Kairat prova o que vale com segundo triunfo

O Kairat destronou o Barcelona pela segunda vez em três anos e reconquistou o troféu em Lisboa, numa emocionante fase final vista por número recorde de pessoas.

Resumo da final

An error occurred while playing the video

message

Next video

Comparando o triunfo do Kairat Almaty na Taça UEFA Futsal 2014/15, em Lisboa, com o alcançado dois anos antes, em Tbilissi, o guarda-redes Higuita afirmou que o segundo teve maior significado: "Quando fomos campeões naquela altura, muitas pessoas disseram que tinha sido apenas sorte. Hoje provámos que não foi."

O que o guardião quis dizer era que, quando o Kairat proporcionou ao Cazaquistão a primeira vitória numa competição da UEFA em qualquer disciplina, em 2013, os críticos afirmaram que o treinador Cacau apenas tinha apanhado de surpresa o FC Barcelona e o FC Dynamo com a utilização surpresa de Higuita a actuar muitas vezes como de um jogador de campo se tratasse. Essa táctica de cinco para quatro manteve-se nas vitórias do Kairat sobre o ISK Dina Moskva e o Barcelona na Meo Arena, na capital portuguesa, mas desta vez ninguém podia encontrar desculpas sobre não saber o modo como Cacau iria colocar a sua equipa a jogar.

O Kairat apurou-se para a fase final com 28 golos marcados em três partidas da Ronda de Elite, pelo menos o dobro de que qualquer outro conjunto qualificado. Nas meias-finais, bateu o Dina, equipa dominadora na Rússia e na Europa durante a década de 1990, embora estreante nesta prova da UEFA com 14 anos. Os russos apontaram dois tentos nos derradeiros dois minutos e forçaram o prolongamento, mas o Kairat ganhou por 7-4 ajudado por quatro golos de Leo.

No encontro decisivo teve pela frente o campeão Barcelona, vitorioso por 5-3 nas meias-finais com dois golos nos últimos segundos frente ao anfitrião Sporting Clube de Portugal, apoiado por 12.076 espectadores, recorde da competição, na primeira vez em que os números de assistência numa prova de futsal de clubes da UEFA atingiram cinco dígitos. Os adeptos da casa tiveram motivos de festejo dois dias depois, quando o Sporting conquistou a medalha de bronze ao derrotar o Dina, por 8-3, com quatro golos de Alex.

Resumo da final
Veja o resumo da final

O Barcelona era favorito a vencer a final, na tentativa de igualar máximos na Taça UEFA Futsal ao conquistar o terceiro título e segundo seguido. No entanto, o Kairat – única equipa a ter vencido o Barça na Europa, mas meias-finais de 2013 – chegou ao intervalo na frente do marcador, por 2-0, obra de Humberto e Divanei, antigo jogador do Sporting que garantiu apoio à sua formação por parte dos adeptos locais. A equipa da Catalunha reduziu a diferença por duas vezes, mas o Kairat ganhou por 3-2 e os passes de Higuita no ataque revelaram-se tão importantes como as defesas.

Cacau, quarto treinador a ganhar a Taça UEFA Futsal pela segunda vez, afirmou: "Fizemos um jogo completo, a final foi um grande espectáculo." O discurso pode encaixar perfeitamente no que foi a fase final, pois os quatro desafios foram presenciados por quase 30.000 pessoas, registo sem precedentes, numa edição cujos bilhetes disponíveis foram vendidos em pouco mais de duas semanas.

Wilde, do Barcelona, que ao longo da sua extensa carreira ganhou por duas vezes o Campeonato do Mundo de Futsal, uma das quais em casa, no Brasil, revelou sobre a meia-final frente ao Sporting: "Disputei muitos jogos contra boas equipas mas com adeptos assim nunca tinha visto nada. Tenho de dar os parabéns ao Sporting por aquilo que fez dentro do pavilhão, pois para o futsal isto é muito bonito.”

Topo