Rússia pronta para ser o centro das atenções

De 14 de Junho a 15 de Julho a Federação Russa vai receber o Campeonato do Mundo da FIFA de 2018, na primeira vez em que a prova é disputada na Europa de Leste.

©Getty Images

Desde o momento em que a Rússia foi confirmada como anfitriã do Campeonato do Mundo de 2018, no já longínquo mês de Dezembro de 2010, o país trabalhou intensamente para se preparar para o torneio. Para além de renovar estádios e infra-estruturas de treino, levou a cabo esforços de desenvolvimento a vários níveis em todas as cidades anfitriãs de forma a cumprir os padrões da FIFA.

Ao todo, 32 selecções nacionais vão disputar o torneio, 14 delas europeias. O sorteio da fase de grupos, realizado no Palácio Kremlin em Dezembro último contou com a presença de lendas do futebol como Pelé, Diego Maradona, Ronaldo, Cafu, Gordon Banks, Fabio Cannavaro, Carles Puyol, Diego Forlán, Laurent Blanc ou Gary Lineker. Durante a cerimónia, Miroslav Klose, campeão do mundo pela Alemanha em 2014 e melhor marcador desse Mundial, entregou ao país organizador o cobiçado troféu pelo qual os 32 países vão lutar este Verão e, ao longo dos últimos messes, os adeptos tiveram oportunidade de ver o troféu de perto.

No passado Outono, a adidas apresentou a bola oficial do Mundial 2018, a Telstar 18. Réplicas desta bola, que apresenta como cor os tradicionais preto e branco, estão entre os inúmeros artigos alusivos ao torneio que se podem adquirir nas várias Lojas Oficiais do Campeonato do Mundo. Entre elas, réplicas da cada vez mais popular mascote da prova, o lobo Zabivaka.

A ajudar ao evento estará uma equipa de cerca de 15 mil voluntários. Candidataram-se aos diferentes papéis destinados aos voluntários aproximadamente 177 mil pessoas, oriundas de 190 diferentes países. Muitos desses voluntários recrutados estiveram já em acção na Taça das Confederações da FIFA do ano passado, em jeito de preparação.

Cinco grandes centros
Os jogos terão lugar em 12 estádios espalhados por 11 cidades. Tendo em conta a imensidão geográfica do país, as cidades anfitriãs foram divididas em cinco grandes regiões: Central (Moscovo), Norte (São Petersburgo e Kaliningrado), Sul (Sochi e Rostov-on-Don), Volga (Nizhny Novgorod, Samara, Kazan, Saransk e Volgogrado) e Urais (Ekaterinburgo).

Dois dos estádios situam-se na capital, Moscovo, com um deles, o Estádio Luzhniki, a ter a honra de acolher o jogo de abertura e a final. Trata-se de um recinto habituado às grandes ocasiões, palco das cerimónias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de Verão de 1980, para além de ter igualmente acolhido as finais da Taça UEFA de 1999 e da UEFA Champions League de 2008.

Em 2013, o recinto foi encerrado para ser alvo de uma profunda remodelação com vista ao Mundial. Os trabalhos de renovação ficaram concluídos no ano passado e o estádio voltou a abrir as portas para num amigável entre Rússia e Argentina que contou com 78750 espectadores.

O outro recinto da capital a acolher jogos será o Estádio Spartak, arena recém-construída e inaugurada em 2014, com capacidade para 45 mil espectadores e um dos quatro estádios que acolheu encontros da Taça das Confederações da FIFA de 2017. Agora vai ser palco de quatro jogos da fase de grupos e de um embate dos oitavos-de-final.

Outro recinto usado na Taça das Confederações foi o Estádio de São Petersburgo, casa do FC Zenit e, com lotação para 67 mil espectadores, segundo maior palco deste Campeonato do Mundo. Vai receber sete jogos, incluindo o encontro de atribuição do terceiro lugar. Os dois outros estádios igualmente usados na Taça das Confederações foram a Arena Kazan, casa do FC Rubin, e o Estádio Olímpico de Fisht, em Sochi – que acolheu os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014.

A Arena Volgogrado recebeu a final deste ano da Taça da Rússia, enquanto os restantes seis estádios – em Kaliningrado, Samara, Ekaterinburgo, Nizhny Novgorod, Saransk e Rostov-on-Don contam regularmente com jogos do escalão principal do futebol russo. Escusado será dizer que todos os estádios e cidades anfitriãs estão há muito ansiosos por receberem os adeptos que virão de todo o mundo para a grande festa do futebol deste Verão.

Topo