor Csányi, presidente da Federação de Futebol da Hungria (MLSZ), fala ao público após receber a Ordem de Mérito em Diamante, em 2016
Károly Palotai, sob o olhar de Sándor Csányi, presidente da Federação de Futebol da Hungria (MLSZ), fala ao público após receber a Ordem de Mérito em Diamante, em 2016 ©Getty Images

O futebol húngaro e europeu estão de luto pelo falecimento de Károly Palotai, de 82 anos, que arbitrou quatro finais europeias de clubes e ganhou o ouro olímpico enquanto jogador.

Palotai esteve em duas finais da Taça dos Clubes Campeões Europeus: o duelo entre Bayern Munique e Saint-Étienne (1976) e o embate entre Liverpool e Real Madrid (1981).

Para além disso, dirigiu a final da Taça dos Clubes Vencedores de Taças de 1979, entre Barcelona e Fortuna Düsseldorf, e ainda a primeira mão da final da Taça UEFA de 1974/75, entre Borussia Mönchengladbach e FC Twente.

Károly Palotai during his refereeing career
Károly Palotai during his refereeing career©MTI

A juntar a isto, Palotai também arbitrou no Campeonato do Mundo de 1974, 1978 e 1982, a final do Campeonato da Europa de 1980, e ainda participou nos Jogos Olímpicos de 1972 e 1976. 

Antes de enveredar pela arbitragem, teve uma carreira de sucesso como jogador no Győr, onde participou em quatro finais da Taça da Hungria, entre 1964 e 1968, tendo ganho três. Destaque ainda para a participação nas meias-finais da Taça dos Campeões Europeus de 1964/65.

Também fez parte da selecção húngara que ganhou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóqui, em 1964.

Palotai, que trabalhou como observador de árbitros da UEFA após terminar a carreira de árbitro, foi homenageado pelos seus serviços ao futebol europeu quando recebeu a Ordem de Mérito em Diamante da UEFA, no Congresso do organismo europeu em Budapeste, no ano de 2016. Foi igualmente distinguido com o prémio Feito de uma Vida, entregue pela MLSZ no ano seguinte.

Topo