Ricardinho: "Estamos aqui para voltar a vencer este troféu"

Ricardinho fala do desejo do Inter em "voltar a conquistar o troféu", apesar da qualidade dos adversários, entre os quais um Sporting que "melhorou muito".

©Inter FS

Com o Inter prestes a entrar em cena em Saragoça, onde vai defrontar o rival espanhol do Barcelona nas meias-finais da Taça UEFA Futsal, Ricardinho, em entrevista exclusiva ao UEFA.com, fala do sonho de voltar a erguer o troféu. Contudo, reconhece que "é cada vez mais difícil" porque todos olham para o campeão como "a equipa a bater".

"Penso que vai ser uma 'final four' muito boa, com quatro equipas muito fortes, mas estamos aqui e queremos voltar a conquistar o troféu", acrescenta o internacional português, que conta já no seu palmarés com dois títulos na prova, um pelo Benfica em 2009/10 e outro pelo Inter na época passada.

Como foi a "final four" da época passada, em Almaty?

Resumo: Recorde como o Inter bateu o Sporting na final de 2016/17
Resumo: Recorde como o Inter bateu o Sporting na final de 2016/17

Foi muito boa. Quero voltar a dar os parabéns à cidade de Kairat, porque organizou um excelente torneio, numa arena fantástica. Penso que fizemos história. No ano anterior tínhamos perdido em casa com tudo a nosso favor e estávamos mentalizados de que não podíamos voltar a falhar. Tudo correu de forma perfeita.

Marcou em ambos os jogos. A nível individual foi o seu melhor desempenho na prova?

Olhando apenas para os números, sim. Mas as pessoas tendem a lembrar-se apenas dos golos e das assistências, e a verdade é que em 2010, quando ergui o troféu com o Benfica, também joguei muito bem.

O objectivo este ano é revalidar o título?

Ricardinho ergueu pela primeira vez o troféu pelo Benfica, em Lisboa, em 2010
Ricardinho ergueu pela primeira vez o troféu pelo Benfica, em Lisboa, em 2010©Sportsfile

Sabemos que é cada vez mais difícil. As pessoas olham para nós como a equipa a bater. Ganhámos quatro Ligas espanholas consecutivas, três Taças de Espanha, estivemos em três finais da Taça UEFA…Penso que vai ser uma 'Final Four' muito boa, com quatro equipas muito fortes. 

O Inter derrotou o Kairat na ronda de elite. Foi uma mensagem para as outras equipas?

Sim. Quando calhámos no mesmo grupo que o Kairat as pessoas pensaram que poderíamos ficar pelo caminho, mas deixámos uma mensagem clara. Estamos aqui para voltar a vencer este troféu. Sabemos que não vai ser fácil, mas têm de contar sempre com o Inter.

Como avalia as outras equipas que vão estar em Saragoça?

O Sporting melhorou ainda mais a sua equipa. Manteve os jogadores que já lá estavam e contratou Cardinal e Divanei, dois grandes jogadores que conhecem o clube e o treinador. Melhorou muito e vai dar tudo para vencer. Já esteve perto duas e é algo que quer muito.

O Barcelona baseia-se muito nas individualidades. Tem Dyego e Ferrão, jogadores capazes de fazer a diferença, e tem também Paco Sedano e Juanjo, dois guarda-redes que mantêm a equipa na discussão dos jogos. Mas sabemos o que temos de fazer para os derrotarmos. Já os defrontámos muitas vezes. Teremos de estar focados no nosso jogo e, acima de tudo, não cometer erros.

Ricardinho e o Ortiz, capitão do Inter, com o troféu ganho no ano passado
Ricardinho e o Ortiz, capitão do Inter, com o troféu ganho no ano passado©Sportsfile

Quanto ao Györ… parabéns a Javi Rodríguez. Conseguiu algo de histórico. Contra o Luparense mostrou que sabia o que queria e que era capaz de o conseguir.

Jogar em Saragoça será como jogar em casa?

Sempre que jogamos em Espanha sentimo-nos em casa, embora Torrejón seja a nossa fortaleza. Não precisamos de fazer uma viagem grande e isso é positivo. Mas todas as equipas vão estar a postos.

Topo