O "site" oficial do futebol europeu

Charleroi leva troféu para a Bélgica

Um Action 21 recheado de jogadores brasileiros provou ser a mais forte equipa não espanhola nas primeiras três edições da Taça UEFA de Futsal. A turma belga foi, em 2004/05, a primeira formação não ibérica a triunfar na prova.
Charleroi leva troféu para a Bélgica
O Spiroudôme levou a equipa às costas nos jogos realizados em casa ©Action 21 Charleroi

Charleroi leva troféu para a Bélgica

Um Action 21 recheado de jogadores brasileiros provou ser a mais forte equipa não espanhola nas primeiras três edições da Taça UEFA de Futsal. A turma belga foi, em 2004/05, a primeira formação não ibérica a triunfar na prova.

Um Action 21 Charleroi recheado de jogadores brasileiros provou ser a mais forte equipa não espanhola nas primeiras três edições da Taça UEFA de Futsal. A turma belga foi, em 2004/05, a primeira formação não ibérica a triunfar na prova.

O formato permaneceu inalterado, mas ausentes pela primeira vez estiveram os vencedores das duas primeiras edições da prova, o Playas de Castellón FS. O Boomerang Interviú vencera a competição em 2003/04, na final com o Benfica, e a equipa madrilena, os também espanhóis do El Pozo Murcia FS e os duas vezes finalista vencido Charleroi passaram facilmente a primeira fase de qualificação, tal como o Sporting - que conquistara o título português na época anterior ao rival Benfica - e o MFK Dinamo Moskva.

O Dínamo ficara pelo caminho na sua estreia na prova, no ano anterior, frente aos holandeses do KVV West Stars, mas desta vez conseguiu 36 golos na primeira fase e viria a ser o anfitrião do Grupo B da segunda fase de qualificação. Cedo se tornou claro que viria a ser uma luta a dois, pois, logo na primeira jornada o Dínamo venceu o FC Shakhtar Donetsk por 6-2, com um “hat-trick” de Cirilo, enquanto o El Pozo bateu o FC Dorozhnik Minsk por 8-0, com quatro golos de Paulo Roberto. Dois dias depois, o El Pozo repetiu o resultado frente ao Shakhtar, elevando o seu registo europeu para cinco jogos e 41 golos, enquanto o Dínamo bateu o Minsk por 10-6, com um “hat-trick” de Joan a deixar os bielorrussos à distância. O Dínamo precisava de uma vitória frente ao El Pozo para se apurar para a final e, apesar de Lenísio ter marcado antes do intervalo, empatando o tento de Sergei Ivanov aos 11 minutos, Sergey Malychev e Cirilo facturaram pouco depois do reatamento. O Dínamo nunca perdeu a vantagem, tendo terminado o encontro com um triunfo por 5-4.

O Grupo A teve o Action 21 como anfitrião e, uma vez mais, foram os belgas, mais o Interviú, quem dominaram. Os detentores da prova começaram por vencer o KMN Svea Lesna Litija por 3-0, enquanto o Action 21 bateu o Sporting por 7-4. Um dia depois, o Interviú esteve a perder ao intervalo, mas acabou por bater o Sporting por 4-3; o Action 21 bateu o Lilija, por 3-1, apurando-se devido a melhor diferença de golos. Assim, o Charleroi apenas necessitava de um empate frente ao Interviú e chegou à vantagem aos 32 minutos, através de um tento de Kelson. Contudo, Neto empatou cinco minutos depois e, a um minuto do final, Gabriel colocou os detentores do troféu na frente do marcador. Parecia que o resultado não iria conhecer mais alterações até final, mas Lúcio Rosa tinha outras ideias e empatou a contenda, para delírio dos cerca de seis mil espectadores.

Os adeptos belgas compareceram novamente em força no Spiroudôme para a primeira mão da final e estavam radiantes ao verem o Action 21 chegar ao intervalo a vencer por 4-1. O marcador passara do 0-0 para 3-1 entre o início do 11º minuto e o final do 12º. Contudo, Pelé Júnior e Konstantin Maevskiy colocaram o resultado em 4-3, o que deixou antever uma segunda mão emocionante, que viria a ser uma das finais mais emocionantes da história da modalidade.

Ivanov colocou o Dínamo em vantagem por golos fora de casa quando estavam decorridos apenas três minutos, mas dois remates de Alex viraram o jogo a favor do Charleroi ainda antes do intervalo. Joan e Olexiy Kudlay voltaram a deixar o Dínamo na frente já na segunda parte, André Vanderlei empatou para o Action 21 e, depois, a dois minutos do final, Ivanov levou a decisão para o prolongamento. O Action 21 marcaria primeiro, através de Henrique, mas Joan e Cirilo deixaram o Dínamo em vantagem ainda antes da mudança de campo. Contudo, nos últimos dois minutos, Kelson colocou o Action 21 na liderança devido aos golos marcados fora de casa e Éder ainda marcaria pelos belgas, fixando um resultado total de 10-9 favorável ao Action 21 Charleroi.

http://pt.uefa.com/futsalcup/history/season=2004/index.html#charleroi+leva+trofeu+para+belgica