Portugal pronto para "ser o primeiro a cortar a meta"

Portugal vai, este sábado, tentar o seu primeiro título de campeão europeu de futsal e o seleccionador Jorge Braz quer "ser o primeiro a cortar a meta" frente à detentora do troféu, Espanha, para quem "não há favoritos", segundo o seu seleccionador, Venancio López.

Jorge Braz (Portugal) e José Venancio López (Espanha) anteciparam a grande final do UEFA Futsal EURO 2018
Jorge Braz (Portugal) e José Venancio López (Espanha) anteciparam a grande final do UEFA Futsal EURO 2018 ©Sportsfile

Portugal vai, este sábado, tentar o seu primeiro título de campeão europeu de futsal, na final do UEFA Futsal EURO 2018, em Ljubljana, com pontapé de saída marcado para as 19h45. A selecção portuguesa, que soma quatro vitórias em quatro jogos nesta edição da prova, depois de ter vencido o Grupo C e deixado pelo caminho Azerbaijão e Rússia, respectivamente nos quartos-de-final e nas meias-finais, vai agora ter pela frente a Espanha, actual detentora de um troféu que já ergueu por sete vezes, uma delas, em 2010, depois de bater precisamente Portugal no jogo decisivo.

O seleccionador português, Jorge Braz, contudo, recusa olhar para o passado e mostra-se confiante, acreditando que Portugal será "o primeiro a cortar a meta", enquanto o capitão Ricardinho espera "um jogo fantástico" frente àquela que considera ser "a melhor selecção do mundo". Já o seleccionador espanhol, Venancio López, salienta que "não há favoritos" e espera que a sua equipa seja igual a si mesma.

Jorge Braz, seleccionador de Portugal
Viemos para este europeu conscientes do percurso que queríamos percorrer. Agora, partimos para este jogo conscientes de que esta é a etapa final deste percurso. Estamos motivados e sabemos muito bem o que queremos. Estamos preparados para terminar os derradeiros segundos destes 100 metros, com o pescoço esticado, para sermos os primeiros a cortar a meta.

Veja como Portugal garantiu um lugar na final, ao derrotar a Rússia numa meia-final emocinante
Veja como Portugal garantiu um lugar na final, ao derrotar a Rússia numa meia-final emocinante

Não sentimos a estatística, nem a história. Nós vivemos o momento. O que conta é o presente. Não nos podemos agarrar ao passado. Estamos muito bem, mas temos que provar isso em campo nesta final.

Ricardinho, capitão de Portugal
Vai ser um jogo fantástico. Para mim, a Espanha é a melhor seleção do mundo, mesmo não tendo vencido o Mundial. Tem jogadores que jogam na melhor Liga do Mundo e que estão habituados a este tipo de jogos, mas vão encontrar Portugal no seu melhor momento. Estamos todos com muita ambição, muita vontade e bem preparados para não sermos surpreendidos.

É uma final e a Espanha não vai jogar sozinha. Vai jogar contra uma equipa cheia de carácter e vamos tentar tudo para conseguimos levar o troféu para Portugal. Somos a única seleção que ganhou todos os jogos até aqui, e temos vindo sempre a melhorar a nossa prestação. Além disso, temos o peso positivo de ter 11 milhões de adeptos às costas a apoiar-nos.

Veja como a Espanha bateu o Cazaquistão no desempate por penatlies para garantir um lugar na final
Veja como a Espanha bateu o Cazaquistão no desempate por penatlies para garantir um lugar na final

Venancio López, selecicionador da Espanha
São duas selecções que se conhecem tão bem que não há favoritos. Jorge Braz tem muita experiência, tal como todos os seus jogadores. Sabem o que é jogar uma final, estiveram nas meias-finais do Campeonato do Mundo há ano e meio e têm vários jogadores capazes de decidir um encontro.

Não preparámos nada de especial para travar Ricardinho. Claro que preparamos cada jogo tendo em conta as características do adversário, mas pensamos sobretudo em nós mesmos. Queremos manter-nos fiéis ao nosso estilo de jogo e impô-lo ao longo do jogo. É essa a mensagem que quero transmitir: damos o melhor de nós quando acreditamos na nossa forma de jogar.

Topo