Futebol italiano de luto por Azeglio Vicini

Antigo seleccionador de Itália, Azeglio Vicini, que levou a "squadra azzurra" às meias-finais do EURO '88 e do Campeonato do Mundo da FIFA de 1990, faleceu aos 84 anos de idade.

Azeglio Vicini no banco da Itália durante o Campeonato do Mundo da FIFA de 1990
Azeglio Vicini no banco da Itália durante o Campeonato do Mundo da FIFA de 1990 ©Getty Images

Antigo seleccionador de Itália, Azeglio Vicini, faleceu em Brescia aos 84 anos de idade.

Vicini trabalhou durante vários anos na Federação Italiana de Futebol (FIGC), numa ligação que culminou com uma passagem de cinco anos pelo leme da selecção principal de Itália, período durante o qual conduziu a "squadra azzurra" às meias-finais do Campeonato da Europa da UEFA de 1988 e do Campeonato do Mundo da FIFA de 1990, realizado em solo italiano.

A sua carreira no futebol, contudo, começou como jogador, no meio-campo do Vicenza e da Sampdória na Serie A. Pendurou as chuteiras em 1966, ao serviço do Brescia, clube onde iniciou, logo no ano seguinte, a carreira de treinador.

Em 1968 começou a trabalhar na FIGC e em 1976 orientou a selecção de sub-23 de Itália. Pouco depois passou a ocupar o cargo de seleccionador dos sub-21, que ocupou durante dez anos, perdendo a final do Campeonato da Europa da UEFA de 1986 da categoria para a Espanha no desempate por penalties.

Nesse mesmo ano, Vicini foi promovido à selecção principal, levando consigo várias das suas estrelas dos sub-21. Com uma equipa jovem, Vicini levou a Itália às meias-finais do EURO '88, na República Federal da Alemanha, sendo derrotado nessa fase da prova por 2-0 pela URSS. Depois, com a Itália como anfitriã do Mundial de 1990, voltou a cair nas meias-finais, desta feita no desempate por penalties, ante a Argentina, num torneio em que os seus pupilos sofreram apenas um golo. A Itália acabou por terminar no terceiro lugar da prova.

Vicini foi sucedido no cargo por Arrigo Sacchi, no seguimento da qualificação falhada para o EURO '92. Após breves passagens pelos comandos técnicos de Cesena e Udinese, regressou à FIGC como responsável pelo departamento técnico, cargo que ocupou até 2010.

Topo