Percurso vitorioso moraliza Portugal

Com Portugal perto da sua segunda final no Futsal EURO, Vítor Hugo e Tunha reconhecem a tarefa difícil frente à Rússia nas meias-finais, mas referem que as vitórias alcançadas são uma importante dose de moral.

Tunha é uma das novidades de Portugal e já disputou dois jogos no Futsal EURO 2018
Tunha é uma das novidades de Portugal e já disputou dois jogos no Futsal EURO 2018 ©Sportsfile

Com Portugal a um passo de atingir a final pela segunda vez na sua história depois de 2010, o guarda-redes Vítor Hugo e o pivot Tunha reconhecem a tarefa complicada que a Rússia representa, nas meias-finais do UEFA Futsal EURO 2018.

No entanto, ambos referem que Portugal está bem preparado e que as três vitórias conseguidas são uma importante dose de moral para defrontar um adversário frente ao qual o histórico é desfavorável.

Vítor Hugo, guarda-redes de Portugal
Até agora tem sido muito bom, temos um registo 100 por cento vitorioso, mas não entramos em euforias, pois ainda não gánhamos nada, e estamos preparados para o que aí vem, que é um jogo de exigência máxima.

A Rússia é um adversário complicado, sabemos bem disso pois só no ano passado defrontámo-los quatro vezes. Foram jogos muito difíceis, frente a um país que tem histórico na modalidade e uma equipa bastante experiente, que joga junto há vários anos. No entanto, conhecemos bem os seus jogadores e vamos tentar estar preparados.

Tunha, pivot de Portugal
O facto de estarmos nas meias-finais é um momento de muito orgulho e o reconhecimento pelo bom trabalho que temos feito, mostrando a união que existe no grupo. Estamos muito bem preparados para lutar pelo apuramento para a final. A Rússia está recheada de bons jogadores, que juntos formam um conjunto com experiência assinalável ao mais alto nível.

Topo