O "site" oficial do futebol europeu

2016: Miguelín

Miguelín partiu para a fase final de 2016 após duas épocas frustrantes, devido a lesão, mas liderou uma Espanha fragilizada até à vitória mais convincente da sua história.
por Paul Saffer
de Belgrado
2016: Miguelín
Miguelín marcou seis golos na fase final ©Sportsfile

2016: Miguelín

Miguelín partiu para a fase final de 2016 após duas épocas frustrantes, devido a lesão, mas liderou uma Espanha fragilizada até à vitória mais convincente da sua história.

Ricardinho foi o Jogador de Ouro de 2007, e por muitos considerado como a estrela do UEFA Futsal EURO 2016, mas deixou a prova mais cedo já que a Espanha venceu Portugal por 6-2 nos quartos-de-final, mostrando que qualidade não lhe faltava no plantel.

Entre os espanhóis estava Miguel Sayago, mais conhecido por Miguelín. A sua estreia pela Espanha só aconteceu aos 26 anos, quando foi chamado à última hora para substituir o lesionado Fernandao no UEFA Futsal EURO 2012. Rapidamente se deu a conhecer, marcando nos dois primeiros jogos que realizou na fase final, ajudando à conquista do quarto título consecutivo do país ibérico.

A partir daí, Miguelín passou a ser presença assídua na selecção, ajudando a Espanha a chegar à final do Campeonato do Mundo de Futsal, em 2012, e sendo eleito uma das estrelas do UEFA Futsal EURO, em 2014, apesar da eliminação nas meias-finais. No entanto, dois anos depois, o seu jogo atingiu um novo nível em Belgrado.

Não só Fernandao foi baixa na Espanha, por lesão, como o mesmo aconteceu com Sergio Lozano, Adri e Aicardo – um sério revés nas opções ofensivas. Ainda assim, ganhou o torneio em grande estilo, talvez da forma mais convincente no seu historial, começando com um triunfo por 5-2 sobre a Hungria, no qual Miguelín bisou, com um dos golos a ser um brilhante remate de longe.

À medida que a fase final avançou, o jogador de 30 anos com um distintivo cabelo branco, que tinha sido tão apoquentado por lesões desde a edição de 2014, em Antuérpia, liderou a sua equipa sempre que estava em campo, contribuindo com golos e assistências. Isso incluiu dois golos na vitória por 7-3 sobre a Rússia, um deles num remate de longe, e assim ganhou a Bota de Ouro, partilhada com o Mario Rivillos.

A dupla teve a companhia de Alex, colega de Miguelín no Murcia, que também marcou seis golos, e qualquer um deles podia ter sido eleito o melhor da equipa no torneio, entre outros jogadores espanhóis. Rivillos e Alex estrearam-se na fase final e devem fazer parte dos sucessos futuros da Espanha. Já Miguelín deu largas ao seu talento em Belgrado como também utilizou a sua experiência para conferir liderança a uma equipa que, apesar de fragilizada no ataque, atingiu um novo nível.

A reputação de Miguelín em Espanha estava mais do que comprovada, graças às exibições no Murcia. Desta vez, provou o seu valor a nível internacional. "Trabalhámos muito para alcançar isto e por isso é que é tão bom finalmente vencer", disse ao UEFA.com. "No início do torneio ninguém falava sobre nós, e quando o faziam era apenas para referir os jogadores lesionados. Continuámos concentrados e trabalhámos arduamente para conseguir atingir os objectivos traçados. Continuámos a melhorar e isso foi um factor-chave para o nosso sucesso".

Última actualização: 13-10-16 18.29CET

Informação relacionada

Perfis dos jogadores

http://pt.uefa.com/futsaleuro/history/season=2016/goldenplayer/index.html#2016+miguelin