O "site" oficial do futebol europeu

Espanha festeja mais uma vez na Croácia

A Espanha esteve a 34 segundos de perder a final, mas acabou por conquistar o quarto título seguido no culminar de 15 dias do UEFA Futsal EURO 2012 plenos de emoção, golos e assistências recordes.
por Paul Saffer
de Zagreb
Espanha festeja mais uma vez na Croácia
Luis Amado (Spain) ©Sportsfile
 

Espanha festeja mais uma vez na Croácia

A Espanha esteve a 34 segundos de perder a final, mas acabou por conquistar o quarto título seguido no culminar de 15 dias do UEFA Futsal EURO 2012 plenos de emoção, golos e assistências recordes.

Parece tão simples: a Espanha carimbou a conquista do seu quarto Campeonato da Europa de Futsal consecutivo. No entanto, a fase final de 2012, na Croácia, teve um final emocionante depois de 15 dias inesquecíveis em Zagreb e em Split, durante os quais foram muitos os recordes batidos, especialmente no que diz respeito ao número de espectadores.

A Rússia esteve na frente do marcador frente à Espanha até 34 segundos do apito final, após ter sobrevivido dois minutos com apenas quatro jogadores em campo, fruto da expulsão Cirilo, mas acabou por ver Sergio Lozano restabelecer a igualdade. O mesmo jogador voltou mais tarde a marcar no prolongamento e a Espanha acabou por fazer a festa em Zagreb, carimbando o triunfo por 3-1 nos derradeiros instantes com um alívio que levou a bola até ao fundo da baliza russa deserta.

"A Espanha nunca desiste, quer sempre algo mais", afirmou Kike, autor de ambas as assistências nos golos de Lozano, o primeiro a jogar como guarda-redes avançado. "Acreditamos sempre que podemos dar alguma coisa mais e, felizmente, desta vez fomos bem-sucedidos."

Para quem pensava que o abandono da selecção espanhola por parte de Javi Rodríguez e Daniel após a vitória no Europeu de 2010 − e o facto de Amado e Kike se estarem a aproximar do fim das respectivas carreiras − poderia afectar os detentores do título, a Espanha provou o contrário em solo croata. Foi mesmo o quinto título de campeão europeu para o guarda-redes Amado (em sete presenças em sete finais) e para o defesa Kike, e o quarto para Torras, vencedor da Bota de Ouro adidas, com cinco golos marcados. E as caras novas, como Lozano ou Miguelín e Aicardo − estes dois chamados à última da hora − tiveram igualmente papel decisivo na revalidação do ceptro.

A passagem dos espanhóis à fase a eliminar decorreu sem problemas, ao baterem a Eslovénia por 4-2 e a Ucrânia por 4-1 no Grupo antes de golearem a Roménia nos quartos-de-final por 8-3. Contudo, foi o magro triunfo de 1-0 sobre a Itália, nas meias-finais, aquele que mais impressionou, numa exibição sem mácula não condizente com o que resultado deixou sugerir.

Talvez apenas Croácia possa rivalizar com Espanha na luta pelo estatuto de estrelas do torneio. A selecção da casa, derrotada pela Itália no encontro de atribuição do terceiro lugar, não marcava presença numa fase final de um Europeu de Futsal desde 2001 e nunca antes tinha ido além da fase de grupos, mas desta feita, na qualidade de anfitriã, acabou por realizar uma campanha que encantou os adeptos que, por três ocasiões, bateram o recorde de assistência do torneio, culminando com os 14.300 espectadores presentes na derrota croata por 4-2 frente à Rússia, nas meias-finais, num jogo em que os anfitriões não ficaram longe de recuperar de uma desvantagem de quatro golos.

Depois do triunfo nos quartos-de-final sobre a Ucrânia no desempate por penalties, em Split, o embaixador do torneio Robert Jarni correu do seu posto de comentador de televisão para festejar com a equipa aquilo que considerou ser "um milagre". Dario Marinović, de 21 anos, destacou-se nos anfitriões ao apontar cinco tentos e terminar atrás de Torras na corrida à Bota de Ouro.

Outro jogo permanecerá na memória de todos. Um dia após a eliminação da República Checa, outro dos semifinalistas de 2010, o Azerbaijão, mediu forças com a Sérvia na esperança de evitar sair ainda na fase de grupos. Felipe colocou a selecção de Alesio na frente logo aos oito segundos, recorde no Futsal EURO, mas acabaram por ser os sérvios a levar a melhor, ao ganhar por 9-8, desfecho que constitui igualmente novo máximo quanto ao maior número de golos marcados num jogo da fase final.

Para tornar as coisas ainda mais emocionantes, o guarda-redes do Azerbaijão, Andrey Tveryankin, o primeiro jogador de 44 anos a disputar a fase final de qualquer torneio da UEFA, foi expulso quando o resultado estava ainda apenas em 2-2. O seleccionador sérvio, Aca Kovačević, resumiu tudo: "Nunca ninguém viu nada do género num Europeu de Futsal."

Informação relacionada

http://pt.uefa.com/futsaleuro/history/season=2012/index.html#espanha+coroada+croacia