O "site" oficial do futebol europeu

História da UEFA - Primeiros tempos e constante expansão

História da UEFA - Primeiros tempos e constante expansão
O Presidente da UEFA, Ebbe Schwartz, entrega ao Real Madrid a Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1960 ©UEFA.com

Notícias

Calendário

A Union des Associations Européennes de Football (UEFA) foi fundada em Basileia (Suíça) a 15 de Junho de 1954. Desde então, o organismo gestor do futebol europeu – uma de seis confederações da FIFA, organismo tutelar do futebol mundial – cresceu para se transformar num pilar da modalidade na Europa, trabalhando com e agindo em prol das federações nacionais europeias e outros intervenientes de modo a promover o futebol e fortalecer a posição da modalidade.

O período que levou à fase final do Campeonato do Mundo de 1954, na Suíça, quando a FIFA celebrou o 50º aniversário, revelou-se crucial nas movimentações rumo à fundação de uma instituição responsável pelo futebol europeu. No início da década de 1950, vários administradores de futebol visionários, incluindo o antigo secretário e presidente da Federação Italiana de Futebol, Ottorino Barassi, e os homólogos da Federação Francesa de Futebol e Federação Belga de Futebol, Henri Delaunay e José Crahay, respectivamente, mantinham a ideia de formar um bloco europeu unido. No entanto, o movimento de apoio a um organismo que unisse as federações europeias ganhou força após a FIFA ter aprovado as bases estatutárias para a criação de confederações de futebol continentais, em 1953.

Ficou claro no início dos anos de 1950 que as autoridades continentais, ao invés de apenas um organismo mundial central, eram necessárias para supervisionar e dirigir o crescimento constante do futebol. Discussões e propostas nos bastidores culminaram finalmente na convocação de uma reunião oficial, a 15 de Junho de 1954, em Basileia, e na fundação oficial da UEFA. Os primeiros estatutos do organismo foram aprovados no Congresso da UEFA inaugural, a 2 de Março de 1955, em Viena. A partir daí, a UEFA esteve na vanguarda de cada passo decisivo rumo à evolução do futebol europeu. As primeiras figuras de renome foram Ebbe Schwartz (Dinamarca), que se tornou Presidente da UEFA a 22 de Junho de 1954, e Henri Delaunay, primeiro secretário-geral da UEFA, desde a reunião oficial de fundação até 9 de Novembro de 1955, altura em que foi substituído pelo seu filho, Pierre Delaunay (França), inicialmente a título interino e depois oficialmente a partir de 8 de Junho de 1956.

A Taça dos Clubes Campeões Europeus, principal evento de clubes europeu, na altura com os campeões nacionais do continente, foi fundada em Abril de 1955, e uma nova competição para selecções nacionais, a Taça das Nações Europeias arrancou em 1958, após dois anos de preparativos. A UEFA também assumiu a responsabilidade, dada pela FIFA em 1956 de organizar o Torneio Internacional Jovem, evento que se realizava desde 1948.

Os primeiros passos da UEFA como organismo gestor do futebol europeu foram seguidos pela expansão durante o final da década de 1950 e início da de 1960. O Comité Executivo da UEFA era a sua única autoridade inicial para a tomada de decisões, mas foram gradualmente comités de peritos adicionais para lidarem com os diversos aspectos da modalidade e a gama de actividades da UEFA continuou a crescer. O Presidente da UEFA, Ebbe Schwartz, liderou este período de expansão até Abril de 1962, altura em que foi substituído por Gustav Wiederkehr (Suíça). A 1 de Abril de 1960, Hans Bangerter (Suíça) sucedeu a Pierre Delaunay como secretário-geral – cargo que viria a manter durante quase três décadas.

Ao mesmo tempo, o número de competições aumentou. A Taça dos Vencedores das Taças (na altura intitulada Taça dos Vencedores das Taças Europeias), aberta a todos os vencedores das taças nacionais, foi organizada pela primeira vez na temporada 1960/61 e a edição inaugural da Taça Intercontinental, disputada pelo campeão de clubes do continente europeu e sul-americano, realizou-se em 1960.

Os deveres e o papel da UEFA desenvolveram-se ainda mais à medida que os anos de 1960 avançaram. Para além da constituição de cada vez mais comités de peritos, a UEFA diversificou-se à medida que ganhava estatuto, promovendo o diálogo constante e a procura contínua de melhorias no futebol europeu. Foram introduzidos cursos de formação regulares para treinadores e árbitros, bem como conferências para os secretários-gerais e presidentes das federações. Mais acordos alargados com organizações media e transmissores tornaram-se essenciais, em particular os relacionados com a regulação de transmissões televisivas de jogos de futebol.

A Taça das Nações Europeias recebeu o título de Campeonato da Europa a tempo da fase final de 1968. Foi colocado ênfase considerável no desenvolvimento dos jovens jogadores e lançada uma competição de selecções para jogadores com menos de 23 anos.

Por altura da década de 1970, o futebol desfrutava de tremenda aceitação pública e a UEFA manteve-se a par dos desenvolvimentos. A Taça das Cidades com Feira, estabelecida em 1955, passou a ser totalmente controlada pela UEFA e foi renomeada para Taça UEFA em 1971. A SuperTaça Europeia, envolvendo o vencedor da Taça dos Campeões e da Taça das Taças, foi criada oficialmente em 1973. Três anos depois, uma competição europeia Sub-21 substituiu a de Sub-23 e o número de participantes na fase final do Campeonato da Europa duplicou, de quatro para oito, na fase final da edição de 1980, em Itália.

Foram tomadas diversas decisões importantes. Emitiram-se recomendações contratuais sobre a manutenção da ordem pública em estádios (1976); os órgãos disciplinares (Comité de Controlo e Disciplina e Comité de Recursos) foram separados do resto da administração da UEFA e receberam estatuto independente (1972); foram adoptados regulamentos padronizados para todas as competições de clubes da UEFA (1972); e pela primeira vez foram pagos subsídios aos clubes que sofressem défices orçamentais após eliminações precoces nas competições de clubes (1971). A 7 de Julho de 1972, o Presidente da UEFA, Gustav Wiederkehr, morreu subitamente. O seu sucessor, a partir de 15 de Março de 1973, foi Artemio Franchi (Itália).

No início da década de 1980, o Torneio Internacional Jovem tinha-se transformado em duas competições europeias separadas, uma para a categoria Sub-18 e outra para Sub-16. O futebol feminino também forjou a sua própria identidade – em 1982 assistiu-se à edição inaugural de uma competição europeia feminina. Fora do panorama competitivo, a UEFA não era menos activa. Apresentava-se na linha da frente no que diz respeito a melhorias de segurança nos jogos de futebol, no rescaldo da tragédia no Estádio Heysel, na Bélgica, em 1985, com requisitos de segurança rigorosos e implementação de cláusulas para todos os espectadores terem lugar sentado em jogos da UEFA. Com isto, a UEFA deu um contributo fundamental para o desenvolvimento de estádios modernos e multi-funcionais, nos quais os adeptos pudessem assistir a jogos de futebol com o máximo de conforto e segurança. Em 1983, Artemio Franchi morreu tragicamente num acidente de viação, em Itália. Jacques Georges (França) assumiu o cargo de Presidente da UEFA até ao fim dos anos de 1980 – período que assinalou o início de alterações profundas no futebol europeu e que viu a UEFA adaptar-se aos novos tempos desafiantes que teve pela frente.

Última actualização: 14-02-17 0.46CET