Estreias internacionais para recordar

Nos 60 anos passados sobre a estreia de Alfredo Di Stéfano por Espanha com um "hat-trick", o UEFA.com recordar outras estreias memoráveis, entre as quais a de Francisco Palmeiro por Portugal.

Estreias internacionais memoráveis
Estreias internacionais memoráveis ©Getty Images

Esta segunda-feira assinalam-se os 60 anos passados sobre os três golos marcados por Alfredo Di Stéfano na estreia por Espanha, logo após o atacante do Real Madrid, nascido na Argentina, ter sido naturalizado espanhol. Tratou-se de uma estreia para recordar, tal como a de Francisco Palmeiro por Portugal, mas há quem tenha feito ainda melhor, como descobriu o UEFA.com.

Chacho: Espanha 13-0 Bulgária, 21 de Maio de 1933
Sob uma chuva diluviana, o atacante do Corunha marcou seis golos, que continuam a ser recorde da selecção de Espanha, com três deles a serem apontados nos primeiros 20 minutos.

Angelos Charisteas: Grécia 3-3 Rússia, 28 de Fevereiro de 2001
Três anos e meio antes do seu momento de glória, e da selecção da Grécia, no UEFA EURO 2004, Charisteas estreou-se com dois golos nos primeiros 32 minutos com a camisola da selecção helénica.

Bobby Charlton: Escócia 0-4 Inglaterra, 19 de Abril de 1958
Dois meses depois de ficar ferido no desastre aéreo de Munique, e na estreia em Hampden Park, Charlton marcou com um sensacional remate de primeira. Na segunda internacionalização, frente a Portugal, apontou mais dois golos.

Eddy de Neve: Bélgica 1-4 Holanda, 30 de Abril de 1905
De Neve apontou o primeiro golo da história da Holanda e depois fez um autogolo, mas não se deixou abater, marcando mais três vezes no prolongamento. Faas Wilkes conseguiu mais tarde igualar a proeza, com quatro golos na estreia pela selecção "laranja", na goleada de 6-2 ao Luxemburgo a 10 de Março de 1946.

Veja o 'hat-trick' de Serge Gnabry na estreia pela Alemanha
Veja o 'hat-trick' de Serge Gnabry na estreia pela Alemanha

Serge Gnabry: San Marino - Alemanha, 11 de Novembro de 2016
O médio do Bremen só precisou de nove minutos para marcar o primeiro de três golos, mas deixou o melhor para o fim, completando um "hat-trick" com um belo remate de primeira a cruzamento de Thomas Müller.

Sergei Gridin: Cazaquistão 2-1 Azerbaijão, 3 de Junho de 2011
O poderoso avançado assumiu o papel de herói na estreia pela selecção principal, bisando num encontro da qualificação para o UEFA EURO 2012 por uma equipa que estava em branco há mais de 500 minutos.

Jim McCalliog: Inglaterra 2-3 Escócia, 11 de Abril de 1967
"Tenho recordações fabulosas daqueles momentos, pois não toquei numa gota de álcool até aos 23 anos", gracejou McCalliog, que aos 20 anos, na estreia pela Escócia, marcou o golo do triunfo sobre os campeões do mundo em título, em Wembley.

Veja Müller levar a República Federal da Alemanha à final de 1976
Veja Müller levar a República Federal da Alemanha à final de 1976

Dieter Müller: Jugoslávia 2-4 República Federal da Alemanha (ap), 17 de Junho de 1976
Os alemães perdiam por 2-1 a 11 minutos do final quando Müller foi lançado em campo, em estreia, na meia-final do EURO '76. Só precisou de três minutos para fazer o empate, tendo depois completado um extraordinário "hat-trick" no prolongamento.

Alberto Orlando: Itália 6-0 Turquia, 2 de Dezembro de 1962
Quatro golos neste encontro de qualificação para o Campeonato da Europa pareciam ser o ponto de partida de uma brilhante carreira internacional, mas seriam os únicos que um dos melhores marcadores da Serie A de 1964/65 marcaria em cinco internacionalizações.

Francisco Palmeiro: Portugal 3-1 Espanha, 3 de Junho de 1956
Palmeiro foi o primeiro jogador do Benfica a marcar um golo na Taça dos Campeões Europeus e apontou três tentos na estreia por Portugal, frente a uma equipa que contava com Héctor Rial e Francisco Gento, que venceria a primeira final da Taça dos Campeões pelo Real Madrid dez dias depois.

Howard Vaughton: Irlanda 0-13 Inglaterra, 18 de Fevereiro de 1882
Os cinco golos marcados pelo atacante do Aston Villa na maior goleada de sempre da Inglaterra continuam a ser um recorde. Vaughton foi um excelente jogador de críquete e de hóquei em campo, assim como campeão de patinagem no gelo, mas a sua profissão era ourives, foi o autor da Taça de Inglaterra entregue entre 1895 a 1910.

Alfredo Di Stéfano marcou na estreia por Espanha
Alfredo Di Stéfano marcou na estreia por Espanha©UEFA.com

Josip Weber: Bélgica 9-0 Zâmbia, 4 de Junho de 1994
Após ter alinhado pela Croácia em três encontros particulares, Weber optou por representar o país de origem do seu avô, onde jogou por Cercle Brugge e pelo Anderlecht, e marcou cinco golos na sua segunda estreia por uma selecção.

Zinédine Zidane, França 2-2 República Checa, 17 de Agosto de 1994
Zidane foi convocado para este encontro particular em Bordéus, cidade do clube onde alinhava, como substituto de última hora do lesionado Youri Djorkaeff. O médio de 22 anos foi lançado aos 63 minutos, quando a França perdia por 2-0, mas foi ainda a tempo de empatar com dois golos no final.

Topo